06/04/2017

Camaçari é a próxima cidade a receber ações do AbriU Dança

 

Depois de uma intensa agenda de mostras coreográficas, oficinas e diálogos na capital baiana, a 6ª edição do AbriU Dança na Bahia prossegue nos dias 06 e 07 de abril, em Camaçari.

Na quinta-feira (6), das 14 às 16h será realizada oficina de Dança Contemporânea, com Melissa Figueiredo, e das 16h às 18h Dança Afro com Pakito Lazaro.

Na Sexta-feira (7), às 9h, os profissionais da dança terão a oportunidade de participar de um diálogo temático com Nirlyn Seijas.As atividades, gratuitas, serão realizadas no Teatro Alberto Martins. E as inscrições podem ser realizadas no site https://abriudancanabahia.wordpress.com/

AbriU Dança na Bahia

É um projeto que visa dar visibilidade a todos os estilos, criando um intercâmbio entre vários grupos de dança: contemporânea, moderna, ballet clássico, hip hop, pagode, valsa. O "Abriu" é também uma celebração ao mês da dança.

Além das mostras coreográficas o “Abriu” tem o objetivo de qualificar profissionais, promover o intercâmbio e difusão de informações entre artistas, oferecendo uma programação pedagógica com oficinas, palestras e diálogos temáticos, ministrado por profissionais com vasta experiência artística e acadêmica.

“O projeto já contemplou mais de 500 artistas e alcançou 20 cidades baianas. Cerca de duas mil pessoas assistiram as mostras em teatros, espaços culturais e praças. Durante as ações, cerca de 600 profissionais da dança foram certificados”, explicou o diretor Anderson Rodrigo.

As atividades da 6ª edição do Abriu Dança iniciaram em Salvador no dia 29/03. Dando o seguimento, agora em Camaçari. As cidades de Valença, Senhor do Bonfim e Jequié também serão sede do “Abriu”.

O Abriu na Dança foi concebido pelo diretor Anderson Rodrigo e conta com a coordenação artística pedagógica de Bruno Jesus e na coordenação de produção Leonardo Luz. Nesta edição foi contemplado pelo Edital Setorial de Dança que conta com apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, das Secretarias da Fazenda e de Cultura do Estado da Bahia, por meio da Fundação Cultural do Estado (Funceb).

MAB reúne cineastas para debater o cinema baiano nesta sexta(07)

Cineastas baianos se reúnem nesta sexta-feira (7.4) às 18h. no Museu de Arte da Bahia para debater as formas de reforçar a relação com distribuidores e de potencializar os recursos, com criatividade, para driblar o cerco das multinacionais nas salas de cinema .Essa reflexão é do cineasta José Araripe Jr. também mediador do Encontro, sob a chancela do diretor do MAB, Pedro Arcanjo, que recebe como convidados do debate os cineastas Adriano Big, João Gabriel, Márcio Cavalcanti e Paula Gomes. A entrada é gratuita.

Durante o debate entrarão em pauta, os novos paradigmas de distribuição dos filmes produzidos fora do eixo da Bahia e a discussão sobre os quatro filmes baianos que estiveram ou deveriam estar nos circuitos das nossas salas de cinema , como “Travessia” , de João Gabriel , “Jonas e o Circo Sem Lona” de Paula Gomes, “Axé” de Xico Kértesz e “Sinais de Cinza” de Henrique Mendes. Para Araripe Jr.”é preciso analisar o que esses quatro lançamentos coincidentes representam de alinhamento positivo. O passado – prossegue – é o acervo rico que não circulou satisfatoriamente, e o futuro, um campo amplo de desafios para distribuir com estratégias ousadas”.

O Museu de Arte da Bahia é vinculado ao Instituto do Patrimônio Artístico da Secretaria de Cultura .

  • Serviço:

O que: Debate sobre Cinema Baiano

Onde: Museu de Arte da Bahia , Corredor da Vitória 2340

Quando: Sexta-feira, dia 7 de abril às 18h

Entrada franca. Disponibilizamos estacionamento

Facebook: Museu de Arte da Bahia

Jam no MAM e Emus  UFBA promovem encontro sobre o papel do canto no Jazz

Se a JAM no MAM é um projeto de música instrumental, qual seria o papel do canto dentro das nossas jam sessions de todo sábado? É exatamente tentando responder a isso – ou, pelo menos, provocando o debate sobre a questão – que músicos da banda Geleia Solar se reunirão com o público no dia 08 de abril na área externa do Museu de Arte Moderna da Bahia para um bate-papo sobre “O papel do canto no jazz; direitos e deveres”. O encontro, dirigido a todos os interessados em música, será coordenado mais uma vez pelo professor, compositor e musicista Ivan Bastos, e terá início às 17h (pouco antes do começo da JAM no MAM, às 18h). Estudantes de música terão entrada gratuita até às 17h30, mediante comprovação na bilheteria da JAM no MAM.

Desde 2015 a Escola de Música da UFBA, em parceria com a JAM no MAM e o Museu de Arte Moderna da Bahia, vem realizando uma série de encontros dentro do ciclo intitulado “Perspectivas da improvisação no âmbito da JAM no MAM”, com temas ligados à prática da improvisação na música em suas várias vertentes. Como nas vezes anteriores, após uma introdução dos músicos convidados, será aberto espaço para perguntas do público presente, transformando o ciclo num rico bate-papo sobre música, capaz de potencializar experiências como a da própria JAM no MAM, onde a improvisação musical desempenha um papel importante na dinâmica da performance.

Nesse primeiro encontro de 2017, a discussão partirá do princípio de que o jazz é tema e improvisação e, assim, nada impede que um determinado tema musical seja cantado em uma jam session, com ou sem letra, independente do idioma ou do ritmo. “O mais importante seria ter em mente que as músicas executadas são o prenúncio dos improvisos que virão a seguir”, adianta o baterista Ivan Huol, que junto com cantores que frequentam a JAM no MAM participará do bate-papo no sábado. Para participar do encontro sobre “O papel do canto no jazz; direitos e deveres”, basta comprar o ingresso da JAM (R$ 8,00, inteira, e R$ 4,00, meia), que dá direito tanto à roda de conversa quanto a permanecer na jam session que terá início logo depois. Apresentadas pelo Ministério da Cultura e Instituto CCR, a JAM no MAM tem o patrocínio da CCR Metrô Bahia em 2017.

  • SERVIÇO:

PERSPECTIVAS DA IMPROVISAÇÃO NO ÂMBITO DA JAM NO MAM

Tema: “O papel do canto no jazz; direitos e deveres”

Data: Dia 08 de abril de 2017.

Local: Área externa do Museu de Arte Moderna da Bahia (Av. Contorno, s/n, Solar do Unhão) Horário: 17h.

Ingresso: R$ 8,00 (inteira) e R$ 4,00 (meia). O ingresso já dá direito a permanecer para a programação musical da JAM no MAM.

JAM NO MAM

Data: Aos sábados.

Programação abril e maio da JAM no MAM:

Dia 08/04 – Vai ter JAM!

Dia 15/04 – Vai ter JAM!

Dia 22/04 – Vai ter JAM!

Dia 29/04 – Vai ter JAM!

Dia 06/05 – Vai ter JAM!

Dia 13/05 – Vai ter JAM!

Dia 20/05 – Vai ter JAM!

Dia 27/05 – Vai ter JAM!

Local: Museu de Arte Moderna da Bahia (Av. Contorno, s/n, Solar do Unhão)

Horário: Das 18h às 21h.

Ingresso: R$ 8,00 (inteira) e R$ 4,00 (meia). Estudantes de música terão entrada gratuita até às 17h30, mediante comprovação na bilheteria da JAM no MAM.

 

Fonte: Ascom SecultBa/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!