05/04/2017

Cachoeira: Festival de documentários tem inscrições abertas

 

A 8ª edição do festival CachoeiraDoc ocorre entre 4 e 10 de setembro, no Cine Theatro Cachoeirano e no Centro de Artes Humanidades e Letras (CAHL) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), na cidade de Cachoeira, localizada a 110 km de Salvador.

As inscrições foram abertas no sábado (1º) e seguem até 15 de maio. Os interessados podem se inscrever gratuitamente pelo site do festival.

Serão aceitos curtas, médias e longas-metragens finalizados a partir de 2016 e em qualquer formato. Os documentários devem ser produzidos no Brasil ou ter uma coprodução brasileira. A inscrição é realizada inteiramente online.

Os participantes devem enviar um link do documentário, hospedado em sites que compartilhem vídeos em formato digital, e o login e senha, caso necessário. O regulamento completo está disponível no site do festival. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail contato@cachoeiradoc.com.br.

Festival

O festival busca fomentar a difusão e a produção de documentários, assim como a discussão sobre o gênero, por meio de oficinas, debates, ciclo de conferências e exibição de filmes. Nas sete edições anteriores, cerca de 15 mil pessoas assistiram a mais de 260 documentários, muitos deles inéditos na Bahia e Brasil.

O CachoeiraDoc é uma realização da Ritos Produções e do Grupo de Estudos e Práticas do Documentário, do Curso de Cinema e Audiovisual da UFRB.

Recôncavo recebe exposição itinerante “O Cotidiano Expresso Pela Arte”

De abril a outubro de 2017 três cidades do Recôncavo sediarão a exposição O Cotidiano Expresso Pela Arte, com as gravuras do artista mineiro Cesarino Gonçalves do Nascimento. O projeto é uma homenagem ao artista que reúne cerca de 30 obras de xilogravuras retratando o cotidiano e a religiosidade do povo mineiro e carioca. Além da exposição, que conta com recursos de áudio descrição e braile, garantindo a acessibilidade, o projeto realizará oficinas educativas com o objetivo de aproximar o público com a técnica artística das obras expostas.

Muritiba será a primeira a receber a exposição, com abertura dia 08 de abril, às 19 horas, seguindo aberta à visitação até 22 de maio, na Avenida Rui Barbosa, n° 18, centro de Muritiba. Em seguida as obras vão para Cruz das Almas, onde serão expostas na Casa da Cultura Galeno d'Avelírio, de 27 de maio a 30 de julho. E Cachoeira encerra o circuito no período de 01 de setembro a 01 de outubro, no Núcleo de Memória e Documentação do Recôncavo – NUDOC.

Cesarino (1928-1978), artista negro, nasceu na cidade de Barão de Cocais e cresceu em Sabará, ambas interior de Minas Gerais, estudando desenho e gravura na Escola de Belas Artes de Minas Gerais. Mais tarde passou em um concurso para cartógrafo no Ministério da Saúde, quando se mudou para o Rio de Janeiro. Durante sua vida participou de concursos e bienais recebendo diversos prêmios e teve suas obras expostas no Leilão Cenaberta- Hotel Gloria- RJ (1974) e em Salões Universitários nas cidades do Rio de Janeiro- RJ, Brasília-DF, Rio Grande do Sul-RS e Salvador-Ba.

Aprendeu a xilogravura ainda em Minas Gerais, tendo também produzido obras de pintura em tela, azulejarias, estampas, logomarcas e diversas poesias. Artista completo, com olhar cuidadoso sobre o cotidiano, gostava de buscar inspiração para suas obras em meio as paisagens cariocas, em especial no Jardim Botânico, onde relembrava os tempos bucólicos da infância. Segundo D. Margarida, sua esposa, “a arte nascia dele” e era seu principal passatempo.

A técnica de xilogravura consiste em desenho talhado sobre madeira, que pode ser impresso em papel pintando seu relevo e utilizando uma prensa para a revelação. É uma técnica popular no Nordeste brasileiro, sendo bastante conhecida através da literatura de cordel. No Recôncavo baiano encontramos a técnica através das obras de Hansen Bahia. O artista muritibano Suzart conta que conhecer o trabalho de Cesarino o inspirou a aprender a técnica e que se sente honrado em fazer parte da curadoria desta exposição. “Eu, há muito tempo, tenho pensado em fazer xilogravura mas achava que era uma coisa muito difícil e distante. Quando tive contato com estas obras, fiquei impressionado e incentivado em procurar e pesquisar sobre material e técnicas. É com grande prazer em fazer a curadoria de um artista com trabalhos incríveis que eu estou envolvido e estudando o que é a xilogravura.”

O projeto tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura das Secretarias da Fazenda e de Cultura do Estado da Bahia. Conta ainda com o apoio da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia – UFRB e das prefeituras municipais de Muritiba, Cruz das Almas e Cachoeira.

  • SERVIÇO

Exposição

O COTIDIANO EXPRESSO PELA ARTE - GRAVURAS DE CESARINO

Datas: Muritiba - 08 de abril a 22 de maio | Cruz das Almas - 27 de maio a 30 de julho |

Cachoeira 01 de setembro a 01 de outubro

Locais: Recôncavo: Muritiba - Avenida Rui Barbosa, n° 18, centro | Cruz das Almas – Casa da Cultura Galeno d'Avelírio , Rua XV de Novembro, 56, Centro | Cachoeira – Núcleo de Memória e Documentação do Recôncavo Baiano – NUDOC, Rua Ana Nery, 09, centro.

Entrada Gratuita

Gestores norte-americanos discutem cooperações com a Bahia

O Governo do Estado recebeu nesta terça-feira (4), em Salvador, uma comitiva formada por gestores públicos e líderes empresariais negros da cidade de Newark, localizada em Nova Jérsei, nos Estados Unidos. A vinda à Bahia, intermediada pelo Coletivo de Entidades Negras (CEN), teve como finalidade a troca de experiências e a discussão de cooperações bilaterais nos campos cultural, educacional e do empreendedorismo. A titular da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), Fabya Reis, e o secretário de Cultura, Jorge Portugal, receberam o grupo.

“Este é um diálogo internacional que pretende analisar as potencialidades de ambas as partes e perspectivas de parcerias. As aproximações institucionais podem ampliar horizontes para o empreendedorismo que beneficie a comunidade negra, inclusive considerando os segmentos tradicionais, a exemplo dos quilombos. Pretendemos alcançar sinalizações interessantes para a Bahia, a partir destas relações diplomáticas”, afirmou Fabya Reis, acrescentando que o encontro sinaliza um conjunto de intenções a serem desdobradas posteriormente, seguindo ritos diplomáticos entre os países.

Para Jorge Portugal, a cultura da Bahia sai fortalecida com a relação institucional estabelecida na interlocução. “A cultura baiana é um campo profícuo e ganha muito com essa agenda. Temos grande expectativa nas possibilidades de parcerias. Essa construção, feita por países e localidades que têm relação com a diáspora africana, é favorável a um entendimento positivo”, comentou.

A vice-prefeita de Newark, Jacqueline Quiles, afirmou que a cidade, de maioria populacional negra, deseja “abrir portas e ampliar relações” com o Brasil e a Bahia. “Vamos continuar o diálogo a partir deste momento. Temos uma grande universidade, através da qual podemos receber estudantes brasileiros. Também queremos intercâmbios de negócios e cultura, que para nós é muito importante”, disse. Newark possui um moderno centro comercial, industrial e financeiro e abriga o segundo principal aeroporto da região. Na ocasião, o superintendente da Secretaria de Turismo (Setur), Jorge Ávila, pontuou que o Governo do Estado compreende o mercado norte-americano como um grande potencial consumidor dos destinos baianos, distribuídos em 13 zonas turísticas e de diferentes naturezas, a exemplo do turismo étnico, religioso e de eventos.

Visita ampla

Outras lideranças negras acompanharam a vice-prefeita Jacqueline Quiles, como a assistente sênior da prefeitura, Lígia de Freitas; o advogado, educador, músico e presidente da Newark350, Junius William; e a produtora do Festival de Jazz e Patrimônio de Nova Orleans, Jackie Harris. A comitiva permanece em Salvador até o próximo sábado (7), com programação que inclui reuniões com o reitor da Universidade do Estado da Bahia (Uneb), José Bites, e representantes da Universidade Federal da Bahia (Ufba).

O grupo também mantém diálogo com a Comissão de Promoção da Igualdade da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), além de visita à sede do bloco afro Ilê Aiyê, na Liberdade, ao Pelourinho, às comunidades periféricas da cidade e ao terreiro Pilão de Prata, na Boca do Rio.

 

 

Fonte: G1/Ascom SecultBa/Ascom Sepromi/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!