25/11/2017

Feira: Domingo Tem Teatro faz últimas apresentações da temporada

 

A 13ª Edição do projeto cultural Domingo Tem Teatro - Campanha de Popularização do Teatro para a Infância e Juventude, que acontece em Feira de Santana desde 2005, no período de março a dezembro anuncia a sua programação de encerramento da temporada de 2017 com grandes espetáculos que acontecem nos próximos domingos, 26 e 03 de dezembro, às 10h30 no Teatro do Centro Universitário de Cultura e Arte - CUCA.

O Domingo Tem Teatro nessa temporada conta com o patrocínio das empresas Pererê, Atacadão São Roque, BN Mascarenhas, Vipal e do Governo do Estado da Bahia, através do Fazcultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. O projeto acontece de março a dezembro sempre às 10h30 no Teatro do CUCA.

O público é convidado a assistir a belíssima apresentação do espetáculo “A Estrela do Menino Rei” no dia 26, uma grande produção que reúne as linguagens do teatro, do circo e da música para contar a mais bela história de todos os tempos, o nascimento do Menino Rei.   A misteriosa Estrela de Belém é a fonte de inspiração dessa história que emociona a cada ano revelando grandes surpresas.  A livre adaptação da história do nascimento do Menino Deus, contada pela autora, atriz e produtora Elizete Destéffani traz à cena personagens  marcantes que emocionam e ao mesmo tempo  aproximam o público da grande festa natalina. Tendo como base a cultura regional, a direção traz para o espetáculo uma  musicalidade  alegre, singela e tocante, reunindo canções populares e autorais com arranjos  que prometem encantar a todos.

Nessa temporada o espetáculo é composto pelo Grupo da Cia. Cuca de Teatro, artistas do seu Núcleo Circense e convidados, além de contar com a participação de músicos e crianças, artistas mirins convidados.  O espetáculo conta mais uma vez com a direção musical precisa e rica de detalhes do diretor e ator Heraldo Souza, da premiada Cabriola Cia de Teatro de Salvador que tem na bagagem oito indicações no Prêmio Braskem – Maior Prêmio do Norte - Nordeste, além de ter representado o Brasil no Encontro de Artes no Equador em 2013. A parceria entre a Cia. Cuca de Teatro e a Cabriola Cia de Teatro é um convite para que elenco e público possam vivenciar novas experiências nos palcos. Esse ano o espetáculo apresenta uma nova proposta de trabalho que aproxima ainda mais o público da cultura popular, trazendo elementos do cordel e da contação de histórias, uma grande festa para o povo, enfatiza Geovane Mascarenhas, Diretor Artístico do espetáculo que interpreta o narrador, a Estrela  e o Rei Gaspar, além de integrar a trupe de artistas.

No dia 3 de dezembro, o espetáculo VOLUME 1 - DESCONCERTO EM RI MAIOR encenado pelo grupo Núcleo Circo Único é o primeiro a se apresentar no horário das 09h30 no Teatro de Arena do CUCA. Imagine um coral.  Um coral performático. Agora imagine um coral performático, lúdico e irreverente que, sem desvalorizar a música, revela a graça das canções através de um olhar peculiar e brincalhão. Assim, é o Coral Desconcerto Em Ri Maior, composto por palhaços, cantores ou não, que sob a batuta de um maestro, também palhaço, soltam a voz e o concerto fica desconcertante. A música mostra sua veia cômica sem perder o tom. O Coral Desconcerto Em Ri Maior tem a direção artística de João Lima e regência e direção musical de Rubens de Ávila Correa.

Já o espetáculo GrãoCirco  encenado pelo Núcleo de Artistas Circenses da Cia. Cuca de Teatro se apresenta no horário oficial das 10h30 na sala principal do teatro do CUCA. O Grupo de jovens artistas disseminadores da tradição circense trazem para o palco do teatro do CUCA a alegria e o vigor do Circo, com apresentações de números de grande impacto, utilizando das diversas técnicas circenses, como trapézio, monociclo, malabarismo, arame bambo, contorção, e, a perna de pau que trará propostas divertidas e inovadoras para surpreender e encantar ao público de todas as idades. O espetáculo de encerramento da Programação é um deleite para adultos e crianças que vão levar para as suas casas a alegria e o encantamento da tradição circense no teatro.

FAZCULTURA

Parceria entre a SecultBA e a Secretaria da Fazenda (Sefaz), o mecanismo integra o Sistema Estadual de Fomento à Cultura, composto também pelo Fundo de Cultura da Bahia (FCBA). O objetivo é promover ações de patrocínio cultural por meio de renúncia fiscal, contribuindo para estimular o desenvolvimento cultural da Bahia, ao tempo em que possibilita às empresas patrocinadoras associar sua imagem diretamente às ações culturais que considerem mais adequadas, levando em consideração que esse tipo de patrocínio conta atualmente com um expressivo apoio da opinião pública.

  • Serviço:

Domingo Tem Teatro

Bilheteria, praça de alimentação e lazer: A partir das 9h.

Local: Teatro do CUCA (Rua Conselheiro Franco, 66 – Centro – Feira de Santana – BA)

Realização: Cia. Cuca de Teatro

Informações: (75)3491- 8992 / domingotemteatro@gmail.comProgramação de final de ano:

26 de novembro

10h30 - Espetáculo “A Estrela do Menino Rei” – Cia. Cuca de Teatro (FSA)

Ingressos: R$ 15,00 (Meia Promocional para adultos) – R$ 13,00  (Para sócios)  - Ingressos a venda  na bilheteria a partir das 09h.

3 de dezembro

09h30 - Espetáculo “VOLUME 1 - DESCONCERTO EM RI MAIOR” – Núcleo Circo Único (SSA)

10h30 - Espetáculo “GrãoCirco” – Núcleo Circense da Cia. Cuca de Teatro (FSA)

Ingressos: R$ 15,00 (Meia Promocional para adultos) – R$ 13,00  (Para sócios)  - Ingressos a venda  na bilheteria a partir das 09h.

(*O ingresso dia 03/12 dá direito a assistir os dois espetáculos.)

Flexada indoor recebe Wesley Safadão, Léo Santana, Thiaguinho e outras atrações

Feira de Santana recebe mais uma edição da festa Flexada Indoor, no dia 26 de novembro. A partir das 15h, o público vai poder conferir grandes shows no Parque de Exposições Agropecuárias João Martins da Sila.

As atrações desta edição do evento são: Wesley Safadão, Léo Santana, Thiaguinho, Aviões, MC Kevinho e Tomate. A mistura de ritmos do festival de música promete Primeira do interior, Parada Gay de Feira tem programação das 8h as 19h, dia 3

A 13ª Parada LGBT de Feira de Santana vai acontecer no dia 3 de dezembro e terá como tema “O respeito é a resposta, me aceite como sou”, focado no combate à discriminação relacionada à orientação sexual. O evento tem o apoio da Prefeitura de Feira de Santana.

A concentração da parada feirense, a primeira do interior baiano, será a partir das 8h e a festa vai se estender até as 19h, no estacionamento da Prefeitura, à avenida Getúlio Vargas. Será um dia inteiro de diversão.

Pela manhã equipes do Centro de Testagem e Aconselhamento, Centro de Referência DST/HIV/aids, CAPS (Centro de Atenção Psicossocial), de psicólogos do Conselho Regional da Categoria e do Núcleo de Práticas Jurídicas da FTC/Feira farão atendimentos.

No Palco da Diversidade Crystie Helmayd, montado na concentração, acontecerão apresentações artísticas, Drag Show, Batalha de Lip Sync, e convidados especiais. A festa começa a partir das 13h até as 15h.

A parada, no Circuito da Diversidade Rafael Carvalho – o retorno será à altura do IHEF, está marcada para acontecer entre as 15h e 19h, com trios elétricos, DJ’s e convidados.

O trânsito será interditado durante as comemorações e controlado por agentes da SMT (Superintendência Municipal de Trânsito).

 

 

Advogado vê tentativa de descaracterizar capoeira, "reduzindo-a a condição de esporte"

A capoeira é "nossa expressão de cultura”, afirmou o advogado Albertone Amorim, em discurso durante sessão especial realizada nesta quinta-feira, 23, pela Câmara de Vereadores de Feira de Santana. O evento foi comemorativo pelo Dia Municipal da Capoeira, como parte da programação do Novembro Negro na cidade.

Em seu discurso, Amorim lamentou o fato de "tentarem descaracterizar a capoeira enquanto manifestação cultural, reduzindo-a apenas à condição de esporte". "A nossa força é a resistência do nosso povo", assinalou.

O presidente da Câmara Municipal, vereador José Carneiro, apresentou um histórico da capoeira no Brasil, desde o período da colonização portuguesa. “Durante boa parte da história da nação, esta expressão cultural criada por africanos escravizados no Brasil Colônia, foi vítima dos meios de repressão do Estado”, afirmou, ao relatar as modificações sofridas por esta atividade de resistência ao longo de sua história. “É importante entender que a capoeira – como um todo – reage aos acontecimentos políticos e econômicos de cada época, os que acontecem no Brasil e no mundo também”, frisou.

O vereador Cadmiel Pereira lembrou que em nível nacional a capoeira é comemorada no dia 3 de agosto. E informou sobre a sanção do prefeito a uma lei de sua autoria, a de número 3,668, que estabelece a Semana Municipal da Capoeira, na segunda semana do mês de agosto, devendo ser comemorada em órgãos públicos municipais através de palestras e outras atividades.

Durante a sessão solene, presidida pelo vereador João Bililiu, a assistente social e palestrante Geovana Ferreira da Silva relatou o papel do Conselho Municipal de Participação e Desenvolvimento das Comunidades Negras e Indígenas (Comdecni). Ressaltou que dentre outras funções, tem o propósito de avaliar as políticas das igualdades raciais para combater a discriminação. “Temos como missão propor políticas de igualdade racial com ênfase na população negra”.

É "reserva cultural", diz  Mestre Bendengó

A importância da capoeira enquanto reserva cultural do povo afrodescendente também foi defendida durante a sessão especial através do relato dos aspectos históricos pelo palestrante Antônio Carlos das Neves, o Mestre Bendengó.

A história da capoeira foi cantada e contada por Mestre Bendengó, que falou do sofrimento do povo negro no trabalho escravo, especialmente na lavoura. Segundo ele, a partir deste sofrimento nasce na capoeira a ânsia pela liberdade. Tornou-se, com o passar dos anos, "uma forte cultura do povo brasileiro".

Núcleo Odungê e vereadores homenageiam grandes nomes da capoeira

A presidente do Núcleo Odungê e do Comdecni (entidade coordenadora do evento), Lurdes Santana, ressaltou a importância da iniciativa e prestou homenagens a alguns mestres de capoeira que mantêm esta cultura viva na Bahia. Com destaque ao mestre Raimundo Nonato Santana, um dos mais antigos na Bahia, que recebeu certificado de homenagem.

Também foram homenageados pelo vereador Cadmiel pereira o capoeirista Antônio Alves de Almeida; pelo vereador João Bililiu o capoeirista e mestre Antônio Carlos de Jesus Amorim; enquanto Albertone entregou o certificado para Ingredi Santana Souza Santana; Lurdes Santana entregou a Joselito da Conceição; Mestre Paraná entregou a Luciene de Lima; o vereador Isaias de Diogo entregou o certificado a Robson da Silva; o vereador Fabiano da Van entregou a  homenagem ao Mestre Bendengó; e o secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Edson Borges, entregou a homenagem a palestrante Geovana Ferreira.

 

Fonte: SecultBa/G1/Ascom PMFS/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!