07/10/2017

Salvador: Pelourinho Dia e Noite terá Domingo Gastronômico

 

Neste domingo (8), a partir das 11h, restaurantes, sorveterias e cafés do Pelourinho e do Largo do São Francisco participarão da primeira edição do Domingo Gastronômico – Culinária Baiana Original com Arte. A ação faz parte do Pelourinho Dia e Noite, promovido pela Prefeitura de Salvador e coordenado pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult), através da diretoria de gestão do Centro Histórico.

Os cardápios dos estabelecimentos que vão participar do Domingo Gastronômico serão feitos a partir de receitas presentes no livro ‘’Arte Culinária na Bahia’’, de 1916, de Manuel Querino, para reafirmar a culinária baiana e custarão no máximo R$ 50,00. 

A partir das 12h30, o público terá cenas de dramaturgia criada pela escritora e dramaturga Aninha Franco. Os atores Carlos Betão, Amos Heber, Bruno Roma, Dino Brasil, Diogo Teixeira e Zé Carlos interpretarão, em cenas curtas, diversos personagens da cultura baiana, como Gregório de Mattos, o babalorixá Joãozinho da Goméia, o político Cosme de Farias ou os rebeldes Lucas Dantas e Manuel Faustino, da Sedição dos Alfaiates.

Osba ocupa TCA com programação especial no Dia das Crianças

No próximo dia 12, quando se comemora o Dia das Crianças, o Complexo Teatro Castro Alves será ocupado por atividades da Orquestra Sinfônica da Bahia (Osba), que integra a programação do Festival ‘Cinquentinha – Tem Criança no TCA’, iniciativa voltada a celebrar o mês das crianças e os 50 anos do espaço cultural. Na parte da tarde, das 15h às 17h, será realizada uma nova edição do projeto “Osbacuri’, que propõe uma imersão de crianças e pais no universo sinfônico, ocupando a Esplanada da Concha Acústica do TCA, com entrada gratuita.

Em seguida, às 19h, a Osba retorna com o aclamado ‘Cineconcerto – 2ª Edição’, na Concha Acústica do TCA, com repertório totalmente renovado. Os ingressos começam a ser vendidos nesta sexta-feira (6), a R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia), e haverá arrecadação de brinquedos, que serão doados para instituições assistidas pelas Voluntárias Sociais da Bahia (VSBA), parceira do TCA e da Osba nesta ação.

Osbacuri

O projeto ‘Osbacuri’ tem como público-alvo as crianças e fez sua edição de estreia em outubro de 2016, no Palacete das Artes, no bairro da Graça, em Salvador. A ideia é dividir a orquestra em ‘cantinhos’ musicais, sendo cada um destes espaços dedicado a um naipe - Cordas, Madeiras, Metais, Percussão. Nestes espaços, os músicos da Osba tocam peças conhecidas do universo infantil e propõem uma interação com as crianças, que são convidadas para tocar alguns dos instrumentos. Ainda há os ‘cantinhos’ dedicados à Composição e à Regência, este último sob o comando do maestro Carlos Prazeres.

Cineconcerto – 2ª Edição

A Osba retorna com uma 2ª edição do aclamado ‘Cineconcerto’, com novidades no repertório, que explora trilhas sonoras memoráveis do cinema mundial, como os temas de abertura da série ‘Game of Thrones’ e do desenho ‘Os Simpsons’, além de trilhas do filme francês ‘O Fabuloso Destino de Amélie Poulain’ e a saga ‘O Senhor dos Anéis. Mas os fãs podem ficar tranquilos, pois o programa desta edição mantém alguns dos seus maiores destaques, como as trilhas das sagas ‘Star Wars’ e ‘Harry Potter’, além de ‘Indiana Jones’, ‘Superman – O Filme’, entre outros.

Os ingressos podem ser adquiridos pelo site www.ingressorapido.com.br, nas bilheterias do Teatro Castro Alves (TCA) e nos postos de vendas dos SACs do Shopping Barra e do Shopping Bela Vista.

Grupo TCA Instrumental se apresenta na próxima segunda

Apresentando seu projeto didático sobre música clássica, o grupo TCA Instrumental realiza mais uma edição do “Segundas Concertantes” no Foyer do Teatro Castro Alves, na próxima segunda-feira, dia 9 de outubro, das 13h30 às 14h30, entrada franca.

A execução do repertório é feita com mediação dos próprios músicos de orquestra, que falam do contexto de criação das obras, sua localização na história da música, sua importância criativa, além da descrição dos naipes e instrumentos. A iniciativa também se compromete a ocupar espaços alternativos às salas de teatro ou de concerto, no intuito de alcançar novas plateias e ir ao encontro das pessoas de forma próxima e acolhedora.

O TCA Instrumental é formado por sete músicos contratados pela Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb) em Regime Especial de Direito Administrativo (REDA): Ana Zanata (violino), Diogo Pimentel (violino), Daniel Aly (violino), Antônio Amorim (violino), Rodolfo Lima (contrabaixo), Sandra Romero (oboé) e Stephan Sanches (trombone).

O programa abrange a descrição e a execução de peças de grandes compositores característicos dos cinco períodos históricos em que a música ocidental se desenvolveu e expandiu por todo o mundo: Barroco, Clássico, Romântico, Moderno e Contemporâneo, incluindo a música brasileira. Obras de mestres como Bach, Mozart, Tchaikovsky, Beethoven, Brahms, Stravinsky e os brasileiros Villa-Lobos e Luiz Gonzaga estão no repertório das apresentações continuadas.

  • Serviço:

TCA Instrumental – “Segundas Concertantes”

Data: 9 de outubro (segunda-feira), 13h30 às 14h30

Local: Foyer do Teatro Castro Alves

Praça Dois de Julho, s/n – Campo Grande

Entrada gratuita (*Sujeita à lotação do espaço)

MAB recebe XXXVII Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte

O Museu de Arte da Bahia (MAB) recebe entre domingo (08) e quinta (12), o XXXVII Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte. Realizado pelo Comitê Brasileiro de História da Arte (CBHA) e a Universidade Federal da Bahia (UFBA), o tema será ‘História da Arte em Transe: (i)materialidades na arte’.

A Comissão de Organização é composta por Patricia Dalcanale Meneses (UNICAMP) – Presidente; Arthur Valle (UFRRJ); Ines Karin Linke Ferreira (UFBA); Luiz Alberto Ribeiro Freire (UFBA); Marco Antonio Pasqualini de Andrade (UFU); Marize Malta (UFRJ); Paula Viviane Ramos (UFRGS); Sandra Makowiecki (UDESC) e Tamara Quírico (UERJ). Inscrições no link  http://www.cbha.art.br/coloquios/atual/index.html, com valores entre R$ 40 e R$ 120.

Estar em transe, para a História da Arte, é deslocar as percepções consolidadas e estar aberto a outras experiências.  O XXXVII Colóquio do CBHA, a ser realizado na Bahia, terra de todos os santos e de tradicionais terreiros, incita olharmos menos para os santos e dogmas europeus e mais para nossos próprios santos, entidades e sensibilidades. a complexidade das manifestações artísticas apresenta, quase sempre, uma indissociabilidade entre esses dois componentes - o palpável e o visível, o invisível e o dizível, o experimentado e o imaginado.

A questão preocupou determinadas vanguardas durante o debate moderno, e agora, na contemporaneidade, tal relação tornou-se mais dialética e profunda. É, pois, intenção do XXXVII Colóquio do CBHA promover um “terreiro” de encontros, tratando de temas e pontos de vista que abordem histórias da arte em transe e estimulem a discussão sobre a manifestação ou desmaterialização do material das propostas artísticas capazes de nos fazer experimentar outros pontos de vista.

Sobre o Comitê Brasileiro de História da Arte

Fundado em 1972, o Comitê Brasileiro de História da Arte (CBHA) é uma associação de professores e pesquisadores dedicados a estudos no campo da história da arte brasileira e internacional. Filiado ao Comité International d'Histoire de l'art (CIHA), o CBHA busca estabelecer condições de intercâmbio com pesquisadores e instituições internacionais e estimular, por meio de seus colóquios anuais, a divulgação das pesquisas realizadas por seus membros, promovendo a comunicação e a troca de conhecimentos entre a disciplina e campos correlatos.

  • Serviço:

XXXVII Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte

Local: Museu de Arte da Bahia (MAB)

Data: Entre domingo (08) e quinta (12)

Taxas de inscrição: Estudantes de graduação- R$ 40,00 / Estudantes de pós-graduação- R$ 80,00 / Docentes e pesquisadores não membros do CBHA - R$ 120,00

Informações e inscrições no link:http://www.cbha.art.br/coloquios/atual/index.html

Museus promovem atividades em homenagem ao Dia das Crianças

Na próxima semana, os museus vinculados à Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio artístico e Cultural da Bahia (DIMUS/IPAC), unidade da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), realizam uma série de homenagens ao Dia das Crianças (12), procurando fortalecer a relação museu-comunidade a partir de atividades que proporcionem às crianças o correr e o pular ao ar livre, além de estimular a prática artística. O destaque fica para a terça (10) com o projeto ‘Pintando o Sete – brinquedos e brincadeiras’ que acontece a partir das 10h30 e das 13h30 na Praça das Artes (Pelourinho) com alunos da Escola Municipal Vivaldo da Costa Lima. Nesse dia ainda acontece às 17h, a abertura da exposição “Os Meninos do Pelô não apenas sabem tocar tambor: também apreciam música, literatura e  obras de arte” com alunos do Colégio Azevedo Fernandes, no Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica (também no Pelourinho).

De acordo com Fátima Soledade, assessora técnica da DIMUS, o projeto Pintando o Sete: brinquedos e brincadeiras, é uma ação integrada entre os Setores Educativos dos Museus DIMUS/IPAC e o LabDIMUS (Laboratório de Educação Digital: Museu, Arte e Cultura) em comemoração ao Dia da Criança, oferecendo ao público infantil um dia de atividades lúdicas. Farão parte jogos e brincadeiras com peteca, a amarelinha, a ciranda, além de outros que tenham um valor cultural e tragam movimento a essas crianças.

“Com isso, buscamos promover a interlocução entre relevantes elementos da cultura popular infantil visando fortalecer a relação museu-comunidade a partir de atividades que proporcionem às crianças lembranças dos brinquedos e brincadeiras que perduram até hoje no imaginário popular onde o correr e o pular estão presentes no rico universo infantil. Hoje os jogos eletrônicos instalados em computadores e celulares vêm tomando rapidamente os espaços destas antigas e salutares brincadeiras infantis. Cada vez mais a criança se afasta dos brinquedos e das brincadeiras onde o fator principal é o contato saudável entre elas”, explica.

Exposição

‘Os Meninos do Pelô não apenas sabem tocar tambor: também apreciam música, literatura e  obras de arte’ é o nome da exposição que será aberta dia 10/10, às 17h, no Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica (Pelourinho). Uma parceria entre o Colégio Azevedo Fernandes, o Museu Udo Knoff e o LabDimus, a mostra fica em cartaz até 10/11, apresentando 20 peças de pintura em azulejo, 12 pinturas em tela e uma revista em quadrinhos. A abertura contará com apresentação da Fanfarra do Colégio Estadual Azevedo Fernandes (sai tocando do colégio até o museu) e performance artística.

“O artista Carybé foi escolhido por ilustrar as obras de Jorge Amado e por retratar, em suas obras de arte, cenas do cotidiano que dialogam com cenas do livro ‘Capitães da Areia’, muitas delas no Pelourinho, o que remete às cenas reais protagonizadas pelos alunos do Colégio Estadual Azevedo Fernandes. Assim, literatura e pintura se entrecruzam dando sentido à leitura que os alunos fazem da arte em diálogo com o mundo, a arte que se faz no interior do coração, a arte que inclui. Além disso, os episódios narrados no livro têm como espaço geográfico vielas, ladeiras, ruas do Pelourinho que exibem, em sua arquitetura, imponentes casarões e igrejas revestidas de azulejos trazidos de Portugal”, informa a coordenadora do museu, Renata Alencar.

A programação do Udo Knoff prossegue na segunda (09/10) e quarta (11/10), das 9h às 11h e das 14h às 16h, com a mediação ‘Comunicação e Visibilidade’ e atividade PoeMusik ‘Construindo Rasuras: a memória em foco’, com um grupo de alunos, de 16 e 18 anos do Curso Eletrotécnica do IFBA (Camaçari). Nesses dias, o grupo que coordena o Poemusik  também fará uma performance para os estudantes, com poesias que tratam do tema sobre identidade e memória. Já no sábado (14/10), às 14h na frente do museu, acontece a atividade de Roda de Capoeira e Samba de Roda com o Grupo de Capoeira Infantil da Associação de Capoeira Angola Mestre Pelé das Bomba, Grupo de Percussão Mãos no Couro com Professor Dainho Xequerê e participação de outros mestres de Capoeira.

O projeto ‘Construindo Rasuras

A memória em foco’ é uma atividade direcionada para atender em média 100 alunos do curso de Eletrotécnica. Os estudantes são estimulados a conhecer um espaço, discutir seus problemas e escolher um deles para proporem uma solução. Ao museu caberá a apresentação da coleção de Udo Knoff, o histórico do museu, reflexão sobre a manutenção desse espaço aberto ao público, sua visibilidade e conhecimento por parte da sociedade. Em seguida ocorrerá uma oficina de poesia para eles exprimirem seus sentimentos a partir das discussões. Ao retornarem para a escola irão construir suas propostas que serão apresentadas no mês de novembro”, explica Renata Alencar.

A oficina ‘Poemusik

Poesia Musicada’ é uma experiência criativa com o mundo das palavras realizada pelos funcionários e músicos do Museu Udo Knoff. “Tem como referência a poesia de rua e a música de improvisação estabelecendo a relação do museu com a música. A partir de estímulos proporcionados pela mediadora, o grupo passa a exercitar as palavras de formas usuais e não usuais, montando, desmontando e remontando os vocábulos de forma inventiva, produzindo descobertas surpreendentes, estabelecendo uma nova relação entre o grupo e a música”, acrescenta Alencar.

Outubro lúdico no Parque Histórico

O Parque Histórico Castro Alves (Cabaceiras do Paraguaçu, Recôncavo) vem durante todo o Mês das Crianças presentear os visitantes e a comunidade com o projeto ‘Brincando como no tempo dos nossos avós’, quando será promovida a valorização e a preservação  cultural do Recôncavo Baiano  através de brincadeiras antigas, samba de roda, contação de histórias, karaoquê infantil, Cinema no Parque, sarau infantil e visitas guiadas.  Para participar da programação é necessário o agendamento prévio pelo telefone (75) 3681-1102.

Por conta do primeiro centenário da morte de Castro Alves, em março de 1971 foi inaugurado, no lugar onde ele nasceu, o museu biográfico Parque Histórico Castro Alves (PHCA), numa área de 52 mil metros quadrados. O acervo convida os visitantes a mergulharem no universo do porta-voz literário da Abolição da Escravatura no Brasil, através de seus poemas, informações e objetos pessoais dele e familiares. Além do museu, o parque contém um anexo com sala multimídia, auditório, biblioteca, infocentro, reserva técnica, refeitório e administrativo. Na área de Mata Nativa, os visitantes podem fazer uma trilha e visitarem o Pouso de Adelaide, o Anfiteatro, a Cruz da Estrada, a Fonte e o Marco da Fazenda. O público pode ainda usufruir dos projetos socioeducativos: Conhecendo as Nascentes; Sarau no Parque: Música, Poesia e Arte nos Finais de Tarde; Brincando como no Tempo de Nossos Avôs; Oficina de Teatro; Baú de Memórias e Sopa de Letras. Anualmente, o parque também promove o Festival de Declamação de Poemas de Antônio Frederico de Castro Alves. Visitação ocorre de terça a domingo, de 9 às 13h. Entrada grátis. Contatos: Praça Castro Alves, 106, Centro - Cabaceiras do Paraguaçu (BA) - (75) 3681-1102.

  • Serviço:

Museus DIMUS/IPAC promovem atividades em homenagem ao Dia das Crianças

Local: Rua Frei Vicente, nº 03, Pelourinho – Salvador (BA)

Visitação: terça a sábado

Horário: 13 às 17 horas

Contatos: (71) 3117-6389

Entrada gratuita

 

Fonte: BNews/Ascom Osba/SecultBa/Ascom Dimus – Ipac/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!