21/09/2017

Mirando 2018, Neto orienta aliados a ‘baterem’ na gestão Rui

 

O prefeito ACM Neto (DEM) orientou os vereadores da base, em reunião nesta quarta-feira (20), a atacarem o governo de Rui Costa em diversas frentes. Uma delas é a ponte Salvador-Itaparica. Edis que participaram do encontro, relataram que a “confusão” entre as declarações de Rui e do vice-governador João Leão “dão mostras de que não tem nada de concreto nessa ponte”.

Além disso, o prefeito pediu para os seus liderados criticarem também o Centro de Convenções, que desabou depois de anos sem manutenção. Ainda, os setores de Saúde e Segurança Pública devem ser alvos de discursos mais inflamados. Aos correligionários, Neto pontuou aspectos da sua própria sua gestão. Apontou pontos que precisam ser melhorados e tirou dúvidas sobre a estrutura da prefeitura.

Recentemente, em conversa com deputados estaduais e federais de oposição, o prefeito de Salvador entregou um comparativo entre a sua administração e a do governador. O objetivo é municiar os parlamentares para debates na imprensa e nos municípios. Publicamente, a Secretaria de Comunicação da prefeitura afirmou, por meio de nota, que o encontro foi para agradecer aos vereadores pela aprovação dos projetos apresentados pelo Executivo nesta Legislatura.

Neto muda secretariado e põe diretor de Iluminação na Educação

O prefeito ACM Neto anunciou besta terça (19), durante o lançamento do projeto Família Empreendedora e da reinauguração do Centro de Referência da Assistência Social (Cras) de Valéria, na Praça da Matriz, os nomes de novos secretários e dirigentes de órgãos municipais.  Para o lugar de Paloma Modesto (Educação), ACM Neto anunciou o nome do até então diretor de Iluminação da Prefeitura, Bruno Barral, que começou a vida profissional como professor do Ensino Médio. Formado em Engenharia Elétrica, ele, que há dez dias já vem se inteirando dos assuntos da pasta da Educação, vai ocupar o segundo cargo público da carreira.

Para a diretoria de Iluminação, o prefeito vai nomear Júnior Magalhães, até então diretor-geral das Prefeituras-Bairro. Já para a função que era ocupada por Júnior Magalhães será nomeada a administradora e advogada Ana Paula Matos, que já foi, na atual gestão, diretora de Suporte e Educação da Smed, presidente da Previs, secretária de Promoção Social e Combate à Pobreza e subchefe de Gabinete da Vice-Prefeitura. Para a Desal, órgão que será fortalecido, o prefeito divulgou Marcílio Bastos, que ocupava a função de secretário municipal de Manutenção. O novo chefe da Desal é formado em Engenharia Civil com doutorado em Engenharia Municipal. Já para a Secretaria de Manutenção (Seman), o prefeito vai nomear o engenheiro civil Virgílio Daltro, que já atuou em diversos órgãos públicos em cargos de direção ou chefia, como o Derba, Sucom e Sumac. Antes de aceitar o convite de ACM Neto, Virgílio Daltro ocupava a função de secretário municipal de Habitação de Simões Filho. Para a Defesa Civil de Salvador (Codesal), o prefeito anunciou o nome de Sosthenes Macedo, até então prefeito-bairro do Subúrbio/Ilhas. Sosthenes é formado em Turismo e direito e também já ocupou a função de chefe da Superintendência de Conservação e Obras Públicas (Sucop) de Salvador em gestões anteriores.

Leur Jr. rebate Bruno Reis: PMDB tem musculatura para pleitear vaga na chapa de Neto

De predileto a filho enjeitado. O PMDB esta vivendo um dos seus piores dias. Se era uma atrativo para a chapa do prefeito ACM Neto ao governo do Estado por causa do seu tempo de televisão, agora, a sigla que teve por muitos anos como principal nome o ex-ministro Geddel Vieira Lima, preso pela Polícia Federal, por ter recebido R$ 20 milhões em propina, sequer deve participar da chapa. Segundo o vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis, “o PMDB pode ficar fora da chapa porque pode abrir mão para ter um novo aliado”. O peemedebista, que na verdade é ligado a ACM Neto, só esqueceu de avisar a decisão a seus correligionários.

O líder da oposição na Assembleia Legislativa da Bahia, Leur Lomanto (PMDB) discorda.  “O PMDB tem musculatura, tem história e tem todas as condições de pleitear a vaga”, afirmou ao BNews. Leur assinalou ainda que a legenda pretende aumentar seus quadros. "Estamos abertos para a entrada de novos nomes. Só não aceitamos condicionantes", disse, num claro recado a Antonio Imbassahy, que pode deixar o ninho tucano, e Zé Ronaldo (DEM), prefeito de Feira de Santana.

Neto nega que ‘questão nacional’ irá pesar na decisão de disputar governo

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), negou, na manhã desta quarta-feira (20), que a disputa pela Presidência da República irá pesar na sua decisão sobre concorrer ao governo do Estado na eleição de 2018. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, o democrata teria ameaçado desistir de disputar o Palácio de Ondina, caso o PSDB escolha o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, como candidato ao Palácio do Planalto. De acordo com a publicação, o baiano prefere o prefeito de São Paulo, João Doria. “A minha candidatura ou não a governador não está vinculada à questão nacional. Ela está vinculada estritamente às questões locais, da cidade do Salvador e do estado da Bahia. As minhas avaliações passam pelo contexto político baiano e não por qualquer influência sobre quem será ou não candidato à Presidência”, frisou, em entrevista coletiva.

Neto reiterou que não há “nenhum compromisso prévio” do Democratas para apoiar o candidato do PSDB, independentemente do nome.

Neto ameaça desistir de governo se Alckmin for candidato a presidente

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), ameaçou desistir de disputar o governo da Bahia caso o PSDB escolha o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, candidato a presidente e não prefeito paulistano João Doria, segundo informações do jornal Folha de S. Paulo. De acordo com aliados do democrata ouvidos pela publicação, Neto tem boa relação com o tucano, mas o considera um “candidato pesado” para ser vendido no maior colégio eleitoral do Nordeste, que é a Bahia, e teme efeitos no seu próprio desempenho. Aliados de Alckmin relativizam a avaliação ventilada por ACM Neto e consideram que uma candidatura do prefeito alavancaria a votação tucana contra o poderio do PT do ex-governador Jaques Wagner. Alckmistas também identificam que o democrata vende dificuldades para auferir facilidades em uma futura negociação, até porque o desmantelamento do PSB retirou o cacife que o aliado de Alckmin em São Paulo poderia oferecer nacionalmente.

Dono do cargo de vice do tucano, com Márcio França, o partido teria o candidato natural para ocupar a vaga na chapa presidencial. Mas fatia expressiva de sua ala pernambucana bandeou-se para o PMDB, e o PT namora os espólios da sigla. A posição de Neto não é consensual no Democratas. Nesta quinta-feira (21), Doria e Neto deverão jantar em São Paulo, na casa do tucano paulistano, com outros líderes do DEM.

Neto diz que não tem “compromisso prévio de apoiar candidato do PSDB” à Presidência

O prefeito ACM Neto (DEM) comentou, na manhã desta quarta-feira (20), a possibilidade de ele desistir de disputar o governo do estado caso o candidato do PSDB à Presidência seja Geraldo Alckmin, e não João Doria, que seria a preferência do democrata. “A minha candidatura ou não a governador não está vinculada a nenhuma questão nacional, mas estritamente às questões locais de Salvador e do estado da Bahia. As coisas passam pelo contexto local, e não por quem será ou não o candidato a presidente. Até porque não temos, a priori, nenhum compromisso prévio de apoiar o candidato do PSDB”, ressaltou ao BNews, durante apresentação do balanço do projeto Ouvindo Nosso Bairro. “Qualquer candidato escolhido por eles poderá ter o nosso apoio, mas não significa que necessariamente vai ter. Então é preciso ler as matérias com muita cautela. E eu queria registrar que essa matéria não me ouviu. Ouviu pessoas ligadas a mim, mas não me ouviu”, acrescentou Neto.

Reajuste do IPTU em Salvado não faz distinção entre rico e pobre, afirma Edvaldo Brito

O ex-prefeito de Salvador e atual vereador da cidade, Edvaldo Brito (PSD), falou, em entrevista à Rádio Metrópole, na noite desta terça-feira (19), sobre o projeto de alteração de reajuste do Imposto sobre a Propriedade Predial Urbana (IPTU). Para Edvaldo, do ponto de vista estratégico, o prefeito ACM Neto "fez a dele". "Porque no começo ele fez o caixa e aí, o resto que se lixe. Só que ele também tem que purgar, porque a grande discussão desse momento antes de falar do projeto da próxima quarta-feira, ele tem que ver como vai ressarcir as pessoas dos valores, pode ser pela legislação, que permite, mas pode ser por outro critério. Essa é a grande expectativa de como o tribunal vai colocar isso".

Um dos principais pontos do projeto, encaminhado para a Câmara pela Prefeitura de Salvador é o que determina que o aumento do IPTU em imóveis residenciais, não residenciais e terrenos no ano que vem não deve ser maior do que o índice de inflação de 2017. Com o projeto, os efeitos da Lei 8.473, de setembro de 2013, que determinava que o reajuste não podia ultrapassar o índice do IPCA, serão prorrogados - a previsão inicial era de que valesse até 2018.  "O grande problema que existia é que se entregou ao secretário de finanças do município a possibilidade de fazer o reajuste no IPTU. Isso foi sendo derrubado por todo mundo, chegou ao tribunal antes desse julgamento da ação direta de constitucionalidade. Uma ação de direta de constitucionalidade é uma ação que a gente chama de objetiva, não precisa que uma só pessoa vá lá fazer isso", disse.

Valor venal

Segundo Brito, o valor venal é o valor que serve para a base do calculo do IPTU, não do ITIV. "Não é valor de mercado, são duas coisas diferentes, nesse meu parecer dado a pedido da OAB [Ordem dos Advogados do Brasil], fiz a distinção, o valor venal é o valor para cada imóvel, e não se diga que não possível, porque no tempo de Fernando José, prefeito "mata a cobra e mostra o pau", entrei com uma ação direta a pedido da OAB e o tribunal por unanimidade dizendo que tinha que buscar o valor de cada imóvel identificado. Isso tem uma importância, porque temos uma cidade que você via por hipótese para a Graça, você olha pra um lado tem vários predios bonitos e do outro tem casa de pobre, favelas", explicou.

Para o vereador, o projeto que vai ser votado não faz distinção entre rico e pobre. "Voltou ao sistema de setores fiscais em que ele estabelece uma regra para o setor. Não há uma justiça fiscal, porque assim como aquele valor que serve para o cálculo do IPTU do ricão, serve para o do pobre. Se fosse identificado o seu imóvel fosse muito lá embaixo. Isso é valor venal. Valor de mercado, é valor das trocas. Quando o valor de mercado é alto porque os imóveis estão em alta, a prefeitura se beneficia. Quando cai, como agora que o imóvel tá sendo vendido por dois tostões de mel coado, a prefeitura não altera o valor do IPTU nem do ITIV", completou.

PSD desbrava novas terras e já chega a 84 prefeituras, na Bahia

Campeão no número de gestores municipais eleitos na eleição de 2016, o PSD, partido do senador Otto Alencar, não tem recuado na ofensiva para ampliar as prefeituras baianas, mesmo após o fim do pleito. No ano passado, a legenda elegeu 82 prefeitos, seguida de PP, com 56, PMDB, 47, PT, 39 e DEM com 34. Neste ano, a sigla já agregou mais dois novos aliados.

O primeiro foi o prefeito de Várzea da Roça, Lourivaldo Souza Filho, conhecido como Loury, que decidiu deixar o PMDB, partido aliado do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), e migrar para o grupo do governador Rui Costa (PT).

A articulação partiu, segundo Otto, do deputado federal Sérgio Britto. No último sábado (16), no encontro do partido, foi a vez do prefeito de Ibipeba, Demóstenes de Sousa Barreto Filho, que saiu do PSL, do parlamentar Marcelo Nilo, para o PSD.

Além das 84 prefeituras já conquistadas, mais duas estão sub judice – Lençóis e Jeremoabo. A meta da sigla, conforme informações da própria agremiação, é chegar no próximo ano com 100 prefeitos, o que significaria ter um de cada quatro gestores baianos. Ao bahia.ba, Otto negou a ofensiva e ressaltou que não pretende se aproveitar do “enfraquecimento” do PMDB, após a prisão do ex-ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima,  para expandir a base. “Não estamos trabalhando para trazer novas prefeituras. Também não acho que o PMDB está enfraquecido, porque tem várias lideranças”, frisou.

Alvo de ovadas, Doria volta à Bahia em novembro

Alvo de ovadas em Salvador no início de agosto, o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), voltará à Bahia em novembro. A informação foi confirmada ao bahia.ba pelo presidente estadual do PSDB, o deputado federal João Gualberto. Segundo o líder dos tucanos baianos, o gestor paulsitano fará uma apresentação na Associação Bahiana de Supermercados (Abase) no dia 16 de novembro, em Mata de São João. “Ele fará uma palestra em um evento que tem quase 30 anos. É um pessoa de destaque e que tem, no momento, uma força política inegável”, afirmou Gualberto.

No mesmo mês, Doria pode receber o Título de Cidadão Baiano na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA). No entanto, segundo autor da homenagem Adolfo Viana (PSDB), ainda não há uma data prevista. Doria tem dito que paga as viagens pelo Brasil e no exterior com dinheiro do próprio bolso. Perguntado sobre a especulação do jornal Folha de São Paulo de que o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), teria ameaçado não disputar o governo da Bahia caso o governador Geraldo Alckmin seja escolhido pelo PSDB como candidato a presidente, Gualberto afirmou que “duvida que Neto tenha dito isto”.

 

Fonte: Bahia.ba/Bahia Já/BNews/Metro 1/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!