05/05/2017

Feira: Dirigente de Sindicato critica data de Micareta

 

Por conta dos feriados prolongados do mês de abril, as vendas no comércio de Feira de Santana apresentaram queda.

A informação é do presidente do Sindicato do Comércio, José Carlos Moraes Lima.

O dirigente informou que as pausas da Semana Santa, Tiradentes e Dia do Trabalho, e a greve nacional da sexta-feira (28), provocaram baixas no comércio. 

Segundo José Carlos Moraes, a expectativa é que haja uma melhora nas vendas de maio, com a proximidade do Dia das Mães, comemorado no domingo (14), e com as preparações para o São João.

No entanto, a data da Micareta de Feira deste ano, entre 18 e 22 de maio, pode atrapalhar a movimentação do comércio.

De acordo com Lima, o evento nunca foi realizado em maio, o que estaria “na contramão da tradição da festa”. 

Mesmo com a crise nacional, as entidades ligadas ao comércio não farão nenhuma campanha específica para estimular as vendas.

Vereador acusa ex-candidato em Feira de colocar macumba na porta da sua casa

O vereador Ron do Povo (PTC) acusa um ex-candidato à Câmara Municipal de Feira de Santana de colocar macumba na porta da sua casa na madrugada desta quarta-feira (3).

Em seu perfil na rede social Facebook, Ron do Povo publicou um vídeo gravado por câmera de monitoramento onde aparece Oliveira Jhonny com o filho jogando fotos na frente da sua residência.

As fotos são do vereador Ron com com os seus eleitores e com o prefeito José Ronaldo. Nas imagens, havia dizeres considerados pelo edil como demoníacos. Além das fotos, foram deixados no local o chamado “pó de pemba” com pedaços de luvas e ossos.

No vídeo, o legislador feirense criticou o gesto de Oliveira: “Ele não sabia que havia uma câmera de segurança em minha casa e foi filmado com seu filho, uma criança, jogando essa macumbaria. Um absurdo ele trazer uma criança para isso”.

Feira: Paulo Bindá se despede da Micareta após 25 anos de folia

Após 25 anos cantando na Micareta de Feira de Santana, o cantor e compositor Paulo Bindá anuncia que não participará mais da folia feirense nos próximos anos. Paulo Bindá se diz feliz e realizado com seus 30 anos de carreira. "Já vivi histórias incríveis tanto na Bahia, quanto em outros estados. Me sinto feliz e realizado", declara.

Em 2017, cantor se despede dos trios com chave de ouro, levando para a avenida toda a sua alegria e energia, marcas inconfundíveis de sua carreira. Ele promete levar muitos convidados para o seu trio. "São 25 anos ininterruptos cantando na Micareta de Feira. Vou me dedicar a outros projetos e consequentemente, com minha saída, abro espaço para novos artistas", disse.

Paulo já atua junto a organização de projetos culturais em prefeituras da região a exemplo do Natal Encantando e do Festivais Gospel e Festival Metropolitano Vozes da Terra. "Acredito que já dei minha contribuição na música e agora quero contribuir na organização da festa sendo, inclusive, um parceiro da prefeitura", explica. Também quero me dedicar a defender os direitos da classe artística.

Doces lembranças

Paulo Bindá começou na Micareta de Feira de Santana em 1992 num palco fixo da Rua Castro Alves, quando a Micareta ainda era na Avenida Getúlio Vargas. Em sua carreira musical, ele gravou vários CDs e entre suas apostas autorais está "Vem pra mim", uma das músicas mais pedidas nos seus shows.

Com toda a sua trajetória, Paulo tem boas histórias pra contar. Ele relata algumas apresentações que lhe causaram emoção. "Um dos casos que tenho na lembrança é de um rapaz cego que pediu para tocar comigo na avenida. Levei ele pro trio, ele pegou a guitarra, tocou uma música e disse que eu realizei o sonho da vida dele. Isso me marcou bastante", narra o cantor.

"Comecei tocando numa das casas mais emblemáticas que a cidade já que teve, que foi o Bar Parlamento. A cantora Ivete Sangalo, já deu canja comigo lá, no início de sua carreira", lembra Bindá, que garante: "Estou saindo da micareta, mas não da música. Meu coração é só agradecimento aos músicos que me acompanharam e a todos que sempre me prestigiaram com seus aplausos e sua emoção. Muito obrigado".

Professores recebem orientações sobre cuidados com a voz

“A nossa voz é um sinal de saúde e devemos saber como preservá-la”. A afirmação partiu da fonoaudióloga Carolina Pamponet que, na manhã desta quinta-feira, 4, orientou os professores da Secretaria Municipal de Educação sobre os cuidados necessários para manter as cordas vocais saudáveis. A ação integra a Campanha Nacional da Voz.

Segundo Carolina, mais de 70% das pessoas trabalham utilizando diariamente a voz como um recurso profissional; os professores estão no grupo dos trabalhadores que mais precisam utilizá-la. “No dia 16 de abril, comemoramos o Dia Mundial da Voz e buscamos reforçar para as pessoas a importância de cuidar dela. A prevenção é o ponto de partida para evitar problemas”, explica a fonoaudióloga.

Entre as dicas compartilhadas com os professores estiveram cuidados como: falar em tom moderado e próximo do ouvinte; beber água constantemente em pequenas doses para manter o trato vocal hidratado; comer maçãs durante o dia; evitar comidas gordurosas, cigarro e álcool, entre outras sugestões.

90 trabalhos foram inscritos no concurso de poesia

Quase 90 poetas inscreveram trabalhos no 3º Concurso Municipal de Poesia de Feira de Santana - Prêmio Godofredo Filho. As inscrições forma encerradas no final da tarde desta quarta-feira, 3.

O resultado será anunciado no dia 25, logo depois da abertura dos envelopes, onde constam a documentação exigida e o nome do autor da poesia, que a assinara com pseudônimo.

A comissão julgadora será formada pelos poetas Roberval Pereyr, Telma Siqueira Alves e Antônio Gabriel Evangelista, nomeados pela Fundação Egberto Costa, que realiza o concurso.

Os três primeiros colocados serão premiados com R$ 1,5, R$ 1 mil e R$ 800, respectivamente e os 20 melhores poemas farão parte de um livro que será publicado pela Funtitec.

Para o poeta Júlio Figueiredo, o concurso é uma janela para que os trabalhos poéticos sejam apresentados ao grande público. Considera que a poesia é pouca divulgada.

“É uma iniciativa importante porque abre a possibilidade de que as pessoas, principalmente os mais jovens, se interessem pelo tema. Feira tem grandes poetas e tradição nesta área”, afirmou.

Nas duas primeiras edições os homenageados foram o poeta Eurico Alves Boaventura e o professor e médico Gastão Guimarães. O concurso foi aberto exclusivamente para feirenses.

 

Fonte: Bocão News/Bahia Já/Secom PMFS/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!