19/05/2017

Juazeiro: Porto fluvial não opera, 18 anos após início de obras

 

O porto fluvial de Juazeiro, na região norte da Bahia, que começou a ser construído há 18 anos, ainda não ficou pronto e os moradores não têm perspectiva de quando o local será inaugurado. A obra, projetada com o objetivo de facilitar o escoamento da produção de frutas de grãos da região, já custou cerca de R$ 10 milhões.

Em nota, a Secretaria de Infraestrutura da Bahia disse que constatou que é inviável a navegação no Rio São Francisco e que, por isso, fica impossível o funcionamento do terminal. O órgão disse que o porto não tem mais como funcionar porque o trecho navegável do rio sofreu uma redução de 1.370 km para 570 km. A secretaria disse ainda que encaminhou à Procuradoria-Geral da União (PGR) e à Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ) um pedido de recisão de contrato.

Logo na entrada do porto é possível ver que o local está abandonado e foi tomado pelo mato. Alguns postes foram arrancados. O guindaste que foi trazido do porto de Aratu, em Salvador, para o embarque e desembarque de mercadorias segue no local sem nunca ter sido usado.

Para a construção do porto, foram investidos R$ 8 milhões. Em 2011, no entanto, o governo do estado liberou mais R$ 2 milhões para uma reforma, mas o porto continuou sem operar.

O agricultor Cícero de Lima trabalhou como ajudante de pedreiro na obra do porto durante três meses e hoje está desempregado. Ele diz que fica triste ao ver o local, que poderia gerar empregos, abandonado.

"Me sinto muito revoltado em ver um trabalho desse aqui. É dinheiro público, e a gente vê a coisa assim abandonada. Era para estar funcionando, trazendo progresso para nós, mas a obra foi desprezada", comenta.

Vazão do São Francisco pode ser ainda mais reduzida em junho

A Agência Nacional de Águas (ANA) deve iniciar a discussão com os estados da bacia do rio São Francisco sobre adoção de possíveis medidas de gestão para enfrentamento da crise hídrica. A previsão é de reduzir a vazão nos reservatórios de Sobradinho, na Bahia, e Xingó, entre Alagoas e Sergipe, para 540 metros cúbicos por segundo (m³/s), a partir de junho. O anúncio foi feito dia 15 de maio, durante reunião de avaliação das condições de operação dos reservatórios, realizada na sede do órgão, em Brasília (DF), e transmitida por videoconferência.

A proposta da ANA, apresentada pelo superintendente da agência, Joaquim Gondim, é discutir medidas de acordo com a operacionalização dos reservatórios, para compor uma visão integrada para o próximo período úmido da bacia. A proposta deve ser a definição de uma curva-meta para cada reservatório, a fim de evitar a utilização do volume morto dos reservatórios de Sobradinho e Xingó. Outra proposta, que ainda será discutida com os estados, é a adoção do chamado Dia do Rio, que consistiria na suspensão das captações para irrigação um dia por semana, possivelmente às segundas-feiras.

Inscrições abertas para o Colegiado do Centro de Cultura João Gilberto

As inscrições para composição do Colegiado de Gestão Participativa do Centro de Cultura João Gilberto, espaço cultural administrado pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), localizado em Juazeiro, no Território Sertão do São Francisco, estão abertas desde o dia 12 de maio e seguem até o dia 12 de junho. Os interessados devem se inscrever através do formulário eletrônico, disponibilizado no blog da Diretoria de Espaços Culturais.

Os Colegiados de Gestão Participativa são instâncias de controle social que formalizam a participação da sociedade civil na gestão dos espaços culturais administrados pela SecultBA. De caráter consultivo e opinativo, cumprem mandatos de dois anos, estabelecendo canais diretos de diálogo, debate e proposição de ações, estratégias e diretrizes para o pleno funcionamento dos equipamentos culturais.

Os representantes devem se comprometer em ampliar a participação das comunidades, apoiar a gestão de forma ampla, pensar a dinamização dos espaços e contribuir para torná-los uma referência na produção e difusão cultural do seu território. A normatização dos Colegiados de Gestão Participativa tem como base a Portaria 338/2014, em consonância com a Lei Orgânica da Cultura da Bahia (Lei 12.365/2011), considerando o estímulo e a garantia da participação social na gestão pública estadual de cultura.

Desde 2015 até hoje, são oito espaços culturais administrados pela SecultBA que já possuem Colegiados de Gestão Participativa instituídos. Cada Colegiado tem entre cinco e trinta membros, a depender da quantidade de inscritos no processo seletivo. Após as inscrições, são eleitos os de maior representatividade cultural, conforme julgamento de uma comissão formada pelo secretário de Cultura; pelos superintendentes da Secretaria; pelos dirigentes das unidades vinculadas – Fundação Cultural, Fundação Pedro Calmon, Centro de Culturas Populares e Identitárias e Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural; além dos dirigentes da Associação dos Dirigentes Municipais de Cultura da Bahia e do Conselho Estadual de Cultura.

Sento Sé: Ações educativas do Maio Amarelo são realizadas no Complexo Eólico Campo Largo

A equipe de segurança do trabalho do Complexo Eólico Campo Largo realizou na manhã desta terça-feira (16) uma blitz educativa nos acessos 2 e 3 do empreendimento. A ação faz parte da “Campanha Maio Amarelo”, que tem como objetivo alertar e conscientizar os motoristas, funcionários e visitantes da importância de manter a velocidade máxima permitida de 40 km/h nas vias internas do canteiro de obras.

Durante a atividade, a equipe utilizou um radar para fiscalizar os veículos. Materiais informativos e adesivos com dicas de segurança no trânsito também foram distribuídos.

Em breve a ação será realizada na BA – 369, que liga a área urbana da cidade de Umburanas às localidades rurais do município, Federal, Barriguda da Brasília e Rodoleiro. “Diante do grande número de veículos que transitam nesta via, devido à obra, a ideia é estender essa conscientização aos moradores dessas comunidades para que eles redobrem a atenção e mantenham o limite

de velocidade permitida fim de garantir a segurança de todos”, informou o gerente da obra, Murilo Boselli. A programação do “Maio Amarelo” segue até o final do mês com palestras, adesivagens e blitz com a realização de bafômetro.

O Complexo Eólico Campo Largo está sendo implantado nos municípios de Sento Sé e Umburanas, no estado da Bahia e deve começar a operar comercialmente em janeiro de 2019. 

 

Fonte: G1/Ascom CBHSF/SecultBa/Ascom/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!