13/08/2017

Chapada Diamantina é um dos destinos mais belos

 

A cidade de Lençóis é um dos acessos tradicionais para se viver a Chapada Diamantina, cuja área total tem o tamanho da Bélgica. Nem a ganância dos garimpeiros conseguiu exaurir as riquezas do lugar, com 30 mil quilômetros quadrados de território guardião de mata atlântica, cerrado, caatinga, cânions, cavernas e rios. A Chapada abrange 23 municípios e foi ocupada gradativamente por latifúndios e comunidades quilombolas.

No século 18 foi um ponto de convergência de aventureiros em busca de ouro. Cem anos mais tarde, a descoberta de diamante nos rios Mucugê e Lençóis fez com que uma horda de exploradores se instalasse na região até 1871. Na Chapada Diamantina se avistam as formações mais altas da Bahia e o ponto culminante do Nordeste, o Pico do Barbado, com 2.033 metros. Parte de toda beleza está protegida no Parque Nacional da Chapada Diamantina.

Criada em 1985, a principal unidade de conservação do território tem 1.520 quilômetros quadrados e trilhas que conduzem o visitante a alguns cartões-postais. Perto do Vale do Capão, por exemplo, está a Cachoeira da Fumaça, uma das quedas livres mais altas do Brasil, com cerca de 380 metros. A Cachoeira do Buracão, em Ibicoara, também surpreende, com 80 metros de queda que despencam em um cânion magnífico.

Cavernas

O maior acervo espeleológico da América do Sul está integrado ao patrimônio natural da Chapada. Entre as centenas de cavernas, uma das mais conhecidas é a do Poço Encantado, cuja incidência de luz transforma a coloração da água, tão cristalina que permite observar o fundo, a 60 metros. Com características semelhantes, no Poço Azul é permitido mergulhar.

Das cavernas secas, Torrinha, Lapa Doce, Paixão, Lapão, Bolo de Noiva, Fumaça, Gruta Azul e Brejões são as mais visitadas. Num ambiente tão amplo e longe de ser explorado totalmente, pesquisadores do Ministério do Meio Ambiente catalogaram 854 espécies da flora e 506 da fauna, sendo 55 mamíferos, com destaque para a onça-pintada e o guigó-da-caatinga.

Decisão judicial favorável devolve cargos a concursados em Piritiba

Os funcionários municipais de Piritiba, cidade da Chapada Diamantina, admitidos após um concurso público no ano de 2007 e que cobravam a reintegração de seus cargos na Justiça receberam o parecer favorável da juíza Amanda Analgesina Ramos Carrilho, no último dia 14 de março. Os concursados foram impedidos de trabalhar em 2009 por uma decisão do então prefeito Carlos Alberto Santos. Em 2016, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Piritiba (Sindsemp) se prontificou a ajudar os concursados e com um novo advogado eles seguiram com o processo.

O Sindsemp agradeceu a promotoria da comarca de Piritiba, que não mediu esforços para cumprir seu papel e analisar mais de 36 volumes do processo. Segundo nota oficial do sindicato, a decisão “trouxe de volta a alegria e os sonhos de pais, jovens, filhos enfim, famílias piritibanas”. O atual prefeito Samuel Santana (PP) manteve contato com a presidente do sindicato, Cleide Lima, na última quarta-feira (9) e se comprometeu em publicar a decisão no Diário Oficial e convocar todos os servidores desimpedidos com a Justiça para reassumir seus cargos.

Jovens participam do Hackathon na ‘Maratona de Ideias por uma Piritiba sustentável’

A primeira Hackathon em Piritiba, na Chapada Diamantina, é uma competição de ideias onde equipes propõem aplicativos para tablets ou celulares visando minimizar problemas que afetam a população da cidade. A ideia é estimular a percepção da juventude sobre a importância de sua participação na solução dos problemas dos cidadãos.

Poderão participar do evento, que acontece na próxima sexta-feira (18), pessoas acima de 16 anos motivadas a pensar e propor melhorias para os problemas enfrentados pela cidade através de aplicativos móveis. Serão cinco equipes alocadas durante todo o dia, desde às 7h, no laboratório de informática da Escola Estadual Professora Aydil Lima dos Santos. Um dia antes os participantes terão um treinamento na ferramenta de trabalho.

Cada equipe receberá uma lista de problemas enfrentados em Piritiba e que afetam a sua população, no entanto, os participantes também podem propor problemas. No final do dia eles terão entre cinco e 10 minutos para apresentar suas propostas dentro do evento ‘Piritiba 2030: Um desafio digital’. Uma comissão definirá as equipes vencedoras e será realizada a premiação delas. O primeiro lugar ganha R$ 1.000, o segundo R$700 e R$500 para o terceiro colocado.

Para se inscrever é preciso formar uma equipe e enviar um e-mail para edypiritiba@hotmail.com com o nome da equipe, nome dos quatro participantes e idades, alguma informação que permita identificação (como escola/série ou local de trabalho) e contato de telefone para mensagens instantâneas. Caso haja mais que cinco equipes inscritas, a organização do evento realizará uma seleção e divulgará o resultado até a próxima terça-feira (15).

Equipe do Consórcio Chapada Forte se reúne com a CDA para discutir andamentos de ações

A equipe do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Sustentável Chapada Forte, sediado no município de Andaraí, na Chapada Diamantina, se reuniu com a Coordenação de Desenvolvimento Agrário (CDA), unidade da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), que iniciou na última quarta-feira (9) uma série de visitas para acompanhamento das ações de regularização fundiária. Essas ações vêm sendo executadas graças à parceria firmada com os Consórcios Públicos. O primeiro encontro foi realizado na Chapada. No roteiro da visita, aconteceu agenda de campo para acompanhar atividades realizadas pelo Consórcio junto às comunidades rurais do município de Andaraí.

Por meio da parceria celebrada entre a CDA/SDR e 11 Consórcios Públicos, com investimento do Governo do Estado de mais de R$ 12 milhões, está previsto regularizar 40 mil propriedades rurais, na modalidade de doação, que abrange áreas de até 100 hectares, em mais de 140 municípios. Presente no encontro, Renata Rossi, coordenadora executiva da CDA, ressaltou a importância do acompanhamento das ações in loco.

“Esta agenda celebra a forma da CDA de cuidar dos Consórcios, acompanhando questões que possam surgir no dia a dia buscando sempre aprimorar a estratégia. Também evidencia a evolução da parceria, o aprimoramento da execução e do monitoramento. Aqui, por exemplo, lançamos o Manual de Fiscalização para Consórcios Públicos que orientará a equipe técnica da CDA no acompanhamento dos trabalhos e da gestão da política de regularização fundiária”, informou Rossi.

O prefeito do município de Andaraí e presidente do Consórcio Chapada Forte, João Lúcio, também refletiu sobre a importância da parceria para a comunidade rural e para administração pública. “A parceria firmada com a CDA/SDR nos possibilitará resolver a demanda da regularização fundiária no nosso Território, resgatando a autoestima dos nossos agricultores familiares. Eles terão a posse definitiva da terra e poderão acessar crédito junto aos bancos para melhorar sua produção e contribuir com a economia da região”, disse.

O coordenador do convênio de Regularização Fundiária do Consórcio, Humberto Barros, conta que a repercussão da parceria junto às comunidades rurais é bastante positiva. “Nos municípios que estamos atuando, as pessoas atendem nossas equipes com muita receptividade. Estão na expectativa de receber o título da terra. A maior parte dos nossos agricultores familiares não possui a garantia jurídica para comprovar que é proprietário da terra que reside e produz”, afirmou Barros.

Chapada: Ação da Cipe beneficia famílias em situação de vulnerabilidade

Policiais da Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe-Chapada) mudaram a rotina da vida de famílias em situação de vulnerabilidade social que vivem às margens da BR-242, entre os municípios de Itaberaba e Seabra, na Chapada Diamantina. É que a pedido de um soldado da Polícia Militar, os militares doaram utensílios, roupas, brinquedos e alimentos para os moradores. Em contato com o Jornal da Chapada, o major Ricardo Passos, comandante da Cipe, disse que a ação foi atendida para minimizar o sofrimento da população chapadeira e que será a primeira de uma série de visitas.

“Decidimos, através da ideia do Sd PM Ribeiro, a tornar constante o que fizemos ontem [quinta-feira, 10 de agosto] às margens da BR 242, levar o que não tem ‘mais utilidade’ a nós e presentear outras pessoas que receberão como sendo um milagre de Deus, diante de tanto sofrimento. Lembramos que essa iniciativa vai mudar pouco a nossa vida, mas transformará a vida desses ‘severinos’ que vivem à baixo da linha da miséria, enfrentando cada dia como se fosse o último”, destaca o major Passos que faz referência ao poema ‘Morte e Vida Severina’ de João Cabral de Melo Neto.

“…Somos muitos ‘Severinos iguais em tudo na vida: na mesma cabeça grande que a custo e´ que se equilibra, no mesmo ventre crescido sobre as mesmas pernas finas e iguais tambe´m porque o sangue, que usamos tem pouca tinta. E se somos Severinos iguais em tudo na vida, morremos de morte igual, mesma morte Severina”. Esse trecho do texto ‘Morte e Vida Severina”, conforme enviou o major Ricardo Passos, “faz refletir que somos todos iguais, temos as mesmas necessidades, sentimos as mesmas dores”.

A Cipe-Chapada informa que a guarnição da Hotel/”Severino” fará essa atividade de doação corriqueiramente e conta com a ajuda de populares, comerciantes e todos da região da Chapada Diamantina que puder contribuir. Basta procurar a sede da Cipe em Ruy Barbosa e ajudar o próximo. “Pois a fome, sede e o frio, sente-se diariamente, então porque esperar ‘campanhas’ para ajudar o próximo? Pedimos que todos pensem sobre essa ideia e que possamos nunca esquecê-la”, completa o major.

 

Fonte: Jornal da Chapada/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!