04/03/2017

Casa Nova: Hospital Municipal passa por grande reforma

 

O Hospital Municipal de Casa Nova está passando por uma grande e verdadeira reforma, tendo sua parte física e equipamentos já viabilizados e com conclusão prevista para março. A população casanovense que depende unicamente desta unidade de saúde esperava ansiosamente pela retomada das obras e pelo completo atendimento.

Indiferente à placa da gestão passada, instalada defronte ao Hospital, o povo agora acredita na nova gestão da Saúde, e espera ver funcionando todos os equipamentos do Hospital Municipal. O prazo de conclusão da reforma e ampliação da unidade hospitalar era para novembro de 2016, com um investimento de mais de 1 milhão e meio de reais, o que não foi cumprido pela gestão passada.

O que seria a ampliação do Hospital de Casa Nova, o que se vê ao lado da sua sede é o início de uma construção não acabada, apenas com ferragens e alguma parede levantada e muitos blocos espalhados, muito distante da realidade de um prédio onde iria abrigar a maternidade, e muito diferente da propaganda do governo anterior.

De acordo com a diretora do Hospital Municipal, Leidjane Andrade, a construção da maternidade, esta da propaganda do antigo gestor, está03 sob auditoria, sem previsão de data. “O que estamos fazendo no momento são pequenas cirurgias, utilizando o espaço que dispomos, porque ainda estamos recuperando o bloco cirúrgico que deverá está pronto em março”, acredita a diretora. Ela disse também que o Hospital está fazendo apenas parto normal, porque ainda não dispõe de condições para grandes cirurgias.

Os diretores do Hospital de Casa Nova, administrativo e clínico, atenderam a nossa equipe e esclareceram sobre toda a estrutura física e de equipamentos do Hospital. Equipamentos e material técnico, de grande importância para os procedimentos médicos e cirúrgicos, que segundo a administração da unidade, se encontravam sem funcionamento, jogados num depósito, equipamentos essenciais para atendimentos de urgência e emergência, “alguns que embora novos nem funcionavam mais, devido ao longo tempo sem ligar, amontoados num depósito”, endossou a diretora.

Para Leidjane Andrade, “tudo o que podíamos fazer para amenizar estes problemas, e começar a atender a demanda da cidade, nós fizemos e estamos fazendo”, garante. “É importante dizer também que para isso contamos com o total apoio do prefeito Wilker Torres, ele tem nos atendido em tudo o que precisamos para o funcionamento do Hospital, inclusive acompanhando de perto todo o nosso trabalho”.

Atendimento à população

A diretora fez questão de mostrar à reportagem do jornal A Notícia do Vale toda a parte física do Hospital, as salas de atendimento, enfermaria, os setores de emergência, bloco cirúrgico, “tudo ainda em reforma, mas funcionando na medida do possível”, afirmou Leidjane. Ela nos conta como encontrou a unidade de saúde, e como está fazendo para que o atendimento à população não seja interrompido.

“A gente encontrou sem nenhuma estrutura de trabalho, não tinha medicamento e nem alimentação, nada mesmo, estava totalmente destruído”, disse, lembrando que todo um esforço foi feito para organizar a bagunça encontrada. “Melhor de tudo é que já voltou a funcionar os internamentos, os medicamentos; não tinha estrutura nenhuma para fazer internamento, tudo mandava para Juazeiro por falta de medicamento”.

Leidjane disse ainda que muitos equipamentos estavam jogados, sem nenhuma condição de funcionamento. “Estavam num depósito, muitos equipamentos importantes, como monitor cardíaco; ventilador mecânico, tudo num depósito, aparelhos que salvam vidas”, disse, lembrando também do Raio X que estava quebrado há 6 meses e voltou a funcionar e da incubadora, que estava parada.

“A incubadora estava parada há mais de ano, já estava consertada, mas por falta de pagamento estava parada, a gente reativou agora, voltou a funcionar, mas antes as crianças saíam daqui para ir pra Juazeiro, prematuras, hoje a gente já tem a incubadora”. A diretora disse ainda que atualmente o atendimento no Hospital foi dobrado. “Tudo foi dobrado aqui, partos que foram feitos em dezembro, 24, foi para 48; internamentos, de 72 foram para 139, isso no primeiro mês, e a tendência é aumentar”.

“A população hoje já está confiando mais no nosso trabalho”, acredita Leidjane, informando que a equipe de profissionais do Hospital está preparada para atender a todos. “Temos 2 médicos plantonistas; 1 diretor clínico, todos os dias ele está aqui presente no Hospital, Dr. Henrique; 33 técnicos de enfermagem; 7 enfermeiros, além dos plantonistas diários, 06 técnicos de enfermagem; a coordenadora de enfermagem; parteiras; um radiologista 24 horas, e temos agora também ortopedista e atendimento ambulatorial”, concluiu.

Para o paciente Domingos de Castro, 69 anos, residente na cidade, o atendimento no Hospital melhorou muito. “Eu vim aqui com forte dor de cabeça e nas articulações do pescoço e sempre que venho aqui sou muito bem atendido, já vim aqui umas 3 vezes só este ano, e pra mim tá bom, não achei o que dizer, está melhor do que antes”, afirmou.

Ainda de acordo com a direção do Hospital Municipal de Casa Nova, a partir de março a reforma deverá está totalmente concluída, e o Hospital prestando um atendimento de qualidade à população.

Casa Nova: Início das aulas é adiado pela 2° vez

O ano letivo escolar que começaria nesta quinta-feira (2), no município de Casa Nova, no norte da Bahia, foi adiado para o dia 13 de março. Esta é a segunda vez, este ano, que o início das aulas na cidade é adiado. Primeiro por conta das condições precárias das escolas municipais e agora, por falha em contratos. As aulas deveriam começar no dia 6 de fevereiro.

Os alunos de escolas de Casa Nova sofrem com problemas de infraestrutura e equipamentos depredados. Materiais novos, inclusive, estão amontoados em um galpão da cidade. A prefeitura informou que o novo atraso aconteceu porque foram identificadas falhas no processo de contratação da empresa que faria o transporte escolar, e também, no processo de compra da merenda dos alunos. As licitações, segundo a prefeitura, foram organizadas pela gestão anterior.

Os gestores da administração anterior, entre eles, o ex-prefeito de Casa Nova, Wilson Cota, foi procurado pela reportagem, mas as ligações não foram atendidas.

Além disso, o Sindicato dos Professores de Casa Nova contou que mais de 80 professores estão fora das salas de aula no município. Entre os motivos estão a redução do número de alunos e a remoção de professores da zona rural para a cidade, mesmo quando não havia vagas nas escolas.

Infraestrutura nas escolas

Diversos materiais escolares novos foram encontrados amontoados, sem nenhum tipo de cuidado e misturados com carteiras velhas, em um galpão da cidade de Casa Nova.

Em algumas unidades de ensino, as salas e banheiros estão sem portas. As carteiras para os alunos sentarem estão quebradas e até carcaças de computadores são achadas nas escolas.

Nas imagens é possível notar, que as carteiras que estão no galpão têm partes forradas com papelão e plástico.

Os moradores do município reclamam da situação. Na escola Jóias de Cristo, o prédio é alugado. As salas são apertadas e não têm portas nem janelas. Parte do forro da cantina desabou e nos banheiros faltam portas, pias e as descargas estão quebradas.

Outra reclamação dos moradores é sobre a falta de segurança. A escola Solon Xavier foi arrombada duas vezes em menos de um mês. Os bandidos levaram equipamentos e ainda picharam a sala da direção.

Segundo o diretor da escola, Manuel da Cruz, os assaltantes levaram o climatizador, os aparelhos de ar-condicionado, as televisões tela plana, os computadores e impressoras. A situação impede que os professores desenvolvam algumas atividades pedagógicas com as crianças.

 

Fonte: A Noticia do Vale/G1/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!