07/07/2017

Paulo Afonso: Governo federal pretende privatizar a Chesf

 

O governo federal está analisando a possibilidade de privatizar a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf). Os dados de como ocorreria esse processo está numa consulta pública de reestruturação do setor elétrico que o Ministério de Minas e Energia (MME) publicou no seu site nesta quarta-feira.

A intenção da União  é fazer novas concessões com um prazo de 30 anos, privatizando as geradoras que tiveram as suas concessões prorrogadas pela Lei Federal 12.783 de janeiro de 2013, como é o caso da estatal nordestina.

Ainda na proposta, “a privatização de empresas com geradoras na Bacia do São Francisco” teria um componente adicional que seria parte dos recursos da obtidos com a concessão seriam revertidos na recuperação do Rio São Francisco a longo prazo.

As principais hidrelétricas da Chesf estão no Rio São Francisco.

SURPRESA

“Foi uma surpresa. Não estávamos esperando a venda da Chesf. Vamos fazer uma resistência contra o desmonte da empresa. Tomamos conhecimento disso pela imprensa”, diz o diretor do Sindicato dos Urbanitários de Pernambuco e secretário de energia da Federação dos Urbanitários do Nordeste, Fernando Neves.

Ele participou nesta quinta, 6, de uma reunião no Rio de Janeiro com diretores e representantes dos trabalhadores de todo o sistema Eletrobras. A Eletrobras pertence ao governo federal e é a dona da Chesf, Eletronorte, Eletrosul e Furnas.

A proposta do governo federal foi anunciada um dia depois da imprensa noticiar que a Chesf colocaria a venda 13 ativos, incluindo principalmente parques eólicos e linhas de transmissão já concluídas.

Segundo informações da Chesf, a empresa teria que arrecadar cerca de R$ 2 bilhões para empregar esses recursos em cerca de 100 obras que estão paralisadas por falta de recursos.

Sento Sé: Secretário alerta garimpeiros sobre interdição da mina

A interdição no garimpo do município de Sento Sé pelo Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) deixou milhares de pessoas preocupadas, inclusive a administração municipal e comerciantes que estão vendo a redenção da economia local. Para o secretário municipal de Administração, Juvenilson Passos não foi surpresa a decisão do órgão ambiental.

“De maneira alguma, isso porque desde o inicio sabíamos que o garimpo está funcionando de certa forma ilegal. Então o DNPM decidiu encontrar uma maneira para que o local seja registrado, que funcione legalmente, e para isso depende da crianção de uma cooperativa pelos próprios garimpeiros para que assumam com as despesas mensal com técnicos, geólogos, engenheiro de mina, dentre outros. Esses técnicos irão orientar todos eles para que trabalhe com segurança evitando acidentes”.

Despesas

Com a descoberta do garimpo, mais de dez mil pessoas de vários lugares do país chegaram ao município. Isso provocou, de certa forma, melhoria na economia local. “Está sendo uma coisa positiva para nosso município e região devido ao aquecimento da economia  com geração de empregos e o aumento rápido da população. Mas por sua vez, não houve ainda melhoria na receita do município, pelo contrário, está tendo despesas, inclusive nas áreas de saúde, infraestrutura. Ainda assim, quase 200 alunos retornaram a estudar no município, mas isso só é contabilizado um ano depois quando for registrado pelo FUNDEB”, lamentou.

Responsabilidade

Mesmo com uma associação funcionando, realizando reuniões nos finais de semana com os garimpeiros, ninguém ainda quis assumir a responsabilidade pela criação da cooperativa, o que pode provocar uma ação rápida da justiça para que o local seja fechado por definitivo.”O DNPM esteve no local e avisou que deveria registrar o garimpo, criar uma cooperativa, caso contrário vai acabar fechando”, alertou Juvenilson.

Perigo

Há poucos dias aconteceu um acidente de pouca proporções, mas isso foi apenas o primeiro alerta para que possa evitar algo mais grave.

“A cada dia aumenta a profundidade de forma desordenada devido escavação, então com isso o DNPM decidiu decretar interdição”. Mesmo com esta decisão do órgão ambiental, os garimpeiros continuam trabalhando. “Agora cada um é responsável de si próprio pelo que possa acontecer, inclusive o encarregado pela área de corte”, alertou.

Caso os próprios garimpeiros não queiram assumir com as responsabilidades, a justiça pode intervir através da força policial. “Caso aconteça um acidente grave o primeiro a se manifestar será o Ministério Público. São mais de 200 hectares que estão disponíveis”.

Condições

Muitas pessoas já encontraram o minério (ametista), e com isso tem condições de arcar com as despesas mensal com a cooperativa pagando uma taxa. No entanto, é necessários que os próprios garimpeiros tomarem uma decisão com urgência. “Existe condições, o valor que entra hoje é grande”, informou o Secretário.

Por sua vez, a prefeitura municipal está ajudando através de técnicos, cadastrando pessoas para a formação da cooperativa, restando apenas os próprios garimpeiros assumirem a responsabilidade. Mas o órgão ambiental vendo a gravidade da situação decidiu interditar. “Com essa decisão do DNPM vai forçar a decisão para que o local seja regularizado. É o que esperamos que ocorra logo”, informou. Uma reunião está agendada para o próximo dia 10 deve definir a situação do local.

Segurança

“O Governo do Estado tem ajudado com bons olhos, isso porque está gerando renda e emprego para o município. Nos ajudou com o aumento do efetivo policial”.

Outra possível descoberta

Segundo informações chegadas ao AP, existe a possibilidade de que mais uma jazida foi encontrada, desta vez na sede do município, próximo ao Colégio 7 de Setembro, em uma pequena serra onde era retirado cascalho para aterros.

Cabrobó: Vereador diz que deixou secretaria ‘para não ser preso’

Ex- secretário de Assistência Social e Integrante do PMDB de Cabrobó (sertão do São Francisco), mesmo partido do prefeito Marcílio Cavalcante, o vereador Marcos de Neuma deixou o cargo e saiu soltando o verbo contra o gestor e a gestão municipal.

Marcos de Neuma fez um duro pronunciamento na tribuna do legislativo cabroboense e disse que deixou o governo de Marcílio para não sair de lá preso.

“Sai da secretaria para não ser preso. Trouxe 800 pessoas comigo. E não assinei uma nota. Levei para o Ministério Público que é quem vai atestar. Prefeito, o senhor é um corrupto. Sou eu que está dizendo e vou provar. Jamais compactuaria com a sua forma de governar. Agora o senhor vai se explicar com o Ministério Público”, disparou Marcos de Neuma.

O vereador frisou que nunca tinha vivido uma situação em Cabrobó como essa que a cidade vem passando. O governo, segundo enfatiza, é de perseguição, desmandos e descaso com o município.

“Nas gestões passadas, a de Auricélio, por exemplo a quem sempre critiquei, isso nunca existiu. Não se perseguia ninguém, o povo da zona rural não bebia água suja como está acontecendo agora, as estradas para o interior do município agora estão intransitáveis, não se faz nada bem e não se trabalha, seja na infraestrutura, educação, saúde”, listou.

Marcos confessa que está com pena do vice-prefeito, Pedro Caldas (PT), alegando que Marcílio usa o vice para manchar a imagem do pai, o ex-prefeito Eudes Caldas.

O atual prefeito está lá perseguindo, destratando queimando o vice-prefeito, botando ele para perseguir os profissionais que tanto trabalharam por nosso município e manchando o nome do ex-prefeito Eudes Caldas”, relatou o peemedebista.

Marcos de Neuma enfatiza que jamais seria conivente com irregularidades, muito menos com a secretaria em que estava comandando. “Resolvi sai. Esse prefeito jacaré, vai virar lagartixa, calango, de tanto que iremos trabalhar para evitar que ela faça ainda pior em nossa cidade”, acrescentou Marcos.

O vereador já apresentou nesse retorno à Câmara um requerimento que foi aprovado em plenário, convocando o MPPE para acompanhar o processo seletivo que a Prefeitura realizará. “Deve ficar atento e vamos estaremos junto, fiscalizando”, destacou Marcos de Neuma.

O parlamentar aproveitou para convocar os colegas para defender o município. “Vamos nos organizar, porque o povo de Cabrobó está carente. Vamos fazer essa devesa, juntos. Tenho convicção que a população de Cabrobó terá seus direitos zelados. Estava com saudade dessa tribuna”, disse.

O vereador já articula a formação de um grupo independente na Câmara Municipal para defender projetos voltados ao povo cabroboense.

“Votei favorável ao piso do professor que não foi obedecido e a categoria só teve 2% de reajuste, uma vergonha. Agora temos tramitando aqui na Casa o projeto dos quinquênios que irão passar. Essa Casa é de lei e prefeito nenhum governará por decreto”, finalizou Marcos de Neuma.

 

Fonte: Ação Popular/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!