12/11/2017

Neto diz que Rui não conseguiu empréstimo por ‘incompetência’

 

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), aproveitou seu discurso em evento do PSDB, neste sábado, 11, para voltar a alfinetar o governador Rui Costa, ao acusar o governo baiano de que por “incompetência” não conseguiu obter o empréstimo junto ao Banco do Brasil, apesar de todos indícios apontar que a não liberação do dinheiro tem a interferência tanto dele como do seu partido.

O  governo do Estado acusa Neto de ter interferido para impedir a liberação do dinheiro. “Se [Rui] não teve acesso ao empréstimo, é por incompetência. É porque faltou alguma coisa que garantisse ao governo viabilizar os recursos. Mas eu quero fazer uma distinção muito clara. Eu governei Salvador por quatro anos sem apoio de ninguém, nem do governo federal, nem do governo do estado”, defendeu, logo após dizer que o problema de Segurança Pública do estado era fruto da “falta de autoridade e de pulso firme” de Rui.

Neto sugeriu ainda que passou por uma situação semelhante quando chegou à prefeitura pela primeira vez.

"Quando eu cheguei aqui, as ruas de Salvador estavam completamente esburacadas. Eu lembro que no começo do governo cheguei a dialogar com o então governador, Jaques Wagner, para viabilizar um empréstimo da Desenbahia, nos ajudando naquele momento inicial a viabilizar recursos para o recapeamento da capital. Vocês acham que o empréstimo saiu?", ironizou.

Após ser chamado diversas vezes, durante o evento, de futuro governador, Neto ainda brincou sobre como o vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis (PSDB), estava feliz com a aliança dos partidos - já que assumiria a prefeitura caso o democrata decida disputar a vaga de governador do estado.

"A Bahia tem que ser líder desse país e não será com o governador Rui Costa. Não será com ele, mas será com todos nós juntos. João, nós vamos construir isso. Bruno chega dá um sorriso ali. Não sei porque", disse, sob risos dos presentes.

Líder do governo rebate provocação de Neto sobre BB: 'Estava fazendo de tudo por dentro'

O líder do governo na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), deputado Zé Neto (PT), rebateu a provocação do prefeito ACM Neto (DEM) sobre a novela do empréstimo do Banco do Brasil.

O governo do estado tenta contrato de R$ 600 milhões com a instituição e acusa o democrata de interferir para que o dinheiro não fosse liberado.

"O que houve de verdade é que ele, depois daquela vez que o Congresso estava pra votar autorização ou não da investigação de Temer [Michel, presidente da República], estava tudo certo num dia pra liberar o recurso no Diário Oficial. No outro dia, ele [Neto] foi pra lá [Brasília] com Aleluia [José Carlos, deputado federal] e companhia, bateu na mesa do frouxo do Temer - que é um frouxo, não teve coragem de enfrentar o problema -, foi, recuou e não liberou o recurso", reagiu Zé Neto.

Durante convenção do PSDB, ACM Neto disse que o governo do estado não conseguiu o empréstimo por "incompetência" e porque "faltou alguma coisa" que garantisse a viabilidade dos recursos.

Sobre isso, Zé Neto concluiu que, se Neto está dizendo que faltava alguma coisa, ele "só passa recibo" no que o grupo petista vem dizendo. "Ele estava fazendo de tudo por dentro, ou pelo menos estava futucando por dentro", acrescentou.

O líder do governo na AL-BA disse ainda que o governo da Bahia tem R$ 9 bilhões de crédito possíveis de serem financiados, em razão da organização fiscal obtida nos últimos governos.

Neto acredita que governo não tem maioria para votar reforma da Previdência

Apesar de uma animação do governo Temer com os avanços nas negociações para a votação, e possível aprovação, da reforma da Previdência, o líder do Democratas na Bahia, prefeito de Salvador, ACM Neto, não acredita que o presidente tenha maioria no congresso para a aprovação da proposta.

O demista defende a reforma. “A reforma da Previdência é importante para o país e precisa acontecer. No entanto, não consigo lhe dizer se tem maioria no Congresso para aprova-la. Se olhar a lupa desse momento exclusivamente não há. Se o governo vai conseguir articular, a gente não sabe. Não faria prognósticos. Ela tem que acontecer em algum momento, mas não sei se acontecerá agora”, afirmou em entrevista ao BNews, na manhã deste sábado (11), durante a convenção do PSDB na Bahia, na capital baiana.

Sobre a legenda, que passa por momentos decisivos sobre manutenção ou desembarque do governo Temer, ACM Neto reiterou que a sigla tucana estará unida nas próximas eleições e que divergências internas são democráticas. “Eles vão estar unidos. Essas divisões internas são normais. Já vimos em todos os partidos. No meu Democratas já aconteceu. Não há partido que não tenha divisão interna. Pelo contrário, isso dá uma demonstração de uma força democrática. Não tem porque o partido impor posições. Tenho certeza que depois da convenção nacional, o partido estará totalmente unido”.

Mas ao falar da posição do PSDB na chapa majoritária ao governo do estado, Neto tentou se esquivar mais uma vez. “Não sei, não sou vidente e nem tenho bola de cristal”. No entanto, confirmou que tem conversado com os caciques do partido. “Acho que é cedo falar da chapa de 2018, mas tenho conversado com as principais lideranças do próprio PSDB. Me reuni com  Jutahy e Imbassahy, em momentos distintos, e com Gualberto também. Acho que o momento de costurar as coisas é de janeiro em diante, e aí no momento certo vocês saber”.

Reunião sobre volta de obras do Centro de Convenções é adiada para abril

Foi adiada pelo Tribunal Regional do Trabalho na Bahia (TRT-5), através da 34ª Vara do Trabalho de Salvador, uma reunião que definiria a volta de intervenções na estrutura do Centro de Convenções da Bahia (CCB), que está fechado há mais de um ano, pelo governo do estado.

A reunião, que havia sido previamente adiada para 6 de dezembro, foi postergada novamente para 6 de abril. O motivo alegado da decisão foi a dificuldade de analisar a quantidade de documentos de forma digital.

O Centro de Convenções foi penhorado pelo TRT em fevereiro devido a uma dívida da Superintendência de Fomento ao Turismo da Bahia (Bahiatursa), avaliada de R$ 50 milhões, o que interrompeu as obras que estavam sendo realizadas.

NILO PODE SER CANDIDATO PELO PSD E PINHEIRO ESTARIA VOLTANDO PARA O PT

O presidente estadual do PSL e ex-presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, Marcelo Nilo, está praticamente fechado com PSB. O deputado estadual disse que já se acertou com a senadora Lídice da Mata - que comanda a sigla no estado.

Nilo afirmou ainda que os deputados estaduais que saíram do PSL "não têm nada a ver" com ele. "Eles não me apoiaram na disputa da presidência da Assembleia. São até bons deputados, meus amigos, mas não têm nada a ver comigo", ressaltou.

Do outro lado o PT baiano identificou o interesse do senador Walter Pinheiro de retornar ao partido para concorrer à Câmara dos Deputados. Pinheiro está sem partido desde que desligou-se do PT, em março do ano passado e assumiu a secretaria de Educação em junho do mesmo ano.

RACHA NO PHS OPÕE NOVO PRESIDENTE E VEREADORES PRÓ-NETO

Restando menos de um ano para as eleições 2018, um dos principais partidos da base aliada do prefeito ACM Neto (DEM), o Partido Humanista da Solidariedade (PHS) vive um racha em seu diretório baiano. Conforme o Metro1 apurou, o novo presidente da legenda, Zé Raimundo, pediu os cargos do partido, inclusive o da liderança da sigla na Câmara Municipal de Salvador, ocupado pelo vereador Téo Senna. O edil recebeu uma série de questionamentos do novo dirigente do PHS-BA, mas não respondeu e a tempo, o que gerou a atitude do presidente, que enviou um ofício para o presidente da Câmara, Leo Prates (DEM), pedindo que Téo seja destituído da liderança do PHS na Casa.

"Fiquei surpreso com o ofício. Ele me fez questionamentos, pediu 72 horas para responder, depois pediu para eu sair. É ditadura?", disse o vereador, em entrevista ao Metro1. A manobra, vista como um indício de que o PHS pudesse migrar para a base do governador Rui Costa (PT), não foi bem vista pelos colegas da Casa, que prometem se reunir na próxima semana e se posicionar sobre a movimentação do diretório.

Segundo apurou o Metro1, Téo deve permanecer na liderança do partido na CMS já que nenhum vereador está interessado em sua saída do cargo. Para que Téo saia do cargo, pelo menos três parlamentares teriam que concordar com sua saída. A reportagem tentou entrar em contato com Zé Raimundo e com o ex-presidente da legenda, Junior Muniz, mas não obteve sucesso.

Deputado critica diretor do DEPIN e secretária Jusmari Oliveira

O deputado estadual Targino Machado (PPS) concedeu entrevista na tarde desta quinta-feira (10) ao programa De Olho na Cidade, da Rádio Sociedade 970 AM Feira de Santana, apresentado pelo radialista Jorge Bianchi. O parlamentar falou sobre a exoneração do diretor do Departamento de Polícia do Interior (Depin), Ricardo Esteves Brito, e disse que o Ministério Público da Bahia deve avançar nas investigações para pedir que Brito também seja afastado do cargo de delegado.

“Não conheço a palavra medo e estou como deputado para cumprir o meu múnus parlamentar, para assumir de forma plena as prerrogativas do meu mandato e uma delas é fiscalizar o governo como um todo. Se eu não fizesse a denúncia que chegou até mim em agosto, eu estaria prevaricando. O diretor do Depin, Ricardo Esteves Brito, quando atuava como delegado coordenador de polícia em Feira de Santana, em 2014, ficou com R$13.298,00 apreendidos em uma ação da polícia, cometendo crime de peculato. E não pode parar por aí, o Ministério Público tem que avançar nas investigações para pedir o afastamento dele do cargo de delegado, pois ladrão não serve para ser diretor do Depin nem para ser delegado”, disparou Targino.

Na oportunidade, Targino mostrou sua indignação também à secretária de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Sedur) Jusmari Oliveira, ex-prefeita de Barreias. Segundo o deputado, o governador Rui Costa, a pedido do senador Otto Alencar, tirou Fernando Torres da secretaria da Sedur e colocou Jusmari Oliveira para dar a ela foro privilegiado.

“Saiu Ricardo Brito e a próxima que eu só vou sossegar quando sair é Jusmari Oliveira. Ela é dona de vasta folha corrida. São 34 ações, 10 na justiça federal e 24 na justiça estadual, além de ter sido condenada por fraudes em licitações para compra de remédios, materiais hospitalares, odontológicos e de laboratórios. Eu não vou sossegar enquanto essa senhora não sair da secretaria da Sedur. Ela deveria estar na cadeia. Vou denunciar todos quantos pratiquem corrupção.”

 

Fonte: BN/BNews/Bahia.ba/Bahia Econômica/Bahia Já/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!