10/11/2017

13º deve injetar R$ 8,5 bi na economia baiana

 

Para o trabalhador em geral, uma das grandes expectativas, com a chegada do final do ano, é com relação ao pagamento do décimo terceiro salário – a primeira parcela deve ser paga pelas empresas até o próximo dia 30. Também chamada de gratificação natalina, essa remuneração, aqui na Bahia, deve injetar na economia o valor de R$ 8,57 bilhões até dezembro, mês em que a segunda parcela deve ser paga (até o dia 20).

Ainda conforme o levantamento, divulgado ontem pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), estima-se que 4,7 milhões de baianos recebam o 13º salário, o que equivale a 5,61% do total nacional e a 25,95% da Região Nordeste. Do total de pessoas que vão receber a gratificação, 48% dos beneficiados serão do trabalho formal e os outros 52% são de aposentados e pensionistas. Cada um desses deve receber, em média, o valor de R$ 1.711,95.

Com relação aos valores que cada segmento deve receber, o Dieese apontou que os empregados formalizados ficam com 61,6% (R$ 5,27 bilhões) e os beneficiários do INSS, com 31,9% (R$ 2,73 bilhões), enquanto aos aposentados e pensionistas do Regime Próprio do estado caberão 5,74% (R$ 492,5 milhões) e aos do Regime Próprio dos municípios, 0,8%. À nível de Brasil, estima-se que deverão ser injetados na economia brasileira mais de R$ 200 bilhões. Ao todo, Cerca de 83,3 milhões de brasileiros serão beneficiados com um rendimento adicional, em média, de R$ 2.251.

Ainda conforme o Dieese, o cálculo levou em conta dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) e do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), ambos do Ministério do Trabalho. Além disso, também foram consideradas informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), da Previdência Social e da Secretaria Nacional do Tesouro (STN).

Comércio otimista

Para os comerciantes e lojistas da capital baiana, o pagamento do 13º salário é visto como um grande desafogo, uma vez que o segmento, ao longo ano, não teve vendas significativas, principalmente pelo fato de o país ainda estar saindo, mesmo que timidamente, de uma recessão. Contudo, para esse período natalino, as expectativas de vendas, em comparação ao mesmo período do ano passado chegam a 6%.

“Além do crescimento, temos a perspectiva de criação de mais de três mil empregos temporários”, afirmou o presidente da Câmara dos Dirgentes Lojistas (CDL) de Salvador, Alberto Nunes. De acordo com ele, esta é uma época em que os clientes levam muito em conta a questão dos presentes e a gratificação natalina é muito utilizada para isso. Dentre os itens que devem ser mais visados estão vestuário, alimentos, decoração, perfumaria, entre outros.

Cálculos do Dieese

O pagamento do 13º Salário vai injetar na economia baiana R$ 8,57 bilhões, até o final deste ano, de acordo com cálculos divulgados nesta quarta-feira (8) pelo Departamento Intersindical de Estudos Econômicos e Sociais (Dieese). A estimativa é que os recursos sejam distribuídos por 4,7 milhões de pessoas na Bahia, entre trabalhadores do mercado formal e os aposentados e pensionistas. Esse montante representa em torno de 3,5% do Produto Interno Bruto (PIB) da Bahia.

O estado responde por 3,87% do total de recursos que serão movimentados no Brasil e por 26,9% da região Nordeste. Nacionalmente, o 13º Salario vai movimentar um volume de R$ 200 bilhões. Cerca de 83,3 milhões de brasileiros serão beneficiados com um rendimento adicional, em média, de R$ 2.251.

No estado, os empregados do mercado formal, celetistas ou estatutários, representam 48,0%, enquanto pensionistas e aposentados do INSS equivalem a 52,0%. O emprego doméstico com carteira assinada participa com 1,3%. Em relação à distribuição dos valores que cada segmento receberá, os empregados formalizados ficam com 61,6% (R$ 5,27 bilhões) e os beneficiários do INSS, com 31,9% (R$ 2,73 bilhões), enquanto aos aposentados e pensionistas do Regime Próprio do estado caberão 5,74% (R$ 492,5 milhões) e aos do Regime Próprio dos municípios, 0,8%.

A estimativa do Dieese é que este ano haverá um aumento real (já descontando-se o efeito da inflação) de 0,5% no volume de recursos injetados na economia baiana. Para a economista Ana Georgina Dias, supervisora técnica do órgão na Bahia, o aumento no volume, mesmo em um período de alta no desemprego se deve, sobretudo, ao crescimento nos pedidos de aposentadoria no decorrer deste ano. "Muita gente correu para se aposentar, temendo se prejudicar com a reforma da Previdência", explicou ela.

Por outro lado, avalia Ana Georgina, os efeitos da crise no mercado de trabalho podem ser notados na comparação com o volume de trabalhadores formais que irão receber o 13º este ano, em comparação com anos anteriores. "O valor injetado pelo 13º na economia poderia ser maior, não fosse a perda de postos de trabalho no país. É um cenário que vem se repetindo desde 2015", afirmou, lembrando que recentemente o desemprego estagnou. De acordo com a economista, em 2014, o Brasil tinha 49,6 milhões de trabalhadores formais. Este número caiu para 48,1 milhões em 2015 e para 46,7 no ano passado.

Black Friday deve gerar mais de R$ 85 milhões em vendas na Bahia

Uma das datas mais esperadas do comércio eletrônico está chegando. A Black Friday, que acontece no próximo dia 24, última sexta-feira de novembro, deve gerar em torno de R$ 42 milhões em Salvador e mais de R$ 85 milhões em toda a Bahia, um crescimento de 19% ante 2016. No Brasil, conforme divulgou a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), mais de R$ 2,5 bi devem ser movimentados via e-commerce.

A principal dica para este ano é a antecipação, conforme aconselha o diretor geral do portal Busca Descontos – idealizador da Black Friday no Brasil –, Ricardo Bove. “Para nós, a Black Friday já começou. Temos lojistas já soltando algumas ofertas. É importante que se faça uma listinha de compras para saber o que exatamente quer comprar e já ir pesquisando o preço. No dia da Black Friday, as ofertas com muito desconto acabam esgotando rapidamente, porque é muita procura e o estoque é limitado”, explica.

Um exemplo de promoção que já está com tudo é o delivery de restaurantes, iFood, que está com descontos de 50% e até entrega grátis. Outras lojas físicas, por meio de seus sites, também já estão com promoções. O que pode ajudar o consumidor a ficar atento a todas as ofertas é o site oficial blackfriday.com.br. “Os cadastrados recebem as promoções em primeira mão. Assim que as ofertas vão chegando, são enviadas direto para os consumidores”, garante.

Ao contrário do que muitos pensam, o fator crise econômica, que ainda deixa o Brasil na corda bamba, pode favorecer o cliente. “Durante a crise, as pessoas compram menos e os lojistas acabam tendo muito estoque. Eles aproveitam a esse momento para limpas os estoques, até para o próprio Natal, dando maiores descontos”, avalia Bove.

Descontos

Saber com antecedência quais segmentos disponibilizarão as principais promoções é considerado bastante relativo, isso porque também depende exclusivamente das lojas participantes. Contudo, o diretor geral da Black Friday revela que categorias que agregam maior valor são as mais procuradas.

Exportações baianas crescem 24,2% em outubro

Pelo sexto mês consecutivo, as exportações baianas registraram crescimento em relação a 2016. De acordo com informações analisadas pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), em outubro, as receitas de exportação do estado atingiram US$ 731,1 milhões, com incremento de 24,2% ante o mesmo mês do ano passado.

Como vem acontecendo ao longo do ano, as vendas externas em outubro foram puxadas pelos produtos básicos, como consequência da recuperação da produção agrícola estimada em 41%. A soja, novamente foi o destaque do mês com vendas de US$ 178,2 milhões e um incremento de 256% sobre outubro/2016.

Outros produtos agrícolas também contribuíram para o bom desempenho como algodão (+186% para US$ 70,1 milhões), Frutas (+9%, a US$ 29,3 milhões), Sisal (+34% a US$ 7,9 milhões), Café (+5% a US$ 4,9 milhões), Fumo (+138% a US$ 2,3 milhões) e Carnes de aves (203% a US$ 2,1 milhões). Já os produtos industrializados, afetadas pela valorização cambial e pelo aumento dos custos de produção, registraram queda de 10,3% no mês.

Até outubro, as exportações baianas alcançaram US$ 6,74 bilhões, superando em 16,7% as receitas de igual período do ano passado. O crescimento das vendas externas do estado em 2017 é resultado da expansão mais forte da atividade global, o que resultou em um aumento das importações principalmente da China, Estados Unidos e União Europeia, principais mercados para as exportações baianas; das melhores cotações das commodities, que interrompeu a desvalorização dos preços médios dos produtos exportados pelo estado; e da já citada recuperação da produção agrícola, hoje responsável por 48% das exportações totais do estado.

Importações

De acordo com a melhora das expectativas para economia, as importações baianas registraram crescimento de 79,5% em outubro, alcançando US$ 819,1 milhões. O maior responsável pela forte elevação foram as compras de combustíveis (+237%), principalmente nafta, gás e óleo diesel. Em menor proporção, também cresceram as compras de produtos intermediários (+56%) e de bens de capital (+2,3%), este último, pelo segundo mês consecutivo o que pode ser um indicativo positivo de recuperação da economia por se tratar de máquinas e equipamentos (investimento).

Com os resultados apurados até o mês de outubro, as importações acumulam US$ 6 bilhões, o que representa um crescimento de 9,8% sobre o mesmo período de 2016. O incremento das compras externas no ano deve-se, além do aumento nas compras de combustíveis (+14,6%), ao incremento em 8% do quantum importado, principalmente de matérias primas como minério de cobre e insumos para a indústria química; do aumento das compras de peças e acessórios para indústria automotiva na esteira da melhoria do seu desempenho; e da baixa base de comparação, já que 2016 foi marcado por forte retração da atividade econômica.

 

Fonte: Tribuna/Correio/Ascom SDE/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!