27/04/2017

Festival de audiovisual CachoeiraDoc segue com inscrições abertas

 

Continuam abertas até 15 de maio as inscrições para o VIII CachoeiraDoc – Festival de Documentários de Cachoeira. Os interessados podem se inscrever gratuitamente pelo site do festival (www.cachoeiradoc.com.br). Esta 8ª edição acontece entre 4 e 10 de setembro, no Cine Theatro Cachoeirano e no Centro de Artes Humanidades e Letras (CAHL) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, na cidade de Cachoeira, localizada a 110 km de Salvador.

Serão aceitos curtas, médias e longas-metragens finalizados a partir de 2016 e em qualquer formato. Os documentários devem ser produzidos no Brasil ou ter uma coprodução brasileira. A inscrição é realizada inteiramente online.Os participantes devem enviar um link do documentário, hospedado em sites que compartilhem vídeos em formato digital, e o login e senha, caso necessário. O regulamento completo já está disponível no site do festival. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail contato@cachoeiradoc.com.br.

O Festival

O festival busca fomentar a difusão e a produção de documentários, assim como a discussão sobre o gênero, por meio de oficinas, debates, ciclo de conferências e exibição de filmes. Nas sete edições anteriores, cerca de 15 mil pessoas assistiram a mais de 260 documentários, muitos deles inéditos na Bahia e Brasil.

O CachoeiraDoc é uma realização da Ritos Produções e do Grupo de Estudos e Práticas do Documentário, do Curso de Cinema e Audiovisual da UFRB, e conta com o apoio financeiro do Fundo de Cultura da Secretaria de Cultura da Bahia desde a sua primeira edição, em 2010.

Júri oficial

– Melhor longa-metragem: “Taego Awa” (Goiás, 2016, 75 min.), de Marcela Borela e Henrique Borela, e “Vozerio” (Rio de Janeiro, 2015, 98 min.), de Vladimir Seixas

– Melhor curta-metragem: “Nunca é noite no mapa” (Pernambuco, 2016, 2 min.), de Ernesto Carvalho

– Menção honrosa: “Jonas e o Circo sem Lona” (Bahia, 2015, 81 min.), de Paula Gomes, e “Onze” (Ceará, 2016, 26min), do Coletivo Nigéria, coletivo Zóio e Voz e Vez das comunidades

Júri jovem

– Melhor longa-metragem: “Orestes” (São Paulo, 2015, 93 min.), de Rodrigo Siqueira

– Melhor curta-metragem: “Quem matou Eloá?” (São Paulo, 2015, 24 min.), de Lívia Perez

– Menção honrosa: “Procura-se Irenice” (São Paulo, 2016, 25 min.), de Marco Escrivão e Thiago B. Mendonça

Centro de Cultura de Alagoinhas tem programação especial do Mês da Dança

No dia 29 de abril é comemorado o Dia Internacional da Dança e o Centro de Cultura de Alagoinhas apresenta uma programação dedicada à linguagem, com oficinas gratuitas e um espetáculo de dança contemporânea durante o final de semana. No próximo sábado (29), o “Ponto de Encontro – Oficinas Formativas” oferece oficinas gratuitas de dança: Dança Afro-Brasileira com Robert Campelo, às 9h30; Dança Moderna com Joana Astro, às 13h30; e Forró com Carlos André, às 15h30.

O projeto tem o objetivo de estimular a formação artística do público e a dinamização do espaço, através da potencialização do fazer artístico local. São 40 vagas por oficina a serem preenchidas por ordem de inscrição, que seguem até esta quarta-feira (26), no espaço cultural ou através do telefone (75) 3421-5608.

Já no dia 30, domingo, às 19h, é a vez do espetáculo “Dança Todo Encanto”, que estimula bailarinos e público a fazerem uma viagem reflexiva e identitária. Passando por imagens, sensações e sentimentos, por meio da gestualidade e movimentação corporal, a montagem também propõe a formação de plateia para a linguagem da dança de expressão contemporânea. A entrada custa R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).

Dia Internacional da Dança

Esta data (29/04) foi instituída em 1982 pelo Conselho Internacional de Dança (CID), uma organização não-governamental fundada em 1973 e vinculada à UNESCO, congregando todas as formas de dança em todos os países do mundo, através de membros representados por federações, associações, escolas, companhias e indivíduos atuantes na dança em 170 países.

Entre os objetivos deste marco de celebração, estão o aumento da atenção pela importância da dança para os cidadãos e a cultura, mostrando sua universalidade e diversidade, o incentivo à inclusão da Dança nos sistemas de educação, do ensino infantil ao superior, e o estímulo para que o público prestigie a produção em Dança nos palcos e nos diversos locais que ela é capaz de ocupar.

Ponto de Cultura ICBIE apresenta “Cinema e Memória” na Ribeira

O Instituto de Cultura Brasil Itália Europa (ICBIE), que tem como foco principal a oferta de cursos para jovens e adultos desenvolverem habilidades artísticas e profissionais, promove mais uma etapa das suas atividades como Ponto de Cultura. Entre os dias 27 de abril e 7 maio, uma série de atividades voltadas à temática da memória acontece em sua sede, na Ribeira, com entrada franca. A programação reúne uma mostra cinematográfica com a exibição de filmes nacionais e estrangeiros, apresentações de livros, encontros de poetas, performances musicais e de teatro, oficinas de confecção de cordel, debates e um café literário com varal de cordel sobre a história e a memória da Península de Itapagipe.

Os filmes selecionados para a mostra tiveram curadoria de Pietro Gallina, que priorizou na seleção dos títulos a relevância desses para a linguagem cinematográfica e a abordagem histórica de alguns temas como a descoberta do Brasil, a arquitetura e a literatura brasileira, os movimentos culturais e artísticos do país.

Durante os três anos de sua execução, o projeto do ICBIE prevê a realização de ciclos de atividades quadrimestrais. Também com a colaboração de voluntários, o ICBIE atua há 10 anos em atividades culturais e esportivas, numa sede localizada na orla do bairro. Biblioteca, salas de aula, memorial, ambientes de convivência e até mesmo uma residência artística estão disponíveis. Além disso, uma das metas do Ponto de Cultura é se tornar um centro do grafite produzido em Salvador.

PROGRAMAÇÃO

A programação começa, no dia 27 de abril, em torno da memória da descoberta do Brasil, com a projeção e debate dos filmes “Vermelho Brasil”, às 15h, e “A Missão”, às 18h30. No dia 28, haverá mais uma sessão de “Vermelho Brasil”, às 15h. No sábado, 29 de abril, às 17h, a memória da literatura será retratada com apresentação em cordel do livro “Literatura brasileira em cordel”, de Antônio Barreto, com a presença do autor, além de um encontro de poetas, com a participação de Cacau Novais, Douglas Almeida e o bloco O Boca de Brasa, terminando com o filme “Gregório de Mattos”. No dia 30 de abril, a partir das 16h30, é vez da memória da arquitetura, com o filme “Aleijadinho, Gênio da arquitetura barroca de Minas Gerais”.

Na semana seguinte, nos dias 3 e 4 de maio, das 8h às 12h, a memória da poesia de cordel se desenvolve com oficina com o cordelista Osmar Simões Machado Jr. O público-alvo são os alunos das escolas de ensino fundamental e médio. Também no dia 4 de maio, a temática está na memória do teatro, com o filme “Romance”, às 18h30. Na sexta, 5 de maio, das 14h às 18h, tem mais oficina de cordel, com o professor e cordelista Antônio Barreto, desta vez para professores de escolas de ensino fundamental e médio. No dia 6, a partir das 18h, a memória da música vem com o filme “Tropicália” e apresentação do grupo musical do ICBIE. Para encerrar, no domingo, 7 de maio, às 17h30, tem a Piccola Cia. de Teatro e Música do ICBIE.

Durante todo o período de 27 de abril a 7 de maio, estará aberta a visitação à exposição de fotos antigas do ME.PE Memórias da Península de Itapagipe.

 

Fonte: SecultBa/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!