13/05/2017

Monte Santo aumenta lista de cidades em emergência

 

Mais cinco cidades que convivem com a estiagem tiveram decretos de emergência reconhecidos pelo Estado.

Entraram na lista, dos já 257 municípios com estiagem, Rui Barbosa, no Piemonte do Paraguaçu; Caetité, no Sertão Produtivo, sudoeste baiano; Curaçá, no Sertão do São Francisco; Monte Santo, na região sisaleira; e São Félix do Coribe, na Bacia do Rio Corrente, oeste.

Da relação, a cidade com maior porcentagem de população afetada é Monte Santo.

Segundo dados da Sudec [Proteção e Defesa Civil do Estado], na cidade 43,4 mil dos 52 mil moradores, ou 83,6%, são afetados. Depois, vem Curaçá, com 18,4 mil afetados, 52,2% dos 35,3 mil moradores. A cidade teve o decreto prorrogado por mais 90 dias.

Completam a listagem, Caetité, com 24,4 mil prejudicados, 46,4% dos 52,7 mil que moram na cidade; Rui Barbosa, com 7,7 mil com problemas com a seca, 24,4% da população de 31,9 mil habitantes; e por fim, São Félix do Coribe, com 3,6 mil afetados, 23,1% dos 15,7 mil moradores. 

Ainda segundo a Sudec, ao todo, 2,8 milhões são prejudicados com a estiagem, percentual de 18,3% dos 15,2 baianos segundo última estimativa do IBGE, feita em 2016.

A partir dos decretos de emergências, os municípios podem contratar serviços sem licitação para trabalhos emergenciais, e podem solicitar apoio do governo para o restabelecimento do fornecimento de água potável, através de carros-pipa.

Euclides da Cunha: Prefeito e ex-prefeita trocam farpas nas redes sociais

A disputa entre Vaval Damasceno (candidato da ex-prefeita Fátima Nunes) e Luciano Pinheiro nas eleições de 2016 em Euclides da Cunha foi bem acirrada, a eleição passou, Luciano venceu e foi empossado, porém a rivalidade entre os dois principais grupos políticos da cidade continua e a tendência é aumentar ainda mais, nos últimos dias a ex-prefeita e o atual prefeito voltaram a trocar farpas nas redes sociais, confira:

  • Fátima fala sobre os precatórios

“Em junho do ano passado, consegui com o Banco do Brasil uma linha de crédito para antecipar o pagamento de 50% dos precatórios para os professores. Na época, dependia apenas da aprovação de uma lei na câmara dos vereadores. Enviei o projeto, que foi rejeitado pelos vereadores ligados ao atual prefeito, e assim ficamos sem condições jurídicas de pagar os precatórios aos professores.

Após a liberação do recurso, em dezembro do ano passado, quando um projeto já estava pronto para ser novamente enviado para Câmara, fui surpreendida com um bloqueio judicial promovido pelo então prefeito, que em sua alegação argumentou que os “recursos de precatórios NÃO poderiam ser utilizados para pagar os PROFESSORES”. Assim, mais uma vez, não pude realizar o pagamento.

Deixei a prefeitura com quase trinta milhões em conta, e o gestor insiste em dizer que tem apenas quatorze milhões. Prefeito solicite o desbloqueio dos honorários advocatícios, que com os rendimentos da aplicação, seguramente hoje já passam dos trinta milhões de reais, recurso este que pode ser 100% pago aos professores, já que 40% do valor dos precatórios foram gastos com outras despesas.

Basta apenas que o prefeito envie um projeto de lei para a Câmara, e peça para o seu grupo votar favorável, visto que os vereadores do nosso grupo já se posicionou em favorável, desde o ano passado, e assim, pague os professores o que é deles por direito.”

  • Dr. Luciano rebate

“Em postagem feita hoje no seu perfil no Facebook, a senhora ex-prefeita Fátima Nunes, surpreende a todos com o seu texto, “Esclarecendo sobre os precatórios”, onde tenta culpar a atual administração do município, pelo não pagamento de professores utilizando os Precatórios.

Ela diz que o projeto não foi enviado para a Câmara de Vereadores, porquê o dinheiro fora bloqueado. Se ela quisesse de fato liberar os valores para pagar aos professores, poderia encaminhar o projeto à Câmara, mesmo com os valores bloqueados. Ao ser liberados esses valores, os professores os receberiam. A verdade. É que a ex-prefeita não enviou o projeto para a Câmara de Vereadores, porque sabia, que legalmente, os precatórios não poderiam ser destinados ao pagamento dos professores.

O que a senhora ex-prefeita deixou, foram R$14 milhões bloqueados para pagar a um escritório de advocacia R$ 10 milhões bloqueados pela Justiça, restando de fato, em caixa, R$4 milhões. Foi esse, o valor que a senhora ex-prefeita deixou em caixa, devidamente liberados; R$4 milhões e não R$30 milhões como alardeia.

Por outro lado, a senhora ex-prefeita ficou com o total do dinheiro dos Precatórios, de 06 a 31 de dezembro de 2016, período no qual, objetivando unicamente, não repassar esse saldo para a nova administração, gastou, R$44 milhões, emitindo às pressas, as guias para pagar antecipadamente uma fortuna de INSS e comprar 40 ônibus. Se quisesse pagar aos professores, o teria feito nesse ínterim!

Pois bem, D. Fátima que havia sumido das plagas euclidenses nos últimos 90 dias, volta a atacar com o único intuito de prejudicar a nossa administração e criar impasse entre nós e os professores.

Nós, ao contrário do que sempre ocorreu com a senhora ex-prefeita, que nunca se dignou a dialogar com a categoria, estamos frequentemente dialogando com a APLB, procurando um consenso para a questão dos Precatórios.

D. Fátima mente deslavadamente e não mede esforços para prejudicar o povo de Euclides da Cunha!”

Valente: 8ª FEIRAFES do Território do Sisal foi aberta nesta sexta

A 8ª Feira da Agricultura Familiar, Economia Solidária e Reforma Agrária do Território do Sisal (FEIRAFES), acontece nesta sexta-feira e sábado (12 e 13/05), a partir das 08h, na Praça da Jazida em Valente – BA. O evento reúne todo o tecido social e econômico da agricultura familiar da região para trocar experiências e saberes sobre produção, comercialização, segurança alimentar e nutricional, exposição e comercialização dos produtos dos empreendimentos da Agricultura Familiar.

O objetivo principal da 8ª FEIRAFES é contribuir para o fortalecimento da Agricultura Familiar e Economia Solidária do Território do Sisal, visando o desenvolvimento rural e local sustentável, a divulgação dos produtos da agricultura familiar, o intercâmbio de experiências, o acesso ao mercado justo, comercialização e a geração de renda.

A iniciativa é uma realização da Fundação de Apoio à Agricultura Familiar do Semiárido da Bahia (FATRES), em parceria com a Prefeitura Municipal de Valente, e conta com o apoio dos Sindicatos dos Trabalhadores Rurais e Agricultores Familiares do Território do Sisal, Organizações Sociais, Governo do Estado da Bahia e Governo Federal.

Empreendimentos de economia solidária da Agricultura Familiar dos seguimentos de artesanatos, alimentação e caprinovinocultura poderão expor seus produtos e rebanho para comercializar durante o evento. Durante a Feira ainda acontece exposição de tecnologias de convivência com o semiárido apresentadas pela FATRES e organizações parceiras, leilão de caprinos, ovinos e equinos e julgamento de animais.

A abertura oficial do evento acontecerá com a participação de autoridades e representantes de entidades parceiras da FATRES, agricultores/as. Simultaneamente a exposição dos produtos dos grupos de produção da Agricultura Familiar, as atividades da 8ª FEIRAFES seguirão com leilão de caprinos, ovinos e equinos, julgamento de animais, oficinas e seminários.

Ainda como parte integrante do evento, acontecerá apresentação de manifestações culturais do Território do Sisal.

 

 

Fonte: BN/Portal de Noticias/Calila Noticias/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!