22/10/2017

Salvador: Projeto 'Viva Rock’ oferece programação gratuita

 

O projeto “Viva Rock: A Resistência” reunirá programação musical e recital de poesia, com o poeta CR Moska, no dia 12 de novembro, em Salvador. O evento é gratuito e ocorrerá na quadra esportiva do bairro de São Caetano, a partir das 15h.

Quem se apresenta para o público são as bandas Espinhos & Rosa, Barulho S/A, Vernal e Fridha. Além de shows musicais e do recital, o público poderá aproveitar ainda os stands de vendas com produtos das bandas que farão shows, como Cds, bottons, camisas, adesivos, entre outros.

  • SERVIÇO

Viva Rock: A Resistência

Data: 12 de novembro, a partir das 15h

Local: Quadra Esportiva de São Caetano, no bairro de São Caetano, em Salvador

Entrada gratuita

Atrações: Espinhos & Rosa, Barulho S/A, Fridha e Vernal

Oposição quer acionar governo após patrocínio a show de Paul McCartney

A bancada de oposição na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) estuda ingressar com ação de improbidade administrativa contra o governo, após a administração estadual desembolsar R$ 700 mil para o show de Paul McCartney, que ocorreu nesta sexta-feira (20), em Salvador.

“É um absurdo que em um estado com tantas necessidades, inclusive, com um hospital em Itaparica hoje fechado por falta de pagamento dos salários aos médicos, o governo faça um contrato sem licitação no valor de R$700 mil, em apoio a um evento privado. Estamos investigando e analisando a possibilidade de entrarmos com uma ação, já que se trata de um claro desvio de prioridades no uso do dinheiro público”, afirmou o líder minoria, Leur Lomanto Jr (PMDB).

Segundo o Diário Oficial do Estado, publicado nesta sexta, o dinheiro do governo foi repassado dentro do termo de inexigibilidade – quando não há licitação – à empresa Time For Fun, responsável pela produção do evento.

OSBA apresenta concertos na Igreja de São Francisco e no TCA

Vivendo um novo momento e celebrando 35 anos, a Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA) abraça o desafio de apresentar ao público as quatro sinfonias do compositor alemão Johannes Brahms (1833-1897). Essa é a ideia do 'Ciclo Brahms', que em agosto, na estreia, lotou o Museu de Arte Sacra. Agora em outubro, a Osba promove duas novas edições.

Neste domingo (22), às 17h, a apresentação será na Igreja de São Francisco, no Pelourinho, com entrada gratuita. Já quinta-feira (26), às 20h, o concerto será na Sala Principal do Teatro Castro Alves (TCA), com ingressos a R$ 20 e R$ 10.

No belo cenário da Igreja de São Francisco, localizada no Centro Histórico de Salvador, a Osba terá regência de José Maurício Brandão, maestro titular da Sinfônica da Universidade Federal da Bahia (Ufba). O músico Jean Marques, atual chefe de naipe de fagote da Osba, irá solar o 'Concerto das 7 Notas', do mestre Heitor Villa-Lobos (1887-1959). O repertório tem como destaque a 'Sinfonia nº 2 em Ré Maior, Op. 73', de Brahms.

Já na Sala Principal do TCA, o público vai ter uma oportunidade conferir a performance ao vivo da 'Sinfonia nº 3 em Fá Maior, Op. 90'. A Osba terá nesta ocasião como regente convidado o maestro argentino Gustavo Fontana e o solista Pedro Robatto, chefe de naipe de clarinetes da Osba, no 'Concerto para Clarinete', do compositor baiano Wellington Gomes (1960).

O 'Ciclo Brahms' será encerrado com um concerto no dia 16 de novembro, às 20h, na Sala Principal do TCA, tendo desta vez como regente convidado o maestro mexicano Enrique Diemecke.

IGHB presta homenagem ao historiador Cid Teixeira

A comunidade baiana está convidada a prestar uma homenagem ao historiador Cid Teixeira na próxima terça-feira (24), às 16h. No encontro, que será realizado no auditório do IGHB, haverá a exibição do Documentário “Cid Teixeira - Enciclopédia da Bahia” (com direção de Roberto Gaguinho), além de depoimentos de ex-alunos e colegas.

Cid José Teixeira Cavalcante nasceu em Salvador, no dia 11 de novembro de 1924, em 1936, ingressou no Ginásio da Bahia, onde cursou o ginásio e o complementar. Em 1944, ingressou na Faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia, pela qual foi diplomado em 1948. Funcionário do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia desde estudante dedicou-se ao estudo da História.

Copiando documentos, tomou gosto pela pesquisa e se especializou na história da Bahia e do seu povo. Diplomado, não seguiu a profissão. Fez concurso para a rede estadual de ensino secundário e ingressou no magistério. Depois, fez livre docência para a cadeira de História, na Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas. Aprovado, passou a lecionar na UFBa e na Universidade Católica do Salvador. Colaborou em diversos jornais da capital baiana e foi editor-chefe de um deles, a “Tribuna da Bahia”. Publicou: “A Bahia em Tempo de Província”; “Nordeste Histórico e Monumental”, “História do Petróleo na Bahia”, “História da Energia Elétrica na Bahia”, “História da Mineração na Bahia”, “Caminhos, Estradas e Rodovias”, “Historias, Minhas e Alheias”, “Salvador: História Visual”. Em 1993, Cid Teixeira entrou na Academia de Letras da Bahia, onde ocupa a Cadeira 19. Em 2013, aos 88 anos, recebeu a Comenda 2 de Julho, concedida pela Assembleia Legislativa da Bahia.

O Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB) é uma das 13 instituições beneficiadas pelo Edital de Apoio a Ações Continuadas de Instituições Culturais, do Fundo de Cultura da Bahia.

  • Serviço: Homenagem ao historiador Cid Teixeira

Local: Instituto Geográfico e Histórico da Bahia

Data: 24 de outubro de 2017

Horário: 16 horas

Gratuito

Filmes premiados nos festivais de Cannes, Berlim e Roterdã se destacam Competitiva Internacional do Panorama Coisa de Cinema

Filmes premiados nos mais importantes festivais do mundo serão exibidos pela primeira vez em Salvador, na Competitiva Internacional do Panorama Coisa de Cinema. A mostra reúne sete longas-metragem e treze curtas produzidos nas Américas, Ásia, Europa e África entre 2016 e 2017. As sessões acontecem no Espaço Itaú de Cinema Glauber Rocha, entre os dias 8 e 15 de novembro, com programação a ser definida.

Contemplado com o Prêmio Especial do Júri, Rei (Rey), de Niles Atallah, é um dos longas selecionados. Uma coprodução Chile/França/Holanda/Alemanha, o filme traz um fictício explorador francês que se dedicou a conquistar a Patagônia, no século XIX. A mostra traz também o vencedor do Europa Cinemas Label do Festival de Cannes, A Ciambra, de Jonas Carpignano. Produzido por uma parceria Itália/Alemanha, o filme mostra um adolescente colocando sua maturidade à prova em uma pequena comunidade romana.

A seleção de longas se completa com o argentino O Inverno (El Invierno), de Emiliano Torres; o poruguês Luz Obscura, de Susana de Sousa Dias; o espanhol A Mão Invisível (La Mano Invisible), de David Macián; o holândes Um Lugar Tranquilo (Hier Is het Nooit Stil), de Sjoerd Oostrik; e Medea, de Alexandra Latishev Salazar, uma coprodução Costa Rica/Chile/Argentina.

Entre os curtas da mostra então Saudações de Aleppo (Greetings From Aleppo), de Issa Touma, Floor van der Meulen e Thomas Vroege. Premiada no Festival de Roterdã, essa produção holandesa documenta histórias de pessoas comuns que permanecem na cidade síria. Entre os premiados estão ainda o argentino Centauro, de Nicolás Suárez, um faroeste greco-crioulo, contemplado com menção especial no Festival de Berlim; e o chinês Uma Noite Suave (A Gentle Night), de Qiu Yang, uma ficção premiada em Cannes, que traz uma mãe que se recusa a desistir da procura por sua filha desaparecida.

A seleção inclui os portugueses Penúmbria, de Eduardo Brito; Altas Cidades de Ossadas, de João Salaviza; e Farpões Baldios, de Marta Mateus; e os franceses After School Knife Fight, de Caroline Poggi e Jonathan Vine; Vovô Morsa (Grandpa Walrus), de Lucrèce Andreae; As Ilhas (Les Îles), de Yann Gonzalez.

Completando a Competitiva estão o tailandês Morte do Técnico de Som (Death of the Sound Man), de Sorayos Prapapan; o senegalês Terça-feira de Nder (Talaatay Nder), de Chantal Durpoix; o espanhol Cucli, de Xavier Marrades; e Uma Breve História da Princesa X (A Brief History of Princess X), de Gabriel Abrantes, uma coprodução Portugal/França/Reino Unido.

O XIII Panorama Internacional Coisa de Cinema acontece de 08 a 15 de novembro, em Salvador e Cachoeira. O festival conta com patrocínio da Petrobras e do Governo do Estado da Bahia, através do Fundo de Cultura.

 

Fonte: G1/Bahia.ba/SecultBa/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!