13/05/2017

Salvador: Programação de Exposições para a capital baiana

 

Levantamento realizado pelo G1, relaciona as diversas exposições programadas para a capital baiana durante o mês de maio e que vale a  pena ser visitada pelo soteropolitano e por aqueles que visitam Salvador.

Veja a agenda:

Limites

Após 10 anos sem expor na capital baiana, o artista plástico Maazo Heck apresenta a exposição “Limites”, na Sala Contemporânea do Palacete das Artes. A mostra apresenta cerca de 30 trabalhos, em dois conjuntos de pintura. As “Backsides”, da série “O Eterno Feminino”, em que o artista pinta em 16 telas, nádegas de mulheres e “Inventário do Cotidiano”, com 15 pinturas na forma de polípticos, com cenas sobre tudo que o cerca. A exposição fica à disposição dos visitantes até o dia 18 de junho, de terça a sexta, das 13h às 19h e aos sábado, domingos e feriados, das 14h às 18h.

Formas e Sentimentos

Até o dia 4 de junho, o Palacete das Artes recebe a exposição da artista visual e restauradora Elisabeth Roters Coutinho. A mostra apresenta cerca de 40 esculturas em argila, explorando o tema “cabeças”. Conforme explica a curadora da exposição, Nanci Novais (artista plástica, professora e diretora da Escola de Belas Artes da Ufba), a artista visual Elisabeth Coutinho encontrou na cerâmica o que considerou o recurso mais eficiente para materializar suas obras/cabeças e aprofundar seus estudos de efeitos de volumes, sombras, brilhos, texturas, contrastes e expressões. A obra pode ser vista de terça a sexta, das 13h às 19h, e sábado, domingo e feriado, das 14h às 18h.

Poesia Agora

A exposição "Poesia Agora", que reúne coletânea de trabalhos de 300 autores pelo país, está em cartaz na Caixa Cultural, que fica na Rua Carlos Gomes, Centro de Salvador. As visitações ocorrem até o dia 28 de maio, sempre de terças-feiras a domingos, das 9h às 18h, com acesso gratuito.

Coleção de Arte Africana

A exposição Coleção de Arte Africana pode ser visitada no museu Solar Ferrão, no Pelourinho, de terça a sexta, das 12h às 18h, e aos sábados, domingos e feriados, das 12h às 17h. A entrada é gratuita. Os visitantes podem conferir o trabalho do colecionador italiano Claudio Masella (Roma, 1935-2007), que reuniu por mais de 30 anos uma coleção de arte africana com mais de mil exemplares. Esses objetos ilustram a arte dos principais grupos étnicos do continente africano, compondo um panorama para entendimento da diversidade cultural e as suas influências na formação do Brasil.

Coleção de Instrumentos Musicais Tradicionais Emília Biancardi

A coleção de Instrumentos Musicais Tradicionais Emília Biancardi apresenta um acervo com mais de mil peças coletadas e recriadas nos cinco continentes, com destaque especial para os instrumentos indígenas brasileiros, além dos africanos e afro-brasileiros. A exposição permanente pode ser visitada no museu Solar Ferrão, no Pelourinho, de terça a sexta, das 12h às 18h, e aos sábados, domingos e feriados, das 12h às 17h. A entrada é gratuita.

O Bairro do Comércio

A exposição “O Bairro do Comércio” é apresentada no Museu Tempostal, no Pelourinho. A visitação acontece de terça a sexta, das 12h às 18h, e nos fins de semana e feriados, das 12h às 17h. A entrada é gratuita. A mostra é composta por postais e fotos que retratam a região do Comércio, no trecho da Preguiça até o antigo Mercado do Ouro, da primeira década do século XX até os anos 80.

Arte e Azulejaria

A mostra Arte e Azulejaria, que exibe fotografias de prédios revestidos com azulejos pela oficina de Udo Knoff, fruto de projetos de artistas baianos, é apresentada no Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica, no bairro do Pelourinho. No local, também é possível conferir um documentário sobre o colecionador e ceramista. A visitação acontece de terça à sexta, das 12h às 18h, e aos sábados, domingos e feriados, das 12h às 17h. A entrada é gratuita. Completam a exposição, objetos confeccionados nas oficinas desenvolvidas pelos museólogos da casa, que realizam atividades educacionais.

  • MAIS:

Semana de museus

A Semana de Museus, temporada cultural coordenada pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), que acontece todo ano em comemoração ao Dia Internacional dos Museus (18 de maio), chega à sua 15ª edição com a temática 'Museus e histórias controversas: dizer o indizível em museus'. Este ano, a ação ocorre de 15 a 21 de maio, nos diversos museus do Brasil. Na Bahia, em virtude dos preparativos para o evento, os museus coordenados pelo Ipac estarão excepcionalmente fechados neste sábado (13) e domingo (14). Os museus retomam o funcionamento regular a partir de terça-feira (16). Em Salvador, o Ipac é responsável pelo Museu de Arte Moderna (Avenida Contorno), Palacete das Artes (Graça), Palácio da Aclamação/Passeio Público (Campo Grande), Museu de Arte da Bahia (Corredor da Vitória), Solar Ferrão, Praça das Artes, museus Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica e Tempostal (Pelourinho). No interior, os museus do Recolhimento dos Humildes (Santo Amaro), Wanderley Pinho (Candeias) e Parque Histórico Castro Alves (Cabaceiras do Paraguaçu)".

Museu Geológico prepara programação especial para Semana Nacional de Museus

De 15 a 21 de maio, o Museu Geológico da Bahia, vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado (SDE), participa da 15ª Semana Nacional de Museus, das 13h às 17h30. A programação, que tem entrada gratuita, será diversificada e acessível a públicos variados com exposição, oficinas, filmes, debates e música.

O titular da SDE, Jaques Wagner, elogia a iniciativa e acredita que esse tipo de evento ajuda a promover, divulgar e valorizar os museus. "É importante incentivar e intensificar a relação dos museus com a sociedade. A cultura é uma excelente ferramenta de estímulo ao desenvolvimento econômico", afirma.

Uma das atrações é a exposição fotográfica Pepita de Fogo: o Cangaço e seu tempo colorizados, no Salão de Rochas Ornamentais. Nos dias 15 e 17, às 15h, o historiador, artista plástico e mestre em Geologia, Rubens Antonio, promoverá um bate-papo com os presentes e os alunos do colégio Odorico Tavares.

No dia 16, às 14h, a animação Òrun Àiyé: a Criação do Mundo pelo Orixás será exibido na sala de cinema do museu seguido de bate-papo com as cineastas Jamile Coelho e Cintia Maria com os alunos do colégio Manoel Novaes e os demais presentes na exibição. A produção é um projeto educacional voltado para a conscientização de crianças e jovens, quanto à religiosidade africana.

No dia 18, quando se comemora o Dia Internacional de Museus, será promovido uma reflexão com sobre o tema deste ano: Museus e histórias controversas – dizer o indizível em museus. As professoras do curso de Museologia da Universidade Federal da Bahia, Luciana Ballardo e Rita de Cássia Maia da Silva serão responsáveis pela condução do diálogo com o público. Já no dia 19, às 15h30, o grupo infantil de Metais, da Neojiba, fará uma apresentação especial.

 

Fonte: G1/SecultBa/Ascom SDE/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!