10/10/2017

Feira: PF investiga fraude na CEF e venda clandestina de suplementos

 

Na manhã desta segunda-feira (9), a Polícia Federal prendeu o empresário Ricardo Peixoto e apreendeu mais de cinco toneladas de suplementos, três veículos, uma lancha e três imóveis na Operação Hedonikos. A iniciativa tinha como objetivo coibir a ação do empresário de Feira de Santana, que atuava na fabricação clandestina de suplementos alimentares e fraudes financeiras. O prejuízo causado somente à Caixa Econômica Federal somam R$ 6,5 milhões.

A Operação Hedonikos, deflagrada pela Polícia Federal (PF) na manhã desta segunda-feira, 9, contou com o apoio da Vigilância Sanitária e Ambiental do Estado (Divisa). De acordo com a PF, o homem é investigado por fraude na Caixa e por fabricar de forma clandestina suplementos alimentares. Os produtos são distribuídos por toda a região Nordeste.

Foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão nas cidades de Feira de Santana e Salvador, um mandado de prisão preventiva, três mandados de condução coercitiva, além de seis mandados de sequestros de bens e bloqueio de valores em contas bancárias, todos expedidos pela 3ª Vara Federal de Feira de Santana. Os investigados irão responder pelos crimes de estelionato, fabricação clandestina de produtos equiparados a medicamentos, sonegação fiscal, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e associação criminosa.

Ricardo abriu contas bancárias e obteve empréstimos fraudulentos com a utilização de documentos falsos. As investigações começaram há três meses e levaram a diversas empresas constituídas pelo investigado com a utilização de “laranjas”, que atuavam na fabricação e comercialização clandestina de suplementos alimentares. Os produtos eram feitos sem qualquer autorização dos órgãos de vigilância sanitária competentes e distribuídos através de sua rede de lojas em Feira de Santana e Salvador, além de outros estabelecimentos do Nordeste.  A operação tem apoio da Vigilância Sanitária e Ambiental do Estado (Divisa).

Fraudes

O início das fraudes se deu quando o empresário obteve a alteração de seu nome em virtude de decisão judicial de reconhecimento de paternidade e passou a utilizar o seu nome antigo para cometer atos ilícitos, desde abertura de contas bancárias em instituições financeiras à constituição de empresas, tudo com o nome, CPF e RG já inativos, tendo como consequência a inadimplência perante os bancos e não pagamento de tributos de dívidas. A partir desses negócios ilícitos, o empresário conseguiu constituir um patrimônio significativo, com a aquisição de imóveis, veículos de alto padrão e até mesmo uma lancha, os quais não eram declarados às autoridades fazendárias por estarem registrados em seu antigo nome ou em nome de terceiros.

Na manhã desta segunda-feira (9), a Polícia Federal prendeu o empresário Ricardo Peixoto e apreendeu mais de cinco toneladas de suplementos, três veículos, uma lancha e três imóveis na Operação Hedonikos. A iniciativa tinha como objetivo coibir a ação do empresário de Feira de Santana, que atuava na fabricação clandestina de suplementos alimentares e fraudes financeiras. O prejuízo causado somente à Caixa Econômica Federal somam R$ 6,5 milhões.

Alvo da PF, empresário fez tour em novas instalações da XPand

Alvo da Polícia Federal nesta segunda-feira (9), Ricardo Peixoto, dono da XPand Nutrition, costuma ostentar nas redes sociais. Com textos motivacionais, o empresário divulga seus produtos que, de acordo com a PF, eram adquiridos de forma clandestina. As fotos mostram também sua lancha, como divulgada pela corporação.

Na sua última publicação, há dois dias, ele mostra um vídeo em que ele fez um tour pela sede da empresa, com três andares. “A XPand Melhorando cada vez mais, aumentando suas instalações. Agora com sala de reuniões sendo montada. Vários setores. Tudo em obra. Salas novas, banheiros sendo feitos”, diz.

Nutrition Store afirma que nunca trabalhou com produtos da XPand, empresa alvo da PF

A empresa de suplementos esportivos Nutrition Store afirmou em nota que nunca trabalhou com produtos da XPand Nutrition, alvo da Polícia Federal em operação nesta segunda-feira (9).

Leitores do BN haviam sinalizado que a loja comercializava os produtos, o que a empresa nega - o BN errou ao acatar os comentários dos leitores sem contatar inicialmente a Nutrition Store.

"Somos uma empresa séria, a maior rede de lojas de suplementos do Nordeste do Brasil, e trabalhamos com produtos nacionais e importados, todos devidamente autorizados pela Anvisa", disse a empresa em nota, acrescentando que nunca teve qualquer relação com a XPand.

FUNTITEC solicita relatório estrutural do Casarão dos Olhos D’água

Após firmar o Termo de Convênio com a Fundação Alfredo da Costa e Almeida Pedra, a Fundação de Tecnologia da Informação, Telecomunicação e Cultura Egberto Costa - FUNTITEC, que agora administra oficialmente o Casarão Olhos D’Água, encaminhou expediente ao secretário Pablo Roberto, titular da Secretaria Municipal de Prevenção a Violência e Direitos humanos, solicitando apoio da Defesa Civil, objetivando o fornecimento de um relatório da parte estrutural, buscando o detalhamento da parte física do prédio.

A solicitação é parte da iniciativa do presidente da FUNTITEC, Antonio Carlos Coelho, em dar celeridade ao processo de transformação do prédio no Memorial do Vaqueiro. “Após esse relatório vamos montar, junto com o departamento de administração da FUNTITEC, um processo de inexigibilidade para contratação de pessoas com notória especialidade no assunto, para construir o Memorial do Vaqueiro, motivo esse pelo qual a Fundação assumiu a administração do equipamento”, afirmou Antonio Carlos.

Ainda de acordo o presidente, o departamento irá enviar esse processo para o Tribunal de Contas do Município - TCM solicitando um parecer sobre o assunto. Caso não seja acatado por parte do TCM o processo por inexigibilidade, será preparado um processo licitatório. “Estamos buscando o processo mais rápido para iniciar a obra. Vamos fazer as intervenções necessárias para inaugurar um novo espaço de conhecimento e entretenimento cultural para o nosso município”, disse.

Secretários discutem em Feira organização dos leitos de obstetrícia

A Secretaria de Saúde de Feira de Santana sediou nesta segunda-feira, 9, reunião ampliada da Comissão Intergestora Regional (CIR). O encontro, no auditório Dr. João Batista de Cerqueira, reuniu secretários municipais de duas regiões de saúde: Feira, que engloba 28 municípios, e Serrinha, com 19 cidades.

A pauta da reunião foi discutir o fluxo materno infantil e o papel de cada município para garantir a organização da rede e, sobretudo, o serviço materno infantil. A secretária municipal de Saúde, Denise Mascarenhas, observa a importância em discutir as políticas públicas da rede cegonha.

“A organização dos leitos de obstetrícia oferecidos pelo SUS é muito significativa, tendo em vista a necessidade dos municípios circunvizinhos se planejarem para atendimentos de partos habituais e encaminhamentos necessários das pacientes de alto risco e ambulatório de pré-natal de alto risco tipo II – requer mais atenção - para as unidades de referência em Feira e Salvador”, afirma Denise.

A reunião foi conduzida pelos técnicos da Sesab (Secretaria da Saúde do Estado da Bahia) e do Núcleo Regional de Saúde. Entre os presentes, Ivonildo Dourado, coordenador da CIR Centro Leste, e Alcina Romero, diretora de Atenção Especializada.

Câmara de Feira é colocada contra a parede

O Ministério Público estadual (MP) cobrou a assinatura do contrato da Câmara de Feira de  Santana com a empresa mineira MSM Consultoria e Projetos, vencedora da licitação para  realizar o concurso da Casa.

Contudo, o presidente do Legislativo, José Carneiro (PSDB),  encontrou processos judiciais por fraudes contra a empresa e não quer assinar. “Só assino se o MP obrigar e assumir a responsabilidade”, diz. O desejo dele é que Vunesp ou Cespe realizem o certame.

Líder do governo lamenta redução de vagas no transporte alternativo

O vereador e líder governista Luiz Augusto de Jesus, Lulinha (DEM), no uso da tribuna da Casa da Cidadania na sessão desta segunda-feira (09), lamentou a redução da quantidade de vagas ofertadas pelo Município em processo licitatório para regulamentação do sistema de transporte alternativo, mas afirmou que o certame é indispensável e o gestor municipal está cumprindo com as determinações previstas em lei.

“Estou triste com a redução da oferta de vagas para licitação das vans, mas essa é uma questão que o prefeito vem discutindo há dois anos. O gestor precisa obedecer a lei e a licitação é necessária. O transporte alternativo só deve atender apenas os locais onde não existem linhas de ônibus”, explicou.

Na oportunidade, o edil repercutiu o 21º Passeio Ciclístico da Primavera, que aconteceu na manhã de domingo (08) sob a organização do Rotary Clube Subaé. Lulinha parabenizou o Governo Municipal pelo apoio aos eventos realizados em Feira de Santana. “Um belo evento, que arrecadou alimentos para serem doados às instituições beneficentes de nossa cidade”, destacou.

Ainda no uso da tribuna, o líder governista comemorou o início de obras de construção do estádio de futebol do distrito de João Durval Carneiro (Ipuaçu) e anunciou que novos investimentos serão realizados pelo prefeito em diversos bairros e distritos de Feira de Santana.

Vereadora denuncia cobrança indevida no transporte alternativo na zona rural

A vereadora Neinha Bastos (PTB), em pronunciamento na tribuna da Casa da Cidadania denunciou a cobrança abusiva no valor da passagem no transporte coletivo do distrito de Bonfim de Feira. De acordo com a edil, os passageiros estão sendo obrigados a pagar R$ 8 para se deslocarem da zona rural para a sede do município, enquanto o valor estabelecido é de R$ 4,10.

“Recebi diversas informações de que a empresa que faz a linha para o distrito esta cobrando um absurdo para os moradores poderem usar o transporte. Isso é um verdadeiro abuso. Peço ao secretário de Transporte que designe uma equipe para fiscalizar essa prática. Essa cobrança é um desrespeito aos pais e mães de família que sobrevivem da roça e não têm condições de pagar esse absurdo”, reclamou.

Na oportunidade, a vereadora criticou a redução da quantidade de vagas ofertadas na licitação para regulamentação do transporte de vans no município. A edil também voltou a cobrar a implantação de um novo hospital para atender a demanda de pacientes de Feira de Santana e região. “Não tenho nada contra o diretor do Hospital Clériston Andrade, tenho contra a realidade da saúde pública em Feira de Santana”, concluiu.

 

 

Fonte: Correio/Bahia.ba/Secom PMFS/Ascom CMFS/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!