18/11/2017

Unegro realiza 9ª Lavagem da Estátua de Zumbi dos Palmares

 

Nesta segunda-feira, dia 20 de novembro, acontece, a partir das 8h30, na Praça da Sé, no Centro Histórico, a 9ª Lavagem da Estátua de Zumbi dos Palmares. Promovida por organizações do movimento negro e de outros movimentos sociais, esse ano, o evento conta com uma novidade, a realização do 1º Sarau da Consciência Negra: pela vida da juventude negra, contra o genocídio!

O Sarau tem como objetivo visibilizar, debater e despertar a sociedade para o enfrentamento ao racismo e suas múltiplas formas de expressão, sobretudo na banalização das milhares de mortes de jovens negros e negras que acontecem todos os anos no nosso estado e país.

Segundo o Mapa da Violência (2016) e o Atlas da Violência (2017) o Brasil perde quase 60 mil pessoas por ano vítimas de homicídios. Deste total, 53% são jovens entre 15 a 29 anos e cerca de 70% deles são negros. Estes números superam os países em conflito civil no mundo, expõem a triste realidade a que está submetida a juventude negra brasileira e configuram um verdadeiro genocídio.

Além disso, a atividade busca dar visibilidade às ações culturais protagonizadas pela juventude negra nas periferias do estado, levando poesia, teatro e música.

Dia da Consciência Negra

Resultado de décadas de luta do movimento negro brasileiro, o dia 20 de novembro foi imortalizado como o Dia Nacional da Consciência Negra o que enseja a realização de um sem-número de marchas, debates, seminários, conferências e, em cerca de 700 municípios, se constitui como feriado destinado a homenagear Zumbi dos Palmares, na data de sua morte que aconteceu em 20 de novembro de 1695.

Zumbi, junto a Dandara, foi um dos principais líderes do Quilombo do Palmares, em Alagoas, uma das áreas usadas pelos escravizados quando fugiam do domínio dos senhores de engenho. A data é considerada como um marco histórico e uma referência para a população negra dedicada à reflexão sobre as consequências do racismo e sobre sua inserção na sociedade brasileira.

Serviço:

O quê: 9ª Lavagem da Estátua de Zumbi dos Palmares e 1º Sarau da Consciência Negra

Quando: 20 de novembro – Dia Nacional da Consciência Negra

Horário: 8h30

Local: Praça da Sé, em frente à Estátua de Zumbi dos Palmares

Atrações: Banda Tambores de Búzios, Grupo de Teatro de Paripe, Evolução MC’s, Grupo de Capoeira Olopé e os jovens grupos de poesia do Sarau da Onça, Slam das Minas e Coletivo Vira-Lata.

Organização: União de Negras e Negros pela Igualdade (Unegro), União da Juventude Socialista (UJS), Levante Popular da Juventude, Central das Trabalhadoras e Trabalhadores do Brasil (CTB), Movimento em Defesa da Moradia e do Trabalho (MDMT), MJPop, Agentes de Pastoral Negros, Reprotai, Instituto Luiza Mahin, Sarau da Onça, União de Estudantes da Bahia (UEB).

Projeto Mais Grafite vai colorir pilastras da Lapa com símbolos e personalidades da cultura negra

Com o objetivo de celebrar a Semana da Consciência Negra, o Projeto Mais Grafite vai reunir um grupo de artistas do Coletivo Musas para dar nova vida às pilastras do subsolo da Estação da Lapa. A nova ação do projeto desenvolvido pelo Governo do Estado terá início nesta terça-feira (21), às 9h, com a participação dos grafiteiros Júlio Costa, Bigod, Marcos Príncipe e Questão, que vão transformar o espaço com imagens de símbolos e personalidades marcantes da cultura negra, a exemplo de Zumbi dos Palmares e Maria Felipa.

O início dos trabalhos contará com a participação de alunos de escolas estaduais que vêm utilizando a arte do grafite como alternativa de expressão e incentivo ao diálogo com o público jovem.

Idealizado para levar mais cor e vida às áreas públicas da cidade onde predominam as estruturas em concreto cinza, o Mais Grafite teve como ponto de partida a realização de 14 oficinas de arte, em escolas da rede estadual situadas em localidades contempladas pelo programa de promoção da paz social Pacto pela Vida. O trabalho foi resultado de uma parceria entre as secretarias estaduais de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SDHDS) e de Educação (SEC).

A próxima intervenção do projeto deverá ter como alvo o viaduto próximo a loja Ferreira Costa, na Avenida Luiz Vianna Filho (Paralela).

Novembro Negro: Projetos nas escolas estaduais destacam pertencimento étnico-racial

A culminância dos projetos pedagógicos do Novembro Negro, protagonizados pelos estudantes dos colégios estaduais de Salvador e do interior baiano, acontece nas unidades, até o dia 24. As ações, que vêm sendo realizadas ao longo do ano letivo, são baseadas na Lei 10.639/2003, que estabelece a obrigatoriedade de estudos sobre a história e a cultura da África no currículo escolar dos Ensinos Fundamental e Médio, propondo uma educação voltada para as relações étnicas e raciais. Questões como combate ao racismo, educação humanitária e igualitária, pertencimento étnico-racial, herança escravocrata, empoderamento negro e preconceito estão inseridas em atividades interdisciplinares, a exemplo de oficinas, seminários, exposição fotográfica, vídeos e apresentação de danças africanas.

Na Escola Estadual Lindembergue Cardoso, no bairro de Periperi, em Salvador, a tradicional gincana foi iniciada na quinta-feira (16) e se estende nesta sexta (17). Sob o tema “Os 129 Anos de Luta e Resistência”, a atividade escolar visa abordar a história dos escravizados e de seus descendentes após à abolição da escravatura até os dias atuais. As tarefas das equipes apresentam questões como história e luta contra o racismo dos blocos Afro; a Lavagem do Bonfim, a Revolta do Malês e a Festa de Iemanjá.

O estudante Ícaro Barbosa, 18, 3º ano, integrante da equipe Pérola Negra, fala sobre a importância de levar o tema da consciência negra para o ambiente escolar. “A gincana é uma forma lúdica de trazer para a escola o sentido real da palavra consciência, por meio de atividades práticas. O tema tem no dia 20 de novembro um marco, mas a resistência negra é uma luta cotidiana e é através dessa consciência que o negro e suas conquistas serão respeitados”. A vice-diretora Eliana Costa completa: “Esta reflexão sobre questões voltadas à consciência negra contribui para a elevação da autoestima dos estudantes”.

No interior

No Colégio Estadual Camilo de Jesus Lima, em Vitória da Conquista, no Sudoeste baiano, os estudantes estão envolvidos com o projeto “Educação não tem cor”, iniciado no dia 6/11 e culminando na quarta-feira (22). A estudante Jeniffer Lira, 17, 3º ano, que participará da oficina “Chacina nas periferias”, fala sobre a importância das atividades do Novembro Negro. “Esta discussão no ambiente escolar contribui para despertar a nossa consciência sobre a urgência de respeitarmos as pessoas, independentemente de sua cor, sua crença”. Viviane Nascimento, 18, 3º ano, também comenta: “Para mim, que sou negra, considero muito necessário dialogarmos sobre a valorização da nossa cultura e o respeito racial”. A diretora Socorro Passos complementa: “A ideia é mostrar que cada povo possui a sua identidade própria, presente nas crenças, costumes, história e organização social, e que cada um tem a sua contribuição no desenvolvimento da humanidade”.

  • Programação Novembro Negro nas escolas

Escola Estadual Lindembergue Cardoso - Periperi

Sexta (17) - Gincana: 129 Anos de Luta e Resistência. Inicio: 16/11 – Equipes: Orgulho Negro, Poder Negro, Preto no Branco, Perola Negra e Libertos pela Força.

Colégio Estadual Renan Baleeiro – Águas Claras

20/11 – Visita e intervenção da Rede Somus e oficinas

21 e 22/11 – Campeonato feminino e masculino de futebol – cada turma representará um país africano

23/11 – Apresentações de dança, explorando diversos ritmos africanos

24/11- Desfile para a escolha do casal “Beleza Negra 2017”.

Colégio Estadual Severino Vieira - Nazaré

24/11- Culminância, com apresentações das produções dos estudantes.

Colégio Estadual Camilo De Jesus Lima - Vitória da Conquista

17/11 – Roda de Samba

22/11 Culminância: Apresentações das turmas, por tema: “Mulher negra”, “O negro e a política”; “Resistência”; “Uma reflexão musical” e “Religiosidade”. Das 8h às 10h - minicursos, palestras, oficinas e rodas de conversa. Das 10h30 às 11h30 - apresentações culturais e socialização das produções.

Colégio Estadual Octacílio Manoel Gomes – Ubaitaba

21/11 - apresentação de danças, representação teatral de músicas, poema, jogral, coral, manequins vivos, desfile da beleza negra; desfile de penteado ou turbante.

Setur atua na valorização do turismo étnico-afro

Acordo de cooperação entre as secretarias estaduais do Turismo (Setur) e de Cultura (Secult), por meio do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Ipac), e o Centro de Umbanda Mística Oxum Apará assegura apoio para a realização do I Encontro de Umbanda da Bahia. O evento acontece neste sábado (18), no Gran Hotel Stella Maris, na capital baiana.

A expectativa dos organizadores é a de reunir cerca de 1.300 pessoas com o objetivo de analisar e discutir com a sociedade, leigos e especialistas temas relacionados à Umbanda. Haverá palestras, lançamento de livro e a presença de expoentes de outras religiões, em um encontro universal, com o objetivo de combater a intolerância religiosa.

Ao lado da secretária da Cultura, Arany Santana, do diretor do Ipac, João Carlos de Oliveira, do subsecretário do Turismo, Benedito Braga, o secretário José Alves destacou a importância da iniciativa para a valorização do turismo étnico-afro. “Nossa equipe atua nesse segmento, mapeando atrativos naturais e culturais do étnico-afro, a fim de contribuir para a sua roteirização e formatação de produtos turísticos”. A abertura do I Encontro de Umbanda da Bahia acontece às 9h. Entre os temas em debate, o palestrante Alexandre Cumino abordará ‘O que é a Umbanda? Uma religião brasileira e sua relação com o dia a dia’. A programação prossegue até às 17h.

 

Fonte: Bahia Já/Ascom Educação/Ascom Setur/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!