11/02/2017

Perto da transposição, Açude de Boqueirão (PB) atinge 4% do volume

 

O açude Epitácio Pessoa, conhecido como Açude de Boqueirão, no Cariri da Paraíba, está passando pela maior crise hídrica de sua história e nesta quinta-feira (9) o volume do manancial baixou para 4%, o pior nível desde a fundação do açude. Os dados foram divulgados pela Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa) e mostram que o reservatório que tem capacidade para armazenar 411,6 milhões de m³ de água, está com 16,6 milhões de m³.

Sem receber recargas de chuvas e de afluentes do rio Taperoá, Boqueirão está agonizando a espera da chegada da água da transposição do Rio São Francisco.

O prazo estabelecido pelo Ministério da Integração Nacional é de que a cidade de Monteiro receba a água da transposição até o dia 6 de março. Depois disso, a água deve levar de 30 a 45 dias para chegar em Boqueirão, pois precisa passar ainda pelos açudes Poções, Camalaú e pelo Rio Paraíba.

O açude de Boqueirão abastece Campina Grande e outras 18 cidades do Agreste paraibano, que estão enfrentando um sistema de racionamento de água.

Desde que o açude de Boqueirão atingiu o nível de 5,6%, a Agência Nacional das Águas (Ana) parou de emitir resoluções que limitavam o uso da água em termos de percentuais. A agência liberou o uso total da água, desde que ela esteja dentro dos padrões de potabilidade estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Cada vez que o nível baixa, a preocupação aumenta.

A Companhia de Águas e Esgotos da Paraíba (Cagepa), que é responsável pelo tratamento e distribuição do abastecimento da água de Boqueirão garante que a potabilidade da água continua dentro dos padrões exigidos. Para eliminar a presença de cianobactérias e cianotoxinas existentes na água que hoje é captada em Boqueirão, a Cagepa tem usado um tratamento a base de peróxido de hidrogênio.

Previsão de chuvas

A meteorologia prevê uma melhora nas condições, mas espera que as chuvas entre os meses de fevereiro e maio sejam dentro da média histórica ou abaixo da média.

Segundo a meteorologista Marle Bandeira, da Agência Estadual de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa), para o próximo fim de semana estão previstas chuvas na região do Cariri, porém, de forma isolada.

“A época de chuvas na região do Cariri vai começar agora, entre fevereiro e maio. As condições na zona de convergência tropical mostram uma tendência de melhora, mas nossa previsão só consegue ter uma previsão mais precisa com apenas 24 horas de antecedência. Se esperam chuvas na média ou abaixo da média”, explicou ela.

Situação da transposição

A água do rio São Francisco já está a caminho da Paraíba. Na sexta-feira (3), o G1 participou de uma visita técnica em todo o Eixo Leste da transposição que vai da cidade pernambucana de Petrolândia até Monteiro, no Cariri paraibano. A água viaja por 208 quilômetros passando por seis estações elevatórias, entre 23 segmentos de canal, 12 lagos, cinco aquedutos e um túnel.

Dos 12 lagos existente, a água já passou por quatro deles, mas o processo está sendo agilizado com as quatro motobombas emprestadas pelo governo do estado de São Paulo. O maior dos lagos, Braúnas, com capacidade para armazenar mais de 14 milhões de m³ de água já está transbordando para a continuidade dos canais. Ele é o segundo lago que água passa no caminho do Eixo Leste. Os dois maiores são de 8 milhões e 5,2 milhões de m³.

A sexta estação elevatória da transposição ainda está sendo concluída, ainda pelo caminho, os lagos estão passando pelos últimos reparos. Os engenheiros da empresa responsável pela obra garante que tudo ficará pronto na medida em que a água for se aproximando de cada trecho.

Incra destina terra para assentamento e cria 90 unidades agrícolas na PB

Noventa unidades agrícolas familiares para assentamento de trabalhadores rurais foram criadas no município de Sousa, no Sertão da Paraíba. A decisão foi publicada nesta quinta-feira (9) na página 9 do Diário Oficial da União. A área, dividida em dois lotes denominados Gleba 3 e Gleba 5, tem 39.613 metros quadrados e tinha sido cedida pelo Governo da Paraíba ao órgão federal.

A portaria, que entra em vigor a partir da data de publicação, determina que a Superintendência Regional atualize o cadastro do terreno no Sistema Nacional de Cadastro Rural.

Segundo o texto assinado pelo superintendente regional substituto do Incra na Paraíba, Wilson Rodrigues Chaves, a decisão foi tomada "considerando a necessidade de dar destinação ao imóvel rural" e que "os órgãos técnicos procederam à análise do processo administrativo e decidiram pela regularidade da proposta".

Além da implantação do projeto de assentamento, a publicação determina que a Superintendência comunique a decisão à prefeitura da cidade para que as famílias beneficiadas sejam incluídas no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico).

MPF-MA pede a recuperação imediata de manguezais em loteamento na capital

O Ministério Público Federal no Maranhão (MPF-MA) quer que decisão da Justiça Federal que condenou o município de São Luís, a empresa SM engenharia e Comércio Ltda, Portofino Representações e Participações Ltda e a Rádio Difusora do Maranhão S/A por degradação em área de preservação permanente, seja cumprida imediatamente.

O loteamento do Igarapé Jaracaty - situado nos arredores do Shopping Jaracaty, entre as Avenidas Carlos Cunha e a “Via Expressa”, em São Luís - resultou no aterramento de manguezais e de faixas marginais de curso d'água.

Segundo o MPF, o igarapé também tem sido afetado com a remoção da cobertura vegetal, que ocasionou erosão do solo e assoreamento, em decorrência das obras de grande impacto no Loteamento Jaracaty, área nobre e comercialmente valorizada.

A Justiça condenou todos os envolvidos a pagar indenização pelos danos consolidados; determinou a recuperação da área degradada e a realização de obras que impeçam a erosão, o lixiviamento e a contaminação das áreas de preservação permanente por esgotamento sanitário, e, ainda, tornou nula a cessão a partir da venda e compra entre a Sociedade de Melhoramentos e Urbanismo da Capital S/A (Surcap) e Difusora, revertendo ao domínio do Município.

Entenda o caso

Em outubro de 1972, a União autorizou o Estado do Maranhão a transferir à Surcap o domínio útil da área Rio Anil para execução de plano de desenvolvimento urbanístico da região metropolitana de São Luís.

No dia primeiro de março de 1979, a Surcap transferiu uma faixa de terra situada no São Francisco (integrante da área Rio anil), constituída de 442 lotes do Loteamento Jaracaty à Rádio Difusora. Já em dezembro de 1986, a Difusora promoveu a venda de 208 lotes à Portofino para exploração comercial.

A transmissão do domínio útil - da União para o Estado do Maranhão, depois para o Município, através da Surcap, representa desvio de finalidade da cessão da área, que implicou na realização de loteamento comercial e na degradação do igarapé ali existente.

Operação apreende madeira ilegal na Reserva do Gurupi no Maranhão

Cerca de 50 metros cúbicos de madeira extraída ilegalmente da Reserva Biológica do Gurupi (Rebio) foram apreendidos por fiscais durante operação realizada nesta quarta-feira (9). Dois veículos foram apreendidos e as multas podem chegar a R$ 30 mil.

Segundo Evane Lisboa, diretor da Reserva Biológica (Rebio), com o período chuvoso o combate  a ação dos madeireiros  fica ainda mais difícil. “Por conta do barro que aparece muita lama e os carros começam a atolar. Com isso temos mais dificuldade para trabalhar porque nossos carros são baixos e acabam atolando, enquanto os madeireiros têm veículos que são mais altos e contam com a ajuda de tratores para dar mais facilidade de acesso”, afirmou.

As operações dentro da unidade de preservação ambiental contam com o apoio de homens do batalhão florestal da Polícia Militar de São Luís e da PM de Açailândia.

Além da extração ilegal de madeira as equipes fiscalização outros crimes cometidos dentro da reserva Biológica do Gurupi como a caça de animais silvestres.

Na última operação, em uma única casa, nove espingardas foram apreendidas. O chefe da coordenação e fiscalização federal Ruhan Saldanha explica que apesar de proibida, a prática é comum. “Foram encontrados diversos animais como pacas, jabutis, animais bem consumidos aqui na região. Às vezes as pessoas não sabem que matar ou perseguir ou comprar o animal silvestre, abatido ou vivo, é crime. A gente costuma pegar animais abatidos, dentro das fazendas que são fiscalizadas na cidade”, afirmou.

Em 2016, 23 armas foram apreendidas com caçadores, também foram localizados e apreendidos 17 caminhões, cinco motocicletas, seis tratores  e 300 metros cúbicos de madeira. “O início do tráfico começa dentro das áreas protegidas e envolve vários estados” finalizou Ruhan Saldanha.

Codevasf garante água para agricultores em projetos do semiárido

A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) adquiriu e entregou três novos sistemas de captação flutuantes, que vão ampliar a capacidade de bombeamento de água para os lotes, reforçando a segurança hídrica dos agricultores familiares dos projetos públicos de irrigação Propriá, Cotinguiba/Pindoba e Betume.

Os novos sistemas flutuantes reforçam a capacidade de bombeamento em 4.400 m³ por hora. Com a colheita da safra de arroz atualmente em andamento, os novos equipamentos ficarão à disposição dos irrigantes para ações emergenciais e também para garantir o fornecimento de água aos projetos irrigados caso haja, no futuro, uma nova redução da vazão do rio São Francisco.

“Ante os resultados positivos dos últimos anos, os irrigantes têm se mostrado dispostos a aumentar a área plantada, inclusive foi o que vimos na safra atual. Esses sistemas flutuantes trazem uma segurança maior para que o produtor receba a quantidade adequada de água em seu lote”, destacou o superintendente regional da Codevasf em Sergipe, César Mandarino.

 

Fonte: G1/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!