04/07/2017

Conheça 11 mitos e verdades sobre a cachaça brasileira

 

A cachaça é normalmente servida em copo de vidro com parede lisa, transparente e incolor. A oleosidade da cachaça pode ser examinada virando e girando o copo de modo a levar o líquido até as suas bordas. Fazendo isso, verifica-se uma película oleosa em torno das paredes internas, que escorre formando ondulações. Quando a cachaça começa a escorrer, lentamente, pela lateral do copo, as gotas lembram “lágrimas”. Essa baixa velocidade é indicação de qualidade. A cor da cachaça é outro aspecto importante a ser notado. As boas cachaças são transparentes e brilhantes. Quando envelhecidas ou descansadas em tonel de madeira podem ser amarelas ou rosadas. Cachaças turvas demonstram defeitos de fabricação principalmente no que diz respeito à mistura de cachaça de cabeça ou cauda com o coração da cachaça. O aroma da cachaça não pode agredir o olfato. Bebidas que exalam cheiro desagradável ou que o odor chega a irritar os olhos podem ser associadas principalmente à falta de higiene em sua fabricação. Cachaças de qualidade apresentam aroma frutado e adocicado. A verdadeira cachaça artesanal deve ser agradável ao paladar. Sua acidez é comprovada nas laterais da língua e o paladar adocicado na ponta da língua. No céu da boca pode-se identificar a presença excessiva de cobre. A cachaça deve ser colocada e mantida na boca por alguns segundos. Não deve apresentar gosto de álcool e, acima de tudo, não deve dar vontade do degustador cuspir, ato muito comum quando se ingere bebidas de má qualidade. Ao ser engolida a cachaça esta deve descer bem, ou “redonda” como dizem os adeptos da bebida, sem “queimar”.

11 mitos e verdades

A cachaça é cheia de curiosidades e mitos no seu entorno. Por ser uma bebida genuinamente nacional, cheia de aromas e sabores, com o tempo apareceu histórias acerca da cachaça, algo que demonstra a importância que ela tem para os brasileiros. Mas será que as “frases típicas” sobre a bebida feita de caldo de cana fermentado e destilado são realmente verdadeiras? Para ajudar, o especialista Rafael Araújo, da Cachaçaria Nacional, desvenda alguns mitos e verdades sobre a bebida com o intuito de melhorar a experiência que cada gole de cachaça proporciona.

  • Confira abaixo os mitos e verdades:

1 - A cachaça boa é só a amarela

Mito

A Cachaça branca, que não possui envelhecimento, é a cachaça pura em sua essência. É a base da amarela. Ideal que seja boa para produzir uma amarela.

2 - Quanto mais envelhecida, melhor é a cachaça

Mito

O tempo de envelhecimento não determina se a cachaça é melhor ou pior. Geralmente com o maior tempo de envelhecimento a Cachaça fica mais complexa em suas notas sensoriais, mas envelhecidas em bons barris podem ter muita complexidade, mas a melhor sempre será a gosto de cada um.

3 - Cachaça artesanal é melhor do que a industrial

Polêmico afirmar

Porém a artesanal tem um cuidado maior em sua produção. O pequeno produtor acompanha todo o processo de destilação para separar a cabeça (primeira porção da destilagem) e a calda (última porção). Estes dois elementos possuem substâncias nocivas à saúde e atrapalham completamente o sabor da Cachaça.  Já a Cachaça industrial de coluna, pelo grande volume produzido, geralmente não consegue extrair perfeitamente e fazer essa separação.

4 - Cachaça deve ser bebida em copos transparentes

Verdade

O ideal é que se faça a degustação em copos transparentes para que se faça a análise visual da cachaça de forma que possamos ver a viscosidade, oleosidade e pureza.

5 – A cachaça de maior valor tem qualidade superior

Mito

Cada produtor tem os seus custos de produção investindo em garrafas personalizadas e na apresentação como um todo. Isso altera o preço final. Mas a forma e o tempo de envelhecimento podem igualar a de marcas mais baratas. Existem excelentes Cachaças com apresentação mais simples que competem com cachaças mais caras. Temos o exemplo de campeãs em concursos mundiais no valor de R$20 a R$35,00.

6 - A cachaça deve ser tomada em pequenos goles

Verdade

Costuma-se dizer em micro goles, pois ela deve ser degustada devagar, rodando em toda a boca para que se possa sentir o seu sabor.

7 - Cachaça dá dor de cabeça

Depende

Cachaças mal produzidas podem dar dor de cabeça. É justamente a que não separa a cabeça e calda deixando apenas o coração da destilação. A cachaça bem produzida não dá dor de cabeça. O segredo é tomar com moderação acompanhada de um copo d’água.

8 - Cachaça abre o apetite

Verdade

A cachaça aumenta apetite pela sua complexidade, pois “abre”as papilas gustativas e prepara para as refeições.

9 - A cachaça muito forte queima a garganta

Verdade

Quanto maior o teor alcoólico mais queima. Mas depende bastante da forma como se degusta. O ideal é que antes de engolir, coloque uma pequena quantidade na língua e rode em toda boca misturando com a saliva e depois engula. O primeiro gole pode sempre ser "mais forte'”, já os próximos vão ser mais agradáveis, apreciando todas as notas sensoriais. Para iniciantes, recomendamos as mais fracas com teor alcoólico de 38% até 40%.

10 - Cachaça tem prazo de validade indeterminado

Verdade

Cachaça possui prazo indeterminado de validade. Guardando em local seco, ao abrigo do sol e muito bem vedado, durará indeterminadamente.

11 – Cachaça e aguardente são iguais

Mito

Pela legislação, cachaças possuem o teor alcoólico de 38% a 48%. Acima deste grau, considera-se a bebida aguardente.

  • Sobre a Cachaçaria Nacional:

A Cachaçaria Nacional é a maior loja de Cachaças Online do Mundo e oferece mais de 1000 rótulos de Cachaças artesanais de alambiques das principais regiões produtoras do Brasil, além de acessórios para degustação, barris/dornas, linha gourmet, dentre outros.

Cinco truques para saber se a cachaça é de boa qualidade

Pureza

O Dia Nacional da Cachaça é celebrado em 13 de setembro. Mas antes de "bebemorar" a data, que tal saber se a “pinga” é de boa qualidade? O cachacier Maurício Maia listou cinco dicas que atestam se o produto é bom. Ao pegar o copo, observe a clareza da cachaça, que deve ser cristalina e sem nenhum resíduo em suspensão, seja ela branca ou envelhecida.

Vestígio

Ao girar o copo, observe se a cachaça deixou um rastro. Se ela escorrer aos poucos, formando “lágrimas”, é um bom sinal.

Olfato

Aproxime o copo do nariz e sinta o cheiro, respirando a bebida. Apesar de ser alcoólica, a cachaça não pode ser agressiva, não pode arder as vias respiratórias e nem nos fazer lacrimejar.

Perfume

O aroma é um outro ponto importante que vai te ajudar a saber se a cachaça é boa. A fragrância da aguardente deve ser agradável, levemente adocicada e frutada.

Paladar

Ao beber um gole, devemos deixar a bebida na boca por alguns segundos, pois a agressividade inicial do álcool passa. Desse modo ela não desce rasgando e queimando quando ingerimos. O que fica é uma agradável sensação de calor e conforto. E mais, a cachaça deve ser saborosa, é claro.

Mitos sobre bebidas alcoólicas que você não deveria acreditar

Algumas vezes para inibir, outras tantas para incentivar o consumo de bebidas alcoólicas, o fato é que muitos mitos foram criados em torno dos fermentados e destilados. Para evitar que você tenha concepções erradas sobre o álcool e não fale bobagem por aí, veja alguns mitos que contamos sobre eles. Pode te ajudar na próxima conversa de bar.

1# CERVEJA DÁ ‘BARRIGA’

Mito:

Desde que você se entende por gente, ouve rumores de que o fermentado de lúpulo e malte é o grande responsável pelo excesso de peso e pelas barrigas volumosas de muitos beberrões. Mas, você já parou para pensar se tudo isso é mesmo verdade? Seria a cerveja a grande responsável pelos quilos a mais?

Realidade:

A famosa saliência abdominal não é causada pela cerveja e sim pelo consumo calórico de substâncias gordurosas. Um copo (250ml) de cerveja standard (encontradas no mercado) contém, em média, 100 calorias. Isso é menos do que um suco de maça (120), leite (134) ou iogurte de frutas (205). “A cerveja tem sido associada como uma bebida com muita caloria e que faz engordar, o que não é verdade. Se você beber muita cerveja você vai criar uma barriga, mas é a mesma barriga de alguém que beba a mesma quantidade de vinho ou whisky”, disse  Kathryn O’Sullivan, a doutora que conduziu a pesquisa publicada na Scientific Review.  Por isso, antes de culpar a cerveja, olhe para a batatinha frita, o bacon ou os hambúrgueres em excesso que você consome. O responsável pode estar aí.

2# NÃO EXISTE CURA PARA A RESSACA

Mito:

Você já tentou beber água antes de dormir, Coca, botou para dentro aquele Engov e nada ajudou para curar a maldita ressaca.  Até mesmo uma publicação do British Medical Journal divulgou, em 2005, um estudo enfatizando que a bendita cura para este mal era balela.

Realidade:

Descobrimos que não é bem assim. Obviamente, se você fizer o uso do consumo moderado, não passará por maus bocados no dia seguinte.  Mas, como todos têm direito a ter pelo menos um pé na jaca durante a vida, saiba que existem remédios para curá-lo. Uma pesquisa britânica apontou que o sanduíche de bacon é um grande aliado. A combinação de pão com a carne do porco é a que melhor combate a ressaca. Para beber? Pesquisadores chineses analisaram a forma como o número de bebidas afetou o corpo metabolizando álcool. Observando 57 bebidas diferentes, incluindo infusões de ervas, chás e bebidas carbonatadas, eles mediram os seus efeitos. Enquanto alguns chás de ervas amenizaram o processo, prolongando assim uma ressaca, uma bebida gaseificada com o nome de Xue Bi acelerou o trabalho da enzima. No resto do mundo essa bebida se chama Sprite (ou soda). Isto significa que este tipo de refrigerante poderia aliviar uma ressaca.

3# UM DRINK ANTES DE IR PARA A CAMA FACILITA O SONO

Mito:

Por mais duro e estressante tenha sido o seu dia, tomar ‘uma’ antes de dormir faz relaxar e melhora a qualidade do sono.

Realidade:

Você pode acordar se sentindo pior do que antes de dormir. Isto porque nas primeiras horas de sono, seu corpo vai ocupar suas energias metabolizando o álcool ingerido. Até aí, você pode ser influenciado a cair no sono profundo (assim como depois de bater aquela feijoada). Mas, quando ele terminar de executar a ‘tarefa’, ele vai informá-lo de que você não fez uma boa escolha. Isso virá em forma de pesadelos, roncos, dores de cabeça, problemas digestivos, suores intensos e, é claro, insônia. Se você sofrer de apneia do sono, então, piorou. Ele pode relaxar os músculos da garganta, impossibilitando-o de respirar.  Quer uma dica para dormir bem: que tal realizar uma atividade física antes de ir para a cama? Até mesmo o sexo é bem-vindo.

4# BEBER CAFÉ VAI TE DEIXAR SÓBRIO

Mito:

Você chega em casa bêbado, sua mãe logo vai para a cozinha e te oferece uma xícara do café, bem forte e sem açúcar, prevendo que ele curará os males da bebedeira.

Realidade:

Enquanto o café é um estimulante, o álcool age como um depressivo. Boa parte das pessoas pensam que a cafeína sairá vencedora desta disputa, mas não é bem assim. O café não tem o poder de te deixar menos bêbado, só vai torná-lo um bêbado mais alerta. Assim como o energético.

5# TOMAR UMA ASPIRINA (OU UMA COLHER DE AZEITE) ANTES DE BEBER PREVINE A RESSACA

Mito:

Durante anos, muitas técnicas para prevenir ressaca foram criadas e evoluídas.

 Alguns dos truques difundidos inclui tomar duas aspirinas ou uma colher de azeite antes de beber.

Realidade:

Aspirina, azeite ou mesmo o Engov agem como paliativos, remediando alguns efeitos e não atingindo diretamente na causa. Alguns ‘truques’ podem até prejudicar mais do que ajudar. Um estudo da American Medical Association descobriu que ingerir aspirina na verdade diminui a taxa de álcool metabolizado pelo seu corpo. Ou seja, não apenas ela aumenta os níveis de álcool no sangue, como também faz seus efeitos durarem mais. Então se você acorda melhor do que o normal porque tomou aspirina na noite anterior, provavelmente é porque você ainda está bêbado. E embora isso até pareça uma solução ideal agora, você vai mudar de ideia quando a ressaca atingir você no meio de uma manhã de trabalho.

Não existe milagre para acabar com a ressaca. Hidratar-se bem antes, durante ou depois é o caminho. Intercale bons copos d’água entre uma cervejinha e outra. Não vai impedir que a ressaca apareça, mas você conseguirá lidar melhor com ela.

6# BEBER MANTÉM VOCÊ MAIS AQUECIDO

Mito:

Você toma umas e outras, logo acha que a bebida é uma espécie de espinafre do Popeye, fica mais inteligente, forte, além das pessoas em volta ficarem mais bonitas. É somente o álcool enganando seu corpo. Com o fato de se sentir mais aquecido, funciona da mesma forma.

Realidade:

Sua percepção é enganada pelo álcool. Você até se sente mais quente, com algumas pessoas ficando até com o rosto vermelho quando bebem. Mas isto acontece porque o álcool ocasiona a dilatação dos vasos sanguíneos. Isso leva mais sangue para perto da superfície da sua pele, dando a falsa impressão de você sentir-se mais quente.  A consequência é que, com o sangue mais próximo da superfície, mais longe do centro do corpo ele fica, fazendo você perder calor. Que tal usar uma roupa de frio ao invés de delegar a função ao álcool?

7# DEIXA DORMIR QUE MELHORA

Mito:

Você está sem saco para carregar aquele seu(sua) amigo(a) que está bêbado(a).

Logo, imagina que a melhor solução para que a cachaça saia do organismo dela é um bom e demorado cochilo. Será mesmo?

Realidade:

Colocar o amigo(a) para dormir depois de ter tomado todas pode ser uma ideia bem prática… mas se você quiser matá-lo(a) afogado(a) com o próprio vômito.  Isto acontece porque depois de desmaiar pelo consumo alcoólico não é a mesma coisa que cair no sono. Quem desmaia por uma intoxicação alcoólica dificilmente vai acordar com a necessidade de vomitar. Se ele(a) estiver deitada de costas, o vômito pode parar nos pulmões. A dica é, se for inevitável o sono, faça com que o ‘pudim de pinga’ deite de lado. Não esqueça de ficar de olho em sua respiração. Se algo de anormal ocorrer, peça ajuda.

 

 

Fonte: Notícia Expressa/O Globo/Cracked/Superinteressante/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!