14/07/2017

Na Bahia políticos ameaçam debandar para 2018

 

Com vistas nas eleições de 2018, o deputado federal Ronaldo Carletto (PP-BA) está se movimentando para alçar voos maiores em Brasília. A partir de 2019, ele quer passar a frequentar outra Casa no Congresso Nacional: o Senado.

E, para conseguir o objetivo de ser um dos dois representantes que a Bahia vai eleger como senadores, Carletto já começou a articular sua saída do PP, comandado no estado pelo vice-governador e secretário de Planejamento, João Leão.

De acordo com informações obtidas pelo Bahia Notícias, o novo ninho político do deputado pode ser o PSD, liderado no estado pelo senador Otto Alencar, ou o PR, presidido aqui pelo deputado federal José Carlos Araújo.

Um nome importante do PSD confirmou à reportagem que Carletto iniciou tratativas com Otto para concretizar a mudança partidária, mas as negociações não devem vingar porque o parlamentar baiano não abre mão de concorrer ao Senado.

“Seria desconfortável o partido ter outras pessoas na fila, que estão há mais tempo no partido, e alguém vir para, de repente, assumir a vaga”, afirmou a fonte.

Com o aparente esfriamento das conversas com o social-democrata, Carletto buscou o PR.

Segundo fontes ligadas à sigla, a conversa na qual o ainda progressista demonstrou interesse na troca de partido aconteceu há cerca de 20 dias.

Nela, o deputado manifestou interesse em ser candidato do PR ao Senado em 2018, caso a agremiação lance um nome.

Apesar de ter se comprometido a conversar com o PP sobre uma eventual saída, Carletto não deu nenhum retorno ao PR.

O Bahia Notícias tentou contato com o paralmentar baiano para falar sobre o assunto, mas não obteve êxito.

Roberto Britto também analisa disputar 2018 em outro partido

O deputado federal Roberto Britto (PP-BA) não descarta disputar as eleições do ano que vem por outro partido.

De acordo com informações obtidas pelo Bahia Notícias, o parlamentar baiano iniciou conversas com o PSD e o PR, ensaiando o que pode se converter futuramente em uma troca partidária.

Em entrevista ao BN, Britto admitiu que conversou com outras siglas, apesar de não ter confirmado com quais delas.

Ele disse, entretanto, que não fez “tratativas específicas” para sair do PP. “Nós precisamos sempre estar atento às movimentações da política de maneira geral, como é que tudo está andando. Alguns partidos já me procuraram, já conversei e, até hoje, continuo”, afirmou.

O parlamentar baiano não confirmou a saída do partido comandado no estado pelo vice-governador João Leão, mas afirmou que vai continuar monitorando as movimentações no cenário político-eleitoral.

“Não há nada descartado para o futuro. Vou acompanhar tudo sem as coisas estarem definidas”, declarou o deputado, que pretende voltar no ano que vem para Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA).

“No momento, meu projeto é ver se consigo efetivamente ser eleito deputado estadual. Eu quero ficar mais próximo da minha base”, explicou.

Oito deputados federais devem migrar para o DEM

Como já era especulado pela imprensa nacional, o partido Democratas deve fundir com outra sigla e ampliar o número de filiados.

Na manhã desta quinta-feira (13) durante a inauguração de um posto de saúde no Nordeste de Amaralina, em Salvador, o próprio prefeito ACM Neto, principal nome do partido na Bahia, confirmou que há “conversas preliminares”, sobre a ampliação do partido.

Porém, informações apuradas pelo BNews dão conta que as conversas já estão adiantadas e, a priori, cerca de sete a oito deputados federais devem migrar para o Democratas.

Neto esteve esta semana em Brasília, e o assunto foi uma das pautas.

Publicamente, o prefeito explicou que “não se trata de um novo partido, mas sim ampliar o quadro da sigla”. “Não é exatamente um novo partido. Nós estamos conversando com deputados e senadores e lideranças de diversos estados a possibilidade de ampliar os quadros do Democratas, qual a formatação que isso vai ter, se isso vai significar um reposicionamento programático. Tudo isso dependerá do tamanho que o movimento pode adquirir.  Ainda são conversas muito preliminares, não dá para especular muito”.

 O chefe do Executivo municipal também destacou o crescimento do DEM na Bahia e Brasil, o que pode ser fortalecido ainda mais, caso o presidente da República Michel Temer (PMDB) seja afastado e Rodrigo Maia (DEM), atual presidente da Câmara dos Deputados, assuma o cargo máximo do país. “Mas é claro que não podemos deixar de registrar que esse é um momento muito bom para nosso partido. Depois de muitos anos perdendo espaço, o DEM voltou a ganhar força no Brasil. Sinaliza um futuro bastante competitivo e vitórias eleitorais”, pontuou.

DataPoder360: 75% rejeitam deputados que votarem por rejeição de denúncia contra Temer

Os deputados que votarem contra a denúncia apresentada pela Procuradoria Geral da República (PGR) contra o presidente Michel Temer serão rejeitados por 75% dos eleitores, segundo pesquisa do instituto DataPoder360.

Somente 8% dos entrevistados afirmam que elegeriam nas próximas eleições um deputado que venha a ser contrário à admissibilidade da denúncia.

De acordo com a consulta, 80% dos entrevistados avaliam que Temer é culpado das acusações de corrupção e  6% responderam que ele é inocente.

Considerando o grau de instrução dos entrevistados, a maior parte dos que estão convencidos da culpa do presidente é composta por pessoas com nível superior (87%).

A pesquisa foi realizada nos dias 9 e 10 de julho, entrevistando 2.178 pessoas com idade maior ou igual a 16 anos em 203 municípios. A margem de erro do levantamento é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Cacá Leão confirma que votará pelo arquivamento da denúncia contra Temer

O deputado federal Cacá Leão (PP) confirmou ao BNews nesta quinta-feira (13) que seguirá a orientação do partido e votará contra o andamento da denúncia do presidente Michel Temer, que está sendo votada na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados.

“O partido fechou questão para que seus parlamentares votem contra o recebimento da denúncia, e eu vou acompanhar o posicionamento do meu partido. Acho também que neste momento o que está em jogo é um jogo de torcida onde se discute o que é político e jurídico então acho que essa Casa precisa ter razoalidade, o entendimento”, disse. 

Ele justificou que a denúncia da Procuradoria Geral da República (PGR) é frágil. “Acho que essa primeira denúncia apresentada pela PGR ainda é frágil, pode ser que o que venha por ai mude esse pensamento. Mude inclusive o encaminhamento do meu partido. Nesse momento a tendência é que o partido vote fechado contra o recebimento da denúncia em plenário”, enfatizou.

 

Fonte: BN/BNews/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!