26/11/2017

Feira: Rua Viva faz caminhada de conscientização

 

Uma grande caminhada de conscientização em comemoração ao Dia Nacional de Combate ao Câncer marca a edição do Projeto Rua Viva, neste domingo, 26, às 8h, na Avenida Getúlio Vargas.

A estimativa da Superintendência Municipal de Trânsito (SMT) é para um público com mais de 300 pessoas, envolvendo famílias, jovens e adultos focados em chamar a atenção para a prevenção e hábitos que promovam o bem estar e qualidade de vida das pessoas.

A ação será realizada pelo Grupo Meddi, por meio do Instituto de Hematologia e Hemoterapia de Feira de Santana (IHEF), em parceria com a Prefeitura Municipal. Aferição de pressão arterial, testes rápidos para diagnóstico de anemia e de glicemia capilar estão entre os serviços que estarão disponíveis para o público participante.

Mais uma vez, o Rua Viva estimula o cidadão a se apropriar da cidade por uma opção segura e agradável para o lazer ao ar livre em áreas especiais reservadas para jogos coletivos, patins e skate, andar de bike, triciclo e ao hobby dos carrinhos telecomandados (de controle remoto), além da possibilidade de organizar piqueniques sob as árvores da Getúlio Vargas.

Para o superintendente municipal de Trânsito, Maurício Carvalho, a parceria reforça a importância e consolidação do projeto junto à comunidade feirense, revelando o compromisso firmado entre gestão pública e sociedade.

“A realização da caminhada e a parceria simbolizam a credibilidade do projeto junto aos diversos setores de Feira que buscam objetivamente alinhar diversão, saúde e bem estar”, afirma.

Outra momento importante nesta edição será feito com a Associação Protetora aos Animais de Feira de Santana (APA) através do “Miaudote”, projeto voltado às pessoas que querem adotar um “peludo”. Os critérios para ser um adotante são: ter condições psicológicas e econômicas de cuidar do animal; portar documento original com foto e comprovante de residência e assinar termo de guarda responsável.

Com programação diversificada, das 9h às 12h, o Palco do Rua Viva abre espaço para aulas de Fit Dance, modalidade de exercício que promove gasto calórico com diversão, coreografias de diferentes estilos musicais com movimentos modernos e de fácil assimilação.

Exercícios de aquecimento, alongamento e ginástica funcional também estão garantidos para quem pretende preservar a saúde praticando atividades físicas em um local seguro e totalmente monitorado por prepostos da SMT, da Guarda Municipal e da Polícia Militar.

Educação no trânsito

O Núcleo de Educação para o Trânsito da SMT marca presença e realiza as concorridas sessões de cineminha e pipoca com foco no público infantil. Exibições de vídeos educativos retratam a importância e o respeito aos sinais de trânsito.

A criançada ainda poderá se divertir com a nova pista de 12 metros de comprimento, em formato de circuito, composta de quatro faixas e sinalização horizontal, canteiro central, minisemáforos e miniplacas de sinalização. Quem também não vai faltar é a energia contagiante do palhaço Albertão.

Quanto ao tráfego de veículos, Carvalho ressalta que não haverá impacto para o fluxo do trânsito local. O isolamento será apenas em um dos lados da Getúlio - no sentido ao viaduto que liga à Avenida Nóide Cerqueira. A área de interdição fica entre as ruas Paris e Saracura.

Os condutores de veículos e motocicletas poderão optar por vias alternativas, a exemplo da Rua Marechal Castelo Branco, no bairro Capuchinhos, com entrada pela Rua Luís Bahia, e outra opção de retorno pela Rua Nova York.

A população também pode contribuir e participar do projeto Rua Viva mobilizando mais pessoas através das redes sociais (Facebook e Instagram) pela hashtag #ruavivafsa.

Marco da administração em Feira, lei municipal de licitações faz 12 anos e terá evento comemorativo

Lançamento de livro e palestras marcarão, nos dias 1º e 2 de dezembro, os 12 anos da elaboração da Lei Municipal 2.593, considerada um marco para Feira de Santana, que disciplinou as licitações, contratações e inovou nos procedimentos e resultados eficientes na gestão pública.

Com base na lei, Feira de Santana foi o primeiro município do interior do país a inverter – entretanto não foi adotada como regra - as fases da licitação. A novidade serviu de modelo para vários estados. Inverter significa abrir o envelope com os preços dos licitantes antes da documentação.

O evento comemorativo vai ser realizado no Parque do Saber Dival Pitombo. Na tarde do dia 1º de dezembro acontecerão eventos relacionados à Lei, bem como no dia seguinte, para servidores municipais. O encerramento está previsto para o meio-dia do dia 2. Informações pelo telefone 3602.8338.

A Lei municipal virou o livro “Leis de Licitações e Contratos Administrativos do Município de Feira de Santana”, que será lançado no dia 1º. “Esta lei possibilitou eficiência nas contratações, ganho financeiro para o município, celeridade e aumento do número destes processos”, afirmou a procuradora do município, Deyse Brandão, que à época do lançamento da lei presidia a Comissão Permanente de Licitações. “A lei é um instrumento de controle social”.

Com apena dez artigos, a Lei 2.593 foi atualizada para atender as demandas atuais. “Esta iniciativa permitiu que fossem realizadas mais obras e serviços”. Feira de Santana se inspirou na Lei Baiana de Licitações e Contratos, tida como pioneira em termos nacionais.

O município, diz a procuradora, adotou o regime jurídico da Lei Estadual, mas sem desconsiderar as normas gerais da Lei Federal 8.666/1993 e a Lei Federal 10.520/2003.

O diferencial da Lei Municipal, explica Dayse Brandão, foi a inserção de um artigo onde, excepcionalmente, para atender as exigências de ajuste ou convênios com outros órgãos ou esfera da administração, ou ainda por relevantes razões de interesses públicos, devidamente fundamentado no ato convocatório, o município poderá adotar o regime de licitações estabelecido pela Lei 8.666 na fase procedimental.

A Lei Municipal adota como regra a Lei Estadual, mas permite a flexibilização, em caráter excepcional, a adoção da Lei Federal. “Grandes obras municipais, como os viadutos, o Museu Parque do Saber Dival da Silva Pitombo e grandes avenidas, como a Fraga Maia, foram licitadas de acordo com a nova Lei”, afirmou a procuradora.

Primeiros socorros em trilha ecológica: curso da Unamacs mostra alternativas, na falta de material

Há dois meses e meio, o atleta Ênio Paulo Oliveira sofreu um acidente fraturando a lombar enquanto praticava parapente - esporte ao ar livre - no distrito de São José. Os primeiros socorros prestados pelos amigos, ainda no local, foram fundamentais até a chegada do resgate.

“Eu precisei fazer um pouso forçado em meio à natureza e com isso, sofri um acidente. Por ser um local de difícil acesso, os primeiros atendimentos foram importantes e evitaram que eu tivesse maiores complicações”, afirmou ele, que é um dos fundadores da Associação Caatinga Trekkers.

Ainda se recuperando da cirurgia, na manhã desta sexta-feira, 24, Ênio Paulo participou do curso “Primeiros Socorros em Trilha Ecológica”, promovido pela Universidade Aberta do Meio Ambiente e Cidadania Sustentável (Unamacs), localizada no Parque da Cidade Frei José Monteiro Sobrinho, no conjunto Feira VI.

O enfermeiro do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), Robson Batista, que também é trilheiro, foi um dos palestrantes. De acordo com ele, os atletas de corrida e aventura – modalidades praticadas em meio à natureza – enfrentam alguns obstáculos, como cercas, montanhas, rios e a própria vegetação, o que os deixam expostos a alguns acidentes, a exemplo de fraturas, queimaduras, cortes e desmaios.

“Em caso de acidente, é importante que parte grupo preste o atendimento pré-hospitalar adequado à vítima, enquanto os outros acionam o serviço móvel de saúde. Os primeiros socorros podem evitar sequelas graves e até mesmo o óbito”, disse o palestrante.

Ele demonstrou na aula teórica alguns recursos que podem ser adaptados (e improvisados) no momento do socorro para substituir materiais convencionais, como talas, prancha e o colar cervical. “Na ausência desses equipamentos é possível usar um pedaço de pano ou um cinto para conter o sangramento, o papelão para imobilizar um membro, entre outros”, citou.

A bióloga da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semmam), Érika Teles, falou da iniciativa da Unamacs em promover o curso “Primeiros Socorros em Trilha Ecológica”. “Tem crescido em nosso município o número de adeptos a essa modalidade esportiva. Por isso, ofertamos gratuitamente esse curso para que os atletas estejam cada vez mais preparados para enfrentar as diversas situações que possam ocorrer em locais que, geralmente, são de difícil acesso”, justificou.

O primeiro dia do curso contou, ainda, com a palestra do enfermeiro e professor, Sebastião Oliveira. As atividades prosseguem neste sábado, 25, na Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), das 8h às 12h, com a palestra da professora doutora Ilka Biondi sobre os animais peçonhentos, como identifica-los e socorrer a pessoa acidentada até o serviço de saúde.

Gospel africano animou evento da Assembleia de Deus no estacionamento da Prefeitura

As roupas coloridas e tradicionais mais o som alegre e as coreografias do grupo moçambicano formado por pessoas das cidades de Chimoto e Beira animaram protestantes e adeptos de outros credos que os assistiram na manhã desta sexta-feira, 24, no estacionamento da Prefeitura, durante as comemorações dos 20 anos da Missão da Igreja Assembleia de Deus em Moçambique.

A batida tradicional da afro music, com uma pitada de reggae, acompanhou músicas gospel em várias línguas africanas, como banto, xona, ndau, soana e zulu. “A gente pode chamar as pessoas a adorar Deus pela música”, afirmou Adamo Mahalla, um dos componentes do grupo, que se apresenta em Feira de Santana pela primeira vez, formado por sete pessoas.

A musicalidade e a coreografia do grupo despertaram a atenção de quem passou próximo ao estacionamento. Bernardes Maciel foi um deles. “Eles são muito alegres e, por isso, resolvi dar uma paradinha aqui e vê-los se apresentar”, afirmou o comerciante. Adamo Mahalla e amigos voltarão a se apresentar neste sábado. “Através da música levamos a Palavra, que não objetiva mudar o pensamento, mas fortalecer a espiritualidade”.

O missionário Wilton Ribeiro, que há duas décadas trabalha na África, disse que a igreja feirense mantém no país africano, entre outros equipamentos, uma escola com mais de 500 alunos – cerca de 40% são órfãos. “Estamos focados na questão religiosa, social, educacional e econômica”. Várias barracas estão vendendo artesanato e comida. A arrecadação será enviadas às obras assistenciais mantidas pela Assembleia de Deus naquela país africano.

Idosos do Lar do Irmão Velho receberam coral de clássicos natalinos e MPB

Os idosos assistidos pelo Lar do Irmão Velho receberam uma apresentação especial na tarde desta sexta-feira, 24. O coral formado por alunos da Escola Nossa Senhora do Perpétuo Socorro se apresentou na instituição entoando clássicos natalinos e da Música Popular Brasileira. A ação aconteceu através de uma parceria entre as Secretarias de Educação e Desenvolvimento Social.

A ação visa aproximar as gerações e proporcionar um momento de lazer para os estudantes. “Ações como esta são importantes tanto para os idosos quanto para as crianças. Faz bem para os mais jovens reconhecer que existem outros idosos além dos que eles conhecem pelo círculo familiar, que precisam também de atenção e carinho. É também uma forma de valorização do idoso. Essa intergeracionalidade faz bem para todas as partes”, comenta Edna Brito, gerente do Lar do Irmão Velho.

“Fiquei muito feliz com essa apresentação! Essas músicas são as que eu gosto de ouvir, ainda mais nessa época do ano. Eu adoro as músicas natalinas”, afirma Francisca Maria Alves, idosa assistida pela instituição. “É tão bom este contato com as crianças, pois lembramos que sempre devemos ser jovens de alma”.

“Foi um prazer cantar pra esses vovôs nessa tarde”, comenta Reinan França Freitas, aluno da Escola Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

O coral faz parte do Programa Música na Escola, inciativa que oportuniza o aprendizado de música às crianças das Escolas Municipais. No dia 8 de dezembro, a partir das 15h, o coral de estudantes da Escola Municipal Francy Silva Barbosa se apresenta na Associação Feirense de Assistência Social (AFAS).

 

Fonte: Secom PMFS/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!