28/09/2017

Juazeiro: Curta-metragem alerta para a preservação do São Francisco

 

S.O.S Velho Chico é o nome do curta-metragem produzido pelos estudantes do curso técnico em Recursos Humanos do Centro Estadual de Educação Profissional em Gestão e Negócios do Leste Baiano, localizado em Juazeiro, no norte do estado, para chamar a atenção sobre a degradação do Rio São Francisco. Conhecido como Velho Chico, o rio São Francisco é um dos mais importantes cursos d'água do Brasil e da América do Sul, passando por cinco estados e 521 municípios. No curta, de cinco minutos, os estudantes contam um pouco sobre a história do Velho Chico, mostram como ele faz parte da vida dos ribeirinhos e revelam como o rio está ameaçado por diversos fatores, a exemplo da derrubada das matas ciliares, do assoreamento e da poluição das águas pelo despejo de lixo, esgoto e outros sedimentos.

O audiovisual foi desenvolvido para a participação da equipe, formada por 13 estudantes, na seletiva escolar do projeto Produção de Vídeos Estudantis (Prove), realizado pela Secretaria da Educação do Estado. O curta com duração de cinco minutos foi filmado com celular e câmera digital e levou um mês para ser finalizado. Os estudantes se dividiram entre diferentes funções como produção, roteiro, direção, filmagem e edição.

Para a produção do vídeo, a equipe participou de uma oficina de produção audiovisual para aprender técnicas de linguagem fotográfica, produção de roteiro e edição. Além do aprendizado sobre as técnicas do audiovisual, o processo, segundo o professor José Carlos de Amorim, ampliou os conhecimentos dos estudantes sobre as questões ambientais, contribuindo para uma nova consciência sobre a necessidade do cuidado com os recursos hídricos. “O curta tem o objetivo de chamar a atenção da população para que se sinta responsável por aquele que dá vida a ela, o rio, pois o mesmo corre o risco de secar e ser extinto. Além disso, os estudantes criaram um novo olhar sobre o rio como cidadãos através do protagonismo juvenil”, revela o educador.

Daniel Mota, 18, participou do projeto como editor e afirma que o processo foi muito trabalhoso, mas foi concluído com êxito devido ao empenho de todos os envolvidos. “Foi muito gratificante participar de um projeto como este que tem um papel social de mostrar a realidade que o rio se encontra. As pessoas precisam se conscientizar, economizar água e cuidar do nosso rio”, diz o estudante.

Para Samara Santos, 18, que participou das filmagens e do roteiro, trabalhar no curta estimulou seu aprendizado. “É a primeira vez que eu participo da produção de um produto audiovisual e que vai deixar um legado no colégio. O curta está tendo reconhecimento e isso é muito bom”, afirma, entusiasmada.

Novas adutoras vão garantir segurança hídrica na região do Alto do Itapicuru

A Secretaria de Infraestrutura Hídrica e Saneamento (Sihs), por meio dos órgãos vinculadas (Cerb e Embasa), vai implantar duas novas adutoras na região do Alto do Itapicuru, partindo da barragem de Ponto Novo. Inicialmente, a obra deve beneficiar 236 mil pessoas. Com todo sistema interligado, um total de 500 mil pessoas será contemplado. Serão investidos R$ 33,5 milhões.

Construída pela Companhia de Engenharia e Recursos Hídricos (Cerb), a primeira adutora terá 36 quilômetros de extensão, em um diâmetro de 150 mm e uma vazão de 12 litros por segundo. “O objetivo do Governo do Estado é atender em seu percurso povoados localizados em ambas as margens do rio Itapicuru, a jusante da cidade de Ponto Novo até a localidade de Espanta Gado, contemplando comunidades dos municípios de Ponto Novo, Filadélfia, Itiúba e Queimadas”, afirma o secretário de Infraestrutura Hídrica e Saneamento, Cássio Peixoto. A obra deve beneficiar um total de seis mil pessoas, com orçamento de R$ 6 milhões. 

A segunda, complementa Peixoto, será em um trecho de 42 quilômetros, partindo da barragem de Ponto Novo e interligada à adutora de Pedras Altas/Capim Grosso, dando suporte hídrico ao abastecimento de água dos 22 municípios atendidos pelo complexo do sistema do sisal, com um total de 230 mil pessoas. A vazão prevista é de 250 litros por segundo com um diâmetro de 500 mm e um investimento de R$ 27,5 milhões.

“Todas essas obras foram autorizadas e já está definido que haverá a necessidade de estudos também para reforçar a capacidade de acumulação de água na região, aproveitando-se o potencial hídrico da bacia do rio Itapicuru Açu, evidenciado pelos registros de volumes vertidos anualmente na barragem de Ponto Novo, que nos 16 anos de sua existência foi da ordem de 96 milhões de metros cúbicos por ano em média”, destaca o secretário.

Também em Ponto Novo, está sendo implantado um dispositivo que aumenta a capacidade de armazenamento da barragem em mais 24%. “O que trará um aporte de água equivalente a 9 milhões de metros cúbicos que serão adicionados ao sistema. Essa obra estará concluída em janeiro de 2018. Em suma, essas obras e estudos, que beneficiarão meio milhão de pessoas com abastecimento humano, são de extrema importância, bem como darão suporte também ao setor produtivo da região, em especial ao projeto de irrigação de Ponto Novo, importante núcleo econômico regional, são de extrema importância”, conclui o Peixoto.

Constesf inicia recuperação do trecho da BA 210 entre Sobradinho e Sento-Sé

As obras de recuperação e manutenção do trecho que compreende Sobradinho a Sento Sé (BA 210 – BA 316) já foram iniciadas pela equipe do Consórcio Sustentável do Território do São Francisco (Constesf), com apoio das Prefeituras de Sento-Sé e Sobradinho. Serão 145,6 quilômetros de estradas que passarão por diversos serviços, por meio de convênio com o Governo do Estado da Bahia, por intermédio da Secretaria de Infraestrutura (SEINFRA).

“Neste trecho estamos com duas equipes de trabalho: uma realizando tapa buracos no trecho entre Quixaba e a sede de Sento-Sé e outra realizando patrolamento no trecho entre Quixaba e Piçarrão. Estamos realizando também a terraplanagem nos pontos mais críticos”, explicou o coordenador, Frank Chaves.

Os serviços garantirão uma melhor trafegabilidade e acesso de veículos, potencializando as atividades econômicas da região, principalmente a agricultura. Na última semana, o assessor executivo do Constesf, Victor Berti esteve em Salvador, representando o presidente Genário Rabelo, em reunião com engenheiros da SEINFRA para acertar os detalhes acerca das próximas estradas que serão beneficiadas.

Ao todo serão 10 trechos que receberão, além dos serviços já mencionados, capina, roçagem e limpeza lateral, limpeza de bueiros, tapa buracos com massa asfáltica, drenagem, obras complementares e sinalização.

Deputado apela pra que ministro recue sobre privatização da CHESF

Em apelo ao ministro Fernando Filho (Minas e Energia), o presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Chesf, Danilo Cabral (PSB), pediu que o governo, assim como aconteceu com a extinção da Reserva Nacional do Cobre e Associados (Renca), reveja a privatização da Eletrobrás, especialmente da Companhia Hidrelétrica do São Francisco.

"Que o recuo no caso da Renca, fruto da ausência de diálogo, sirva de exemplo no debate da Chesf. Se não dialogar, a força do povo vai fazer você recuar novamente. Não manche sua biografia colocando sua digital na venda do São Francisco", declarou Danilo Cabral durante audiência pública realizada nesta terça-feira (26) na Câmara dos Deputados, com a presença do ministro.

Para o parlamentar, a revogação do decreto da Renca, publicada no Diário Oficial da União hoje, é a síntese do que pode ocorrer com a proposta de venda do sistema energético do País. "É consenso entre os parlamentares que esse debate precisa ser aprofundado, que o governo precisa dialogar com a sociedade. Não se vende um patrimônio nacional dessa forma, sem a participação dos brasileiros", criticou.

Danilo Cabral ressaltou que o debate sobre a privatização da Eletrobrás é suprapartidário, inclusive com a posição contrária à proposta de integrantes da base governista. Ele lembrou que a Frente Parlamentar em Defesa da Chesf conta com a participação de mais de 200 deputados, todos buscando atender os interesses do Brasil e lutando pela soberania do País. E destacou que a mobilização popular contra a venda da Companhia está crescendo, com eventos e ações em todos os estados, inclusive com apoio dos nove governadores do Nordeste que já se posicionaram contra o governo.

Após ameaças, Paulo Afonso continua com o serviço da embasa

A possível renovação do contrato de concessão da prefeitura com a Embasa para que a empresa continue explorando a captação, tratamento e distribuição de água em Paulo Afonso, foi discutida durante audiência pública na segunda-feira, 18, na Câmara Municipal.

A audiência partiu de uma iniciativa do vereador Bero do Jardim Bahia (PT). Ele disse que não ficou satisfeito com o resultado da audiência e que esperava mais detalhes desse novo contrato, cujo prazo de validade está vencido, desde o ano passado.

Recentemente a Embasa emitiu nota confirmando que vem mantendo diálogo com a Prefeitura com o intuito de estabelecer um convênio de cooperação entre entes federados, instrumento legal que ratifica a gestão associada dos serviços, até a celebração do Contrato de Programa.

Este último (que vai conter todas as diretrizes para prestação do serviço) poderá ser firmado quando o município formular seu Plano Municipal de Saneamento, conforme determina a legislação vigente.

Hoje, a obra de maior impacto da EMBASA em Paulo Afonso é o sistema de esgotamento sanitário, cujo valor incide em 80% sobre o valor da água consumida.

Por seu expediente alguns vereadores chegaram a se manifestar contrários à renovação do contrato com o município, tirando o serviço de água e esgotamento sanitário das mãos da embasa. 

Ano passado falou-se na troca da Embasa pela SAAE, empresa instalada em Juazeiro, mas foi só da boca pra fora.

 

Fonte: Ascom Educação/Ascom SIHS/Ação Popular/BlogGeraldoJosé/PA2hs/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!