06/05/2017

Sento Sé: Agricultores atingidos pela crise hídrica pedem socorro

 

A produção de uva, melão, milho, mandioca, a criação de animais e até o patrimônio de dezenas de pequenos agricultores familiares situados às margens da Borda do Lago de Sobradinho, município de Sento-Sé, estão prejudicados em razão das constantes baixas do referido lago desde 2014. Por falta de água, centenas de hectares de plantações foram perdidas e até a criação de animais de subsistência vendida às pressas para não morrer de fome e sede.

Alguns agricultores perfuraram poços, cavaram por conta própria aguadas para tentar manter as plantações e mesmo assim foram inevitáveis os prejuízos. O produtor rural José Vieira da Silva, possui uma propriedade rural denominada “Fazenda Água Santa” - distante cerca de 30 quilômetros da sede do município de Sento Sé, disse à nossa reportagem que os agricultores situados na borda do lago estão endividados com o Banco do Nordeste e sem condições de renegociar as dividas, uma vez que precisariam de novo empréstimo para desenvolver outras atividades como, por exemplo, a pecuária, que poderia ser a saída para a crise, mas, por conta de estarem negativados no banco pedem ajuda às autoridades locais, regionais, Deputados Estaduais, Federais e a organismos ligados ao setor, no sentido de conscientizar a todos para a grave situação que estão enfrentando.

Segundo José Vieira, a sua produção de sete hectares e meio de plantio de uva, 10 hectares anuais de cebola, aproximadamente 15 hectares de milho, 5 hectares de hortaliças, entre outras, foram totalmente prejudicadas, reduzida a zero, por falta de água, disse. Vieira relatou também a falta de compreensão e a indiferença ao problema do próprio banco financiador, que através dos seus técnicos que acompanharam o dia a dia, o dilema e o sofrimento dos agricultores, além da falta de cobertura dos prejuízos por parte de um seguro que foi indicado pelo próprio Banco. “Pedimos socorro aos produtores e apoio do poder público, do Banco do Nordeste e a quem de direito. Estamos sofrendo desde quando o lago baixou até chegar no chamado “volume morto”, até o momento”.

Vieira, cobra ainda que sejam planejadas, para o médio e longo prazos, medidas para ajudar a retomada dos plantios e criações de animais, bem como que as autoridades viabilizem o perdão da dívida dos agricultores. Não temos condições de pagar essa dívida, tem que perdoar e que outro financiamento seja feito para a retomada das atividades, sugeriu.

CIA Biruta celebra 9 anos de teatro na região do Vale do São Francisco

Criada em 2008, a Cia Biruta de Teatro completa 9 anos nesta quarta-feira (03), celebrando uma história de fortalecimento do teatro infanto-juvenil e uma relação de cumplicidade com a região do Vale do São Francisco. Para comemorar a data, o grupo promove, entre os dias 8 e 28 de maio, a "Mostra Biruta 9 anos", com uma programação que inclui exposição, oficinas, rodas de conversa, contação de histórias e apresentações, em Petrolina e Orocó. Todas as atividades têm entrada gratuita.

"Nós montamos a Biruta pensando em uma Companhia que pudesse agregar o máximo de pessoas possível, reunindo outras linguagens e trabalhando com espetáculos que contribuíssem com o desenvolvimento da cidade e a formação artística e pessoal do nosso grupo. A Companhia surgiu com esse propósito: fazer arte com profissionalismo, não como uma ferramenta de sobrevivência, mas de vivência artística", conta Antônio Veronaldo, ator, dramaturgo, diretor e co-fundador da Cia Biruta.

No catálogo de espetáculos já encenados pelo grupo estão as montagens de "Maria Minhoca", "O Mágico de Oz", que fez a companhia ficar conhecida no Vale do São Francisco e em outras regiões, "História de Cascudo", "Pinóquio" e "Cenas Ribeirinhas", um experimento de pesquisa que, segundo Veronaldo, apontou novos caminhos para a Biruta. "Dessa experiência resultou o espetáculo 'Chico e Flor contra os monstros da Ilha do Fogo', fruto de uma pesquisa que busca a identidade do ator ribeirinho e sertanejo em sua metodologia de trabalho e de um processo de dramaturgia que estamos experimentando, sempre procurando uma poética que tenha como referência a região do médio São Francisco e suas práticas populares", revela.

Em 9 anos de história, a Cia Biruta também acumula na bagagem participações em festivais, prêmios, e intercâmbios com grupos de teatro nacionais e internacionais.      

  • Mostra Biruta 9 anos

A Mostra de aniversário da Companhia Biruta é totalmente gratuita e será aberta oficialmente na próxima segunda-feira (8/05), às 19h, no Hall de Entrada do SESC/Petrolina, com o vernissage da exposição "Mitos, ritos e tipos no processo de criação de máscaras para A Hora da Estrela, de Clarice Lispector". Assinada por Cristiane Crispim, atriz e co-fundadora da Cia Biruta, a exposição reúne 13 peças, com a proposta de mostrar o processo criativo para confecção de máscaras e as relações entre as linguagens do teatro, artes visuais e literatura, a partir do objeto máscara.

  • Serviço

O que: Mostra Biruta 9 anos

Quando: 8 a 28 de maio

Entrada: Gratuita

  • Programação

08/05 às 19h

Abertura da exposição "Mitos, ritos e tipos no processo de criação de máscaras para A Hora da Estrela, de Clarice Lispector" -  Cristiane Crispim

Local: Hall de entrada em frente a Biblioteca – Sesc/Petrolina

15/05 a 20/05 de 9h às 11h

Oficina de dança contemporânea

(Programação da I Mostra Arte Compartilhada, do Coletivo Incomum de Dança)

Local – Cineteatro CEU das Águas

15/05 a 20/05 de 14h às 16h

Oficina de Iluminação

(Programação da I Mostra Arte Compartilhada, do Coletivo Incomum de Dança)

Local – Cineteatro CEU das Águas

12/05 às 16h

Contação de Histórias - Cia Biruta

Local – Biblioteca do CEU das Águas

13/05 às 15h

Roda de conversa "O som da cena" com Moesio Belfort e Antonio Veronaldo

Local: Cineteatro do CEU das Águas

20/05 de maio às 19h

Sarau Poético e Musical - partic. Moesio Belfort

Local: Cineteatro do CEU das Águas

24, 25, 26 e 27/05 às 19h

Processo Medusa - Núcleo Biruta de Teatro/Cia Biruta (Classificação 12 anos)

Local: Cineteatro CEU das Águas**

28/05 às 15h

Roda de conversa "Canudos: território navegante" com Gilmar Santos e Maria Senhora

Local: Comunidade Viturino - Orocó/PE

 

Fonte: Sento Sé Agora/Ascom/BlogdoGeraldoJosé/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!