26/10/2017

Juazeiro: Vereador denuncia corte de energia e água no SUDIC

 

O vereador Bené Marques (PSDB) durante a sessão da câmara de Vereadores de Juazeiro na terça - feira (24) falou sobre o abandono do Distrito Industrial.  Ele disse que no local falta iluminação, as estradas estão precárias, não há segurança, entre outros problemas.

“Eu acho que o município pode fazer uma parceria com o Estado para tentar melhorar os serviços, além disso, melhorar a estrada que dar acesso, estão todas esburacadas e precisam de um patrolamento. Não há segurança nenhuma no local e os empresários estão correndo risco de serem assaltados a qualquer hora. Vamos entregar um oficio ao Governo Municipal cobrando uma solução e pedir também ao Governo do Estado que olhe para o distrito que está totalmente abandonado”, disparou o vereador Bené.

Por sua vez, o vereador Florêncio Galdino (PDT) não pensou duas vezes quando fez uma grave denuncia sobre o descaso provocado pelo governo Rui Costa no local.  “O SUDIC tem 1 ano e 4 meses sem água e 7 meses sem energia, fiz um acordo com o ex-prefeito Isaac Carvalho na época e ele mandou ligar a água, e houve um acordo que o estado iria pagar imediatamente e não foi pago, sobre a energia tem 8 meses que mandei 500 notificações para conseguir a assinatura do presidente do SUDIC para fazer a religação e nunca chegou essa assinatura para a Coelba fazer a religação. O estado tem sucateado o SUDIC”, disparou.

Diante das denúncias, o vereador Charles Leal (PTD), disse que é preciso engajamento de todos os vereadores para cobrar uma solução do Governo do Estado. “Não se pode abandonar um órgão tão importante como a SUDIC, é uma pena que isso só foi divulgado agora. Temos que nos reunir e cobrar uma solução urgentemente”.

Por sua vez, a vereadora Neguinha da Santa Casa (PMDB) ironizou o comportamento do Governador Rui Costa com relação ao fato quando fez o seguinte questionamento: ‘Será que o Governador não sabe o que está acontecendo?”.

Na última segunda-feira (23) foi inaugurado no Distrito Industrial, o Centro de Excelência em Fruticultura, cujo objetivo é capacitar milhares de pessoas de todo o país, oferecendo formação profissional gratuita para impulsionar a fruticultura nacional. Várias autoridades estiveram presente, mas o acesso para o local é desprezível pelo Governo do Estado.

Por outro lado, algumas empresas no Distrito foram obrigadas a fecharem suas portas devido ao agravamento da crise instalada no país. Ainda assim, alguns empresários estão mantendo as instalações funcionando a duras pena.

Novos Rumos em Casa Nova: Prefeito conversa com ACM Neto

As insatisfações com o Governo do Estado começam a aflorar entre os prefeitos do interior: Casa Nova, município no norte da Bahia, 573 quilômetros de Salvador, 52 mil eleitores, castigado pela seca do lago e por inúmeras deficiências acumuladas ao longo do tempo é o primeiro dentre os municípios da região em que o prefeito já admite publicamente não caminhar junto com o Governador Rui Costa que busca a reeleição e optar por ACM Neto, que ainda não se declarou candidato, mas será o condutor da oposição estadual em 2018.

Elmar Nascimento, o deputado mais votado na região tem conduzido esse processo de aproximação, com cautela e agora com entusiasmo. Na sua página do Facebook registrou com “muita alegria” “a adesão ao nosso Democratas”, “de importantes lideranças do Estado” e entre vereadores e lideranças políticas, lista o “Prefeito Wilker Torres, de Casa Nova e seu irmão Tum, pré-candidato a Deputado Estadual”.

Wilker e Tum não desmentem e nem confirmam a filiação ao DEM, mas saíram do encontro com ACM Neto, promovido pelo Deputado Elmar, entusiasmados: “Estou na política para representar a renovação e a mudança em Casa Nova” – declara Tum – “E este modelo político da Bahia, que privilegia políticos antigos, que garante a sobrevivência de lideranças que o povo já não quer e fecha a possibilidade de ascensão a novas lideranças, não nos satisfaz. Queremos mudança real, investimentos concretos. O tempo da conversa e do populismo já passou”.

“O maior interesse do prefeito é o bem-estar da população” – Diz Wilker Torres – “Os municípios vivem uma situação de penúria e o que pode ser feito pelo Estado é negado. Queremos compromissos reais de desenvolvimento, interesse pela população, investimento que traga emprego e renda. Vamos escolher o melhor para o povo de Casa Nova”.

Senhor do Bonfim é a segunda parada do projeto Caravana da Música

Senhor do Bonfim é a segunda parada do projeto Caravana da Música, circuito de bandas baianas da capital e do interior que percorrem um total de 10 municípios apresentando shows e promovendo oficinas. Sertanília e a Pequeno Albert se apresentarão no dia 27 de outubro, às 20h, na Praça Nova do Congresso. Realizado pela Maré Projetos Culturais, com patrocínio da Vivo e Governo do Estado, por meio do Fazcultura, programa de incentivo fiscal da Secretaria da Fazenda e da Secretaria de Cultura do Estado e apoio institucional da Prefeitura Municipal de Senhor do Bomfim, através da Secretaria de Cultura de Senhor do Bomfim.

O Caravana da Música também oferece a oficina Diálogos do Brasil: Uma oficina de canto e percussão com a banda Sertanília, atividade gratuita e aberta ao público, como uma oportunidade de troca de experiências com os artistas locais. Para participar os interessados devem escrever e-mail com nome, RG, Idade e atividade profissional para contato@mareproducoesculturais.com.br. As vagas são limitadas.

Em sua segunda edição, o Caravana da Música percorre 10 municípios baianos promovendo a circulação de artistas da música, com apresentações gratuitas em espaços públicos e oficinas. A abertura aconteceu em Vitória da Conquista, sendo Senhor do Bonfim a segunda parada. O projeto ainda vai passar por Juazeiro, Camamu, Ilhéus, Lençóis, Lauro de Freitas, Euclides da Cunha, Cachoeira e Santo Amaro, recebendo apresentações de nomes como Àttooxxá, Africania, Bando Velho Chico, Dão e a Caravana Black, Botequim, Lucas Santtana, Samba Chula de João do Boi e Skanibais.

Pesquisa econômica da Facape e Univasf gera boletim que pode auxiliar MPEs locais

Empreendedores e empresários precisam estar atentos aos altos e baixos do mercado para saber quando, como e onde investir. Pensando nesse público, o Núcleo de Pesquisa e Estudos Socioeconômicos do Semiárido (Nupes) surgiu com a expectativa de construir um banco de dados para auxiliar empreendedores públicos e privados do cenário local.

O grupo de pesquisa é certificado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e é formado por acadêmicos da Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina (Facape) e a Universidade do Vale do São Francisco (Univasf).

A partir de um levantamento de dados por questionários estruturados, a pesquisa é feita para avaliar a confiança dos empresários e expectativa do consumidor na economia do país, do Estado de Pernambuco e do município de Petrolina, gerando dois índices: de confiança dos empresários (ICE) e de expectativa do consumidor (IEC). A cada três meses, o boletim econômico de Petrolina é gerado com a evolução do ICE e do IEC e o resultado do estudo é divulgado pela Facape.

A pesquisa estuda os fatores que influenciam o desenvolvimento socioeconômico do semiárido nordestino, o grau de confiança dos agentes econômicos e suas expectativas. Essa avaliação tem a finalidade de capturar os sentimentos dos consumidores e dos empresários em relação à economia, a partir de suas opiniões, sendo frequentemente utilizado para antecipar as tendências de gastos e de consumos das famílias. A pesquisa utiliza como metodologia de referência a mesma desenvolvida pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

De acordo com uma das responsáveis pelo projeto, a economista Liliane Ferreira, os estudos são importantes para conhecer a realidade socioeconômica da região. “Esses instrumentos podem auxiliar a tomada de decisão de micro e pequenas empresários.

Além disso, abre-se espaço para discussão de dados econômicos do Vale do São Francisco. Para o Nupes, o desenvolvimento socieconômico pode ser resultado do capital social ou rede de atores que fazem a diferença em nível de desenvolvimento local”, reforça a economista.

Câmara Técnica do Programa de Revitalização do São Francisco planeja novas ações para revitalizar o rio

A Câmara Técnica do Programa de Revitalização da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CT-PRSF) iniciou os estudos de integração dos diferentes planos setoriais para dar continuidade às ações de revitalização do Velho Chico. As instituições envolvidas irão propor uma estratégia de longo prazo para o programa.

A última reunião da CT-PRSF, realizada na sede da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), em Brasília (DF), deu continuidade aos trabalhos discutidos durante o seminário “Instrumentos de Suporte à Decisão do Programa de Revitalização das Bacias Hidrográficas do Rio São Francisco”, realizado pela Codevasf, em maio deste ano.

O gerente de Meio Ambiente da Codevasf, Sérgio Henrique, explicou a finalidade deste encontro. “O objetivo do encontro foi dar início ao estudo que vai integrar os diferentes planos setoriais para que a gente tenha uma visão convergente acerca do que é necessário ser feito para a revitalização do São Francisco”, afirmou.

Durante a reunião, as instituições analisaram e apresentaram considerações acerca do planejamento de trabalho dos próximos seis meses. Os debates internos da Câmara Técnica têm o intuito de integrar as diferentes visões dos planos setoriais existentes, levando em consideração a base de dados geoespacial e as prioridades de cada instituição.

Ficou definido que as instituições que compõem a Câmara Técnica e outras eventualmente convidadas, irão propor uma estratégia de longo prazo para o Programa; uma carteira estratégica de ações – conjunto de ações específicas – de curto e longo prazo; a sistemática de monitoramento e avaliação das ações, incluindo indicadores.

Segundo cronograma de trabalho apresentado na reunião, o próximo encontro está marcado para 28 de novembro. Estiveram presentes na última reunião, membros da CT-PRSF; representantes da Casa Civil, Serviço Florestal Brasileiro, Ibama, Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM), Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e dos ministérios do Meio Ambiente, Integração Nacional e Planejamento, além de entidades convidadas.

 

Fonte: Ação Popular/Secom Bahia/O Diário da Região/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!