11/11/2017

Bahia: Trade otimista com a ocupação hoteleira no verão

 

Um dos destinos mais procurados pelos turistas por conta de suas belezas naturais, cultura e gastronomia, Salvador sempre vive, por conta do verão, uma grande expectativa, principalmente por conta da ocupação hoteleira. Mas, se depender do otimismo do segmento e do trade turístico, a capital baiana deve ter mais motivos para comemorar neste sentido.

Os bons números ao longo do ano já vinham dando o aviso. Só de janeiro a outubro, a ocupação hoteleira aqui na cidade foi 9,5% superior ao mesmo período do ano passado, de acordo com Paulo Gaudenzi, presidente do Salvador Destination, escritório de negócios criado para fomentar o turismo de eventos e congressos na capital. Para a estação mais aguardada do ano, o índice é ainda maior: 12% em relação à última temporada. O número de leitos, na capital, atualmente é de 40 mil.

“Nossa expectativa é a maior possível. Estivemos em eventos de cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Buenos Aires e Montevidéu, para divulgar o destino Bahia, e voltei otimista de que teremos uma ocupação excelente, principalmente como um número maior de vôos oriundos de fora do país”, pontuou Glicério Lemos, presidente da Associação Brasileira da Indústria dos Hotéis – Bahia (ABIH Bahia).

Além da arrumação da cidade pela gestão municipal, com o fortalecimento de eventos como o Carnaval e o Réveillon, além dos pontos turísticos, cerca de 2.200 agentes foram capacitados – através de uma parceria entre a Associação e a Prefeitura – como forma de divulgar o destino Salvador para o Brasil e o mundo.

“A procura já está 20% maior em relação ao mesmo período do ano passado. Só no último trimestre, a ocupação foi superior em 5,1% em relação ao mesmo período de 2016. Nossa expectativa é a de que os hotéis da orla, claro, sejam ocupados primeiro. Mas, sem dúvida todos os estabelecimentos da cidade terão bons números. Tudo isso é reflexo desse trabalho que estamos fazendo em conjunto”, disse Lemos, que também espera que o aumento no movimento possa gerar mais empregos para o segmento, a exemplo de camareiras, garçons, recepcionistas, entre outros.

Presidente do PSDB na Bahia acredita em pressão de Imbassahy por destituição de Tasso

O presidente do PSDB na Bahia, deputado federal João Gualberto, acredita que tucanos governistas, a começar pelo ministro Antonio Imbassahy, pressionaram o senador Aécio Neves a destituir o senador Tasso Jereissati do comando nacional da sigla – função que exercia interinamente após o afastamento de Aécio. Em entrevista ao BNews, na manhã desta sexta-feira (10), Gualberto disse que o fato já era esperado.

“Já se falava que isso poderia acontecer para que ele [Tasso] disputasse a presidência em condições iguais. O que não é verdade”, avaliou. “Claro, houve pressão dos governistas, de todos aqueles que apoiam [Marconi] Perillo, sobre Aécio. A escolha de Goldman foi boa, tenho certeza de que ele não vai trabalhar para nenhum lado”.

Perto da votação que elegerá o novo presidente, Tasso disputa o posto com o governador de Goiás, Marconi Perillo, que, ao contrário do adversário, defende a permanência do partido na base de Michel Temer (PMDB).

Questionado sobre a situação do PSDB baiano, no qual Imbassahy está isolado, Gualberto disse que o espaço do correligionário está garantido. “Não tem problema na Bahia, ele faz parte da chapa única e terá seu espaço”, acrescentou.

Destituição de Tasso da presidência do PSDB é ‘traumática’, diz Jutahy

Filiado ao PSDB praticamente desde a sua criação, o deputado federal Jutahy Júnior classificou como um “episódio traumático” a destituição do senador Tasso Jereissati da presidência interina do partido e defendeu que não haja disputa pelo cargo na convenção da legenda, marcada para 9 de dezembro.

“Esse episódio foi muito traumático, a destituição do Tasso, mas temos que olhar para a frente. Eu tenho absoluta convicção de que o [Alberto] Goldman, indicado para a presidência interina, tem todas as condições para trabalhar pela unidade do partido”, declarou, ao bahia.ba.

A destituição de Tasso do comando do PSDB foi feita pelo senador Aécio Neves. O parlamentar mineiro alega que quer “isonomia” na disputa pela presidência entre Tasso e o governador de Goiás, Marconi Perillo. Apesar de se dizer defensor de uma chapa única, Jutahy não indicou qual seria o melhor candidato. “A única coisa que defendo é que não haja disputa. Isso é fundamental”, opinou.

O PSDB da Bahia realiza a sua convenção estadual neste sábado (11), com o deputado federal João Gualberto, presidente da sigla no estado, como candidato único.

"Espero que o PSDB possa superar suas divisões internas", diz ACM Neto

Questionado sobre a crise que perpassa o PSDB, o prefeito ACM Neto (DEM) disse que prefere falar sobre o Democratas, “que está preparado para crescer”, mas ressaltou que “torce” para que a sigla volte a ficar coesa.

“Não vou ficar torcendo por crise dos meus aliados, pelo contrário, espero que o PSDB possa o quanto antes superar suas divisões internas, com maturidade, e construir uma agenda política para o futuro do país. O PSDB tem quadros importantíssimos, tem um caldo de ideias políticas fundamentais. O país precisa do PSDB, e nós torcemos para que essa crise interna não se aprofunde”, pontuou, na manhã desta sexta-feira (10), durante o lançamento do projeto Salvador Capital Voluntária, no auditório do Centro de Cultura da Câmara Municipal de Salvador.

Delegado acusado de peculato por deputado é exonerado da Depin

Acusado pelo deputado estadual Targino Machado (PPS) de praticar peculato, o delegado Ricardo Esteves foi exonerado do cargo de diretor do Departamento de Polícia do Interior (Depin) de Feira de Santana. O ato foi publicado no Diário Oficial do Estado desta quinta-feira (9).

Segundo a publicação, o delegado Flávio Augusto de Andrade Gois assumirá o posto. Em agosto deste ano, Targino subiu à tribuna da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) para reforçar as acusações contra Ricardo Esteves.

De acordo com o parlamentar, o ex-diretor da Depin teria “prevaricado” e cometido “peculato” após ficar com cerca R$ 13 mil apreendidos em um ação da polícia, em 2014.

“Cadê o governador [Rui Costa]? Cadê o secretário de Segurança? Esse camarada vai continuar sendo diretor do Depin [Departamento de Polícia do Interior]?”, questionou, na época.

‘Não irei me retratar sem justificativa’, diz Trindade sobre Neto

Líder da oposição na Câmara de Salvador, José Trindade (PSL) disse, na manhã desta terça-feira (10), que não pretende se retratar da acusação contra o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM).

Após o vereador afirmar que o democrata era “chefe de uma organização criminosa”, o chefe do Palácio Thomé de Souza ingressou com uma ação penal contra ele por calúnia.

“Acho que é um direito dele, se sentiu ofendido, de procurar a Justiça. Eu vou esperar ser notificado para me posicionar. Não conheço o teor da denúncia do prefeito. Se eu vir que não tenho justificativa nenhuma para fazer retratação, não irei me retratar. Aí tem que ver o teor do que ele está me acusando para ver a nossa posição”, afirmou Trindade, em entrevista ao bahia.ba.

O Código Penal, em seu artigo 143, permite a isenção da pena quando o acusado, antes da sentença, se retrata. Em outra ação de Neto contra Trindade, o vereador se retratou e a Justiça o absolveu.

Naquele processo, o líder da minoria disse que o prefeito era contra o serviço de transportes Uber por não conseguir “extorquir” o aplicativo.

Prefeito acusado de nepotismo aloca esposa em gabinete de Félix

Após o Ministério Público da Bahia (MP-BA) recomendar ao prefeito de Araci, Silva Neto (PDT), exonerar a sua esposa, Rita Adriana Britto Santos, da Secretaria de Desenvolvimento Social, Esporte e Lazer, o gestor conseguiu alocá-la no gabinete do deputado federal Félix Mendonça Filho, presidente da legenda na Bahia, conforme publicação no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira (10).

A denúncia, protocolada pelo ex-vereador da cidade, Leonardo Barreto de Pinho, “Léo de Garcia”, acusa Silva Neto de improbidade administrativa e prática de nepotismo, pois, segundo o documento, Rita Santos exercia um cargo de confiança.

No final de outubro deste ano, o prefeito resolveu exonerar sua esposa, mas garantiu um trabalho para ela um mês depois, com salário de R$ 6,1 mil.

Em contato com o bahia.ba, o parlamentar negou que irá contratar a assessora e justificou que a publicação seria apenas uma consulta que integra o processo de análise. Disse ainda que ela não está apta a exercer a função porque é servidora concursada. Também negou o valor do salário, que seria, segundo ele, de R$ 3,4 mil, o que não corresponde à tabela de funcionalismo da Câmara.

 

Fonte: Tribuna/BNews/Bahia.ba/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!