12/08/2017

Salvador: ‘Mostra Elas’ acontece entre os dias 17 e 20 de agosto

 

Trinta filmes contemporâneos, com temas urgentes, realizados por mulheres no Brasil. Essa seleção compõe a 1ª Mostra Elas – Filmes Dirigidos por Mulheres, que acontece entre os dias 17 e 20 de agosto, na Saladearte Cinema da UFBA, em Salvador.

A mostra apresenta um conjunto representativo e atual de filmes nacionais dos gêneros de ficção, documentário e animação. Parte desta seleção é inédita na capital baiana, como os longas “Modo de Produção”, de Dea Ferraz (Pernambuco, 2017, 75 min.), e a “A Destruição de Bernardet”, de Cláudia Priscila e Pedro Marques (São Paulo, 2016, 72 min.).

“Os filmes selecionados exprimem olhares contemporâneos de mulheres em relação a importantes questões de gênero, sexuais, políticas e étnico-raciais”, explica Luciana Lemos, que assina a curadoria da mostra juntamente com Emanuella Rodrigues. “São longas e curtas-metragens realizados em diferentes partes do país, em condições distintas, que retratam muito bem a criatividade artística e a diversidade cultural brasileira”, completa Emanuella.

Esta edição do evento vai homenagear Adélia Sampaio, a primeira cineasta negra a dirigir um longa-metragem de ficção no Brasil. O filme “Amor Maldito” (76 min., RJ, 1984) será exibido às 20h30 do dia 17 de agosto, e a sessão terá a presença da diretora.

Além dos filmes, a programação conta com três mesas de debate, nos dias 17, 19 e 20 de agosto, com os temas “Políticas de fomento à participação das mulheres no audiovisual”, “Mulheres por trás das câmeras no cinema brasileiro” e “Coletivos e ações coletivas de mulheres no audiovisual”.

Entre as debatedoras convidadas estão a diretora-presidente da Agência Nacional do Cinema (Ancine), Debora Ivanov, a cineasta Dea Ferraz (Mulheres no Audiovisual Pernambuco – MAPE), a colorista Samanta do Amaral, Ana Luiza Penna, diretora de som de cinema e TV, Samantha Brasil, do Coletivo Elviras e Cineclube Delas, a vereadora Aladilce Souza, também presidente da Comissão de defesa dos direitos das mulheres, Julieta Palmeira, secretária de Políticas para as Mulheres da Bahia, e Janaína Rocha, coordenadora de projetos colaborativos do IRDEB.

O evento ainda traz uma consultoria e uma oficina de roteiro, ambas ministradas pela premiada roteirista Francine Barbosa, também professora, educadora e parecerista em editais de audiovisual. As sessões dos dias 17, 19 e 20 de agosto serão encerradas, respectivamente, com a discotecagem do Coletivo Tombo e com os pockets shows de Lívia Nery e de Jadsa Castro.

Os ingressos para a Mostra Elas valem R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia). Para as mesas de debates, a entrada é gratuita, sujeita à lotação do espaço. A programação completa está no site www.mostraelas.com. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail contato@mostraelas.com.

Sessões especiais

A Mostra Elas também terá uma sessão especial em parceria com a Mostra Lugar de Mulher é no Cinema, que aconteceu em Salvador no mês de abril. No total, serão exibidos no dia 19, às 14h30, quatro curtas-metragens, que trazem diversidade das temáticas, abordagens e gênero.

Já no domingo, 20, a partir das 14h30, a sessão Curtas para Todas as Idades reúne cinco filmes de ficção, documentário e animação. Os temas abordam o universo infanto-juvenil, com crianças e jovens como protagonistas.

Sobre a Mostra Elas

A Mostra Elas – Filmes Dirigidos por Mulheres busca criar um espaço de visibilidade, valorização e difusão de filmes realizados por cineastas brasileiras, além de discutir o papel das mulheres na história do cinema brasileiro.

De acordo com dados da Agência Nacional de Cinema (Ancine), o percentual de mulheres que dirigem filmes lançados no Brasil aumentou de 14,7% em 2015 para 20,3% em 2016. “Algumas décadas atrás, a direção cinematográfica era um posto quase que exclusivamente ocupado por homens. Hoje, cineastas mulheres são cada vez mais numerosas e responsáveis por levar ao público novas formas de enxergar o mundo, individual e coletivo”, explica Luciana Lemos.

A 1ª Mostra Elas – Filmes Dirigidos por Mulheres é realizada pela Giro Planejamento Cultural e conta com o apoio financeiro do Fundo de Cultura da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia.

  • Serviço

O quê: 1ª Mostra Elas – Filmes Dirigidos por Mulheres

Quando: de 17 e 20 de agosto

Onde: Saladerte Cinema da UFBA (Avenida Reitor Miguel Calmon, s/n, PAC - Vale do Canela, Salvador-BA)

Quanto: R$4 (inteira) e R$2 (meia-entrada). Para as mesas de debates, a entrada é gratuita, sujeita à lotação do espaço

Mais informações: www.mostraelas.com ou contato@mostraelas.com

Casa do Governo inicia atividades na Flipelô com cultura popular, exposições e homenagem a Jorge Amado

Abriram-se as portas neste segundo dia de Flipelô da Casa do Governo, instalada na sede do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI), no Largo do Pelourinho. Durante todo o dia, centenas de pessoas, entre estudantes, turistas, participantes da festa e curiosos visitaram as exposições e participaram das atividades promovidas pela SecultBA no espaço, que permanece aberto durante toda a festa, que termina no domingo, 13.

No hall de entrada da casa, o visitante se depara com uma variedade de peças e brinquedos extraídos das culturas populares. Estão por lá espalhados figurinos coloridos de baianas, bois multicores, bonecos artesanais e caixas de lambe-lambe que guardam um universo lúdico, habitado por personagens das histórias de Jorge Amado, como O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá. A artista Janice Santos é a responsável por esta adaptação da obra infantil do escritor. “Esse espetáculo foi criado no centenário de Jorge Amado em um projeto pedagógico de inclusão cultural e artística por conta de se trabalhar questões sérias como o preconceito. Cada um que assiste dentro desse formato que o lambe-lambe nos permite pode tirar suas conclusões e perceber todas as possibilidades existentes nessa linguagem”, explica a arte-educadora e há mais de 10 anos integrante do Teatro Lambe-Lambe.

Entre os destaques da programação, o artista plástico Denissena durante todo o dia preparou ao vivo a sua exposição grafitada, “Vida e Histórias de Jorge Amado”, Composta por 22 quadros grafitados, a exposição retrata personagens, pessoas e momentos da vida do escritor.   “O diferencial desse formato de exposição é que convida o público a acompanhar o processo criativo e estimula a proximidade e o diálogo com o artista, que às vezes parece tão distante das pessoas”, explica.

Falando em interatividade, os visitantes da Casa também mergulharam as mãos na argila, como as oficinas de cerâmica, realizadas em parceria com o CFA do SESC, que aconteceram durante todo o dia. Pela manhã, a oficineira Graça Laurentino ensinou a esculturas com argila, com o tema Frutas Prediletas de Jorge Amado. “Todas as frutas são daqui, como caju, jenipapo, graviola, porque Jorge Amado era um homem com uma visão mais além, mas que valorizava o que era regional. É isso que faz a diferença no trabalho dele”, explica Graça. Durante a tarde, foi oferecida uma oficina de cerâmica no torno. A atividade continua na sexta-feira.

O dia foi encerrado ao embalo de canções de co-autoria de Jorge e composições inspiradas na obra do escritor, que fizeram parte do repertório do Concerto Para Jorge Amado, com a Orquestra ComPassos, que tomou a frente da Casa do Governo. “É a primeira vez que apresentamos este concerto, elaborado especialmente para a Flipelô”, conta o maestro Raimundo Passos. Canções como Modinha Para Tereza, Jubiabá, Beijos Pela Noite, É Doce Morrer no Mar, Tieta e Gabriela não ficaram de fora da apresentação que encantou o público no Largo do Pelourinho.

Multimídia

Em parceria do CCPI com a Funceb, no 1º andar da Casa do Governo teve início a exibição de 20 VTS dos artistas selecionados no Grafias Eletrônicas, projeto desenvolvido junto ao Irdeb. Além disso, os participantes da Festa Literária puderam conhecer o portal do Mapa da Palavra.BA, tendo acesso à produção  literária de artistas da Bahia. Os visitantes receberam livros lançados por meio do Fundo de Cultura - Setorial Literatura;  os quatro volumes das revistas CartoGRAFIAS, lançadas em 2016 através do Mapa da Palavra.BA; exemplares dos livros Autores Baianos, lançados em 2013 e 2014. Também está em cartaz na Flipelô a mostra do projeto "Memórias de Leitura”, da Fundação Pedro Calmon, com depoimentos de leitores falando de suas primeiras experiências de leitura. Os vídeos trazem relatos de como pessoas comuns ampliaram sua visão de mundo ao descobrir o prazer pela leitura.

FLIPELÔ

Oocupa museus, teatros, cinema, praças e espaços dos mais diversos do Centro Histórico.  De 9 a 13 de agosto, as ruas e espaços culturais do Centro Histórico se tornam palco de uma programação diversificada, que envolve saraus, debates, encontros, oficinas literárias, apresentações teatrais, leituras dramáticas, exibições de vídeo e shows musicais, com atividades que atendem aos públicos adulto e infanto-juvenil. A abertura do evento acontecerá na Igreja de São Francisco, com um Sarau de Maria Bethânia, no dia 9 de agosto, às 20h em uma apresentação para convidados. O projeto, que comemora os 30 anos da Fundação Casa de Jorge Amado, será também uma grande homenagem ao escritor Jorge Amado, na medida em que traz o PELOURINHO, cenário de parte da sua obra, para o roteiro de eventos literários, além de festejar Zélia Gattai e Myriam Fraga. A programação da SecultBA no evento é promovida através de suas unidades vinculadas: a Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), o Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI), a Fundação Pedro Calmon (FPC), a Diretoria de Museus (Dimus) e o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac).

 

Fonte: Por Maria Clara/SecultBa/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!