26/04/2017

VIVADANÇA reúne representantes do Brasil e de diversos países

 

Idealizado pela coreógrafa e diretora Cristina Castro, o VIVADANÇA Festival Internacional celebra 11 anos. Maior do gênero no Norte-Nordeste e considerado um dos mais importantes do país, o projeto reúne um conjunto de ações que estimula e fortalece a cadeia produtiva e criativa da arte do movimento, promovendo um espaço de fruição, formação, diversidade, mercado, intercâmbio, diálogo e produção artística. Desta quinta-feira (27), ao dia 07 de maio, uma série de espetáculos, mostras, oficinas, residência artística, além de Rodada de Negócios, exposição e Batalha de Break com b.boys e b.girls de todo o Brasil. Em média, são mais de 500 artistas, 5.000 espectadores e cerca de 50 atividades por edição.

PRÉ-ESTREIA

Uma das novidades é o lançamento do filme "Gaga, O Amor Pela Dança", uma parceria do VIVADANÇA com o Circuito Sala de Arte e a Vitrine Filmes. Vencedora do prêmio de Melhor Documentário na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo (2016), a obra, do diretor israelense Tomer Heymann, é sobre Ohad Naharin, um dos mais importantes, inovadores e produtivos coreógrafos do mundo, que redefiniu a linguagem da dança contemporânea.

A exibição marca a pré-estreia do VIVADANÇA, nesta quarta-feira (26), às 19h30, na sala de arte Cinema do Museu (Corredor da Vitória). O documentário entra em cartaz a partir do dia 27 de abril, nos cinemas do Circuito Sala de Arte, integrando a programação do festival.

No início de um novo ciclo, de uma nova década, o festival propõe a reflexão da perspectiva crítica dos discursos, ideias e informações que consumimos e a maneira como todo esse conteúdo vai construindo e conduzindo nosso pensamento, nossa cultura, nosso povo, num contexto em que o país enfrenta instabilidades no campo econômico, perda de direitos sociais e trabalhistas, enfraquecimento e prejuízos de representatividade democrática e manobras políticas partidárias que tornam a corrupção endêmica entre a diversas instâncias de poder.

ESTREIA

Nesse sentido, a montagem brasiliense “De Carne e Concreto - Uma Instalação Coreográfica”, da Anti Status Quo Companhia de Dança (DF), traz uma reflexão muito pertinente sobre a condição urbana humana atual, sob a perspectiva do corpo e da lógica do sistema econômico, na fronteira entre a dança contemporânea, a performance art, a intervenção urbana, as artes visuais e experimentos sociais . Esse espetáculo abre o VIVADANÇA, nesta quinta-feira (27), às 20h, no Teatro Vila Velha.

O festival destaca ainda a comemoração de 10 anos de dois projetos especiais em sua programação: a Mostra Casa Aberta, que celebra a diversidade da dança na Bahia, em diferentes formatos - solos, duos, grupos - com o objetivo de promover uma grande confraternização dos diversos estilos de dança, despertar o sentimento de classe, a consciência de mercado e estabelecer um espaço democrático, agregando grupos, academias, companhias, coletivos artísticos e artistas independentes da dança. Dias 04 e 05 de maio, às 20h, no Teatro Vila Velha.

Este ano, a Mostra Casa Aberta e o festival trazem à tona a importância do ensino, da qualificação e do aprimoramento profissional do dançarino, promovendo dois dias inteiros de oficinas variadas, no Teatro Castro Alves. Dias 06 e 07 de maio, das 9h às 17h30.

Também completando uma década de história, a Batalha de Break VIVADANÇA reúne em sua comissão de jurados a B. Girl Nitro (SP), Lalá Dance (PE) e B. Boy Perna Work (DF), além de DJs de responsa no cenário nacional, como DJ Mamed (MG) e DJ Jarrão (BA). No total, 32 duplas de b.boys e b.girls de diversas regiões do Brasil disputam na competição, promovendo também um grande encontro entre a Periferia e o Centro.

Há ainda um intercâmbio com o festival MOVA-SE (AM), no qual os campeões da Bahia e da Amazônia integram a programação da Batalha de ambos, pelo segundo ano. Dia 07 de maio, às 14h, no Teatro Vila Velha.

Mostra Baiana de Dança Contemporânea

O VIVADANÇA realiza ainda a 4ª Mostra Baiana de Dança Contemporânea e contempla em 2017 seis criações de artistas baianos: "Em breve espaço curto de tempo" (Jorge Silva Cia de Dança), “Casa Azul” (Confraria 27), "Ondinar" (Dejalmir Melo), "Demolições - La Petite Mort" (Thiago Cohen), "Da própria pele, não há quem fuja" (ExperimentandoNUS Cia. de Dança) e "Há Violência no Silêncio?" (Nirlyn Seijas). A mostra fica em cartaz de 27 de abril a 1º de maio, no Teatro do ICBA, Teatro Vila Velha e no casarão Espaço Charriot.

RODADA DE NEGÓCIOS

Os espetáculos são vistos por curadores, diretores e programadores de festivais e plataformas nacionais e internacionais, que também participam da Rodada de Negócios VIVADANÇA, na qual os artistas da Dança terão a oportunidade de fazer contatos e apresentar seus projetos.

Nessa edição participam Marcelo Zamora (SP) - Presidente de La Red de Promotores Culturales de Latinoamérica y el Caribe e Coordenador geral do FIDESP - Fórum Internacional de Dança do estado de São Paulo; Leonardo França (BA) - Curador do IC Encontro de Artes; Iris Macedo (PE) - Diretora da Mostra Brasileira de Dança; Fatima Suarez (BA) - Coordenadora da Jornada de Dança da Bahia; João Fernandes (AM) - Diretor do MOVA-SE Festival de Dança; Verusya Correia (BA) - Diretora do Festival de Dança de Itacaré; Luis Alonso (BA) - Diretor do FILTE - Festival Latino Americano de Teatro da Bahia; Felipe Assis (BA) - Curador do Festival Internacional de Artes Cênicas da Bahia. Dia 29/04, 14h às 18h, no Pátio do ICBA.

INTERNACIONAL

O dançarino e coreógrafo mexicano Francisco Códova, da companhia Physical Momentum Project, apresenta o espetáculo solo "Ohtli", onde faz uma relação entre a virtude, horizonte e o sentido dos passos, do ser em busca do eterno horizonte. Dia 29/04, 19h, no Teatro do ICBA.

Mestre em Estudos de Teatro e Direção de Cena no Institut Del Teatre e Licenciado em Dança Contemporânea pela Escuela Nacional de Danza (ENDCC), no México, Francisco Córdova também orienta uma residência artística no festival, na qual os participantes vivenciam a criação de estados físicos, mentais e emocionais de fisicalidade, com a proposta de encontrar a verdade em seu próprio corpo. 10 vagas são abertas ao público. De 01 a 05/05, 9h às 12h, no Teatro Castro Alves. A apresentação e o workshop de Francisco Córdova é uma parceria do VIVADANÇA com o Nii-colaboratório.

Sediado na Alemanha, o Internationales Solo Tanz-Theater Festival - ou apenas Solos Stuttgart - é presença marcante no VIVADANÇA há sete anos. Coordenado pelo diretor artístico fluminense Marcelo Santos, o projeto premia anualmente bailarinos e coreógrafos contemporâneos de todos os continentes.

Na programação 2017, "(E)utopia: a journey between Martin, Thomas and John" - Maxine Van Lishout (Belgica); "TZID" - Beatrice Panero e Pasquale Lombardi (Italia); "Entrelacs" - Veronika Akopova (França/Russsia); "Balance" - Louis Thoriot (Bélgica); "Underneath" - Ravid Abrabanel (Israel). Dia 30/04, 19h, no Teatro Vila Velha.

BTCA

Integrando a programação do VIVADANÇA Festival Internacional o Balé Teatro Castro Alves estreia o espetáculo "Lub Dub", dirigido pelo coreógrafo sul-coreano Jae Duk Kim. A montagem, formada por um elenco de dez dançarinos utiliza em sua criação a percussão como tema e motivação sonora.

Coreógrafo e diretor da Modern Table Dance Company, Kim se graduou na Universidade Nacional de Artes da Coreia. O artista também atua como coreógrafo convidado da T.H.E Dance Company, em Cingapura, desde 2010, e tem a música como fio condutor do seu trabalho.

Do estado de Goiânia, vem o espetáculo O Crivo, do dançarino e coreógrafo mineiro João Paulo Gross - inspirado no conto "Primeiras Estórias", do escritor Guimarães Rosa.

Dois intérpretes, juntos, criam relações que só se revelam à medida em que, atravessam suas estórias, o SER-TÃO, o mundo de cada um, solitário, percebendo no recolhimento um mergulho na busca do que permanece, do que nos tornam diferentes e próprios. Dia 03/05, às 15h e às 20h, no Teatro ICBA.

EXPOSIÇÃO

A Exposição VIVADANÇA, realizada em parceria com o Shopping da Bahia, atrai milhares espectadores, todo ano. As fotos são de João Milet Meirelles com intervenção de Pedro Gaudenz, artista visual baiano radicado em Barcelona. O centro comercial recebe ainda no Dia Internacional da Dança, 29/04, a apresentação do grupo Insight e intervenções em diferentes espaços do Shopping. Praça Mãe Menininha do Gantois - Shopping da Bahia - de 27/04 a 07/05.

O VIVADANÇA Festival Internacional tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia. É uma realização da Baobá Produções. A programação completa você acessa em www.festivalvivadanca.com.br

 

Fonte: SecultBa/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!