21/10/2017

O enigma das Religiões Afro-Brasileiras e seus Orixás

 

Para muitos, os Orixás podem parecer enigmas. Você pensa que eles estão envoltos em mistérios e só os grandes Babalorixás podem desvendar seus segredo? - Nada disso!  De acordo com o Candomblé, eles são forças da natureza, aliados das pessoas com fantásticos poderes para trazer proteção. Na verdade, os Orixás são do bem. E os verdadeiros Babalorixás são aqueles que se dedicam ao próximo e usam dessas Divindades para cumprir uma missão cármica: Auxiliar as pessoas. Os orixás são entidades que governam o mundo em nome da divindade, representam elementos da natureza ou poderes primordiais e estão relacionados com antepassados míticos. Essa definição é dada pela antropóloga francesa Claude Lépine em artigo no livro "Candomblé - Religiões do Corpo e da Alma: tipos psicológicos nas religiões afro-brasileiras" (RJ: Pallas, 2000), sobre as divindades que compõem o candomblé de matriz africana, mais especificamente da nada nação jejê-nagô (fusão religiosa entre as nações jejê e nagô vindas da África para a Bahia). Os orixás têm cada qual seu temperamento e, de acordo com as crenças populares, os seres humanos que herdam determinado orixá de cabeça (aquele que nos conduz ao longo da vida) reproduzem as respectivas características.  O Orixá guia de cada pessoa é identificado por um pai ou mãe de santo experiente. Isso acontece por meio de percepções sensitivas.

Para as sociedades africanas de culto aos orixás existe apenas um ser supremo, criador de tudo que existe. É como uma mãe sem limites em sua bondade. Para essas sociedades existem apenas o céu e a terra, e todas as pessoas quando morrem vão para o céu. Na visão africana, não existe, como na europeia, o inferno, limbo, pulgatório ou outro lugar. Desta maneira para os que cultuam os orixás todos os seres estão salvos, em função da grande bondade da criação. Neste olhar, também não é aceita a presença de outros seres que competiriam com a força criadora, por isto não existe a figura do diabo ou satanás. A religião do Candomblé trabalha os problemas da vida na terra, da felicidade dos seres e da preservação das forças da natureza neste mundo. Neste sentido são religiões terrenas preocupadas com a conexão entre o passado, presente e futuro dos seres da natureza na terra.

Euá

Possui os elementos florestas, céu rosado, astros e estrelas, mata virgem. É casta, apagada e devota. É tímida e tem medo dos homens. Com a aparência pesada e sem graciosidade, os filhos de Euá são marcados pelo fracasso na sexualidade e no amor, pela falta de habilidade no trato social e pela agressividade.

Exu

Relaciona-se com os elementos terra e fogo. O tipo físico é robusto. Grande amante dos prazeres da vida: adora comer, beber, dançar, rir, fazer sexo. É animado, brincalhão, inteligente e sagaz. Conta mentiras e fala obscenidades. Briguento e desordeiro, manhoso, amoral, mal-educado, cínico e cheio de contradições. Mulherengo e conquistador. É também querido e popular porque é um excelente amigo, que resolve encrencas, problemas financeiros e amorosos. Nunca desanima nem fica preocupado.

Ibejis

São Orixás gêmeos que oferecem aos seus protegidos a garantia de boa fortuna, felicidade com a família e também com os filhos. Ibejis são os protetores das crianças e por isso adoram brincar. Mas, além de proteger as crianças, os gêmeos Ibejis enviam fortes energias para tudo o que é novo.  Orixás crianças. Suas características são as mesmas dos adultos antes de atingir a maturidade. Por serem gêmeos, os ibejis mostram os dois lados da moeda, ou seja, o negativo , o certo e o errado, o falso e o verdadeiro.  Muito brincalhões, seus filhos são bem-humorados, ao mesmo tempo que mostram pessoas inconsequentes e irresponsáveis, típicas de crianças e jovens. Nos relacionamentos demonstram muita dependência e insegurança, como as crianças que precisam de suas mães

Iansã

O elemento fogo e também o ar, em forma de ventos, fazem parte da constituição de Iansã. As filhas desta divindade usam roupas ousadas, cores vibrantes, joias vistosas. São mulheres de intensa vida sexual, que sabem conquistar e dominar. São extremamente ciumentas e não toleram ser enganadas. Quando apaixonadas, são extremamente dedicadas. São impacientes, rebeldes, coléricas, cruéis. Estão sempre dispostas a brigar. Não têm paciência com crianças e não gostam de afazeres domésticos. É comum serem ingratas e egoístas.

Iemanjá

Conhecida por integrar o elemento água (água doce que corre para o mar, água do mar), esta entidade está relacionada à riqueza, feminilidade e maternidade. A mulher de Iemanjá costuma ser alta e robusta. É calma, séria e cheia de dignidade. É sensual e muito vaidosa. É esposa e mãe fiel, eficiente, enérgica, mas muito ciumenta e possessiva. As mulheres de Iemanjá costumam ser muito independentes dos homens, maridos, amantes ou pais. Contudo são muito maternais até com filhos que não são seus. São doces, fechadas e prestativas, mas se enfurecem de modo imprevisível com reação combativa.

Iroko

Foi o primeiro filho de Oxalá e é considerado um dos mais velhos dos Orixás. Está associado a uma árvore que possui suas próprias características: determinação e inflexibilidade.  No Brasil, a árvore de Iroko é a gameleira branca. Os filhos deste Orixá procuram ser estáveis em todas as situações. No trabalho, são dedicados e por isso conseguem impor muito respeito. Mas no relacionamento pessoal, algumas vezes acabam se metendo em situações constrangedoras, pois acreditam apenas em si próprio e não dão oportunidade dos outros opinarem.

Logum Edé

O orixá possui os elementos terra (floresta) e água (de rios e cachoeiras). É muito bonito e tem grande orgulho de sua beleza e de seu corpo. Os filhos de Logunedé são de trato fácil, sendo bem-humorados, calmos e educados.

Nanã

As mulheres de Nanã, caracterizadas pelo elemento água (águas paradas e lamacentas), são sem beleza e sem vaidade. São dotadas de extraordinária força física. Não gostam de homens e são praticamente assexuadas. Dedicadas ao trabalho, têm eficiência fora do comum. Não toleram preguiça, desordem, falta de educação e desperdício. São donas de rigorosos princípios morais. Não perdoam traições e desonestidades. São intolerantes, ranzinzas, rabugentas e queixosas. As filhas de Nanã também podem ser boas, sábias e carinhosas.

Ogum

Os elementos terra e fogo compõem o orixá Ogum, cuja constituição é atlética e viril, porém carregada de agressividade e mau humor. Os filhos de Ogum são magros e fortes, têm muito apetite e gostam de beber. São emotivos, suscetíveis, impacientes e intolerantes. Extrovertidos e trabalhadores eficientes. Agem antes de pensar e costumam se arrepender de seus excessos. São considerados desagradáveis por terem caráter difícil e serem intransigentes. São audaciosos e empreendedores. Em relação às mulheres, são brutais e insensíveis. Costumam estar ligados a ofícios mecânicos, como técnicos, engenheiros ou militares.

Ossain

Também ligado às florestas, Ossain é diferente de Oxóssi. É de constituição frágil e tem saúde delicada. Sonhador, desligado, imprevisível. Os filhos de Ossain são muito ligados aos estudos e à reflexão; geralmente são cientistas, pesquisadores, médicos. São generosos, tolerantes, afetuosos e prezam pela liberdade. Gostam muito de animais e de plantas. Não possuem ambição e são completamente desprendidos de interesses materiais. Têm certa propensão para a homossexualidade.

Oxalá

Do elemento ar (atmosfera e céu), Oxalá está associado à criação e à paz. Os filhos destas entidades são de constituição frágil, geralmente marcados por deficiências de nascença. Podem ser aleijados, mancos ou corcundas. São delicados, friorentos, e excessos podem afetar a sua saúde. A vida sexual é marcada pela moderação, frieza, castidade ou impotência. O traço psicológico mais marcante é a tranquilidade.Tem sede de perfeição moral e de sabedoria. É lento, porém obstinado e perseverante. Generoso e observador. Não perdoa ofensas, mas não tem agressividade, chegando a ser apático e indiferente.

Oxóssi

As florestas e estradas fazem parte dos elementos da natureza de Oxóssi. É um dos mais atraentes tipos masculinos, sendo esbelto e ágil. No comportamento amoroso, é apaixonado, romântico, carinhoso, mas é volúvel e instável. Curioso, introvertido e observador. Tem gosto refinado, bastante criatividade e sensibilidade aguçada. Os filhos de Oxóssi são amáveis, educados, calmos e muitos estimados no convívio social.

Oxum

Também do elemento água (água doce - rio, cachoeira, nascente, lagoas), o tipo Oxum é menos vigoroso e menos imponente que Iemanjá. As filhas de Oxum são delicadas e costumam ser muito bonitas. Têm voz suave, meiguice, olhos brilhantes, rostinho inocente e encantam os homens. Adoram bebês e crianças pequenas. São mulheres sensuais e extremamente emotivas. Instáveis e inconstantes. Podem ser infiéis, levianas e fúteis. São ambiciosas, apreciam o luxo e usam a beleza para conseguir o que querem. Outras são ingênuas, preguiçosas, indecisas e infantis. As filhas de Oxum são dependentes, nunca recusam nada e nunca brigam com ninguém.

Omulu

Também chamado de Obaluaiê, com o elemento terra e fogo do interior da Terra, é atarracado e pesado. Geralmente é um indivíduo rústico e desajeitado. Não sabe se comportar em sociedade, falta-lhe diplomacia e bom gosto. É um ser reprimido, frustrado, podendo tornar-se amargo e vingativo. É do tipo lento e perseverante. Firme como uma rocha manifesta imensa perseverança. É conservador e não aceita facilmente mudanças. Humildes, alguns optam por uma vida de renúncia e pobreza. Este tipo não sabe lidar com as mulheres e não tem muito sucesso com elas. O relacionamento social é difícil; é agressivo, cruel e até perigoso.

Oxumaré

Do elemento terra, representa a força que move os astros. O tipo físico dos filhos de Oxumaré é marcado pela beleza. São nervosos, cheios de trejeitos e se tornam precocemente enrugados. São inteligentes, elegantes, eloquentes, dinâmicos, curiosos, generosos. Exibicionistas, eles atraem, seduzem e causam fascínio. Têm muito bom gosto, apreciam as artes e são bem-sucedidos. É uma divindade bissexual, porém isso não interfere na orientação sexual de seus filhos.

Xangô

O elemento fogo (grandes chamas e raios) faz Xangô ser intenso e temperamental. O tipo físico é robusto, pesado, imponente e nobre. Tem tendência para a obesidade. É um indivíduo sensual, que adora comer e beber. Eterno apaixonado e incorrigível conquistador. Infiel, ciumento e vingativo. É também orgulhoso, prepotente e teimoso. Mais instintivo que racional. Os filhos de Xangô são atrevidos, valentes, agressivos e podem ser cruéis. São frequentemente apegados à mãe. Militares, líderes políticos, patriarcas severos, intelectuais e filósofos costumam fazer parte do grupo.

 

Fonte: Por Prof. Omar Fürst, no Biboca Ambiental/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!