18/03/2017

Paciência: ingrediente para mudança no controle da obesidade

 

"Como qualquer mudança, quem sofre de obesidade, precisa ter paciência e perseverança para construir a mudança que passa pela alimentação saudável e atividade física. Quem ganhou 40 quilos em 20 anos, não vai poder eliminar esse excesso em 20 dias. Apelar para dietas milagrosas, nem pensar, diante dos riscos à saúde, quando limitam as calorias num patamar inferior à necessidade para a sobrevivência do organismo".

As reflexões foram feitas, na manhã de hoje, pela nutricionista Lorenna Fracalossi, ao abordar o tema "Digestão, Mastigação e Metabolismo/Plano Alimentar", dando sequência ao ciclo de palestras do Núcleo de Obesidade do Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba). A próxima palestra, no dia 6 de abril, abordará Imagem Corporal e Atividade Física, com apresentação de psicóloga e fisioterapeuta da equipe multidisciplinar do Cedeba.

Mudar é Preciso

No Cedeba, os pacientes atendidos no Núcleo de Obesidade aprendem a substituir dieta por Plano Alimentar. É individual e elaborado levando em conta a rotina, a realidade socieoeconômica e as preferências do pacientes. Mas o cálculo da quantidade de calorias e a distribuição do Valor Energético Total (VET) pelas seis refeições diárias é feito pela nutricionista, com base no sexo, idade e peso.

Segundo explicou Lorenna Fracalossi, o paciente não precisa contar calorias, tarefa da nutricionista, mas deve evitar alimentos excessivamente calóricos que corresponde, em alguns casos ao total de calorias/dia do Plano Alimentar. Um Milkshake possui 1,5 mil calorias e um acarajé 1 mil. É preciso também - pontuou - fugir das armadilhas, como os bolos de aniversário. Sobrou bolo, a melhor solução é distribuir no dia seguinte. Ela contou o caso de uma paciente que comeu bolo durante uma semana e ganhou cinco quilos.

O controle do peso resulta de equação simples: quem gasta menos do que consome, ganha peso, enquanto quem gasta mais do que consome, perde. No caso dos pacientes com obesidade severa, segundo analisou a nutricionista do Cedeba, quando é difícil fazer atividade física em razão de problemas na coluna e articulações, é preciso paciência. Andar devagar e dançar para reduzir o sedentarismo é um bom começo. Lorena citou o exemplo de uma paciente com 180 quilos, 24 anos, e dificuldade para reduzir o peso. A nutricionista a orientou a brincar mais com o filho. O resultado foi uma redução de 20 quilos.

Dedicação

As mudanças de hábitos alimentares, no caminho da alimentação saudável, prática que deve envolver toda a família,como explicou Fracalossi, exigem dedicação. É bem mais fácil e prático, por exemplo, abrir um pacote de biscoito para o café da manhã, mas é bem mais saudável cozinhar raízes, banana da terra e preparar um cuscuz.

E preparar os alimentos também exige atitudes saudáveis, com a redução de gorduras de origem animal na alimentação. Lorenna mostrou que dos queijos (fonte de proteína) a ricota é a de menor preço e, também, a mais saudável. Para tornar o sabor mais convidativo pode ser mistura a ervas como alecrim, manjericão e um pouco de azeite de oliva, formando um delicioso patê.

Na palestra, à medida em que explicava a importância de cada grupo de alimentos que formam a pirâmide alimentar, a nutricionista fazia observações sobre os cuidados. A gordura precisa ser consumida com parcimônia porque o excesso de gordura representa um risco para o desenvolvimento do diabetes. E ela ensinou como fugir de gorduras associadas a doces, por exemplo. Em lugar de comer um brigadeiro (mistura de açúcar e gordura) após as refeições, preparar um doce de abacaxi com açúcar demerara. Se preferir, grelhar o abacaxi e acrescentar canela.

Frutas da Estação

Ao falar sobre a importância das frutas e hortaliças na alimentação, a nutricionista disse que pelo menos três porções de frutas/dia devem fazer parte do cardápio. E, de preferência, variar as frutas, o que se torna mais fácil se a opção forem as frutas da estação, sempre mais saborosas e de menor preço pela maior oferta.

As saladas, que devem ter espaço privilegiado no prato, devem ser coloridas. "Quanto mais cor, mais saudável a refeição" ensina Lorena Fracalossi. A tradicional tomate, cebola e alface cansa. Para tornar a salada mais saborosa, misturar frutas às hortaliças. Exemplos: acelga com manga; agrião, alface e tangerina, entre outras. Ela orientou os pacientes a buscarem a Internet, onde há muitos exemplos de saladas saudáveis e de excelente apresentação. Ela mostrou que os ingredientes usados nas saladas como tomate, ovo e raízes podem ser cortados em formatos diferente para mudar a aparência e ficarem mais atrativos.

Lorena Fracalossi mostrou que o paciente com obesidade, a partir dos conhecimentos que adquire sobre a importância da mastigação, como funciona a digestão, o papel de cada grupo de alimento, forma de correta de preparo, torna-se um multiplicador de praticas de alimentação saudável. Isso - destacou - passa por mudanças de hábitos na família que deve começar na hora das compras, passa pelo preparo e inclui o momento das refeições, onde não deve haver espaço para aborrecimentos, nem discussões. Mesmo com o ritmo da vida moderna, a nutricionista defende que a família, sempre que possível deve compartilhar o momento das refeições.

Teste rápido de Zika vírus desenvolvido pela Bahiafarma começa a ser distribuído na Bahia

Nesta quinta-feira (16) tem início a distribuição de 307 mil testes rápidos para o diagnóstico de infecção por Zika Vírus na Bahia. O dispositivo distribuído pelo Ministério da Saúde foi desenvolvido e produzido pela Bahiafarma, laboratório público do Estado da Bahia, o primeiro do País a obter registro, na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), para um teste sorológico rápido de identificação da Zika.

Este é o primeiro lote enviado pelo Ministério da Saúde para o Estado e corresponde a mais de 50% do total previsto para o ano de 2017. A expectativa é que, em até 15 dias, o lote esteja disponível, prioritariamente, nas maternidades e laboratórios públicos de todas as regiões da Bahia.

A tecnologia do teste rápido indica, em até 20 minutos, se o paciente está infectado ou se já teve contato com o vírus da Zika em algum momento da vida. “Com o dispositivo, é possível identificar infecção recente em populações de risco, como gestantes e recém-nascidos, para prover assistência e orientações adequadas, por meio do acompanhamento de toda a gravidez e do desenvolvimento neuropsicomotor da criança”, afirma o secretário da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas.

De acordo com dados da vigilância epidemiológica, em 2016 foram notificados mais de 57 mil casos de Zika na Bahia. Apenas até 21 de fevereiro deste ano, já foram registradas 469 notificações. O Ministério da Saúde adquiriu 3,5 milhões de unidades do teste, que estão sendo distribuídas para a rede pública de todo o Brasil, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

 

 

Fonte: Ascom Cedeba/Ascom Sesab/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!