19/04/2017

Empresários do turismo pretendem ampliar investimentos

 

Quase 90% dos empresários do setor de turismo devem expandir os investimentos na área. É o que aponta a Pesquisa Anual de Conjuntura Econômica do Turismo (Pacet), encomendada pelo Ministério do Turismo à Fundação Getulio Vargas (FGV).

Nos segmentos de transporte aéreo, locadoras de automóveis e operadoras de turismo, todos os entrevistados afirmaram que realizarão investimentos. A expectativa também é elevada nas áreas de meios de hospedagem (94%), promotora de feiras (82%) e agência de viagens (82%).

Para 81% dos entrevistados, a expectativa é de crescimento, amparado pela perspectiva de retomada da economia e aumento no número de brasileiros viajando pelo País. Ainda segundo o estudo, 14% dos entrevistados acreditam na estabilidade e apenas 5% na redução do mercado. A pesquisa ouviu representantes das 80 maiores empresas de turismo do País.

“Os resultados comprovam que o turismo é uma atividade com grande potencial para colaborar com a melhoria do cenário econômico do País neste momento delicado. No Ministério do Turismo, estamos trabalhando arduamente para proporcionar o melhor ambiente de negócios para a atração de investimentos no setor”, afirmou o ministro do Turismo, Marx Beltrão.

Na última semana, o MTur lançou o Brasil + Turismo, um pacote com medidas para desburocratização do setor e geração de emprego e renda por meio do Turismo.

Faturamento

O percentual médio de investimento em relação ao faturamento deve ser de 6,2% em 2017. As locadoras de automóveis pretendem fazer os maiores investimentos (23,8%), seguidas de organizadoras de eventos (8,7%) e meios de hospedagem (8,2%).

Em relação ao faturamento consolidado, a expectativa é de um crescimento de 7,4% em relação a 2016. O cenário mais positivo é identificado nas operadoras de turismo (14,5%), locadoras de automóveis (12,8%) e agências de viagem (11,5%).

Em um cenário de altas taxas de desemprego, a boa notícia é que o mercado de trabalho deverá apresentar um leve crescimento de 0,2%, com alta nos segmentos de organizadora de eventos (4,7%), agências de viagens (2,3%) e transporte aéreo (1%). Dentro desse cenário, o Ministério do Turismo acaba de lançar a plataforma tecnológica de aprendizado a distância “Brasil Braços Abertos”, com oferta de 80 horas de aulas on-line.

No ano passado, os segmentos pesquisados registram um pequeno crescimento de 0,3%. Os melhores resultados de faturamento foram observados nas empresas organizadoras de eventos (18,6%), locadora de automóveis (6,2%), meios de hospedagem (5,1%).

Em relação ao quadro de pessoal, foi registrada uma queda de 5,9%. As maiores reduções foram observadas nas agências de viagens (17,8%) e operadoras de turismo (11,2%).

Espaço da Mulher Brasileira é inaugurado nos Estados Unidos

O governo federal inaugurou um projeto piloto para atender brasileiras imigrantes em situação de vulnerabilidade. O novo Espaço da Mulher Brasileira está localizado no Consulado-Geral do Brasil, em Boston, nos Estados Unidos.

No local, terá atendimento para mulheres que sofrem com condições precárias de trabalho, violência de gênero e falta de informação. A cidade foi escolhida pelo grande número de brasileiros que trabalham e residem na capital de Massachusetts, cerca de 300 mil.

Segundo a secretária especial de Mulheres, Fátima Pelaes, grande parte dos trabalhadores do sexo feminino busca nos Estados Unidos melhores condições de vida. “Essas mulheres encontram muitas dificuldades, como a violência doméstica, sexual, condições precárias de trabalho e dificuldades em assumir empregos de maior qualificação e remuneração”, ressaltou.

Uma das principais demandas da comunidade brasileira em Boston foi a disponibilização de cursos de alfabetização de adultos. Muitas mulheres vão trabalhar, principalmente em regiões rurais, em condições de analfabetismo funcional, sabendo apenas assinar o próprio nome. Essa condição torna precária as condições de vida dessas brasileiras.

A aposentada, Sandra Coelho, que vive há 37 anos em Boston, trabalha como voluntária em uma associação de brasileiros. Ela explicou que são frequentes os casos de violência doméstica na comunidade.

"As mulheres brasileiras sofrem muito com a violência doméstica, porque elas saem do Brasil muito dependentes dos homens da família. Muitas vezes, elas passam a ganhar mais que eles, aumentando ainda mais os conflitos. Acredito ser muito positivo esse novo espaço de acolhimento", disse.

O Espaço da Mulher Brasileira irá trabalhar em três frentes: o acesso à informação, a promoção da autonomia econômica por meio da educação continuada, qualificação profissional e empreendedorismo e, ainda, ações para o enfrentamento à violência.

A iniciativa do governo federal é coordenada por ação conjunta entre a Secretaria Especial de Políticas para Mulheres (SPM/MDH), Ministério das Relações Exteriores (MRE) e Ministério do Trabalho (MTB).

Em Boston

O consulado do Brasil em Boston desenvolve um trabalho de incentivo à organização social para a melhoria de vida dos imigrantes brasileiros mediante ações como a realização de cursos de capacitação, a promoção do conhecimento e outras ações de empoderamento.

Dentre os projetos já em curso, destaca-se parceria do consulado com o Sebrae-MG, que resultou em pesquisa sobre o perfil das integrantes da Associação de Mulheres Empreendedoras brasileiras em Massachusetts.

“Esse estudo nos possibilitou conhecer um pouco mais a capacidade empreendedora da mulher brasileira. Comparada com a comunidade brasileira em geral, a população imigrante nos EUA e a população norte-americana, os níveis de educação e empreendedorismo e a experiência prévia com empreendedorismo no Brasil revelam a capacidade que existe dentro da comunidade brasileira”, disse o diretor da prefeitura de Boston, Álvaro Lima.

Ligue 180

Além do Espaço da Mulher Brasileira, os serviços da Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180 passará a atender mulheres em Boston, por meio do número 1 800 745 55 21.

O Ligue 180, que já atende brasileiras em 17 países, passa também, desde o início do mês, a atender no estado de Massachusetts (EUA) .

A área consular do Ministério das Relações Exteriores, em parceria com a SPM, vem mapeando países onde as mulheres brasileiras estejam em situação de vulnerabilidade.

 

Fonte: Portal Brasil/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!