07/11/2017

Salvador: TCA recebe Exposição Itinerante Navio Negreiro

 

O Centro de Memória da Bahia (CMB), unidade da Fundação Pedro Calmon (FPC), órgão vinculada a Secretária de Cultura, fará o lançamento na quinta-feira (09), às 19h, da Exposição Itinerante Navio Negreiro - Castro Alves e Hansen Bahia, no Teatro Castro Alves. A exposição tem a curadoria de Ayrson Heráclico, e apresenta obras de Hansen Bahia, inspiradas pelo poema Navio Negreiro de Castro Alves. A exposição correrá mais 12 cidades do estado da Bahia.

Em abril de 1868, o poeta baiano Castro Alves escreveu um dos seus principais poemas abolicionista: O navio negreiro. A obra descreve imagens de violência contra os africanos subjugados de escravos e protestava contra a desumanidade da condição escrava, denunciando o horror da travessia atlântica nos porões dos navios. Em 1959, o artista alemão, Karl Heinz Hansen criou uma série de gravuras sobre a obra de Castro Alves, intitulada ‘Caminho das Lágrimas’. Nessa obra de Hansen, ele apresenta a dor e o flagelo dos africanos no Atlântico. O artista compadece do sofrimento negro, com uma corporeidade dramática de quem enfrentou o holocausto nazista.

Segundo o curador da exposição Ayrson Heráclito, o objetivo dessa exposição itinerante é relembrar o encontro entre dois grandes artistas que mesmo vivendo épocas distintas, se uniram pela dor. “nunca esqueçamos o quanto foi, e é, perverso e desumano o sistema colonial-escravista. Ver Hansen e ler Castro Alves é um exercício ético e estético absolutamente necessário e contemporâneo” afirmou Heráclito.

No dia 13 e 14 pela manhã os alunos do colégio Manoel Novaes participarão de uma oficina e por isso, a visitação para a exposição acontecerá pela tarde a partir das 12 até às 18hs.

  • Confira roteiro completo da Exposição Itinerante - O Navio Negreiro:

9/NOV a 19/NOV - SALVADOR

Local: Teatro Castro Alves

21/NOV a 25/NOV - SÃO FRANCISCO DO CONDE

Local: UNILAB

27/NOV a 02/DEZ - SANTO AMARO

Local: Teatro Dona Canô

04/DEZ a 12/DEZ - ALAGOINHAS

Local: Centro de Cultura de Alagoinhas

16/DEZ a 02/JAN - JUAZEIRO

Local: Centro de Cultura João Gilberto

06/JAN a 23/JAN - FEIRA DE SANTANA

Local: Centro de Cultura Amélio Amorim

27/JAN a 13/FEV - JEQUIÉ

Local: Centro de Cultura ACM

17/FEV a 04/MAR - VITÓRIA DA CONQUISTA

Local: (Re) Conquista - Memorial Governador Regis Pacheco

09/MAR a 18/MAR - PORTO SEGURO

Local: Centro de Cultura de Porto Seguro

23/MAR a 01/ABR - ILHÉUS

Local: Teatro Municipal de Ilhéus

06/ABR a 16/ABR - ITABUNA

Local: Centro de Cultura Adonias Filho

20/ABR a 29/ABR - VALENÇA

Local: Centro de Cultura Yêda Barradas

04/MAI a 15/MAI - CACHOEIRA

Local: Fundação Hansen Bahia

Panorama Coisa de Cinema chega à 13ª edição destacando a nova geração de cineastas brasileiros

Quase 140 filmes produzidos no Brasil e em vários outros países serão exibidos ao longo do XIII Panorama Internacional Coisa de Cinema, que acontece entre os dias 8 e 15 de novembro, em Salvador e Cachoeira. Mais de 1200 produções foram assistidas pela equipe de curadoria para definir as competitivas Nacional de Longas, Nacional de Curtas, Baiana e Internacional. Nas competições de filmes brasileiros, haverá debate com os realizadores após a maioria das sessões.

Com patrocínio da Petrobras, apoio financeiro do Governo do Estado da Bahia, através do Fundo de Cultura, e apoio institucional da Prefeitura de Cachoeira, o XIII Panorama traz um novo foco para a Competitiva Nacional de Longas, que a partir de agora será formada por diretores que estão realizando até o segundo longa-metragem de suas carreiras. A seleção deste ano reúne apenas cineastas estreantes no formato.

“Quando começamos a realizar o Panorama, abraçamos uma nova geração de curta-metragistas extremamente talentosa. Aos poucos, essa geração realizou seus primeiros longas e ganhou o mundo. Uma nova geração está chegando. Com novos desafios, com estética e questões distintas”, explica Cláudio Marques, coordenador e curador do festival.

Dezesseis produções da Bahia, Pernambuco, Ceará, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais compõem a Competitiva Nacional de Curtas.

A Competitiva Baiana reúne 26 filmes produzidos em Salvador e no interior da Bahia. Os seis longas selecionados são os documentários Quilombo Rio dos Macacos (Josias Pires), Diário da Greve (Guilherme Sarmiento), Xará (Matheus Vianna), Elogio à Utopia (Caio Araujo), Do Sul ao Norte (Isbela Faria) e Zélia - Memórias de Amor (Carla Laudari). A mostra é completada com 20 curtas-metragens.

O cinema realizado em treze países, seja com produções individuais ou em parceria, está representado nos sete longas e 13 curtas da Competitiva Internacional. Entre os os longas selecionados estão Rei (Rey), de Niles Atallah, premiado no Festival de Roterdã; e A Ciambra, de Jonas Carpignano, vencedor do Europa Cinemas Label do Festival de Cannes. Também premiado em Roterdã, o curta Saudações de Aleppo (Greetings From Aleppo), de Issa Touma, Floor van der Meulen e Thomas Vroege, documenta histórias de pessoas comuns que permanecem na cidade destruída.

Homenagens

O cinema nacional também está em destaque nas homenagens que acontecem nessa edição. Uma delas é ao ator Paulo José, que completou 80 anos em março e fez cerca de 50 filmes ao longo da sua carreira. No dia 11 de novembro, será exibido o documentário Todos os Paulos do mundo, de Gustavo Ribeiro e Rodrigo de Oliveira, que debaterá o filme com o público após a exibição. A homenagem inclui ainda a exibição de Macunaíma e O Padre e a Moça, ambos de Joaquim Pedro de Andrade.

O Panorama irá render homenagens aos cineastas Guido Araújo, Geraldo Moraes e Luiz Paulino dos Santos, todos falecidos este ano. Parte da trajetória de Guido será resgatada com a exibição dos episódios 1 e 5 da série O Senhor das Jornadas, dirigida por Jorge Alfredo. A obra de Geraldo estará representada por A Difícil Viagem e a de Luiz Paulino por Índios Zoró - Antes, Agora e Depois?.

Inspiração para a identidade visual desta edição, o cartazista Renato Fróes terá seus trabalhos expostos no foyer do Espaço Itaú de Cinema Glauber Rocha durante o festival. Falecido em 2012, ele produziu anúncios de filmes entre as décadas de 1940 e 1980, montando os originais com cartolina, utilizando tinta guache, nanquim e cola.

Realizada em parceria com a Dimas (Diretoria de Audiovisual da Fundação Cultural do Estado), a sessão Cineclube Walter da Silveira traz A Grande Cidade (1966), de Cacá Diegues, em cópia restaurada.

A história do cinema baiano também está no centro da mostra 40 anos - Lumbra Cinematográfica, que relembra o movimento formado por José Araripe Jr., Edgard Navarro, Pola Ribeiro e Fernando Belens na década de 1980. Serão exibidos os curtas-metragens Contos de Farda, Porta de Fogo, A Lenda do Pai Inácio, Heteros e Na Bahia Ninguém Fica em Pé.

Em estreia mundial, o documentário UPB - Tempestade Emocional, de Cecilia Amado, será exibido no dia 13. O filme é um ensaio documental sobre a Orkestra Rumpilezz e a trajetória do maestro Letieres Leite, que elevou o estudo dos ritmos de matriz africano ao patamar da música erudita, após identificar que as músicas populares das Américas partem dessas clavez rítmicas.

Sessões especiais

A sessão especial A Mulher no Cinema exibirá o longa Cinéast(e)s, de Julie Gayet e Mathieu Busson, que entrevista diretoras para debater a participação feminina na arte cinematográfica; e o curta Histórias Maternas (Histoires Maternelles), de Anouk Dominguez-Degen, que explora as nuances dos instintos maternos. “Nossa proposta é criar um espaço de reflexão sobre o lugar da mulher no cinema”, explica Marília Hughes, coordenadora e curadora do Panorama.

A programação inclui outras duas sessões especiais. A primeira delas irá exibir Zama (2017), de Lucrécia Martel, longa que traz a saga de um oficial da Coroa Espanhola nascido na América do Sul. A segunda sessão será com A Negação do Brasil (2000), de Joel Zito Araujo, que analisa o papel dos atores negros na história da telenovela.

Produções recentes do cinema português e italiano serão exibidas em duas mostras tradicionais, a Sessão IndieLisboa e o Panorama Italiano. O cinema internacional também estará na Mostra Clássicos, que este ano reúne nove filmes realizados entre 1928 e 2001.

Em parceria com o Goethe-Institut (ICBA), o festival realiza uma extensão da mostra IMPLOSÃO - Trans(relacion)ando Hubert Fichte, que será aberta em 7/11 no Museu de Arte Moderna. O Panorama irá exibir fotofilmes realizados por Fichte, que era escritor, e sua companheira, a fotógrafa Leonore Mau, entre 1966 e 1971.

Uma novidade deste ano é a mostra Divercine, uma parceria com o Festival Internacional de Cine para Niños y Jóvenes (Divercine), realizado em Montevidéu e outras cidades uruguaias. A mostra reunirá curtas sem diálogos, que utilizam diferentes técnicas de animação, e os participantes contarão com um espaço especial no foyer do Espaço Itaú de Cinema Glauber Rocha.

Pensando cinema

Realizadores e amantes do cinema contam ainda com as oficinas gratuitas de Crítica Cinematográfica e Direção de Arte. A primeira ministrada pelo pesquisador e crítico de cinema André Dib, que é membro da diretoria da Associação Brasileira dos Críticos de Cinema (Abraccine).A segunda está sob o comando da cenógrafa e diretora de arte Carol Tanajura, que assina Direção de Arte dos longas A Finada Mãe da Madame (Bernard Attal), A Cidade do Futuro e Guerra de Algodão (Cláudio Marques e Marília Hughes), entre outros.

O papel de incentivador da produção cinematográfica e da reflexão sobre seus processos é reforçado pelo PanLAB - Laboratório de Roteiros. Nesta edição, o roteirista Aleksei Wrobel, o diretor e roteirista Caetano Gotardo e a roteirista e mestre em processos audiovisuais Iana Cossoy Paro são os consultores que realizarão sessões individuais com os autores de cada um dos 11 roteiros selecionados.

Confira a programação completa e maiores informações no site http://coisadecinema.com.br/xiii-panorama/

  • SERVIÇO

O que: XIII Panorama Internacional Coisa de Cinema

Quando: 08 a 15 de novembro

Onde: Espaço Itaú de Cinema Glauber Rocha / Cine Theatro Cachoeirano

Preço: Salvador: R$ 10,00 (inteira)/ R$ 5,00 (meia) avulso – R$ 40,00 passaporte com 10 ingressos

Cachoeira: Gratuito

Programação: coisadecinema.com.br/xiii-panorama/

Estacionamento parceiro: Premium Park Barroquinha (Direto na garagem: R$5 /hora - Manobrista na porta do cinema: R$10 primeira hora + R$5 /hora)

 

Fonte: SecultBa/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!