07/07/2017

Bahia: Saúde sem Fronteiras realizou mais de 30 mil mamografias

 

Entre abril e junho deste ano, 30.430 mil mulheres, na faixa etária de 50 a 69 anos, de 39 municípios da Bahia, realizaram exames de mamografia. Isto só foi possível com o programa itinerante Saúde sem Fronteiras Rastreamento do Câncer de Mama, da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab). A iniciativa, retomada em 2015, já realizou, até hoje, 191.872 mamografias, atendendo mulheres de 155 municípios.

De acordo com o secretário estadual da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, esses números são excelentes e mostram que o programa está sendo efetivo e as mulheres estão buscando se cuidar mais. “O câncer de mama, quando detectado e tratado precocemente, tem mais de 90% de chance de cura, por isso a importância da realização da mamografia”, alerta Vilas-Boas.

O atendimento no Saúde sem Fronteiras é feito por meio de unidades móveis e o seu diferencial é o acompanhamento das mulheres com mamografias inconclusivas, com a oferta de exames complementares para o diagnóstico e o encaminhamento ao tratamento, visando à integralidade do atendimento.

O câncer de mama é uma doença que preocupa as autoridades de saúde no mundo inteiro. “Através do Saúde sem Fronteiras, o Governo do Estado vem buscando, em todas as regiões da Bahia, mulheres que não tiveram a oportunidade de realizar um exame de mamografia e que, às vezes, nem tem noção da importância do diagnóstico precoce dessa doença que, se não for tratada a tempo, pode levar à morte”, esclarece Jucélia Nascimento, diretora de Programas Estratégicos (Dipro), da Secretaria da Saúde do Estado, responsável pelo programa.

Para as mulheres com diagnóstico positivo, o tratamento cirúrgico, quimioterápico ou radioterápico será realizado em unidades de alta complexidade em oncologia na região de residência das pacientes. Este programa é uma ferramenta de acesso da mulher às ações de prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer de mama.

Para a diretora da Dipro, além de diagnosticar o câncer de mama, o programa oferece todo o tratamento, até levantar a autoestima das mulheres que, infelizmente, tiveram que retirar a mama. “Oferecemos, através do Hospital da Mulher, a cirurgia de reconstrução da mama, permitindo que a mulher possa voltar feliz para a sua vida”, disse Jucélia Nascimento.

Câncer de Mama

Segundo tipo mais frequente no mundo, o câncer de mama é o mais comum entre as mulheres, respondendo por 22% dos casos novos a cada ano. Se diagnosticado precocemente e tratado oportunamente, as chances de cura chegam a 95%. De acordo com o Instituto nacional do Câncer (INCA), a estimativa de novos casos na Bahia, para este ano, é de 2.760.

Dados computados pela Sesab apontam que em 2016 morreram 814 mulheres vítimas do câncer de mama. Em 2015, este número chegou a 865. Em 2017, dados preliminares, até 28 de junho, apontam que 338 mulheres morreram vitimadas pela doença.

HGRS fecha primeiro semestre de 2017 com mais leitos, novos serviços e contratações

Inaugurações, reformas, abertura de serviços, desbloqueio de leitos e novas contratações fazem parte do balanço do primeiro semestre de 2017 do Hospital Geral Roberto Santos (HGRS), em Salvador. Os avanços aconteceram sem impactar no orçamento, por meio de um trabalho de qualificação do gasto realizado em conjunto com a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab).

As obras entregues neste ano tiveram início em 2016. Quando a atual diretoria do HGRS tomou posse, no último mês de dezembro, se encarregou de dar continuidade ao trabalho da administração anterior e cuidou de pensar em outras reformas importantes.

De lá para cá, o maior hospital do Norte e Nordeste ganhou uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neurológica, que é a primeira especializada deste tipo na rede pública da Bahia. São dez leitos, com atenção exclusiva para o pré e pós-cirúrgico, bem como para casos de hemorragia cerebral, por hipertensão ou por aneurisma, e de pacientes em coma.

Já o Centro de Diagnóstico por Imagem, que passou por total readequação, inclui hoje primeiro tomógrafo do Nordeste com 256 canais e uma nova ressonância de alta tecnologia. A partir de agora, também é possível realizar o exame de ressonância com sedação, o que permite o atendimento de bebês, por exemplo. O nível de detalhamento dos procedimentos é maior e o tempo para retirada do laudo é menor.

Também passaram por reforma a UTI Geral e a Hemodinâmica. De acordo com o diretor-geral do HGRS, José Admirço Lima Filho, graças às readequações e à política preventiva de redução de infecção hospitalar, a instituição funciona, atualmente, com todos os leitos disponíveis. “Aproveitamos o período natalino, quando temos baixo volume de procedimentos e internações, para trocar todos os colchões das enfermarias. Isso, aliado às reformas iniciadas na mesma época, permitiu que ganhássemos muitos leitos. Conseguimos abrir mais cinco de UTI Cirúrgica, por exemplo”, lembra.

Para realizar tantas obras ao mesmo tempo, explica o gestor, foi preciso coragem. “Já assumi a direção pensando nas possíveis reformas. Como fazia parte do quadro de médicos do hospital há dez anos, eu tinha noção das maiores necessidades da instituição. Então, chegamos mexendo logo na UTI Geral, que teve sua iluminação e pintura melhoradas. A Hemodinâmica foi otimizada e ganhou nova sala para procedimentos e oito novos leitos de retaguarda. Recebemos, ainda, aparelho de raio-x com mesa telecomandada”.

Novos serviços

O Hospital Geral Roberto Santos acolheu, também neste semestre, a Central Estadual de Transplante de Órgãos da Bahia. No Ambulatório, quatro novas especialidades somaram-se às mais de cem que existiam. “Conseguimos contratar 120 profissionais, entre médicos, enfermeiros, fonoaudiólogos, psicólogos e fisioterapeutas. O serviço de fisioterapia, por sinal, ganhou uma sala de atendimento intra-hospitalar e passou a contar com equipe específica para atuar na Emergência Pediátrica”, enumera José Admirço, acrescentando que “tudo isso foi feito sem onerar o orçamento. Ao contrário, registramos uma economia de R$ 350 mil com uso consciente de antibióticos”.

Outra ação importante, na avaliação do diretor-geral, foi a implantação do culto ecumênico no HGRS. “Já existia a procura por parte de diversos agentes religiosos da nossa comunidade, o que fizemos foi organizar. Em cumprimento à Portaria nº 880/2014, que assegura a assistência religiosa em hospitais, iniciaremos em agosto o curso de visitação hospitalar. Acredito na combinação entre ciência e espiritualidade para a recuperação do paciente internado”, pontua.

Meta da gestão

Ao tomar posse como diretor-geral do HGRS, José Admirço Lima Filho anunciou como uma de suas metas a informatização do hospital. No foco principal do planejamento, estava o prontuário eletrônico, que ele calculou estar totalmente instalado em cerca de dois anos. Sobre isso, o diretor-geral também tem novidades: “a parceria com o Incor [Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo] foi assinada nesta semana. Até o fim do mês de julho, o GT [Grupo de Trabalho], com o apoio da Prodeb [Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia], dará início ao processo no Roberto Santos”.

HGE promove a 1ª Jornada Interdisciplinar de Queimaduras

Atualizar profissionais e estudantes da área da saúde sobre o cuidado com as queimaduras é o objetivo principal da realização, no dia 19 deste mês, das 7h30 às 17h, no auditório do Hospital Geral do Estado (HGE), da 1ª Jornada Interdisciplinar de Queimaduras do HGE. Na oportunidade, a equipe do Centro de Tratamento de Queimados (CTQ) do Hospital Geral do Estado vai apresentar o trabalho que vem sendo desenvolvido pelos profissionais no atendimento aos pacientes vítimas de queimaduras.

O encontro será aberto às 8h, pelo diretor geral do HGE, André Luciano Andrade, e terá, em seguida, a palestra "Desafios e resultados iniciais de um novo CTQ", com o chefe do CTQ, Marcus Vinicius Barroso. Na programação constam mesas redondas para discussão dos seguintes temas: Trabalhos científicos; O paciente queimado grave e os desafios no manejo clínico; Contextualização do trabalho do enfermeiro no CTQ e Tratamento de queimaduras.

Entre os assuntos para debate estão: Versatilidade do Groin Flap no tratamento de queimaduras elétricas em mãos e o Perfil de cirurgias realizadas no CTQ do HGE, com o médico Paulo Plessin Filho; Avaliação do perfil epidemiológico e taxa de mortalidade dos pacientes internados na unidade de alta complexidade do HGE, com o médico Haroldo Sampaio; Complexidade Assistencial de um CTQ: uma análise da escala Fugulin e Prevenção de LP em pacientes queimados: da UTI à Unidade de internação, com as enfermeiras Laís Nascimento e Ednalva Heliodoro, respectivamente; O uso das células tronco no tratamento de lesões cutâneas, com o médico Valber Menezes.

De acordo com o médico Adson Figueiredo, um dos idealizadores da Jornada, esta será a primeira, mas outras jornadas virão porque, segundo ele, é muito importante atualizar sempre os profissionais e transmitir novos conhecimentos. "Neste encontro, vamos também apresentar o nosso CTQ do HGE, que em outubro estará completando um ano de funcionamento. Estamos conseguindo atingir os nossos objetivos que é, em primeiro lugar oferecer o melhor tratamento possível e humanizado aos pacientes vítimas de queimaduras de diversos tipos", explica o cirurgião.

A 1ª Jornada Interdisciplinar de Queimaduras do HGE tem como público alvo os profissionais e estudantes da área de saúde. São 120 vagas e para a pré-inscrição, os interessados devem enviar um e-mail para: jornadaqueimaduras@gmail.com

 

 

 Fonte: Ascom Sesab/Ascom HGRS/Ascom HGE/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!