09/05/2017

Santo Amaro sedia “IV Cultura e Negritude” de 10 a 14 de maio

 

Acontece no município de Santo Amaro, entre os próximos dias 10 e 14 de maio, a 4ª edição do evento “Cultura e Negritude”, sob realização do Centro de Cultura, Linguagens e Tecnologias Aplicadas (CECULT) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). Através das atividades serão discutidas abordagens interdisciplinares e interculturais que envolvem perspectivas da educação e das relações étnicos-raciais, ampliando os processos de formação pelo viés da diversidade e equidade racial.

O evento, que está na fase de inscrições de trabalhos acadêmicos, visa ampliar as alternativas de abordagem curricular, promovendo a experiência de ensino-pesquisa-extensão integrada com a formação cidadã dos/as acadêmicos, pesquisadores e interessados.

A UFRB é parceira do Governo do Estado no campo das ações de promoção da igualdade racial. A instituição de ensino firmou, em novembro do ano passado, um termo de cooperação com a Sepromi visando a integração de ações e políticas públicas na área étnico-racial, no âmbito da Rede de Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa.

  • Serviço:

O quê: IV Cultura e Negritude.

Quando: De 10 a 14 de maio de 2017.

Local: Centro de Cultura, Linguagens e Tecnologias Aplicadas (CECULT) - Rua General Argolo, s/n° - Centro - Santo Amaro/Bahia.

Festival de cinema "Mulheres em Cena" comemora 13ª Semana da Europa

A Sala Walter da Silveira recebe programação do Festival de cinema "Mulheres em Cena", de 11 a 17 de maio, com entrada franca. O evento chega à sua 13ª edição com uma programação cultural intensa em mais 12 capitais brasileiras. Em Salvador, as atividades se desenvolvem numa parceria entre o Goethe-Institut, a Aliança Francesa e o Instituto Cervantes. O festival reúne 13 filmes de 13 diferentes nacionalidades.

Com curadoria de Lorena Quintas e Rafaella Rezende, que fizeram um recorte que privilegia as mulheres no cinema, a mostra oferece filmes europeus premiados e dirigidos por mulheres e/ou com abordagens de questões femininas e de igualdade de gênero. "Após um longo período de opressão, violência e discriminação, graças ao surgimento do movimento feminista, as mulheres ganharam voz e representatividade política para avançar socialmente e conquistar direitos civis. As mulheres hoje têm mais liberdade e espaço que em tempos passados, no entanto, há um longo progresso a ser feito em direção às conquistas de igualdade de gênero", afirma a dupla de curadoras. A seleção amplia um debate sobre a importância de um espaço de expressão, visibilidade e reflexão da mulher dentro da sétima arte.

O festival é realizado pela Associação dos Institutos Culturais, Embaixadas e Consulados de Países Membros da União Europeia (EUNIC Brasil) e pela Delegação da União Europeia no Brasil, a Semana da Europa

Entre os filmes dirigidos por mulheres, está o espanhol "De sua janela à minha", de Paula Ortiz, que traz o olhar feminino por trás das câmeras, perspectiva ainda pouco prestigiada no mundo do cinema. Obras baseadas em mulheres reais, como da artista dinamarquesa Marie Krøyer e da pensadora alemã Hannah Arendt, além da comovente história de Marcela, da República Tcheca, inspiram e exemplificam mulheres corajosas, influentes e capazes de superar o preconceito e a supremacia masculina.

A independência e a luta pela igualdade são bem retratadas também no filme dos Países Baixos, "A excêntrica família de Antônia", de Marleen Gorris, no qual mulheres exercem o seu poder de escolha para seguir o próprio caminho.

Completam a lista as produções "Nossa estrangeira" (França), "O menino na ponte" (Chipre), "Mamãe e outras figuraças da família" (Hungria), "O caminho de Halima" (Croácia), "Belleville Baby" (Suécia), "Amália - O filme" (Portugal), "Tigres na cidade" (Eslováquia) e "Pânico" (Eslovênia).

  • SERVIÇO

Festival de cinema "Mulheres em Cena"

Quando: 11 a 17 de maio (quinta a quarta-feira), horários variados

Onde: Sala Walter da Silveira

(Rua General Labatut, 27 - Barris)

Entrada franca

Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger anuncia vencedores

O Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger, um dos maiores do segmento artístico do país, divulga os vencedores de suas três categorias. Paulo Luiz Coqueiro Andrade (BA), com a obra Não Minta Para Mim, venceu a categoria Trabalhos de fotografia de livre temática e técnica; Gilvan Caldas De Sá Barreto Filho (de Jaboatão dos Guararapes, inscrito pelo RJ), com a obra Postcards From Brazil, venceu a categoria Trabalhos de inovação e experimentação na área de fotografia; Ilana Bar Nissin Wirgues (SP), com a obra Transparências de Lar venceu a categoria Trabalhos de fotografia documental. Cada vencedor receberá o valor de R$ 30 mil.

A comissão de seleção ainda indicou 12 artistas que irão participar da exposição e do catálogo da mostra: Bruno Bernardi Costa (com Paisagem Movediça), Guilherme Christ de Menezes Sousa (Marrocos), Hirosuke Kitamura (Doce Obsessão), João Teixeira Castilho (Nova Era), Luis Arthur Leitão Vieira (Atlas Fotográfico da Cidade de São Paulo), Paula Huven Almeida (com Viva A Natureza Morta), Ricardo Teles (Transbrasilianas), Rosa Bunchaft (Série Das Mulockianas - Panorama 1 - The City Of Bahia - From The Forte do Ma), Silas De Paula (Anônimos: Work In Progress), Sônia Denise Alhanat Dias de Souza (Ecos), Tiago Aguiar Miranda Nunes (Rusá), Vinícius Luiz Xavier Carneiro (Lebará - Feminina Força).

Membro da comissão, o fotógrafo Eugênio Sávio Lessa considera o Prêmio Nacional Pierre Verger como "uma das maiores iniciativas do fortalecimento da cultura já vistas no Brasil". A Comissão avaliou 531 inscrições habilitadas, a maioria das cidades de Salvador, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Fortaleza. Dos Territórios baianos a maior participação foi das cidades de Feira de Santana, Jequié e Lauro de Freitas. Foram enviadas 699 propostas.

O Prêmio é realizado pela Coordenação de Artes Visuais/Diretoria das Artes da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), com o objetivo de incentivar, divulgar e valorizar a produção fotográfica brasileira.

Visibilidade nacional

A Comissão de seleção foi formada por Aristides Alves da Silva Filho, Eugênio Sávio Lessa Baptista, Nadja Fonseca Peregrino, Maria Isabel Macedo Gouvêa, Marcio José Teixeira Nogueira Lima. O concurso encabeça um projeto de extrema valia para a Funceb, uma vez que acontece periodicamente, permitindo a participação de interessados não só do Estado da Bahia, como também de todo país.

"Isso faz com que o Prêmio tenha grande visibilidade nacional, justificando-se a amplitude do seu conhecimento perante o seu público alvo, o qual, durante esse período, se prepara investindo tempo, conhecimento e material para criação de trabalhos de excelência que possam competir com os demais projetos que serão apresentados", detalha Fernanda Tourinho, diretora da Funceb.

Na opinião de Maria Isabel Gouveia, membro da comissão, toda política de fomento a cultura e artes é fundamental para o fortalecimento e aprimoramento de prêmios como este. "É fundamental termos parceiros que apóiem esta idéia. Nós, da fotografia, só temos a agradecer a esta grande iniciativa e a todos os envolvidos neste projeto".

O Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger 2016/2017 recebeu mais do que o dobro de inscrições da edição anterior, 2012/2013, quando foram 317 as propostas enviadas. No biênio 2010/2011, 109 propostas foram inscritas. O Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger foi instituído pelo decreto-lei nº 8.360 em 2002 e alterado pelo decreto-lei nº 9.296 em 2005 e visa incentivar e divulgar trabalhos fotográficos contemporâneos que tenham se destacado no cenário nacional.

Membro da comissão de seleção, Aristides Alves entende que, "nesse momento de crise no Brasil, com a maioria das empresas saindo de cena, a presença do Estado nesses projetos é imprescindível".

 

Fonte: Ascom Sepromi/SecultBa/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!