18/05/2017

Barreiras: Prefeitura discute formato da Exposição Agropecuária

 

Representantes de associações de criadores, do comércio e indústria, agentes financeiros, todos, parceiros da Prefeitura de Barreiras na organização das edições passadas da Exposição Agropecuária, se reuniram nesta segunda-feira, 15, para discutir um novo formato do evento. Neste primeiro encontro, as sugestões e ponderações para melhoria da feira foram debatidas e, já ficou agendada uma nova rodada de conversa para a próxima segunda-feira, 22, às 18h no Parque de Exposições Engenheiro Geraldo Rocha, quando os envolvidos esperam chegar a uma data ideal para a realização do evento.

Dois itens foram discutidos entre os participantes. O primeiro, sobre a possibilidade de alterar a data em que o evento é tradicionalmente realizado – segunda quinzena de julho. “Os parceiros foram praticamente unânimes em que seja remanejada esta data, por estar muito próxima ao São João e acabar se tornando um custo alto para a prefeitura, além de enfraquecer o volume de negócios fechados durante a feira”, diz o subcoordenador da Secretaria de Agricultura de Barreiras, Rider Castro.

Para Emerson Cardoso do Sebrae, é preciso assimilar que a feira agropecuária no formato atual, já não atende mais os requisitos de um evento de negócios o que acaba prejudicando os parceiros envolvidos. “É preciso repensar a feira. A inserção de uma festa junina como evento de entretenimento no calendário oficial de Barreiras e a adoção de uma nova data para a feira agropecuária, ampliarão as oportunidades de negócios, fortalecendo assim a economia local e regional” disse.

Outra questão levada em consideração foi a de estabelecer a real vocação da Exposição Agropecuária. “Queremos traçar o novo perfil da feira, considerando e ajustando o evento às mudanças econômicas e sociais de nossa região. Precisamos entender se é um evento voltado para a agropecuária, a indústria, o comércio e serviços e, à agricultura familiar, ou, tudo isso junto”, diz Rider.

Na próxima reunião será formato um modelo único, a partir do consenso dos organizadores, e, fechada a data do evento. “A Exposição de Barreiras faz parte do calendário oficial de eventos da região e do Estado da Bahia, o que buscamos é o fortalecimento da feira e, principalmente, bons resultados para aqueles que investem e têm seus produtos e serviços expostos nos dias do evento”, avalia o secretário de agricultura, José Marques.

Instituições presentes: Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Acrioeste, Caprioeste, Sindlojas, Sebrae, Sindicato dos Produtores Rurais de Barreiras, Codevasf, Adab, Banco do Nordeste (BNB), Bahiater, Secretaria de Agricultura de Barreiras e Centro de Indústria do Oeste da Bahia.

Leilão de Corte Acrioeste é atração garantida na Bahia Farm Show 2017

Com data confirmada para 02 de junho, véspera de encerramento da Bahia Farm Show 2017, o leilão de gado de corte Acrioeste é uma atração à parte na programação da maior feira de negócios e tecnologia agrícola do Norte/Nordeste do Brasil.

A partir das 15h da sexta-feira, 02, criadores e convidados da região oeste da Bahia e de outros estados poderão conhecer e arrematar os mais de 500 bezerros, bezerras, garrotes e novilhas das raças zebuínas Nelore e Guzerá e das raças europeias Angus e Aberdeen Angus e seus cruzamentos industriais. Todos com alto padrão genético, excelente procedência, e em condições facilitadas de pagamento.

O presidente da Associação dos Criadores de Gado do Oeste da Bahia – Acrioeste – Stefan Zembrod chama a atenção para a excelência do gado produzido pela região. “O oeste possui oferta de boas terras, o que tem atraído grandes empreendimentos agropecuários, além de ser reconhecido nacionalmente pela qualidade dos bezerros que produz, estes animais abastecem os confinamentos de várias partes do Brasil”, destaca.

Para ele, a pecuária regional tem avançado, graças, principalmente, ao incremento da integração lavoura/pecuária e ao aumento da matéria-prima para a engorda, abundante no oeste da Bahia.

A região Oeste da Bahia possui um rebanho estimado em dois milhões de cabeças, com ênfase para o gado de corte. A raça predominante é a Nelore, e em menor escala, a Guzerá e o gado de leite, segundo dados da Acrioeste. A criação de gado de corte em escala comercial ganhou força no final da década de 20, quando a pioneira no ramo, a Companhia Sertaneja Agropastoril se instalou em Barreiras (BA), em 1.928, e iniciou as atividades de compra e venda.

A Bahia Farm Show é organizada pela Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), com o apoio da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), Fundação Bahia, Associação dos Revendedores de Máquinas e Equipamentos Agrícolas do Oeste da Bahia Ltda. (Assomiba) e Prefeitura de Luís Eduardo Magalhães.

Projeto Empresa Amiga do Campo valoriza boas práticas ambientais

Reconhecer as revendas e cooperativas agrícolas que apoiam a disseminação de boas práticas agrícolas no oeste da Bahia. Esse é apenas um dos objetivos do Projeto Empresa Amiga do Campo implantado neste ano, pela Aciagri e que envolve mais de 50 revendas e cooperativas agrícolas da região. A ação faz parte de uma agenda estratégica que a entidade tem articulado internamente com a equipe de trabalho e associados.

De acordo com o presidente da Associação, Adilson de Campos, o projeto, além de valorizar iniciativas socioambientais desenvolvidas pelo quadro de associados, reforça na comunidade, o papel dos canais de distribuição de insumos no trabalho de logística reversa de embalagens vazias de defensivos agrícolas. “ A criação do selo Empresa Amiga do Campo chega no ano em que o Sistema Campo Limpo completa 15 anos, e nada mais justo reconhecer e valorizar revendas e cooperativas agrícolas – um dos elos do programa -, na pratica de ações socioambientais no campo”, disse.

A implantação do Sistema Campo Limpo no ano 2002, transformou o cenário de pós-consumo de agrodefensivos em uma referência mundial. Hoje, cerca de 94% das embalagens plásticas primárias (que entram em contato direto com o produto) e 80% do total de embalagens vazias que são comercializadas têm destino certo, no Brasil.

De acordo com dados divulgados pelo inpEV (Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias), durante o ano de 2016, o Sistema retirou 44.528 toneladas de embalagens vazias de defensivos agrícolas em todo o Brasil. Nos campos do Nordeste, foram 4.953 toneladas, ou seja, 11% do total destinado no país de material. Segundo o Instituto, 58% do material foi oriundo de propriedades atendidas pela Aciagri que, na Bahia representa 90% do recebimento total.

Os resultados são frutos da responsabilidade compartilhada entre agricultores, com a destinação correta dos materiais; canais de distribuição com o suporte e a administração de locais seguros para o recebimento; o poder público na fiscalização da origem do produto e a indústria fabricante com a destinação final, seja na incineração ou reciclagem.

Segundo Adilson, nesta primeira etapa do projeto, os canais de distribuição serão convidados para acompanhar de perto as ações do Programa de Educação Ambiental Campo Limpo (PEA), uma iniciativa do Sistema Campo Limpo – gerenciado pelo inpEV com a supervisão das unidades de recebimento, que reforça em sala de aula de todo o país, o compromisso de cada indivíduo como agente transformador neste processo.

Em 2016, as centrais Campo Limpo do oeste baiano gerenciadas pela Aciagri (Barreiras, Roda Velha e Rosário) cadastraram 124 escolas no Programa.  Neste ano, o número subiu para 131 colégios, envolvendo estudantes de Luís Eduardo Magalhães, Barreiras, Angical, Baianópolis, São Desidério e Correntina na Bahia e São Domingos e Posse no estado de Goiás.

Sobre o PEA

O Programa de Educação Ambiental (PEA) é uma iniciativa do Sistema Campo Limpo que tem como objetivo apoiar escolas públicas e privadas em temas transversais, relacionados a Educação Ambiental, alinhados aos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs).

Anualmente são distribuídos kits educativos para serem aplicados em salas de aula do 4º e 5º ano do Ensino Fundamental. Nesta edição, o tema dará continuidade ao trabalho de 2016: “Resíduos sólidos: responsabilidade compartilhada”. A novidade é que, dessa vez, será discutido o papel das escolas nessa cadeia. A proposta é mostrar que o envolvimento de todos (família, escola, empresas, governo…) é essencial para buscar soluções que minimizem os impactos causados pelos resíduos à saúde e ao meio ambiente.

Com base nos kits, os alunos são desafiados a participar do concurso de desenho (4º ano) e redação (5º ano). Na etapa local, são premiados os três melhores trabalhos em cada categoria, além de suas respectivas escolas e professores. O melhor trabalho de cada categoria é enviado para a etapa nacional. Na última edição, a aluna Bianca Gonçalves Lopes, do Colégio Municipal Castro Alves de Posse/GO venceu a etapa nacional do concurso de redação.

SELO

O selo Empresa Amiga do Campo será entregue em dezembro, ocasião em que a Associação reconhecerá as revendas e cooperativas agrícolas engajadas com projetos socioambientais e que contribuíram com as ações do Programa de Educação Ambiental Campo Limpo dentro de sua área de atuação.

 

Fonte: Jornal Nova Fronteira/O Expresso/Ascom Aiba/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!