07/12/2017

Bahia: PIB baiano tem segundo pior desempenho

 

Produto Interna Bruto da Bahia para este ano está na contra mão do índice nacional. Enquanto no Brasil houve um crescimento de 2%, a Bahia teve queda de 1,5 no PIB, que representa a soma, em valores monetários, de todos os bens e serviços finais produzidos numa determinada região, durante um determinado período.

Os números foram apresentados na manhã desta quarta-feira pelo presidente da federação das Indústrias da Bahia (FIEB), Ricardo Alban. Segundo ele, apenas para o estado do Pará teve um desempenho pior que a Bahia.

A Bahia é o sexto estado em número de empregos. Alban explicou que a indústria gerou 1.783 empregos em 2017. “A indústria é sempre a última a contratar e a última a demitir. Isso por que existe um longo processo de treinamento que é muito complexo e por isso se preserva um pouco mais. Mesmo com toda a crise do setor a indústria conseguiu voltar a gerar empregos, de maneira tímida mais positiva”. 

Outros dados apresentados mostram que a Bahia é a sétima economia do país, representando 4,1% do PIB brasileiro, além e ser a maior economia da região Nordeste. É a sétima indústria do Brasil, caminhando para 6º ou 5º lugar, segundo Ricardo Alban.

Indústria de transformação baiana fechará em queda pelo 4º ano consecutivo, lamenta Fieb

Embora a Bahia ainda se mantenha em destaque no âmbito regional como a maior economia e a maior indústria do Nordeste, de acordo com dados da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb), o cenário estadual está aquém do desenvolvimento econômico no Brasil.

Enquanto um relatório do Banco Central aponta um crescimento de 2% da indústria brasileira em 2017, na Bahia, a expectativa é de queda em torno de 1,5%.

"Em 2017, a indústria de transformação baiana fechará em queda pelo quarto ano consecutivo, acumulando perdas de 14% da produção física. O crescimento esperado em 2018 será sobre uma base de comparação deprimida”, analisa a Fieb em balanço do comportamento da indústria, apresentado na manhã desta quarta-feira (6).

A fim de reverter esse quadro, a instituição foca no investimento a novos setores, como a indústria da saúde, petróleo e gás e energias renováveis. Outro setor que pode favorecer o desenvolvimento econômico do Estado é a construção civil com o início das obras do BRT, VLT, aeroporto de Salvador, Fiol, Porto Sul e a eventual continuidade do projeto da ponte Salvador-Itaparica.

Assim, para 2018, a federação estima uma recuperação cíclica, com um crescimento de, no máximo, 3%; inflação abaixo da meta dos 4%; e redução, mesmo que lenta, dos índices de desemprego. O presidente da Federação, Ricardo Alban, também defende a "atualização da Previdência".

"Se nada for aprovado, possíveis cortes nos gastos e aumentos de impostos podem ser exigidos para que se mantenha o déficit primário em R$ 159 bilhões. No entanto, por se tratar de ano eleitoral, é possível que o Governo postergue (ou suavize) cortes e adie a Reforma Tributária", explica.

Constantemente adiada, a votação da reforma da Previdência ainda não tem data para acontecer na Câmara dos Deputados.

Governo do Estado investe em transparência e Ouvidoria recebe ISO 9001

Nesta quarta-feira (16), o governo do Estado recebeu a certificação NBR iso 9001, durante cerimônia de entrega da certificação no auditório da Secretaria de Educação, em Salvador. O evento também celebrou os 15 anos do órgão, vinculado à Secretaria de Comunicação Social (Secom).

“A certificação NBR ISO 9001, recebida pela Ouvidoria Geral do Estado (OGE), é o resultado da filosofia implantada pelo governador Rui Costa, com o objetivo de valorizar os anseios e expectativas dos cidadãos. É preciso, cada vez mais, aprender com as pessoas e as necessidades e serviços que a sociedade demanda. A Ouvidoria é uma fonte de aprendizado constante e vamos continuar evoluindo”, disse o secretário de Comunicação Social, André Curvello.

Na ocasião, o ouvidor-geral do Estado, José Maria Dutra, destacou que “a OGE recebe esse reconhecimento pelo trabalho que vem sendo realizado. Utilizamos a Ouvidoria Ativa para explicar à população o nosso papel. Fomos aos bairros da capital e sensibilizamos a população para a importância desse diálogo”. Para o secretário estadual da Administração, Edelvino Góes, o órgão “é um indutor de modernização na medida em que tem o registro do cidadão sobre a sua opinião. A partir daí, o Estado pode elaborar planos de ação para a melhoria do serviço”.

Certificação

A ISO 9001 indica que a organização tem se empenhado para a melhora contínua dos seus processos. A certificação foi promovida pelo Instituto Baiano de Metrologia e Qualidade (Ibametro), em parceria com a Diretoria da Gestão de Qualidade da Secretaria de Administração do Estado (Saeb). No último ano, a Ouvidoria registrou um aumento de 222% no número de manifestações registradas. De janeiro a novembro de 2017, a OGE recebeu 243.270 mil comunicações sobre os serviços públicos oferecidos e a atuação do Estado. Em 2016, o órgão recebeu cerca de 107 mil manifestações.

Secretaria da Administração convoca faltosos para último mês de recadastramento

Mais de quatrocentos servidores ativos do Poder Executivo baiano podem estar fora da folha de pagamentos no mês de dezembro. Dos 150 mil convocados para o recadastramento em 2017, 405 ainda não realizaram o procedimento. De acordo com a Superintendência de Recursos Humanos da Secretaria da Administração (Saeb), o número de servidores fora da folha pode ser ainda maior: dentre os recadastrados, 30 não foram identificados nos locais de trabalho informados às suas Diretorias Administrativas, totalizando 435 servidores sem proventos no último mês do ano. A lista nominal está disponível no Portal do Servidor.

Para retornarem à folha de pagamentos, estes servidores devem regularizar sua situação mediante preenchimento de formulário, também disponível no Portal do Servidor, documento que deve ser encaminhado à Saeb por meio de suas coordenações de recursos humanos até o dia 19 de dezembro. A medida evitará a suspensão do 13º salário e irá resguardar o pagamento dos proventos de novembro e dezembro. Os valores serão pagos retroativamente em folhas adicional ou especial. Até novembro, 3.363 servidores tiveram seus pagamentos regularizados.

Histórico

Encerrado em setembro deste ano com 3.768 pessoas pendentes de atualização cadastral, o recadastramento de ativos teve como objetivo validar locais e jornada de trabalho dos servidores estaduais, bem como atualizar suas informações cadastrais, a fim de operacionalizar o sistema de recursos humanos do Estado.

Os servidores tiveram dois meses para atualizar seus cadastros eletronicamente, por intermédio do Portal do Servidor ou diretamente no endereço www.recadastramento2017.ba.gov.br. O procedimento do recadastramento durava apenas alguns minutos, em um processo simples e rápido.

A ação foi divulgada amplamente, com reforço à necessidade da atualização dos dados por meio de campanha publicitária nos veículos de comunicação, matérias jornalísticas e conteúdos nos sites oficiais de Governo e redes sociais. Exigência legal prevista no Estatuto do Servidor Público do Estado da Bahia (Lei nº 6.677/1994) e no Decreto 15.960/2015, o recadastramento segue orientações e penalidades previstas nos dois instrumentos. O procedimento é realizado a cada dois anos.

“O recadastramento vai gerar uma base de dados com informações relevantes para o novo sistema de Recursos Humanos do Estado, o sistema SAP do RH Bahia, além de servir para identificar a existência de possíveis inconformidades, tais como o acúmulo indevido de cargos e a incompatibilidade de horários de trabalho”, explica o secretário da Administração, Edelvino Góes.

 

Fonte: BNews/BN/Ascom Saeb/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!