18/10/2017

Feira: município terá que disponibilizar consultas de neurocirurgia

 

O Município de Feira de Santana tem dez dias para adotar as providências necessárias e disponibilizar consultas com médicos da especialidade e subespecialidades de neurocirurgia aos cidadãos.

A decisão liminar, expedida ontem, dia 16, pelo juiz Roque Ruy Barbosa de Araújo atende a um pedido formulado pelo Ministério Público estadual, por meio do promotor de Justiça Audo da Silva Rodrigues.

A decisão estabelece ainda que os atendimentos sejam realizados por profissionais dos quadros da rede conveniada do Sistema Único de Saúde (SUS) ou em estabelecimento particular, com as despesas pagas pelo Município.

Na inicial, o promotor de Justiça relatou ser "extremamente alto" o número de demandas abertas no MP pedindo a realização de consultas para atendimento de neurocirurgia e suas subespecialidades, em virtude da "negativa do Município de Feira de Santana em regular pacientes para tais consultas".

Na ação, Audo Rodrigues dá conta ainda de que o Município se justifica alegando não dispor de prestador cadastrado em sua rede própria nem em rede conveniada e não possuir pactuação com outros municípios para a realização das mencionadas consultas.

Exame no Centro de Prevenção ao Câncer só é agendado via Central de Regulação

A Fundação Hospitalar de Feira de Santana (FHFS) informa que os exames preventivos realizados pelo profissional de Enfermagem, através da campanha Outubro Rosa, no Centro Municipal de Prevenção ao Câncer (CMPC) Romilda Maltez, estão suspensos e somente poderão ser agendados pela Central de Regulação de Saúde para o profissional especializado, neste caso, o ginecologista.

A medida visa o cumprimento da determinação legal da Justiça Federal (em caráter liminar) que revoga a Portaria n° 2.488/2011 do Ministério da Saúde. A norma permitia aos profissionais de Enfermagem realizar alguns procedimentos como coleta de material para exames preventivos, conhecido como Papanicolau. O entendimento da Justiça é pelo cumprimento da Lei do Ato Médico (Lei nº 12.842/2013) que atribui o diagnóstico, a realização de exames e a prescrição de medicamentos, procedimentos da Atenção Básica de Saúde, de exclusividade do médico.

O CMPC reforça o seu desafio de atender sempre bem o cidadão e prestar um serviço de saúde com qualidade à população de Feira de Santana.

Aos 82, Maria São Pedro não abre mão de fazer os exames contra o câncer

Dona Maria São Pedro não se recorda a quantidade de vezes que foi ao consultório médico para fazer os exames preventivos contra os cânceres de mama e de útero. Aos 82 anos de idade, ela era uma das participantes da programação desta terça-feira, 16, alusiva ao Outubro Rosa e Novembro Azul, na unidade 2 do Programa Saúde da Família localizado no Feira VI.

Houve palestra, caminhada e café da manhã. As pessoas receberam guia e requisição para fazer, até o final deste mês, mamografias nas unidades autorizadas, sem que haja necessidade de solicitar à regulação. O público alvo foram moradores da região da Adelba.

Acompanhada por familiares, a idosa diz que não abre mão de se submeter, anualmente, à mamografia e ao papanicolau, exames que detectam, em fase inicial, essas que são as enfermidades que mais matam mulheres em todo o mundo. “É mais uma segurança para a gente. É bom que todas façam estes exames”, aconselha.

Aproveitou também para aferir a pressão arterial – estava normal, e verificar o índice de açúcar no sangue – não é diabética. Para a enfermeira Tatiane Lobo, a caminhada é uma maneira de as pessoas que são atendidas na unidade se integrem e que se conscientizem sobre a prevenção. “Também fortalecem os laços entre a comunidade e as unidades de saúde”.

Paraplégico recebe serviço odontológico público em seu domicílio, em Feira

Desde quando ficou paraplégico, há nove anos, Manoel de Almeida não tem realizado consultas odontológicas, devido dificuldades de mobilidade.  Mas nesta segunda-feira, 16, ele recebeu uma visita, em sua residência, diferenciada com direito a avaliação e orientação odontológica através do Serviço de Atenção Domiciliar e a Odontologia da Atenção Básica.

Ao ser atendido, Manoel relata sentir dor quando mastiga alimentos. A dentista imediatamente faz a análise e identifica um dente com a raiz quebrada, a solicitação de raio-X é feita no momento através do formulário do paciente. Com espelho na mão, Manoel aprende a realizar o autoexame bucal. “Puxando o lábio inferior para baixo, esticando e apalpando a bochecha na frente do espelho, você pode identificar se há alguma alteração na boca como feridas, manchas escuras ou vermelhas. Se identificada qualquer alteração você deve nos procurar e sinalizar o ocorrido”, explica a dentista Alcione Silva.

Durante o atendimento, o paciente ganha um kit dental para a escovação supervisionada. A dentista orienta “para não desgastar o esmalte dos dentes e evitar sensibilidade o ideal é não colocar muita força na escovação, movimentos circulares e de cima da gengiva para baixo”.

Assim como Manoel, 26 pacientes estão sendo beneficiados com a educação em saúde do Projeto Sorriso, que acontece entre os dias 16 e 20 de outubro. Uma equipe multidisciplinar com odontólogo, fonoaudiólogo, médico, enfermeiro, nutricionista, assistente social, apoiadora e técnica de enfermagem realizam as visitas.

A fonoaudióloga, Ana Gilza Soares, informa que a iniciativa surgiu ao perceber o grande número de pacientes com higienização precária. “A reabilitação de qualquer paciente começa pela boca e no caso dos acamados é necessário alguém específico para fazer a higiene oral”, ressalta.

“Através desse trabalho nós identificamos focos de infecção, fazemos o levantamento da necessidade do tratamento odontológico e encaminhamento desse paciente para a Unidade Básica de Saúde mais próxima a sua casa”, relata a referência técnica Mirella Ribeiro.

A solicitação do Serviço de Atenção Domiciliar pode ser feita por demanda espontânea na sede do SAD, localizada na Rua Barão do Rio Branco, 1.054, Centro. Ou através da desospitalização e encaminhamento das unidades de saúde.

Professores que atuam em Educação Especial participam de Formação Continuada

Mais de 400 professores que atuam no apoio aos estudantes público alvo da Educação Especial participam a partir desta terça-feira, 17, da FORPRAE, Formação Continuada para Professores Auxiliares. O primeiro encontro vai ser marcado pela palestra da professora doutora Suzana Alves Nogueira, a partir 8:00, no Centro de Cultura Maestro Miro.

A palestrante vai abordar o tema “O currículo escolar e a inclusão de estudantes, público alvo da Educação Especial: a importância da mediação na promoção da aprendizagem”.

A formação é promovida Secretaria Municipal de Educação, através do Centro Interprofissional de Atendimento Educacional Professora Marliete Santana Bastos (InterEduc). O FORPRAE oferece carga horária de 30 horas, divididas entre encontros presenciais e atividades desenvolvidas no ambiente virtual de aprendizagem, o Moodle.

“Já realizávamos alguns encontros com os professores auxiliares, mas percebemos que é importante investir na formação mais sistemática para eles, a fim de discutirmos a função que eles desempenham na sala de aula, para que a atuação não tenha cunho assistencialista, mas sim inclusivo”, explica a professora doutora Márcia Torres Nery Soares, coordenadora pedagógica do InterEduc.

Os participantes serão divididos em turmas que se reunirão em quatro encontros presenciais, a partir desta terça-feira; a programação segue até dezembro.

 

Fonte: Cecom MP/Secom PMFS/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!