19/11/2017

Salvador: UFBA discute sobre o futuro da cidade em simpósio

 

A Universidade Federal da Bahia sedia de 20 a 23 de novembro o Simpósio Nacional de Geografia Urbana.  O objetivo do encontro é pensar a cidade e o urbano a partir de algumas perguntas chaves: como será a cidade daqui a 100 anos? O que é a sociedade urbana no presente? É possível pensar uma cidade utópica? De quais utopias podemos falar? Quais as bases que a sociedade presente pode dar? O simpósio reunirá os principais nomes da geografia do país, além de pesquisadores de áreas afins ao campo científico.

“O simpósio específica uma discussão sobre o que é hoje a cidade, o urbano, a urbanização”, observa Angelo Serpa, professor do Instituto de Geociências da UFBA. Em sua opinião, o debate é necessário em razão do processo de urbanização no Brasil. “Essa experiência urbana de morar na cidade é compartilhada por milhões de brasileiros e é uma tendência mundial. Não significa, no entanto, que o Brasil está deixando de ser rural. A Bahia, por exemplo, ainda tem uma grande população vivendo no campo, mas mesmo esse campo se urbaniza”. Em complemento, ele afirma que a migração cidade-campo ainda é forte no Brasil.

É a segunda vez que o simpósio é realizado na Bahia – a primeira foi em 1997. O encontro, cujo tema deste ano é “sobre a cidade e o urbano, contribuição da Geografia: que teorias para este século?", tem o objetivo de refletir como essa geografia urbana pode dialogar com outras áreas do conhecimento como arquitetura, urbanismo, sociologia, antropologia, etc. Disciplinas que, de alguma maneira, problematizam objetos de pesquisa da geografia, mas sob outros pontos de vista e paradigmas”, diz Serpa.

Seis mesas redondas irão compor o evento, cada uma com cerca de três horas e meia de duração, todas no salão nobre da Reitoria. A primeira mesa busca pensar a cidade e o urbano nos dias atuais, por meio do diálogo com diferentes campos das ciências humanas e sociais – geografia, arquitetura e urbanismo, economia e sociologia. Ana Fernandes (UFBA), Carlos Brandão (IPPUR-UFRJ), Cibele Risek (USP-São Carlos) e José Aldemir de Oliveira (UFAM) compõem a mesa.

A segunda traz o futuro da cidade como tema e questiona “política urbana ou projeto utópico?”. A atividade busca analisar teorias capazes de pensar o futuro das cidades e das lutas urbanas, além de abordar criticamente instrumentos de gestão vigentes e trará Jorge Barbosa (UFF), Igor Robaina (UFES), Tadeu Alencar Arrais (UFG) e Floriano Godinho Oliveira (UERJ) como debatedores.

Salvador: Justiça determina matrícula de crianças próximas às residências

Após ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público estadual, a Justiça determinou que o Município de Salvador providencie a matricula na pré-escola para todos os alunos, entre quatro e cinco anos, inscritos e não contemplados no sorteio eletrônico realizado pela Secretaria Municipal de Educação em unidades próximas às suas residências ou em outras unidades educacionais públicas com a devida oferta de transporte escolar, respeitando os limites de estrutura e quantitativo de alunos estabelecidos pelo Conselho Municipal de Educação.

Desta mesma forma, a sentença determina a matrícula na creche para todos os alunos entre zero e três anos, além da matrícula na pré-escola para todos os alunos de 4 e 5 anos inscritos no programa "Primeiro Passo" que estejam fora da rede regular de ensino.

A Secretaria de Educação também deverá realizar, no prazo máximo de um ano, um levantamento de demanda reprimida de educação infantil, a fim de definir um cronograma de ampliação em percentuais anuais até alcançar o que determina a Constituição Federal. A promotora de Justiça Cíntia Guanaes, que integra o Grupo de Atuação Especial na Defesa da Educação (Geduc) e gerencia o projeto de educação inclusiva do MP, fundamenta o pedido no direito à educação, previsto constitucionalmente, que determina que é dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente o acesso à escola.

Barral sobre decisão da Justiça: proximidade da escola com residência do aluno já é um critério

Procurado pelo BNews, o secretário Bruno Barral ressaltou que "a proximidade da escola com residência do aluno já é um critério. A gente faz as matrículas baseado nisso. Não existe a possibilidade do aluno morar em Itapuã e a escola não ser lá ou próxima do local", explicou.

Segundo Barral, o levantamento do qual a Justiça se refere, no qual a secretaria também deverá realizar, no prazo máximo de um ano, informar quantos alunos estão fora da escola, "há uma dificuldade em se obter este número. Na verdade, já entregamos um número ao MP mas, às vezes, o aluno muda de escola e fica dífícil mensurar estes valores. Ano passado, por exemplo, tínhamos duas mil vagas sobrando. Mas, hoje temos um número de demanda reprimida que se aproxima do real", afirmou.

Bruno Barral avalia como positivo o trabalho feito pelo MP. "O MP é muito atuante, assim como a Defensoria. A Educação também é muito fiscalizada no que diz respeito às licitações pelo Tribunal de Contas. Este trabalho tem que ser feito e colaboramos com isso", disse.

O secretário ressalta que a prioridade do município são as creches e que nas escolas a realidade traduz um filme da gestão, considerada por ele, como sendo de resultados para a capital. "Saímos de 17 mil para 40 mil vagas. Isso durante a gestão do prefeito ACM Neto (DEM). São mais de 100 creches e temos muito interesse em conveniar ainda mais. Este aumento de vagas se deu pela ampliação das escolas e através das creches conveniadas. Estamos realmente fazendo uma força tarefa", comemora.

CMS faz homenagens à consciência negra e aos conselheiros tutelares

Homenagens aos conselheiros tutelares e à consciência negra e prevenção ao câncer de próstata estão na programação da Câmara de Salvador nos próximos dias. As atividades começarão neste sábado, 18, com uma Campanha de Prevenção Novembro Azul, liderada pelo médico e vereador Odiosvaldo Vigas (PDT), em parceria com o Bloco Alerta Geral, onde será o evento será realizado, a partir das 17 horas.

Além de auxiliar a prevenir a doença prostática, a campanha, realizada tradicionalmente durante o mês de novembro pelo pedetista visa também conscientizar quanto a outros tipos de tumores: o de mama e de colo de útero. Serão dadas também dicas de saúde e bem-estar. “Os homens costumam a dar menos atenção à saúde e realizam menos consultas médicas. A manutenção da saúde de homens e mulheres exige uma série de cuidados preventivos. A conscientização é um ato de cidadania”, diz Vigas.

Consciência Negra

Na próxima segunda-feira, 20, às 14 horas, será a vez de celebrar o Dia da Consciência Negra, no Salão Nobre da CMS. Os presidentes da Casa, Leo Prates (DEM), e da Comissão de Reparação, Moisés Rocha (PT), acompanhados por outros colegas, farão pronunciamentos sobre a questão racial, abrindo a exposição do quadro “Zumbi dos Palmares”, da artista plástica França. Integrante do acervo da instituição, a obra que retrata o líder negro venceu um concurso realizado pela Câmara em 1987 e ficará em exibição no local durante o mês de novembro.

Para o presidente Leo Prates, embora não seja feriado em Salvador, como em outras capitais brasileiras, a data é muito importante para a cidade, que tem 80% de sua população composta por afrodescendentes. Ela “simboliza a luta de todos nós contra as injustiças e as desigualdades que herdamos do execrável sistema escravocrata”

Em sua opinião faz-se necessário agora reparar esse erro histórico da escravidão com políticas públicas que corrijam as injustiças e as desigualdades: “Nesta legislatura, estamos dando um exemplo disso com a realização no ano que vem de um concurso público com 30% de cota para negros”.

Moisés Rocha lembrou a militante negra Eli Odara Theodoro: “Ela dizia que, se o muro que nos impede de avançar, de ascender em nosso país é o racismo, nós temos que derrubá-lo com a nossa consciência negra”. Na opinião dele, esse pensamento da ativista explicita bem o que significa a data de 20 de novembro. “Lutamos por um país onde o negro não esteja acima, mas todos estejam em patamar de igualdade”, afirma, ressaltando que a experiência do Quilombo de Palmares, sob a liderança de Zumbi, foi uma referência de uma sociedade igualitária.

Já no dia 22 haverá a audiência pública sobre o Estatuto da Igualdade Racial, às 9 horas, no auditório do Centro de Cultura. A mesa redonda “Negros, museus e representatividade, onde está a sua cultura” será realizada no dia 23, a partir das nove horas, no Memorial. Neste mesmo dia (23), às 14 horas, haverá a sessão especial “Combate à marginalização do negro na sociedade soteropolitana”.

Conselheiros tutelares

Para a quarta-feira, 22, às 9 horas, está prevista a celebração do Dia do Conselheiro Tutelar (18 de novembro), em sessão especial, no Plenário Cosme de Farias. Membro da Comissão Especial em Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente, ele explica que esse é um profissional que dá suporte, além de prestar atendimento e acolhimento para “uma classe que é tão pouco assistida”.

“Ele é relevante para a sociedade porque faz valer os direitos já adquiridos pela criança e pelo adolescente. É fundamental reconhecer o trabalho dos conselheiros e os inúmeros serviços prestados à cidade. Quero reforçar nossa parceria de estar sempre ao lado das nossas crianças e adolescentes”, declarou Luiz Carlos.

 

Fonte:Bahia Já/ Cecom MP/BNews/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!