30/09/2017

Cachoeira: Literatura negra ganha destaque na Flica 2017

 

A literatura negra estará em destaque, mais uma vez, na Festa Literária Internacional de Cachoeira (Flica), entre os dias 5 e 8 de outubro, em Cachoeira, no Recôncavo baiano. A Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi) organiza uma série de atividades, a exemplo de lançamentos de livros e bate-papo com escritoras e escritores negros, além de manifestações culturais de matriz africana.

A iniciativa tem como objetivo garantir a visibilidade e o reconhecimento das contribuições da população negra nas artes e no campo literário, compondo as ações da Década Internacional Afrodescendente na Bahia.

De quinta-feira (5) a sábado (7), no Espaço Educar para Transformar, estão previstos lançamento e divulgação de diversos livros, a exemplo do infantil 'Bucala: A pequena princesa do Quilombo do Cabula', de Davi Nunes; 'Mulheres negras e museus de Salvador: Um diálogo em preto e branco', de Joana Flores; e 'Política, economia e questões raciais - a conjuntura e os pontos fora da curva, 2014 a 2016', de Elias Sampaio.

Em parceria com o projeto Diálogos Insubmissos, também haverá o lançamento das obras 'Parem de nos matar' e 'Canções de amor e dengo', de Cidinha da Silva; e 'Dia bonito pra chover' e 'Sobejos do mar', escritos por Lívia Natália. As autoras participam, inclusive, de bate-papo com o público, na área do anfiteatro.

O último dia de lançamentos destaca a obra 'Comentários ao Estatuto da Igualdade Racial e de Combate à Intolerância Religiosa do Estado da Bahia', que tem como organizadores a procuradora do Estado, Cléia Costa dos Santos, e o advogado e professor Sérgio São Bernardo.

Encerrando a programação da Sepromi, no sábado (7), o grupo cultural 'As Paparutas', que reúne mulheres quilombolas da Ilha do Paty, de São Francisco do Conde, ganhará as ruas divulgando o samba, a culinária e outras expressões de origem africana.

Acervo

O público também poderá conferir um acervo de livros da biblioteca do Centro de Referência de Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa Nelson Mandela, com publicações especializadas em temas que tratam das relações étnico raciais, história da África, dentre outros.

A Flica, que está na sétima edição, é realizada pela Cali e Icontent, com patrocínio do Governo do Estado, por meio do Fazcultura, apoio do Hiperideal, Coelba e da Prefeitura Municipal de Cachoeira. Uma das novidades deste ano é a curadoria do escritor e jornalista Tom Correia.

  • Programação da Sepromi

Quinta-feira (5):

15h30 - Lançamento do livro 'Bucala: A pequena princesa do Quilombo do Cabula' / Autor: Davi Nunes

17h - Lançamento do livro 'Mulheres negras e museus de Salvador: Um diálogo em preto e branco'/ Autora: Joana Flores.

Sexta-feira (6):

14h30 – Lançamento do livro 'Política, economia e questões raciais - a conjuntura e os pontos fora da curva, 2014 a 2016' / Autor: Elias Sampaio

16h - Lançamentos dos livros 'Parem de nos matar” e 'Canções de amor e dengo' / Autora: Cidinha da Silva (com bate-papo / Diálogos Insubimissos)

Sábado (7)

14h30 - Lançamento do livro 'Comentários ao Estatuto da Igualdade Racial e de Combate à Intolerância Religiosa do Estado da Bahia' / Organizador(a): Sérgio São Bernardo e Cléia Costa Santos;

16h - Lançamentos dos livros 'Dia bonito pra chover' e 'Sobejos do mar' / Autora: Lívia Natália (com bate-papo / Diálogos Insubimissos)

16h - Grupo cultural 'As Paparutas' – samba da comunidade quilombola Ilha do Paty (São Francisco do Conde) - pelas ruas de Cachoeira

SecultBA divulga programação de suas unidades na Flica 2017

Durante quatro dias a cidade histórica de Cachoeira, no recôncavo, se torna o principal palco de celebração à literatura na Bahia. A Festa Literária Internacional de Cachoeira – Flica 2017 irá acontecer no período de 5 a 8 de outubro. A Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) patrocina o evento através do programa Fazcultura. Além disso, a SecultBA promove, através de suas unidades – a Fundação Pedro Calmon (FPC) e a Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb) –, uma ampla programação durante os dias da festa.

Atividades culturais envolvendo livro, leitura, memória e literatura são o mote das ações preparadas pela FPC para a festa. Nos últimos anos, as ações da fundação na Flica atingiram cerca de 15 mil pessoas. Na programação, destaque para a Biblioteca Móvel, que estará a céu aberto com seu acervo de mais de 1500 livros, e atividades lúdicas com jovens e crianças. Sucesso nas edições anteriores da Festa, a biblioteca levará atividades de leitura, “contação” de histórias, palhaços, oficinas de recicláveis, peças teatrais e saraus literários. A ideia é despertar a leitura em quem nunca se interessou ou aproximou dela ou quem está começando. Uma das ações será a Árvore Literária, que distribuirá ao redor da praça, livros gratuitamente aos leitores. Serão mais de 300 livros distribuídos. Destaque nesta programação – que ocupará a Praça da Fliquinha – será o Sarau Itinerante Poesia Viva, que reunirá representantes de Saraus de Poesia Periférica de Salvador. Estarão por lá o Slam das Minas, Sarau da Onça (Sussuarana), Sarau do Jaca (Cajazeiras).

O livro também estará no centro das ações por meio do projeto “Memórias de Leitura” que, após estreia com grande repercussão em 2016, correrá as ruas da cidade gravando em vídeo, depoimentos de participantes da Flica, sobre livros que os marcaram. Na festa também serão lançados livros apoiados a partir dos Editais Setoriais da Secretaria de Cultura e outros títulos, dentre eles o pré-lançamento do primeiro livro da atriz Cassia Valle (Bando de Teatro Olodum), “Calu: uma menina cheia de histórias”, que será seguido de contação de histórias pela autora.

A memória da Bahia – um dos pilares da Fundação Pedro Calmon/SeculBA – estará no foco da Fundação também. O Arquivo Público do Estado/FPC-SecultBA levará aos participantes da Flica o pesquisador Vilson Caetano, que falará de documentos e arquivos custodiados pelo Arquivo que são fontes de produção literária.

Um dos principais projetos da Fundação Pedro Calmon, o Concurso para Escritores Escolares de Poesia e Redação também estará na Flica. Na Fundação Hansen Bahia serão expostas – durante toda Festa – as Poesias e Redações dos vencedores da última edição, em 2016. A programação completa da FPC está disponível no site www.fpc.ba.gov.br.

A Fundação Cultural do Estado também estará presente na FLICA, sediando suas ações na Casa Educar Para Transformar. A Coordenação de Literatura da Diretoria das Artes (Dirart) da Funceb exibe o conjunto de 20 vídeos do projeto Grafias Eletrônicas, de 5 a 7, de 9 às 20h. Os filmes foram gravados por artistas da palavra da Bahia, com suas obras. O objetivo do projeto, que foi realizado através de uma parceria entre a Funceb e o Irdeb, é criar um espaço contemporâneo para a difusão dos artistas da palavra e da literatura baiana, através do diálogo com o audiovisual.

A Mostra dos vídeos do projeto Grafias Eletrônicas reúne textos gravados pelos seguintes autores(as)/obras: Alex Simões (poema desfacetado), Allan 'DuSanto' Santana (Macumbas Day), Amós Heber  (Meu primeiro amor), Ana Mariano (Exílio), Edgar Torres (Hábito Noturno), Clarissa Macedo (Panorama), Cléber Eduão (Carranca), Danielle Andrade (Pássaro), Davi Nunes (cabeça de Eternit), Deisiane Barbosa (Prenúncio),  Dênisson Padilha Filho (trecho da novela Eram olhos enfeitados de sol), Denisson Palumbo (Carnamaisvalias), Fernandinho Borges (Vende-se um homem), Flávia Vasconcelos (A cor dos meus olhos), Geraldo Lavigne de Lemos (a minha voz), Goli Guerreiro (trecho do romance Alzira está morta – ficção histórica no mundo negro do Atlântico), Nildão (algo mais), Laura Castro (trecho do romance O armarinho), Rosana Paulo (Ecos de uma louca), Saulo Dourado (Terra Terrível).

A Funceb também promove uma mesa-redonda com escritores, que irão tratar do temaResidências artísticas: o impacto criativo na vida dos artistas da palavra, no dia 7 de outubro, sábado, das 10 às 12h, na Sala Multiuso da Casa Educar para Transformar.

Inscrições para Residência Artística para Escritores no Instituto Sacatar 2017

O Edital de Residência Artística para Escritores no Instituto Sacatar 2017, ação realizada pela Coordenação de Literatura da Diretoria das Artes (Dirart) da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), em parceria com o Instituto Sacatar, está sendo lançado nesta sexta-feira, dia 29 de setembro. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas até 12 de novembro de 2017. O período de residência artística referente ao Edital será de 11 de dezembro de 2017 a 5 de fevereiro de 2018.

Para compartilhar um pouco da experiência da residência artística e uma parte do trabalho criado, neste período, quatro artistas da palavra, que já passaram pelo Sacatar - Deisiane Barbosa, Luciany Aparecida, Marielson Carvalho e Tom Correia - vão participar da mesa Residências artísticas: o impacto criativo na vida de artistas da palavra, que acontecerá na programação paralela da Festa Literária Internacional de Cachoeira (FLICA) 2017, no dia 7 de outubro, sábado, às 10h, na Sala Multiuso da Casa Educar para Transformar.

Inscrições gratuitas

O candidato deverá preencher formulário disponível no site da Funceb e enviar para o e-mail: literatura.funceb@gmail.com, com o assunto INSCRIÇÃO – RESIDÊNCIA SACATAR. Informações completas no Edital (https://goo.gl/Jg2xyD).

No formulário de inscrição, deve ser descrita a proposta para a residência artística, no Instituto Sacatar, todos os campos devem ser corretamente preenchidos e, no campo “ANEXOS”, o proponente pode disponibilizar links para materiais complementares ao currículo, como fotos, sites, vídeos, portfólios e outros.  A Carta de intenção (em uma lauda, no máximo) deve explicar o interesse em realizar a residência especificamente, no Instituto Sacatar.

Residência aberta

Pelo quarto ano consecutivo este Edital oferece uma vaga especial para artistas da palavra nesta residência artística. "O Sacatar é uma residência aberta a todas as nacionalidades e os baianos não precisam sair do país para ter uma experiência internacional riquíssima, que pode inclusive gerar futuras inserções de projetos, que levem ao exterior", avalia o administrador do Sacatar, Augusto Albuquerque, que também estará presente no bate-papo, na Flica. Ele destaca que, além da oportunidade para criação e produção, vários contatos são feitos durante a residência, o que proporciona, além do intercâmbio, o nascimento de muitas amizades entre artistas.

Tom Correia, que em sua temporada na ilha de Itaparica, no Sacatar, desenvolveu o projeto Crônicas de um mar sem fúria, entende que “uma residência artística proporciona um impacto e um salto qualitativo enormes no processo criativo, que pode se enveredar por outras formas de expressão”. No caso dele, o Instituto Sacatar, além de inspirar a escrita de crônicas, despertou a fotografia. “Ninguém sai o mesmo após um período de retiro criativo. Você deixa a residência em termos físicos, mas ela permanece reverberando", conclui.

Para Luciany Aparecida, que participou do processo seletivo do Edital, em 2015 e foi convidada pelo Sacatar a fazer residência no local, uma residência artística é importante “como um derrame de palavras, as letras te melam, comigo foi assim, com a residência eu me co-movi a nadar. Hoje em dia eu sou peixe, e pratico voo livre”, fala a escritora, cujo projeto inicial para a residência era um livro de poemas, mas acabou escrevendo um romance.

“O princípio é a criação e como primeira etapa dos elos da rede produtiva, sabemos o quanto é importante cuidar do tempo e espaçodestinados a este princípio. É essencial dar importância ao tempo da criação de cada artista, tanto quanto à sua formação, produção, difusão”, considera Karina Rabinovitz, coordenadora de Literatura da Funceb. Ela ainda destaca a importância desta parceria entre a Funceb e o Sacatar: "É uma continuidade muito importante, que pode trazer benefícios grandes, a médio e longo prazo, para a literatura da Bahia".

Sobre o Sacatar

Iniciado em 2001, o Instituto Sacatar (www.sacatar.org), localizado na Ilha de Itaparica, é a primeira residência internacional para artistas estabelecida no Brasil e uma das maiores da América Latina, propiciando o espaço e o tempo livre para que sejam desenvolvidos novos trabalhos e projetos. Entre as metas, estão: oferecer um lugar onde artistas possam conviver e criar; facilitar a interação e a colaboração dos artistas com a comunidade; aumentar a visibilidade e o impacto cultural da cidade e da nação; e estimular a arte e a criação.

  • Serviço:

Edital de Residência Artística para Escritores no Instituto Sacatar 2017

Inscrições: 29 de setembro a 12 de novembro de 2017

Informações: https://goo.gl/Jg2xyD

Mesa “Residências artísticas: o impacto criativo na vida de artistas da palavra”

Com: Deisiane Barbosa, Luciany Aparecida, Marielson Carvalho, Tom Correia, Renata Dias (Diretora Geral da Funceb), Lia Silveira (Diretora das Artes da Funceb), Karina Rabinovitz (Coordenadora de Literatura da Funceb), Augusto Albuquerque (Instituto Sacatar) e apresentação dos novos residentes do Instituto Sacatar

Data: 7 de outubro, sábado, às 10h

Local: Sala Multiuso da Casa Educar para Transformar, Cachoeira/Ba - Programação paralela da FLICA 2017 (Festa Literária Internacional de Cachoeira)

 

 

Fonte: Ascom Sepromi/SecultBa/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!