29/09/2017

Cachoeira: Flica traz influentes nomes da literatura ao Recôncavo

 

A Festa Literária Internacional de Cachoeira já se tornou tradição no calendário de eventos literários do Brasil. A sétima edição, entre os dias 5 e 8 de outubro, segue trazendo para o Recôncavo Baiano influentes nomes da literatura nacional e internacional, com programação para adultos e crianças. Em 2017, como nas edições anteriores, estão programados debates literários, lançamento de livros, exposições, apresentações artísticas, contações de histórias e saraus.

Todos os anos, escritores de diversos matizes se reúnem para debater e interagir com o público, que tem acesso gratuito a todas as atrações do evento. Política, música, biografias, religião e principalmente literatura de ficção, a criação literária, são temas presentes nas mesas de debate da Flica. A festa costuma atrair mais de 20 mil visitantes a Cachoeira, cidade que durante a Flica respira literatura em múltiplas manifestações.

Este ano, Ruy Espinheira Filho será o homenageado. Autor de mais de 20 livros, recebeu diversos prêmios, como o Nacional de Poesia Cruz e Sousa, Nestlé, Ribeiro Couto, da União Brasileira de Escritores, de Poesia da Academia Brasileira de Letras, Portugal Telecom, Rio de Literatura, além de ganhar o Jabuti. Tem contos e poemas em diversas antologias publicadas no Brasil e no exterior (Portugal, Itália, França, Espanha e Estados Unidos).

Para esta edição, já foram confirmados nomes como Maria Valéria Rezende, Franklin Carvalho, Ricardo Lísias e Daniela Galdino, além dos mediadores Milena Britto, Wesley Correia e Mônica Menezes. Entre as mesas que foram idealizadas estão “Memória, obsessões e outras matérias-primas da ficção”, “Intervenções, agitações e desvarios” e “A poesia em suas infinitas estações”.

Nas seis últimas edições, nomes internacionais como Pepetela (Angola, 2013), Gonçalo M. Tavares (Portugal, 2014), Sapphire (EUA, 2015), Matei Visniec (Romênia, 2014), Uzodinma Iweala (EUA/Nigéria, 2012), Javier Moro (Espanha, 2012), Juan Gabriel Vásquez (Colômbia, 2016), Helon Habila (Nigéria, 2015) e Kiera Cass (EUA, 2013) estiveram no espaço do Claustro da Ordem Terceira, sede dos debates.

Do Brasil, já se apresentaram na Flica estrelas literárias como Ana Maria Machado (2016 e 2014), Martha Medeiros (2015), Mary Del Priore (2016), Cristovão Tezza (2013), Laurentino Gomes (2013), Milton Hatoum (2016), Antonio Prata (2016), Xico Sá (2012), Conceição Evaristo (2016), Fabrício Carpinejar (2013) e Marcia Tiburi (2012).

Não faltaram nomes baianos, como Mãe Stella de Oxóssi (2014), Antônio Torres (2015), João José Reis (2012), Ubiratan Castro (2011), Hélio Pólvora (2011), Ruy Espinheira Filho (2012), Capinan (2012), Jaime Sodré (2012), Ordep Serra (2012) e Makota Valdina (2013).

Uma novidade deste ano será a curadoria. O escritor e jornalista Tom Correia assume este ano a função que foi ocupada, em 2016, por Emmanuel Mirdad, um dos idealizadores e coordenador geral da Flica. Autor de quatro livros individuais de contos e com participação em várias coletâneas, Tom iniciou sua trajetória ao vencer o Prêmio Braskem de Literatura, com “Memorial dos medíocres”. Com diversos trabalhos em jornalismo literário, sua relação com a Flica surgiu desde a primeira edição. Em 2013, ele foi um dos autores convidados e, no ano seguinte, mediou uma mesa.

Há sempre espaço para as crianças. Livros e brincadeiras criam um universo lúdico para a Fliquinha, um espaço literário direcionado aos pequenos. A curadoria é de Lília Gramacho e Mira Silva, que já estão no posto há cinco anos.

Aos amantes da literatura de todas as idades e gostos, a Flica é um espaço para contemplar o mundo das letras, sendo um dos maiores eventos literários do país. As mesas de debate ocorrem, desde a primeira edição, no já mencionado Claustro, enquanto a Fliquinha tem lugar no Cine-Theatro Cachoeirano, outro prédio tombado pelo IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

Parte da programação acontece no Espaço Educar para Transformar, localizado em frente à Câmara Municipal de Cachoeira. Lá, o público pode participar de diferentes atividades, como lançamento de livros, exposições, apresentações artísticas, contação de histórias e saraus.

O Governo do Estado da Bahia apresenta a Flica 2017. O projeto é realizado pela Cali e Icontent e tem patrocínio do Governo do Estado, por meio do Fazcultura, e apoio do Hiperideal, da Prefeitura Municipal de Cachoeira e da Coelba.

7ª edição da Flica tem 19 autores confirmados na programação

A 7ª edição da Festa Literária Internacional de Cachoeira (Flica) já tem 19 dos 20 autores confirmados, para compor as mesas de debate. A Flica será realizada de 5 a 8 de outubro, na cidade de Cachoeira, Recôncavo da Bahia. A entrada é gratuita.

Entre as novidades para este ano, está a escritora e jornalista finlandesa Minna Salami, que chega ao Brasil pela primeira vez. Além dela, a moçambicana Paulina Chiziane e o cubano Carlos Moore, compõem as atrações internacionais. Toda a programação da Flica e da Fliquinha - parte infantil da Flica - está disponível no site do evento.

  • Programação

5 de outubro - Quinta-feira

15:00h às 16:30h - Mesa 01 | Os reflexos do passado ancestral em nossa pele

Autores: Carlos Moore e Cuti

Mediador: Jorge Portugal

19:00h às 20:30h - Mesa 02 | Penso, falo, canto e sou sua liberdade, Cachoeira

Autores: Professor Carneirinho e Walter Fraga e Tamires Costa

Mediador: Jomar Lima

6 de outubro - Sexta-feira

10:00h às 11:30h - Mesa 03 | Memória, obsessões e outras matérias-primas da ficção

Autores: Maria Valéria Rezende e Franklin Carvalho

Mediadora: Milena Britto

15:00h às 16:30h - Mesa 04 | Intervenções, agitações e desvarios

Autores: Ricardo Lísias e Daniela Galdino

Mediador: Wesley Correia

19:00h às 20:30h - Mesa 05 | A poesia em suas infinitas estações

Autor: Ruy Espinheira Filho

Mediadora: Mônica Menezes

7 de outubro - Sábado

10:00h às 11:30h - Mesa 06 | Entre a ficção e a notícia: limites, contrapontos e narrativas possíveis

Autores: Ricardo Ishmael e Francisco José

Mediador: Zulu Araújo

14:00h às 15:30h - Mesa 7 | Verbos implacáveis, surtos criativos, angústias favoritas

Autora: Jout Jout

Mediadora: Tia Má

17:00h às 18:30h - Mesa 08 | Escrita de resistência contra os que desejam sufocar a nossa voz

Autoras: Minna Salami e Cidinha da Silva

Mediadora: Denise Carrascosa

20:00h às 21:30h - Mesa 09 | A máxima potência que habita as palavras

Autoras: Paulina Chiziane e Elisa Lucinda

Mediadora: Lívia Natália

8 de outubro - Domingo

10:00h às 11:30h - Mesa 10 | A imperdoável capacidade humana de apagar seus antepassados

Autores: Daniel Munduruku e Eliane Potiguara

Mediadora: Suzane Lima Costa

Secult divulga programação de suas unidades na Flica 2017

De 5 a 8 de outubro, a cidade histórica de Cachoeira, no Recôncavo, se tornará o principal palco de celebração à literatura na Bahia, com a realização da Festa Literária Internacional de Cachoeira (Flica 2017). A Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA) patrocina o evento através do programa Fazcultura. Além disso, a SecultBA promove, através de suas unidades – a Fundação Pedro Calmon (FPC) e a Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb) –, uma ampla programação durante os dias da festa.

Atividades culturais envolvendo livro, leitura, memória e literatura são o mote das ações preparadas pela FPC para a festa. Nos últimos anos, as ações da fundação na Flica atingiram cerca de 15 mil pessoas. Na programação, destaque para a Biblioteca Móvel, que estará a céu aberto com seu acervo de mais de 1500 livros, e atividades lúdicas com jovens e crianças. Sucesso nas edições anteriores da Festa, a biblioteca levará atividades de leitura, “contação” de histórias, palhaços, oficinas de recicláveis, peças teatrais e saraus literários. A ideia é despertar a leitura em quem nunca se interessou ou aproximou dela ou quem está começando. Uma das ações será a Árvore Literária, que distribuirá ao redor da praça, livros gratuitamente aos leitores. Serão mais de 300 livros distribuídos. Destaque nesta programação – que ocupará a Praça da Fliquinha – será o Sarau Itinerante Poesia Viva, que reunirá representantes de Saraus de Poesia Periférica de Salvador.

Estarão por lá o Slam das Minas, Sarau da Onça (Sussuarana), Sarau do Jaca (Cajazeiras).

O livro também estará no centro das ações por meio do projeto “Memórias de Leitura” que, após estreia com grande repercussão em 2016, correrá as ruas da cidade gravando, em vídeo, depoimentos de participantes da Flica, sobre livros que os marcaram. Na festa também serão lançados livros apoiados a partir dos Editais Setoriais da Secretaria de Cultura e outros títulos, dentre eles o pré-lançamento do primeiro livro da atriz Cassia Valle (Bando de Teatro Olodum), “Calu: uma menina cheia de histórias”, que será seguido de contação de histórias pela autora.

A memória da Bahia – um dos pilares da Fundação Pedro Calmon/SeculBA – estará no foco da Fundação também. O Arquivo Público do Estado/FPC-SecultBA levará aos participantes da Flica o pesquisador Vilson Caetano, que falará de documentos e arquivos custodiados pelo Arquivo que são fontes de produção literária.

Um dos principais projetos da Fundação Pedro Calmon, o Concurso para Escritores Escolares de Poesia e Redação também estará na Flica. Na Fundação Hansen Bahia serão expostas – durante toda Festa – as Poesias e Redações dos vencedores da última edição, em 2016. A programação completa da FPC está disponível no site .

A Fundação Cultural do Estado também estará presente na Flica, sediando suas ações na Casa Educar Para Transformar. A Coordenação de Literatura da Diretoria das Artes (Dirart) da Funceb exibe o conjunto de 20 vídeos do projeto Grafias Eletrônicas, de 5 a 7, de 9 às 20h. Os filmes foram gravados por artistas da palavra da Bahia, com suas obras. O objetivo do projeto, que foi realizado através de uma parceria entre a Funceb e o Irdeb, é criar um espaço contemporâneo para a difusão dos artistas da palavra e da literatura baiana, através do diálogo com o audiovisual.

A Mostra dos vídeos do projeto Grafias Eletrônicas reúne textos gravados pelos seguintes autores/obras: Alex Simões (poema desfacetado), Allan 'DuSanto' Santana (Macumbas Day), Amós Heber (Meu primeiro amor), Ana Mariano (Exílio), Edgar Torres (Hábito Noturno), Clarissa Macedo (Panorama), Cléber Eduão (Carranca), Danielle Andrade (Pássaro), Davi Nunes (cabeça de Eternit), Deisiane Barbosa (Prenúncio), Dênisson Padilha Filho (trecho da novela Eram olhos enfeitados de sol), Denisson Palumbo (Carnamaisvalias), Fernandinho Borges (Vende-se um homem), Flávia Vasconcelos (A cor dos meus olhos), Geraldo Lavigne de Lemos (a minha voz), Goli Guerreiro (trecho do romance Alzira está morta – ficção histórica no mundo negro do Atlântico), Nildão (algo mais), Laura Castro (trecho do romance O armarinho), Rosana Paulo (Ecos de uma louca), Saulo Dourado (Terra Terrível).

A Funceb também promove uma mesa-redonda com escritores, que irão tratar do temaResidências artísticas: o impacto criativo na vida dos artistas da palavra, no dia 7 de outubro, sábado, das 10 às 12h, na Sala Multiuso da Casa Educar para Transformar.

Flica 2017

A Festa Literária Internacional de Cachoeira já se tornou tradição no calendário de eventos literários do Brasil. A sétima edição, entre os dias 5 e 8 de outubro, segue trazendo para o Recôncavo Baiano influentes nomes da literatura nacional e internacional, com programação para adultos e crianças. Em 2017, como nas edições anteriores, estão programados debates literários, lançamento de livros, exposições, apresentações artísticas, contações de histórias e saraus. Este ano, Ruy Espinheira Filho será o homenageado.

O Governo do Estado da Bahia apresenta a Flica 2017. O projeto é realizado pela Cali e Icontent e tem patrocínio do Governo do Estado, por meio do Fazcultura, e apoio do Hiperideal, da Prefeitura Municipal de Cachoeira e da Coelba. Mais informações estão no site do evento.

 

 

Fonte: G1/SecultBa/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!