14/07/2017

Chapada: Brigadista revela “descaso do governo com meio ambiente”

 

Os incêndios florestais na Chapada Diamantina abalam o turismo que, por sua vez, atinge a economia e a geração de emprego na região, mas também é uma preocupação constante dos brigadistas voluntários e dos bombeiros civis e militares – que arriscam suas vidas para combater o fogo, muito as vezes, de forma gratuita. Essa premissa, defendida pelo presidente dos Combatentes de Incêndios Florestais em Andaraí (Cifa), Homero Vieira, que procurou o Jornal da Chapada para, mais uma vez, questionar os investimentos do governo estadual direcionados para contratação de aeronaves no combate e prevenção ao fogo. Sempre crítico e defensor que a Defesa Civil assuma o comando no enfrentamento aos incêndios, o Velho Urso, como é conhecido na Chapada, diz que já passou do tempo de se ter uma atuação mais ampla e com plano e base de relação e ações imediatas para que as chamas não se alastrem.

“Somos quem faz o primeiro combate e se não temos equipamentos apropriados, o sinistro se espalha rapidamente e os danos são enormes para a fauna e flora da Chapada Diamantina, tanto dentro como fora do Parque Nacional. Neste caso, o Corpo de Bombeiros está para os incêndios florestais, assim como as brigadas estão para os incêndios urbanos. O Estado precisa dar um mínimo de respeito aos nossos heróis, realizando capacitação adequada, instrumentalizando com no mínimo uma aeronave permanente, para que esses profissionais possam desempenhar suas imprescindíveis atividades”, detalha. Homero ainda diz que “ao invés de todos os anos jogar milhões de reais no fogo, o governo deveria investir mais nas brigadas e nos brigadistas. É vergonhoso o descaso do nosso governo para com esses profissionais e com o meio ambiente”.

A respeito dos R$20 milhões anunciados pelo governo do Estado, via Secretaria de Meio Ambiente, o presidente da Cifa foi enfático em dizer que “acabou com o pouco de respeito que tinha pelas instituições”. Considerando o valor irrisório para atuação e os recursos gastos com aeronaves, ele aponta que “são mais de 25 anos de uma política burocrata e irresponsável que quanto mais recursos se gastam mais incêndios florestais aparecem”. Homero considera “bizarro que todos os anos o Estado gaste milhões em aluguel de aviões e aeronaves e o Corpo de Bombeiros não tenha uma para desenvolver suas missões diárias. Este ano, os R$ 20 milhões empenhados pelo governo para aluguel de aeronaves é um atentado contra tudo que é ético, moral, respeitoso e tecnicamente profissional”.

O brigadista também defende que a sociedade se una contra essas iniciativas e que os movimentos sociais passem a questionar como é dividido os recursos e inverta os valores administrativos. Vieira diz que “o cidadão deve cobrar o bom uso de seus impostos e não financiar atitudes irresponsáveis dos seus representantes”. “Se querem resolver de fato, minimizando os impactos devastadores dos incêndios florestais, é preciso apenas seguir três passos: primeiro devolva a gerência dos incêndios florestais para a Defesa Civil; segundo invistam na capacitação e instrumentalização do Corpo de Bombeiros, terceiro instrumentalizem as brigadas voluntárias”, finaliza.

Ibicoara implanta sistema de voucher eletrônico para visitação da Cachoeira do Buracão

A Secretaria de Turismo e Meio Ambiente (STMA) de Ibicoara, cidade na Chapada Diamantina, implantou nesta semana um novo sistema do voucher eletrônico – que será obrigatório ter para visitar a Cachoeira do Buracão. O secretário da STMA, Luiz Pimenta, informou ao Jornal da Chapada que o fato se deve à tentativa de levar os turistas à sede do município e não apenas ao ponto turístico, um dos mais visitados em toda a Chapada. A venda está sendo realizada no Espaço Cultural, que se transformou no Centro de Atendimento ao Turista (CAT), localizado na Praça Tancredo Neves, no Centro da cidade.

“Vamos ter um controle melhor do recurso gerado na visita ao parque. Os turistas terão que, obrigatoriamente ir à cidade e conhecer nossa sede”, disse o secretário. Para ele isso é importante para mostrar ao turista que Ibicoara tem hospedagens, restaurantes, dentre outros serviços turísticos. Segundo Pimenta, um profissional ficará responsável no CAT por mostrar aos visitantes que a cidade oferece outros locais bons para serem conhecidos.

Vale lembrar que a presença do guia na trilha continua obrigatória. Também foi criada no CAT uma loja com artigos e produtos feitos no município e com a identidade de seus moradores. A renda desses produtos será destinada à estruturação da Brigada Voluntária de Ibicoara. “Iremos equipá-la melhor”, afirmou Luiz.

Corrida beneficente de argolinha acontece no dia 23 em Boa Vista do Tupim

No dia 23 de julho acontece no município de Boa Vista do Tupim, na Chapada Diamantina, a 2ª Grande Corrida de Argolinha do Assentamento Grotão. Além da argolinha, também ocorrerá na oportunidade uma maratona, que começa às 7h. As inscrições custam R$20 para a corrida de argolinha e R$5 para a maratona. Os três melhores colocados na argolinha ganharão R$1.000, R$700 e R$300.

Já na maratona, os prêmios para os três primeiros são nos valores de R$100, R$70 e R$30. Na programação, a corrida terá saída da localidade de Limoeiro e vai até o Assentamento, depois tem a confraternização, e segue com a Argolinha, entrega de prêmios e muito forró para encerrar os festejos ao som de Raumi Souza e banda, além de Patuá de Couro e Jai dos Teclados. O evento é organizado pela diretoria e coordenação do Grotão.

Municípios do Piemonte da Diamantina apoiam implantação de Policlínica em Jacobina

Aconteceu na tarde desta quinta-feira, 13, em Jacobina, uma reunião com prefeitos e vereadores representantes de 19 municípios, que formam o Consórcio de Saúde da região de Jacobina. O Secretário de Saúde do Estádio, Fábio Vilas Boas, que era aguardado, não compareceu ao encontro.

Nelson Portela, qpresidente dos Consórcios de Saúde da Bahia, esteve presente no evento, falando sobre o projeto das 11 Policlínicas, que tem por objetivo desafogar os hospitais da capital, oferecendo atendimentos de alta complexidade.

Segundo informações, o Governo do Estado dispõe apenas de uma unidade do projeto das Policlínicas, que está sendo disputada entre as regiões de Jacobina, com 19 municípios, e Senhor do Bonfim, com 9 municípios. Após construída com valor entorno de R$ 20 milhões, o Governo do Estado continuará repassado 40% projeto e os municípios entrarão com 60%.

Na abertura do encontro, o perfeito de Jacobina, Luciano Pinheiro, cumprimentou as autoridades presidentes e fez uma breve explanação da necessidade da implantação da Policlinica na cidade do ouro, com base para atender as 19 cidades do Piemonte da Chapada Diamantina. “O município de Jacobina tem recebido no Hospital Municipal Antônio Teixeira Sobrinho, pacientes de várias cidades da região. O maior número de internados não são de Jacobina, e sim de cidades vizinhas. Claro que nunca iremos negar atendimento, mas, precisarmos do projeto”, disse Luciano, que é presidente do Consórcio de Saúde da região de Jacobina.

Prefeitura de Dom Basílio fala sobre ambulância flagrada no Rio de Janeiro

A foto de uma ambulância da Secretaria Municipal de Saúde de Dom Basílio, na Chapada Diamantina, em frente a uma farmácia no bairro de Copacabana, no Rio de Janeiro chamou a atenção dos internautas no começo da semana. Um dos questionamentos levantados era a razão do veículo estar na capital fluminense, a milhares de quilômetros da cidade de origem. A informação passada pela prefeitura é de que a ambulância estaria no Rio de Janeiro dando suporte a um paciente dombasiliense, que teria sido submetido a uma cirurgia na coluna em um hospital carioca.

“Que bom que foi vista nossa ambulância no Rio de Janeiro! Isso mostra que agora nós temos eficiência em poder transportar os nossos pacientes. Aqui [em Dom Basílio] faltava gasolina, faltava pneu, não tinha ambulância e hoje tem. Hoje a gente pode buscar no Rio, em São Paulo, Brumado, Conquista, para dar atendimento à nossa população”, disse o prefeito Roberval Meira (PR) em áudio publicado nas redes sociais.

Moradores da Chapada Diamantina cobram conclusão de obras na BA-144

A rodovia estadual BA-144, no trecho que liga as cidades de Morro do Chapéu e Várzea Nova, ambas na Chapada Diamantina, será interditada por moradores nos próximos dias 17 e 18 de julho.

A informação é de que eles permanecerão no local até algum órgão governamental responder a indagações sobre o andamento da recuperação da via.

Os manifestantes cobram o término das obras do asfaltamento da BA que tem causado transtornos e prejuízos. Os moradores garantem que o serviço foi prometido pelas autoridades e nunca foi acabado.

A BA-144 interliga três municípios, Jacobina, Morro do Chapéu e Várzea Nova, está deteriorada e manifestantes cobram recuperação do governo da Bahia. Moradores da Chapada Diamantina programam as manifestações dos dias 17 e 18. Essa mesma via já foi tema de matéria no Jornal da Chapada. Os manifestantes até fizeram um vídeo amador com sátira à situação e divulgaram nas redes sociais. No vídeo, os manifestantes usam como paródia a música ‘Mila’, eternizada na voz do cantor baiano Netinho.

Ex-prefeito de Várzea Nova multado em R$3 mil

O Tribunal de Contas dos Municípios, nesta quinta-feira (13/07), multou em R$3 mil o ex-prefeito de Várzea Nova, Dion Avelino da Silva, por irregularidades no contrato firmado com a empresa Merhy Transportes para a prestação de serviços de varrição, coleta e transporte de resíduos sólidos dos logradouros, praças, unidades escolares e postos de saúde da sede do município, no valor total de R$930 mil no exercício de 2013. O relator do processo, conselheiro José Alfredo Dias, acompanhou o parecer do Ministério Público de Contas que apontou irregularidades no procedimento de compensação do crédito.

O gestor reconheceu que houve falha na elaboração do edital e da própria minuta do contrato, vez que foi utilizada unidade de medida “quilômetro” para os itens relativos a limpeza das unidades escolares e de postos de saúde, mas nega que tenha havido pagamento por serviço não realizado.

A relatoria constatou que, por iniciativa do controle interno da prefeitura, através da instauração de processo administrativo, houve a decretação de nulidade parcial do contrato e reconhecimento de um crédito em favor da municipalidade no valor de R$51.453,09. Contudo, a compensação do crédito junto à empresa ocorreu sem qualquer comprovação da efetiva execução dos serviços, vez que não foram apresentadas as planilhas dos serviços realizados e o seu valor de mercado.

 

Fonte: Jornal da Chapada/L12 Noticias/TCM Bahia/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!