29/03/2017

Projeto de assessoria às filarmônicas baianas é lançado na Bahia

 

A partir de agora, as mais de 180 bandas filarmônicas existentes na Bahia podem contar com um importante canal de informação que irá auxiliá-las na manutenção de suas atividades no mercado da música. Trata-se do lançamento do projeto SAC - Serviço de Atendimento à Cultura, uma iniciativa de caráter estruturante que irá disponibilizar, através do blog homônimo - no endereço http://sac.filarmonicasdabahia.com.br/ -, ferramentas e conteúdos para estimular o empreendedorismo, a promoção de carreiras, a comunicação estratégica e a captação de recursos entre os integrantes das filarmônicas baianas.

Uma intensa produção de conteúdos, a ser desenvolvida durante 12 meses, incluirá apostilas, tutoriais e videoaulas, além de assessorias personalizadas de acordo com a demanda de cada agremiação. Para ter acesso aos serviços de consultoria, as filarmônicas deverão se inscrever preenchendo um formulário disponibilizado no próprio blog, que terá como objetivo facilitar o diagnóstico das necessidades de cada grupo.

Contemplado através do Edital Setorial de Música 2016, o Projeto SAC, administrado pelo coletivo Casa de Taipa, conta com o apoio financeiro do Governo do Estado da Bahia, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda, Fundação Cultural e Secretaria de Cultura. Em parceria com a Federação das Bandas Filarmônicas da Bahia (Febaf), o serviço pretende alcançar todas as filarmônicas associadas à entidade, além das sociedades avulsas espalhadas por todo o estado.

Atividades integradas e ações estratégicas

Ao todo, seis temáticas centrais serão enfocadas no blog: desde a modelagem de projetos culturais até a construção de planos de carreira e de negócios, passando ainda por formalização profissional, empreendedorismo, captação de recursos, comunicação estratégica e marketing cultural. O SAC tem como meta ajudar na sustentabilidade de grupos que cumprem papel primordial na formação artística e cultural de um grande contingente populacional, principalmente aquele que reside fora das grandes metrópoles.

Na Bahia, é expressiva a quantidade de filarmônicas que, apesar das inúmeras dificuldades, conseguem manter suas atividades, muitas vezes de forma precária, integrando diferentes manifestações populares, como cortejos religiosos e desfiles cívicos. Não raro, essas agremiações são responsáveis pela educação musical e cidadã de crianças, jovens e adultos que, de outra forma, não estariam inseridos em nenhuma atividade voltada para o desenvolvimento humano e profissional.

O projeto prevê, portanto, 1.500 horas de prestação de serviço de consultores especializados, com foco na ampliação do conhecimento em áreas específicas que podem transformar a realidade profissional desses músicos, abrindo, por sua vez, oportunidades de negócios em prol da salvaguarda de um patrimônio cultural de grande significado para a história da Bahia e do Brasil.

Patrícia Hita apresenta o show Panapaná no Teatro SESI Rio Vermelho

Gêneros musicais como o baião e a ciranda e músicas com viés regional da Bahia. Dessa mistura, nasce o Panapaná, show que a cantora Patrícia Hita apresenta, dia 28 de março, às 20h, no Teatro do SESI Rio Vermelho. Resultado do seu primeiro CD homônimo, com 14 músicas - sendo 11 autorais, Panapaná está concorrendo na categoria Show na 2º edição do Prêmio Caymmi de Música. A artista ainda foi habilitada na categoria Música com Letra, com a canção "No Meio do Mato" de sua autoria. A noite ainda conta com a participação de Nara Gil e Pedro de Rosa Morais, e uma surpresa que a cantora está preparando com exclusividade para esta apresentação.

Com personalidade própria, Patrícia Hita compõe suas músicas com letras simples e que refletem o seu espírito de respeito à música através da singeleza, da inocência, do "pé no chão", da raiz, da tradição, mesmo com um toque que algumas vezes pode soar sofisticado na sonoridade, fruto da sua experiência acadêmica. “Esse show fala de asas, asas que podem levar quem escuta a qualquer lugar no tempo e no espaço. Também fala de natureza, da minha própria natureza”, explica a cantora.

A direção do show é de Luciano Silva, que foi responsável pelos arranjos e direção musical do CD em parceria com Ducca Rios e integra a banda tocando saxofone e sax midi. Completando a banda que acompanha Patrícia Hita estão os músicos Allan Amaral na bateria; Nino Bezerra no baixo e contrabaixo acústico; Estevam Dantas, piano e sanfona; e Rudnei Monteiro, no violão. Os ingressos para show estarão a venda na bilheteria do teatro por R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia entrada).

O show “Panapaná” tem patrocínio da HITA Comércio e Serviços e do Governo do Estado, através do Fazcultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia e produção da Gabiroba Cultural.

Sobre Patrícia Hita

Nascida e criada na cidade de Salvador, filha de mestre de capoeira e músico e de mãe professora de educação especial, pode desde muito cedo experienciar o universo artístico em várias das suas linguagens. Gostava de ouvir Chopin assim como as histórias praieiras e cantigas de lavadeiras, lembranças da sua infância. Com intensa participação como intérprete e compositora na cena musical local desde a adolescência, seguiu criando letras e melodias para o grupo musical e cênico Barra Manteiga, que teve grande sucesso na capital da Bahia nos anos 90 quando frequentava a Escola de Música da UFBA, onde graduou-se em Licenciatura em Música.

Fez parte de coros profissionais como o Coro do Teatro Castro Alves, sob a regência do conceituado maestro Angelo Rafael Fonseca e passou por grupos musicais diversos, como o Kaiangá e o Sangradouro. Gravou trilhas para filmes e participou de trabalhos de outros compositores e intérpretes, tendo também produzido o bem sucedido espetáculo Cartas de Marear, com a cantora, instrumentista, atriz e dramaturga Ilma Nascimento.

Ficha técnica:

Produção – Joana Marambaia

Técnico de Som – Caji

Iluminação – Larissa Lacerda

  • SERVIÇO

Patrícia Hita em "Panapaná"

Participação: Nara Gil e Pedro de Rosa Morais

Quando: 28 de março, às 20h

Onde: Teatro SESI Rio Vermelho (R. Borges dos Réis, 9 - Rio Vermelho)

Quanto: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)

Informações: (71) 3616-7064

Espaços culturais da SecultBa finalizam mês com diversas ações

Os espaços culturas administrados pela SecultBa encerram o mês com programação diversa. Nesta sexta-feira (31), a Casa da Música, localizado no bairro de Itapuã, realiza o projeto Viva o Abaeté - Fogueira Filosófica. A condução do debate é feita por convidados que desta vez vão debater sobre o tema: Encontro com a Tribo Indígena Fulni-ô, a entrada gratuita e o evento começa às 18h.

O Cine Teatro Solar Boa Vista, localizado no Engenho Velho de Brotas, acontece apresentação do grupo Entrecantos, com alunos de canto da professora Soraya Aboim. A mostra tem por objetivo homenagear compositores baianos, dando mais destaque àqueles do meio alternativo e também inédito, os ingressos custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia), às 19h30.

Na cidade de Alagoinhas, o espetáculo teatral de humor "Coisa é Cá" é uma divertida história com dez personagens de diferentes personalidades, que dividem suas experiências do cotidiano em uma pensão liderada por uma mulher extrovertida e desequilibradamente feliz, no Centro de Cultura de Alagoinhas, às 20h, no valor de R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).

•       SERVIÇO

VIVA O ABAETÉ - FOGUEIRA FILOSÓFICA

Local: Casa da Música

Data: sexta-feira (31), às 18h

Valor: Gratuito

Classificação: Livre

ENTRECANTOS

Local: Cine Teatro Solar Boa Vista

Data: sexta-feira (31), 19h30

Valor: R$10 e R$5

Classificação: Livre

ESPETÁCULO 'COISA É CÁ'

Local: Centro de Cultura de Alagoinhas

Data: sexta-feira (31), às 20h

Valor: R$10 e R$5

Classificação: Livre

 

Fonte: SecultBa/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!