04/10/2017

Festival Radioca aposta na diversidade musical em sua 3ª edição

 

Nos dias 7 e 8 de outubro, o Festival Radioca chega a sua terceira edição com uma programação que inclui shows e artistas inéditos, feira com produtos de música, moda, gastronomia e artes e uma oficina de fotografia. O III Festival Radioca é patrocinado pelo segundo ano pela Natura, por meio do Natura Musical -plataforma dedicada à música brasileira- e pelo Governo do Estado, através do Fazcultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia.

Com duas atrações a mais que nas edições anteriores, o evento terá 10 shows, apresentando um apanhado abrangente do que se produz na música brasileira atualmente, unindo estilos como RAP, guitarrada paraense, rock, música instrumental e pop. No sábado (07), sobem ao palco Livia Nery (BA), Pio Lobato (PA) tendo como convidado Lucas Estrela (PA), Raymundo Sodré (BA), Far From Alaska (RN) e Rincon Sapiência (SP).

Já no domingo (08), se apresentam Jadsa Castro (BA), Mopho (AL), Quartabê (SP), Curumin (SP) e Metá Metá (SP). O terceiro lote de ingressos está à venda no site Sympla, nas lojas Mito, midialouca e Somos Coletivo Criativo e no bar Oliveiras e as entradas custam R$50 e R$25 (meia entrada).

“Acho que nossas escolhas são amarradas por três características: diversidade, qualidade e ineditismo”, explica o jornalista Luciano Matos, um dos curadores do festival, originado do programa de rádio homônimo da Educadora FM, apresentado também pelos músicos Ronei Jorge e Roberto Barreto, que completam o time da curadoria. “É nossa intenção provocar o público, unindo estilos diferentes como a guitarrada de Pio Lobato, o rock do Far From Alasca e o RAP de Rincon Sapiência num mesmo dia. Acreditamos na força do festival como conceito, de um espaço interessante para conhecer coisas novas”.

“Estamos renovando o modelo de atuação do Natura Musical e suas parcerias com o objetivo de ampliar as oportunidades de palco para nossos artistas e contribuir para a formação e ampliação de público para a música brasileira”, explica Fernanda Paiva, gerente de marketing institucional da Natura. “A parceria com eventos enraizados regionalmente nos ajuda a ter um alcance maior no País, com grande representatividade e capilaridade”.

O superintendente de Promoção Cultural da SecultBA, Alexandre Simões considera que eventos como o Radioca são imprescindíveis para o intercâmbio cultural e apresentação de novos artistas das cenas baiana e nacional. “O papel do Fazcultura é justamente tornar possível eventos de todos os tamanhos e para os mais diversos públicos. É justamente a diversidade a marca desse programa, permitindo que boas ideias se tornem realidade, beneficiando principalmente o público”

As duas edições anteriores receberam nomes como Siba, Anelis Assumpção, OQuadro, Apanhador Só, Karina Buhr, Giovani Cidreira, Jards Macalé e Dona Onete, entre outros, e foram sucesso de público e crítica. Nesta edição, são esperadas 5 mil pessoas nos dois dias do evento, que toma o charmoso e histórico Trapiche Barnabé, na região portuária da cidade.

“Acreditamos que o festival é uma plataforma de desenvolvimento do mercado da música e uma vitrine do Brasil para a Bahia e da Bahia para o Brasil, mostrando para o país a cena fértil que acontece por aqui”, conclui Carol Morena, coordenadora do Radioca.

Além do palco

A ideia de fortalecer o mercado da música vai além do palco, com a realização de uma oficina inédita de fotografia de shows musicais. Victor Balde e Arthur Soares, da Snapic, empresa especializada de Sergipe, orientarão duas turmas de fotógrafos durante o festival. A dupla traz no currículo passagens por festivais como Paléo e Gurten (ambos na Suiça), Lollapalooza (SP), Do Sol (RN), Psicodália (SC) e são os fotógrafos oficiais do Universo Paralello (BA), Abril Pro Rock (PE) e Zons (SE).

Uma feira de artigos que unem música a moda e design também ocupa o Trapiche durante o festival. A exposiSONS alinha segmentos sonoros em um espaço informal para venda, divulgação e convivência e trará produtos musicais, projetos, selos e editoras independentes, instrumentos artesanais e serviços especiais. O stand terá também duas ações ambientais: troca-troca de CDs e coleta de e-lixo para o projeto JJ Lixo Eletrônico.

O artista plástico, ilustrador e quadrinista paraibano Shiko também vai expor suas obras no Radioca. Estão programadas sessões de autógrafos das 16h às 18h horas, nos dois dias de festival, no stand da marca Crioula, onde estarão expostas ilustrações em aquarela relacionadas à música e lambe-lambes, além de alguns dos seus quadrinhos.

  • Serviço:

III Festival Radioca

Local: Trapiche Barnabé (Av. Jequitaia, n. 5, Comércio – Salvador, BA)

Data: Sábado (07) e Domingo (08)

Horário: 16h

Ingresso: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia entrada)

Lojas Mito: Shoppings Paralela e Bela Vista; todos os dias das 9h às 22h.

Midialouca: Rua Fonte do Boi, Rio Vermelho; de segunda a sábado, das 8h às 0h.

Somos Coletivo Criativo: Shopping da Bahia; de segunda a sábado, das 9h às 22h, e domingos, das 13h às 21h.

Oliveiras: Rua Direita do Santo Antônio; de quinta a sábado, de 18h a 1h, um domingo por mês, de 14h a 22h.

SecultBA divulga projetos selecionados na quarta chamada do Edital de Mobilidade

A quarta e última chamada de 2017 do Edital de Mobilidade Artística e Cultural, com recursos do Fundo de Cultura da Bahia, pré-selecionou 16 propostas de um total de 56 inscritas. Os projetos têm atividade prevista para os meses fevereiro a abril de 2018, sendo sete deles de Intercâmbio e Difusão Artística; 5, de Formação; e 4, de Residência Artística-Cultural. O valor investido nesta chamada é de R$ 247.050.

Dos projetos, a maioria continua sendo de Salvador e Região Metropolitana, mas foram também selecionadas propostas dos territórios do Sisal, Portal do Sertão, Litoral Sul, Chapada Diamantina e Itaparica. Foram contempladas as áreas de Música e Teatro (3, cada), Audiovisual, Circo e Dança (2), Artes Visuais, Cultural, Patrimônio Imaterial e Rádio.

Nesta edição, foram apresentadas 103 propostas, com 56 consideradas inscritas após análise prévia. Outras três chamadas foram realizadas ao longo do ano e muitos projetos já foram executados e outros estão em período de atividade. Na primeira, foram 152 apresentados, com 84 inscritos e 14 selecionados, com atividades entre maio e julho de 2017; na segunda, 110, 71 e 15, para os meses de agosto a outubro; e na terceira 85, 53 e 15, com as atividades previstas para novembro/2017 a janeiro/2018.

O Edital de Mobilidade permite a promoção do diálogo intercultural e investimento na formação profissional dos agentes culturais locais, além de contribuir para o aprofundamento da cooperação artística/cultural nacional e internacional. Segundo o superintendente de Promoção Cultural da Secretaria de Cultura da Bahia, Alexandre Simões, o Mobilidade tem uma característica de formação e divulgação do que se produz de melhor na cultura baiana. “Além de circular os projetos, o edital permite aos artistas e produtores vivenciarem experiências em outros Estados e países e que possam no retorno sociabilizar esses conhecimentos. Uma das principais marcas dessa linha de fomento é a diversidade”.

A SecultBA proporciona atendimento através da Central de Atendimento Integrado para orientar interessados e proponentes. A Central funciona de segunda a sexta-feira, das 14h às 17h, através do telefone (71) 3103 3489, e-mail mobilidade@cultura.ba.gov.br ou presencialmente, no endereço Palácio Rio Branco, Praça Thomé de Souza, s/n, térreo – Centro, CEP: 40.020-¬010 – Salvador/Bahia.

 

Fonte: SecultBa/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!