09/06/2017

Senhor do Bonfim: Mutirão de Cirurgias inicia agendamentos

 

No primeiro dia de atendimento do Mutirão de Cirurgias em Senhor do Bonfim, no centro norte da Bahia, na quarta-feira (7), 104 pessoas saíram com procedimentos agendados. São cirurgias de hérnias (umbilical, inguinal, epigástrica), histerectomia ou colecistectomia (vesícula). As marcações continuaram na quinta (8) e na sexta (9), quando se encerram os atendimentos pré-operatórios no município.

Além da população de Senhor do Bonfim, a iniciativa do Governo da Bahia, viabilizada pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), contempla os moradores de Andorinha, Antônio Gonçalves, Campo Formoso, Filadélfia, Itiúba, Jaguarari, Pindobaçu e Ponto Novo.

Neste segundo dia, um dos agendamentos foi o de Josineide Vilas Boas. Moradora de Itiúba, ela descobriu que tinha a indicação de cirurgia de vesícula quando realizava exames de rotina. “Fiz um ultrassom e descobri que estou com cálculo na vesícula. Fiquei desesperada. Vi na internet que tinha esse programa. Consegui encaminhar tudo e no dia 12 de julho já vou fazer a cirurgia”, afirma Josineide.

O médico Itálo Menezes explica que, para o agendamento da cirurgia, o paciente passa por alguns exames e por consulta médica. “Verificamos o estado geral do paciente e, com isso, podemos definir se ele tem condições de ser submetido ao procedimento. Caso haja algum problema, damos toda orientação ao paciente de forma a não deixá-lo sem a devida assistência”, comenta o médico

As unidades móveis, com os profissionais e os equipamentos para exames pré-operatórios, ficam em Senhor do Bonfim, na rua do Estádio Bonfim da Gamboa, até sexta (9). Para ser atendido, o paciente já deve ter a indicação médica para a cirurgia e ter feito o cadastro na Secretaria de Saúde do município de residência. Caso não tenha feito o cadastro prévio, mas possua exames laboratoriais que comprovem a necessidade de realizar uma das cirurgias oferecidas, o paciente pode se dirigir ao local das consultas pré-operatórias munido dos documentos exigidos.

Encontro de Mulheres Negras do Sertão do São Francisco

O I Encontro de Mulheres Negras do Sertão do São Francisco é alusivo ao Julho das Pretas, mês destinado para elaboração e implementação de uma agenda comum de intervenções que buscam dar visibilidade para a luta das mulheres negras, em referência ao Dia Internacional da Mulher Afro – Latino – Americana e Afro-Caribenha, comemorado em 25 de julho. As atividades realizadas no Julho das Pretas buscam ampliar parcerias, dar visibilidade à luta, às ações, promoção e valorização do debate e da identidade das mulheres negras brasileiras a nível estadual e municipal.

A construção e validação dessa agenda em Petrolina-PE propõem, além de discutir a programação de atividades e ações de mulheres negras sertanejas, debater amplamente o perfil, as problemáticas e as prioridades dessas mulheres em todo território do Sertão do São Francisco. O objetivo é efetivar ações que incluam as mulheres quilombolas, trabalhadoras rurais e ribeirinhas em nossa cidade, como ponto de reafirmação e resistência das mulheres negras, visibilizando suas vivências, lutas e histórica que no interior, acabam sofrendo um processo de invisibilidade, em decorrência das tentativas de apagamento da memória e conquistas das mulheres negras.

Rede de Mulheres Negras de Pernambuco em Petrolina

A Rede de Mulheres Negras de Pernambuco é fruto da Marcha das Mulheres Negras contra o Racismo, a Violência e pelo Bem Viver, que teve seu evento de culminância realizado em 18 de novembro de 2015, em Brasília-DF, mas que iniciou-se em 2011, em Salvador-BA, durante o Encontro Ibero Americano do Ano dos Afrodescendentes.

A Marcha deu concretude à proposta de articular as mulheres negras brasileiras para dar maior visibilidade a situação de opressão secular em que vivemos, bem como exigir de todos os setores da sociedade brasileira, o respeito e compromisso com a promoção da equidade racial e de gênero, a fim de que possamos exercer plenamente os nossos direitos como cidadãs e construtoras históricas deste país.

No processo de construção da Marcha, o grupo que hoje constitui a Rede de Mulheres Negras de Pernambuco se configurava enquanto Comitê Impulsor em Petrolina, tendo dado início as suas atividades em outubro de 2014, como parte do processo de organização da pós-marcha, formado por 7 comitês abrangendo Recife e Região Metropolitana e o interior do estado, incluísse Petrolina que se fez presente em todo processo de articulação.

A proposta central da Rede é dar andamento à Plataforma estabelecida pela Marcha das Mulheres Negras (expressa em documento que foi entregue à Presidenta Dilma e ao Congresso Nacional), se configurando como referência de militância política para todas as mulheres negras que queiram enfrentar o racismo tendo como base o Feminismo Negro.

I Encontro de Mulheres Negras do Sertão do São Franscisco

No Brasil, a população feminina ultrapassou 103 milhões em 2014. Em Pernambuco, as mulheres negras são cerca de 64% da população feminina, mais de 3 milhões de pessoas. Vivenciamos a face mais perversa do racismo e do sexismo por sermos negras e mulheres. Isso nos coloca em um cenário de desigualdade, onde os indicadores socioeconômicos apontam para as precárias condições em que a grande maioria de nós vivemos.

Assim, este evento tem como objetivo fortalecer o protagonismo da Mulher Negra Sertaneja, oportunizando espaços de formação e articulação com mulheres das cidades que compõem o Sertão do São Francisco, com vista à sua inserção na luta contra a violência, o racismo e o sexismo, colaborando para a ampliação e consolidação da Rede de Mulheres Negras de Pernambuco no interior do Estado.

Como estratégia inicial será realizada visitas para articulação e mobilização num formato de “caravanas de formação”, nos municípios de Afrânio, Cabrobó, Orocó, Dormentes, Lagoa Grande, Santa Maria da Boa Vista e Petrolina.

O Encontro prevê momentos de vivências, articulações e discussões sobre questões relevantes para a organização e estruturação das Mulheres Negras Sertanejas. Ao final do Encontro, serão estabelecidas estratégias de fortalecimento da Rede na Região, com a inserção das mulheres presentes e também será aprovada a “Agenda de Lutas das Mulheres Negras no Sertão”, quilombolas, indígenas, ribeirinhas, do campo, da cidade e das águas.

O I Encontro de Mulheres Negras do Sertão São Francisco acontecerá no dia 20 de julho de 2017, no SEST/SENAT a partir das 8h ás 18h, com apresentações culturais, palestras, oficinas, exposições artísticas, estandes de artesanato e culinária regional que valoriza a diversidade da mulher negra sertaneja sinônimo de coragem e força.

 

Fonte: Ascom Sesab/Ação Popular/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!