03/12/2017

Feira: Ministério do Trabalho embarga obra do Shopping Popular

 

A Delegacia do Trabalho de Feira de Santana encontrou irregularidades no canteiro de obras do Shopping Popular, que está sendo construído em Feira de Santana, e por isso embargou a obra.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de Feira de Santana, Edvaldo Barbosa, visitou o canteiro de obras acompanhado do representante da Derick Construtora, Antonio Matos, que alega quebra de contrato e falta de pagamento dos serviços prestados. Segundo Edvaldo Barbosa, uma reunião foi agendada para a próxima quarta-feira (6), com as partes envolvidas, e que será mediada pelo sindicato.

Segundo ele, nesse encontra não haverá a necessidade da presença do secretário municipal do Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, Antonio Carlos Borges Júnior.

Barbosa afirmou que os trabalhadores estão irritados com as condições oferecidas no canteiro de obras. “Tão muito irritados com a falta de muitas coisas aqui dentro, local de trocar roupas, banheiro, falta de pagamento, pagamento sempre em atraso, pela metade, uma irritação total”, declarou ao blog Central de Polícia.  MT esclareceu que foram encontradas “diversas irregularidades às normas legais relativas à segurança e saúde no trabalho”.

Uma das maiores do Nordeste, Parada LGBT de Feira acontece neste domingo

“O respeito é a resposta, me aceite como sou” será o tema da Parada LGBT de Feira de Santana, que vai acontecer pela 16ª vez, neste domingo, 3. A festa e outras atividades está marcada para começar a partir das 8h e se estender até as 19h.

A marcha arco-íris local se destaca pela alegria e irreverência dos participantes, que a tornaram a segunda maior do estado, em termos de participação, atrás apenas da realizada em Salvador. A concentração será no estacionamento da Prefeitura, na avenida Getúlio Vargas.

Antes de a multidão transformar a avenida numa grande boate ao som eletrônico, várias atividades acontecerão e atendimentos ao pessoal LGBT, por vários órgãos. Entre 13h e 15h, acontecerão apresentações artísticas, Drag Show e outras atividade no Palco da Diversidade Christy Helmayd.

Entre o estacionamento e o retorno a promessa é de que a esperada multidão faça uma micareta fora de época, ao som de trios e DJs. A festa, a alegria são ferramentas que contribuem para que a diversidade seja melhor entendida.

O trecho da avenida Getúlio Vargas, onde os festejos serão realizados, será fechado ao trânsito pela SMT (Superintendência Municipal de Trânsito) – agentes farão o controle do tráfego. A Parada LGBT tem o apoio da Prefeitura de Feira de Santana.

Rua Viva dá uma pausa e retorna no próximo domingo, 10

A Prefeitura Municipal de Feira de Santana e a Superintendência Municipal de Trânsito (SMT) informam que o projeto Rua Viva retorna no próximo domingo, 10, mais uma vez na Avenida Fraga Maia.

Voltado para quem busca diversão, saúde e bem estar com segurança, o Rua Viva é uma oportunidade de interação entres as famílias através da prática de esportes e lazer, como passeios de bike, de skate, patins e com animais de estimação, proporcionando ao feirense aproveitar mais um espaço da cidade, livre da rotina do trânsito.

O circuito, entre as ruas Barra dos Bandeirantes e Casemiro de Abreu, possui mais de cem metros em extensão totalmente isolado pela SMT, além de amplo monitoramento da Guarda Municipal e da Polícia Militar.

Entre 8h e 12h, a programação é repleta de novidades, a exemplo das aulas de swing baiano, fit dance, cross fit, zumba, ginástica funcional, exercícios de aquecimento e alongamento, sempre orientadas por professores de Educação Física.

A criançada também tem espaço garantido na pista exclusiva para trabalhos educativos com minisemáforos, faixas de pedestres e de sinalização, sem contar as as oficinas sobre noções de trânsito ministradas por agentes do Núcleo de Educação para o Trânsito da SMT.

Alem do lazer, o Rua Viva, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), também oferece serviços à comunidade em geral como aferição de pressão e testes de glicemia.

O Rua Viva passeia pela cidade e mobiliza o público com campanha nas redes sociais (Facebook e Instagram) utilizando a hashtag #ruavivafsa.

Gestores das escolas municipais tomam posse para novo mandato na próxima segunda-feira, 4

Os novos gestores e vice-gestores das escolas que compõe a Rede Municipal de Ensino tomam posse para o novo mandato 2017-2021 durante solenidade que acontecerá na próxima segunda-feira, 4, a partir das 14 horas. A cerimônia, que será presidida pelo prefeito José Ronaldo de Carvalho, acontecerá no auditório da Escola Municipal Acioly da Silva Araújo. A secretária municipal de Educação, Jayana Ribeiro, também participa do evento.

Vão assumir a função 125 gestores e 81 vice-gestores que foram eleitos democraticamente no pleito realizado nas escolas municipais no último dia 29 de setembro; destes dirigentes, 104 gestores foram reeleitos.

Para que cada gestor conheça o seu papel dentro da escola, a Seduc organizou a portaria de nº 24/2017, publicada no Diário Oficial do Município desta quinta-feira, 30.

No texto, o documento traz orientações que se referem às atribuições dos diretores, a exemplo da “garantia da implementação eficiente e eficaz de Gestão Escolar Democrática, possibilitando a promoção da educação de qualidade para todos os estudantes, na perspectiva do melhoramento contínuo, através da observância dos objetivos e metas da Secretaria Municipal de Educação de Feira de Santana”.

“Apesar de muitos gestores continuarem à frente das escolas, existe uma renovação no quadro. E, mesmo aqueles que já estão na gestão podem a partir de agora, com o acesso ao documento, conhecer ou ampliar as suas concepções de quais são as suas atribuições dentro de cada unidade escolar”, explica a secretária de Educação, Jayana Ribeiro.

Estudantes encerram, com música e arte, Projeto Feira Que te Quero Ver 2017

Inciativa que objetiva divulgar o patrimônio histórico-cultural do município a partir do estudo dirigido e da visitação de estudantes e professores aos bairros, distritos e entornos das escolas, o Projeto Feira Que te Quero Ver realizou na quinta-feira, 30, a cerimônia de premiação dos melhores trabalhos, em sua segunda edição. A iniciativa da Secretaria Municipal de Educação também incentiva o uso da tecnologia a favor da educação.

O evento aconteceu no Museu Parque do Saber, órgão da Fundação Egberto Costa. O espaço ficou lotado. Alunos do Ensino Fundamental II de 20 escolas municipais concorreram com produções nas categorias vídeo, fotografia e e-book (livro digital).

As produções vencedoras foram escolhidas através de votação do público e da comissão julgadora, que também foi homenageada. Compuseram o grupo: Hosana Caroline Brandão Bastos, professora da Rede da Pública Estadual e pesquisadora da cultura feirense; Maria Salete Freitas da Silva professora da Rede Pública Estadual e coordenadora da Universidade Aberta do Brasil; Cristiano Silva Cardoso, museólogo e diretor do Museu do Centro de Cultura e Arte (CUCA) e Maria das Graças Cordeiro, diretora de Turismo do Mercado de Arte Popular.

Estiveram presentes no evento o prefeito José Ronaldo de Carvalho; a secretária de Educação, Jayana Riberio; o secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Edson Borges; o secretário de Comunicação, Valdomiro Silva; e o secretário de Transporte e Trânsito, Saulo Figueiredo.

Seminário na UEFS discutiu questões étnicas-raciais

Propor reflexões acerca da atual situação das questões relativas às populações negras foi o objetivo principal do “Seminário Memórias Negras: intolerância, resistências e perspectivas”. A programação, que fez alusão ao “Novembro Negro”, ocorreu na quinta-feira (30) no campus da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), com palestras, sessões de comunicação e manifestações artísticas.

Durante a mesa-redonda sobre “Religião e Racismo” - que também controu com a participação da Dra. Deise Luciano Santos, da Universidade do Estado da Bahia (Uneb) - o palestrante Dr. Marlon Marcos Passos, da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), destacou a discriminação enfrentada pelo religiões de matrizes africanas.

“O candomblé é a religião mais agredida do ponto de vista social, mais agredida no sentido da percepção do que seria o sagrado. Justamente porque esse 'sagrado' foi inventado pelos negros africanos é que essa discriminação se dá de uma forma tão incisiva. Não há outra explicação”, explica.

Professores, servidores e estudantes acompanharam de perto a programação do Seminário e reconheceram a pertinência da temática abordada pelo evento. “Essa é uma oportunidade da gente perceber o percurso de luta da população negra e indígena e lembrar que esta precisa ser uma luta contínua”, alertou Alessandro Bastos, aluno do curso de História da Uefs.

Um Sarau Cultural encerrou o Seminário, no início da noite. Música, arte, poesia, empoderamento e diversidade marcaram a programação cultural, que ocorreu na Praça da Reitoria. Como protesto ao trabalho escravo no Brasil, à violência contra povos indígenas e jovens negros, várias cruzes foram fincadas nos canteiros da praça. Já no hall da Reitoria houve exposição fotográfica.

A programação do Seminário foi promovida pelo Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas, com o apoio da Pró-reitoria de Políticas Afirmativas e Assuntos Estudantis (Propaae) e do GTPCEGDS/Adufs. Já o Sarau representou a culminância da disciplina Relações Étnicas na Escolas, ministrada pela professora doutora Sandra Nívea Soares, do Departamento de Educação (Dedu) da Uefs.

“O evento foi bastante positivo e alcançou todas as nossas expectativas. Programações como essas, do Seminário e do Sarau, têm papel fundamental na construção de uma Universiade mais plural, mais consciente e sem preconceito. Ficamos muito satisfeitos com os resultados”, avaliou a professora Sandra Nívea.

 

Fonte: BNews/Secom PMFS/Ascom UEFS/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!