06/07/2017

Mucugê: Feira Literária leva oficinas à população da região

 

Participantes aprimorando suas habilidades de escrita, descobrindo e compartilhando novas técnicas ou aperfeiçoando o nível de conhecimento para adequar as suas necessidades e praticá-las com mais criatividade e liberdade é o que será oferecido na oficina de Escrita Criativa durante a Feira Literária de Mucugê.

Ministrada pela empreendedora criativa, designer e jornalista Eva Mota, o curso será realizado nos dias 11 e 12 de agosto no Colégio Horácio Matos, em Mucugê, Chapada Diamantina. Além da oficina de Escrita Criativa, haverá ainda, oficinas de musicalização, animação, teatro, brinquedos lúdicos e contação de histórias para professores. Elomar Figueira de Mello, Jean Wyllys e Ingra Lyberato também participam do evento.

Diversos espaços da cidade de Mucugê e da Vila de Igatu serão ocupados com palestras, encontros, oficinas, mesas-redondas, lançamentos de livros e outras atividades com autores dos mais variados horizontes literários e da nova geração que se dedicam à criação literária em diferentes linguagens.

A segunda edição da Fligê é realizada com o apoio do Ministério da Cultura (MinC), da Secretaria de Cultura do Governo do Estado da Bahia (Secult), Secretaria da Fazenda (Sefaz), em parceria com a Prefeitura de Mucugê e o Instituto Incluso, com acesso gratuito para todo o público, entre os dias 10 e 13 de agosto de 2017.

Brigadistas realizam audiência pública em Mucugê para debater projeto

Nesta sexta-feira (7), às 9h, acontecerá uma audiência pública no auditório da Secretaria de Educação de Mucugê, na Chapada Diamantina, para discussão do projeto ‘Guardião Ambiental Integrado’, de autoria do brigadista e ex-sargento do Exército Clóvis Nunes. O projeto trata de buscar soluções para problemas ambientais da região, dentre eles as queimadas, onde a atuação dos brigadistas tem um foco principal.

“Nenhum projeto valorizou, até onde eu sei, o brigadista, que muitas vezes combatem incêndios depois das 17h, permanece noites e madrugadas em campo, porque, infelizmente não temos apoio nesses combates a incêndio”, afirmou Nunes.

O projeto foi indicado para o governo estadual e sua criação se destinou ao auxílio à PEC504/2010, que coloca caatinga e cerrado com a mesma importância de cuidados dos outros biomas do Brasil. “Pensei também na criação do Corpo de Bombeiros Voluntários da Bahia, brigada K9, uma forma de cuidar do meio ambiente”, disse Clóvis. Trabalhando de forma compartilhada com os bombeiros militares.

Piatã registra mínimas de até 7°C e frio aumenta nas regiões serranas da Chapada Diamantina

O frio chegou na Bahia. Além de chuvas no litoral, o tempo deve permanecer com temperaturas baixas na região da Chapada Diamantina. Áreas de instabilidade associadas à circulação de ventos em baixos e médios níveis da atmosfera estão se formando e provocando chuvas sobre a costa do Nordeste ao longo dos últimos dias. No decorrer desta semana ainda há previsão de muita chuva para o litoral. Áreas do agreste também deverão receber pancadas de chuva nos próximos dias. Nas áreas serranas da Chapada Diamantina o frio deve apertar.

Várias cidades da região registraram baixas temperaturas no início da semana, como foi o caso de Piatã, que teve termômetros marcando 7°C na noite da última segunda-feira (3) e madrugada desta terça (4). Lá a previsão de temperatura máxima é de 14°C e mínimas 10°C, com sensação térmica de 7°C, e tem 40% de chance de chuva. As redes sociais foram tomadas por depoimentos de moradores comentando do frio que está fazendo na Chapada. “Adoro o clima desse período e a região parece que fica mais bonita”, aponta uma internauta.

Moradores de Andaraí também sentiram a mudança climática. O brigadista Homero Vieira dos Santos disse ao Jornal da Chapada que teve muito vento na cidade, mas sem chuvas. “Nunca fez um frio desse aqui. Conversando com os moradores mais antigos fiquei sabendo que aqui chega apenas a 19°C e ontem [segunda] foi um dia atípico”, afirmou. Outros municípios da região que terão temperaturas mínimas de até 10°C são Ibicoara e Mucugê, em ambos o tempo fica nublado, com possibilidade de garoa, mas neste último estão previstos os ventos mais fortes da região, chegando a 26km/h.

Sudoeste

Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, tem registrado temperaturas médias mais baixas dos últimos 45 anos, segundo informações de Rosalvi Lucas Marcelino, geógrafo e professor do Departamento de Geografia da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. De acordo com ele, as mínimas apontam 7°C e as máximas chegam a 26°C, o que não é normal para o mês de julho. A temperatura média na cidade fica em 14°C.

Governo cadastra Usuários de Água nas bacias dos rios Verde e Jacaré

O Cadastro de Usuários de Água, realizado pela Secretaria do Meio Ambiente (SEMA) e o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), chega a mais 16 municípios, das Bacias Hidrográficas dos Rios Verde e Jacaré, no mês de julho. As comunidades estão sendo visitadas para realização de reuniões de mobilização e cadastramento de usuários de recursos hídricos que fazem captação, lançamento, barramento e outras interferências em cursos d´água ou água subterrânea.

O cadastro também continua sendo realizado nas Regiões de Planejamento e Gestão das Águas (RPGAs) do Rio Paraguaçu e do Recôncavo Norte e Inhambupe, com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), por meio do Programa de Desenvolvimento Ambiental (PDA – Bahia).

Nas Bacias Hidrográficas dos Rios Verde e Jacaré serão contemplados usuários dos municípios de América Dourada, Barro Alto, Cafarnaum, Canarana, Central, Ibipeba, Ibititá, Irecê, Itaguaçu da Bahia, João Dourado, Jussara, Lapão, Presidente Dutra, São Gabriel, Souto Soares e Uibaí. A atividade, nessa região, é realizada por meio de contrato firmado entre o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) e a empresa Ambientagro, com recursos do Swap Bahia, Banco Mundial.

Com o cadastro, será possível obter informações sobre os usos e os usuários de recursos hídricos, identificando as atividades predominantes, quem são e onde se concentram. Conhecer os diversos usos dos recursos hídricos do estado vai possibilitar a melhoria do planejamento e gestão das águas, das práticas de captação e consumo, e dos níveis e qualidade dos efluentes lançados nos mananciais, entre outras interferências.

Cadastro

Os documentos necessários para o preenchimento do formulário são cópia da carteira de Identidade, CPF com cópia autenticada para proprietários, CNPJ para empresas, além do endereço e finalidade do uso e vazão utilizada. No caso de captação de água por poço, será necessário uma cópia do perfil do poço ou teste de bombeamento.

O procedimento é gratuito para o público e está sendo realizado pelos técnicos da empresa Ambientagro Engenharia Ltda, em visita aos empreendimentos (indústrias, fazendas etc) e nas residências e propriedades que utilizam água de poços ou de cursos d´água.

Estão dispensados do cadastramento aqueles que são abastecidas por concessionárias (Embasa, Centrais de Abastecimento, Prefeituras Municipais) ou que utilizam água armazenada da chuva.

Mobilização

Para que os beneficiários possam fazer o correto preenchimento do formulário do Cadastro de Usuário de Água, a Sema e o Inema estão utilizando como estratégia as reuniões de mobilização. Durante os encontros, os técnicos explicam para a comunidade sobre o cadastramento e os benefícios que ele pode trazer para a população.

As mobilizações nos municípios que compõem as Bacias Hidrográficas dos Rios Verde e Jacaré foram iniciadas na terça-feira (4). As atividades seguem até o dia 28 de julho.

 

Fonte: Ascom Fligê/Jornal da Chapada/Ascom Sema/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!