28/10/2017

Juazeiro: Parque Fluvial será apresentado dia 1° de novembro

 

O Prefeito Paulo Bomfim apresenta na próxima quarta-feira, dia 1º de novembro, às 09h30, no Paço Municipal, a obra do Parque Fluvial para a imprensa, autoridades e representantes de toda sociedade.  O projeto que vai promover a revitalização física e paisagística de toda área considerada como degradada da orla fluvial do trecho entre o muro da Marinha e o Angari.

Uma intervenção muito esperada pelos juazeirenses. “Entre os quatro municípios selecionados Juazeiro está sendo pioneiro na implantação. Queremos convidar toda a imprensa, autoridades e representantes da nossa sociedade para conhecer esse arrojado projeto que vai mudar parte da nossa orla fluvial, garantindo espaços específicos para diferentes tipos de lazer e esporte, deixando nossa cidade ainda mais bonita para juazeirenses e turistas”, destacou Paulo Bonfim.

Parque Fluvial

O projeto executado pela Prefeitura de Juazeiro, através da Secretaria de Obras e Desenvolvimento Urbano (SEDUR) é fruto de uma parceria do Fundo Nacional de Meio Ambiente (FNMA) do Ministério do Meio Ambiente e do Fundo Socioambiental da Caixa Econômica Federal (CEF), e conta com ainda força tarefa que envolve várias secretarias municipais: SAAE, SESP, SEDES e SECULTE.  A intervenção prevê a implantação de academias da saúde, parques infantis, pista de Cooper e ciclovia em toda a extensão do parque, recuperação do campo de esportes, das quadras poliesportivas e de areia, estruturação e ordenamento do mirante e criação de um atracadouro náutico, reaproveitamento da cobertura do espaço onde estão localizados os bares do M para a criação de um terminal hidroviário. As barracas que hoje ficam próximo a Marinha, serão retiradas da margem do rio por questões ambientais e ordenadas e padronizadas na área da calçada. Juazeiro terá uma nova área de lazer, um novo cartão postal para suas famílias.

Pacientes do Hospital Regional de Juazeiro temem greve de médicos e funcionários

O Hospital Regional de Juazeiro é referência em atendimento para cerca de 54 municípios (entre Bahia e Pernambuco). Reportagem veiculada ao site do Sindicato dos Médicos do Estado da Bahia, foi creditada a informação que desde o dia (25), O hospital poderia chegar a R$ 14 milhões de dívidas”. Ainda de acordo com a nota o hospital contabiliza 74 médicos na instituição, todos contratados pelo regime CLT. O presidente do Sindimed, Francisco Magalhães, entrou em contato com o subsecretário estadual de Saúde, Adil Duarte, que espera resolver o problema.

No hospital os funcionários revelam que só quem "pode falar é a assessoria de imprensa". Pacientes dizem "que apesar do atendimento existir é preciso paciência com as longas filas para conseguir marcar consultas e exames". Sem repasse financeiro por parte do governo do estado os funcionários podem entrar em greve. No início desse mês foi a a empresa terceirizada que administra a instituição, a APMI, decidiu protestar restingindo o atendimento.

Juazeiro e outras cinco cidades participam de Programa de Apoio às Concessões Municipais

Um Programa de Apoio às Concessões Municipais, do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, será implantado em forma de teste em Juazeiro e outras cinco cidades brasileiras.

De acordo com o governo federal o objetivo é fortalecer a economia dessas cidades, e o programa disponibilizará recursos para serem investidos em obras de saneamento básico, destinação de resíduos sólidos, mobilidade urbana, entre outras.

Nesta quarta-feira (25), representantes dos municípios de Juazeiro (BA), Uberaba (MG), Bauru (SP), Teresina (PI), São Simão (GO) e Porto Alegre (RS) foram recebidos no ministério.

O ministério prevê que os recursos liberados para o programa cheguem a R$180 milhões, através de intermédio da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil.

“As concessões municipais representam uma alternativa viável de incremento à economia local, e estou apostando muito que, ao perceber a oportunidade que estamos oferecendo, as empresas vão ajudar a fomentar esse processo”, garantiu o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira.

O evento também contou com as presenças do deputado federal, Guilherme Coelho, do gerente regional do Banco do Nordeste (BNB), Tomé Neto, entre outras autoridades; e teve o apoio da Valexport e Apex-Brasil.

Juazeiro é a única cidade baiana selecionada para participar de Programa de Apoio a Concessões Municipais

Juazeiro é a única cidade baiana selecionada para participar do Programa de Apoio a Concessões Municipais do Governo Federal. A informação foi confirmada pelo prefeito Paulo Bomfim (PCdoB), que esteve em Brasília (DF), ontem (25), e participou de uma reunião com o Ministério do Planejamento com a presença da Caixa Econômica Federal e demais instituições onde foram apresentados os seis municípios selecionados. O objetivo de assessorar os municípios na elaboração de projetos de Parcerias Público-Privada (PPPs). O Assessor de Planejamento e Parcerias Estratégicas, Isaac Carvalho, acompanhou o prefeito.

Entre as seis escolhidas, única na Bahia, a cidade de Juazeiro foi selecionada pelo Ministério por estar preparada nas ações de crescimento, no intuito de explorar o capital privado no desenvolvimento da infraestrutura do município, a exemplo de saúde, educação, mobilidade urbana, saneamento, iluminação entre outros. De acordo com o programa o Governo, através de um Fundo de participação garantido com recursos da União e administrado pela Caixa Econômica Federal, irá financiar a equipe técnica multidisciplinar necessária para elaboração dos projetos.

Em Petrolina, encontro trata de desenvolvimento e incentivos econômicos para o Nordeste

O Nordeste é a região com a segunda maior população brasileira e mesmo assim é responsável por apenas 13,5% do Produto Interno Bruto (PIB) do país. Buscando analisar esse cenário, foi realizado nesta quinta-feira (26), no auditório do SENAI em Petrolina, o sétimo ‘Roadshow Investimento e Desenvolvimento do Nordeste’, evento técnico promovido pela Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE), Associação Nordeste Forte e Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) e que reuniu autoridades e empresários especializados em desenvolvimento econômico, incentivos fiscais e promoção às exportações.

Já no começo do encontro foi possível identificar alguns fatores, que, segundo o superintende da Sudene, Marcelo Neves, são “entreves para o desenvolvimento nordestino”.  A região tem 16,1% do analfabetismo brasileiro, quase 50% de empregos não registrados e 81% das pessoas mais pobres do país. “Não tenho dúvidas que tudo isso impacta na nossa produtividade”, disse ele, que lembrou a finalidade da Sudene.

“O Nordeste precisa de incentivos públicos diferenciados, uma política e um olhar federal diferenciados e necessita de um instrumento que garanta isso. É a Sudene que busca executar esses instrumentos a partir de ações orçamentárias, investimentos e incentivos”, ressaltou Neves.

Para o presidente da FIEPE, Ricardo Essinger, os inventivos fiscais dos estados e União são “extremamente relevantes para o desenvolvimento do Nordeste”. “Foram os investimentos que deram incentivos para nossa região sair da condição de exportadora de pau-de-arara para produtora agrícola, industrial e de bens e serviços”. Essinger ainda salientou. “Só que ainda precisamos cobrar de nossa classe política um engajamento maior para evitarmos que o desenvolvimento do Nordeste esbarre na burocracia, nos fazendo voltar ao que era há 50 anos”.

COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR VAI INVESTIGAR COBRANÇA DE ENERGIA ELÉTRICA PELA ANEEL

O deputado federal Eduardo da Fonte cobrou uma fiscalização nos valores pagos a mais pelos consumidores com as bandeiras vermelhas, em vigor desde 2015 pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Um pedido foi encaminhado à Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados com uma proposta de fiscalização e controle ao Tribunal de Contas da União.

“Com essas bandeiras vermelhas e amarelas, os reajustes passaram a ser mensais, de acordo com a vontade da agência reguladora, que está mais do lado das empresas do que do consumidor. O que se vê, atualmente, é a incapacidade de fiscalização da ANEEL e cobranças abusivas ao pai de família”, ressaltou Eduardo da Fonte.

Segundo os próprios dados da ANEEL, de 2015 a 2017, o consumidor pagou a mais na conta de luz 20,8 bilhões de reais devido à bandeira vermelha, acionada 19 vezes em 34 meses desde a implantação do sistema. “Um número muito maior do que a bandeira verde (sem cobrança adicional)”, questiona o parlamentar.

A cor vermelha indica que o custo para a produção de energia elétrica está alto (isso quando o nível dos reservatórios das hidroelétricas está baixo). Em consequência, usinas termelétricas são acionadas, o que provoca aumento na conta de luz. A falta de transparência da ANEEL ao acionar a bandeira vermelha é outro ponto questionado no documento.

I FEIRA DA REFORMA AGRÁRIA ACONTECERÁ EM SANTA MARIA DA BOA VISTA

O município de Santa Maria da Boa Vista é o segundo em números de Assentamentos do Nordeste. Mais de 5000 mil famílias, com a presença de quatro movimentos sociais, MST, Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores/as do Estado de Pernambuco (FETAPE), Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) e Quilombolas.

A 1ª Feira da Reforma Agraria de Santa Maria da Boa Vista “Plantando sonhos Colhendo esperança” será realizada nos dias 02 a 04 de Novembro de 2017, com o tema "A organicidade, o planejamento e a gestão dos Assentamentos da Reforma Agrária". A Feira tem como objetivo, proporcionar espaço para exposição e comercialização dos produtos oriundos dos assentamentos da Reforma Agrária do Vale do São Francisco.

A Feira da Reforma Agrária será um espaço multicultural. Pois, "do ponto de vista da produção, possibilitará os agricultores expor e comercializar seus produtos, socializar suas experiências nas comunidades, como cada um produz e onde produz", destaca Cristiane Albuquerque, da direção do MST.

A Feira proporcionará ainda espaços de intercâmbio comercial/econômico, político e sociocultural, entre os assentamentos da Reforma Agrária, fruto desse processo de luta e das comunidades, criando momentos de construção de propostas voltados à preservação ambiental, sociocultural e produtiva.

Na programação cultural, a Feira proporcionará momentos de reafirmação da cultura e da culinária popular. Músicas e cantigas locais e regionais, banda de pífano, sanfoneiros, poetas e artistas locais e regionais.

 

Fonte: Ascom Secur – PMC/BlogGeraldoJosé/BN/PA 24/O Diário da Região/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!