15/12/2017

Musical retrata memória sobre espetáculos feitos por mulheres

 

Acontece até 20 de dezembro em praças públicas de Salvador, Camaçari, Madre de Deus, e São Francisco do Conde, apresentação do espetáculo teatral Donas - Comédias que elas cantam. A iniciativa integra o projeto Dramas e Comédias - Oficina, Pesquisa e Encenação, e foi viabilizada através do Edital Setorial de Teatro 2016, do Fundo de Cultura do Estado da Bahia.

A peça tem direção de Cláudio Machado, direção musical de Jarbas Bitrencourt e produção de Ramona Gayão, e mostra ao público as histórias e encontros que os criadores do projeto tiveram ao longo do processo de pesquisa, que teve início em agosto. Os encontros ocorreram com mulheres em Madre de Deus, Ilha das Fontes, Ilha Maria Guarda, Ilha do Paty e Ilha de Bom Jesus dos Passos.

Com leveza e bom humor, a montagem compartilha a experiência de quem fez e até hoje mantém viva, ainda que em si mesma, a tradição das Comédias, valorizando essa identidade local, que causam identificação com o público. “Hoje, idosas, essas senhoras mantêm a memória desse modo de fazer teatro, além das suas próprias histórias e as histórias desses lugares” explica o diretor Claudio Machado.

A montagem busca transmitir para os jovens o patrimônio do conhecimento dessas mulheres mais velhas e tornar mais visível as expressões artísticas da região e com isso criar novas idéias e obter mais interação. A encenação será apresentada sempre no fim da tarde, às 17h30, mantendo o formato musical das antigas apresentações, pegando a transição da luz do dia para a noite.

Projeto

“Dramas e Comédias - Oficina, Pesquisa e Encenação”, realizado entre os meses de agosto a dezembro, consistiu na realização de uma criação teatral calcada numa pesquisa sobre “As Comédias” apresentadas desde o início de século XX em Madre de Deus e região circunvizinha, bem como na busca por vestígios dessa manifestação em outras cidades da região Nordeste e do Brasil.

Para isso os participantes do projeto, junto com seus diretores visitaram mulheres que participaram desses espetáculos realizados em diferentes condições pelas Ilhas da Baía de Todos os Santos.

  • Serviço:

Donas - Comédias Que Elas Cantam

Quando: 14 a 20 de dezembro

Horário: 17h30

14.12 (Quinta-feira) - em Nova Madre de Deus

15.12 (Sexta-feira) – em frente à Câmara Municipal de Madre de Deus

16.12 (Sábado) – em Frente à Igreja Matriz de Madre de Deus

17.12 (Domingo) – em frente ao PSF 1, no Suape, em Madre de Deus

19.12 (Segunda-feira) –no Candeal, em Salvador

20.12 (Terça-feira) – em Catu de Abrantes, em Camaçari

Evento Gratuito

Últimas apresentações do II FESTAC acontecem nos teatros Martim Gonçalves e Gregório de Matos

O FESTAC chega ao seu segundo ano querendo discutir como é criar, produzir e gerir montagens cênicas dentro das escolas secundaristas e universidades de Artes Cênicas baianas. Em 2017, o festival realizado numa parceria entre os coletivos teatrais COATO e COOXIA, e a Escola de Teatro da Universidade Federal da Bahia (ETUFBA) ocorre entre os dias 08 e 17 de dezembro, em vários espaços culturais da cidade e ocupando ruas do centro soteropolitano.

O último fim de semana da programação do Festival tem entre os destaques a peça Desviante, onde serão apresentados alguns relatos das dificuldades de se sustentar com a música, e por isso apresenta um pianista presidiário – interpretado pelo ator, diretor e escritor Vinícius Piedade – que aceita o convite de um amigo que lhe oferece um bico no tráfico de drogas, aproveitando o fato de ele ter contato com tanta gente nos tantos bares onde toca piano. A apresentação será nesta sexta-feira, 15h, no Teatro Martim Gonçalves.

Para trazer a temática constante dos movimentos negros no país, a marginalização e o genocídio da população negra no Brasil, será apresentada a Missa do Sétimo Dia, solo de dança contemporâneo criado e interpretado pelo bailarino Guego Anunciação. Em apresentação única pelo II Festival Estudantil de Artes Cênicas, o espetáculo fica em cartaz no dia 15 de dezembro, às 18h, no Teatro Gregório de Matos.

Também no dia 15, às 20h, no Teatro Martim Gonçalves, a peça ‘Nenhuma Carta’ tem o objetivo de celebrar o poeta baiano Alexandre Coutinho, falecido em 2013. A partir do acontecimento da morte do seu amigo poeta, a atriz/performer Larissa Lacerda (que também assina a direção do espetáculo) lança mão de lapsos, erra diante das memórias e de uma narrativa estilhaçada pelo presente, para refletir sobre ausência, solidão, morte, e, inevitavelmente, sobre amor e amizade.

Os espetáculos Missa do Sétimo Dia e Nenhuma Carta serão reapresentados no dia 16, sábado, a partir das 15h no Teatro Martim Gonçalves.

O espetáculo ‘Criativo, hein?’ acontece no sábado (14), no Teatro Martim Gonçalves, às 18h representando assuntos de um ano letivo da turma considerada a pior classe de uma escola fictícia. O espetáculo tem direção de Natan Duarte e co-criação de texto e elenco dos alunos de teatro da Escola Municipal Alfredo Amorim, de Salvador.

No dia 17 o espetáculo GRÃOCIRCO é presença confirmada nesse final de semana em Salvador no II FESTAC - Festival Estudantil de Artes Cênicas fazendo única apresentação, às 11h no Teatro Martim Gonçalves. Com direção artística de Jai Jai apresenta números de grande impacto, utilizando das diversas técnicas circenses, como trapézio, monociclo, malabarismo, arame bambo, contorção, e, a perna de pau que de forma inovadora vem surpreendendo o público de todas as idades. O Núcleo Circense da Cia. Cuca de Teatro representa bem o FESTAC, um espaço possível de encontro entre artistas criadores que estão em processo de formação.

Outro momento presente no encerramento do FESTAC será a apresentação da obra ‘Só não me acorde antes’, esta que margeia um universo que surge entre o conhecido e o desconhecido, daquilo que é aceitável ao que é absurdo, das mudanças bruscas, dos raciocínios súbitos e inesperados, do real ao inventado. Uma temática que se compõe de memória, de invenções, de desejos, de ideias, de rabiscos, de croquis, de fragmentos, de objetos, da arquitetura do espaço, das variações de tempo, da iluminação, das cores, das sonoridades, do contato com outros corpos, dos cheiros, das imagens visuais, textos e escritas. O espetáculo, que encerra o Festival, será apresentado no domingo, 17, às 20h, no Teatro Martim Gonçalves.

Com ingressos a preços populares, com valores de R$ 8,00 (inteira) e R$ 4,00 (meia), o FESTAC vem ocupando, desde o dia 08, os seguintes espaços culturais da cidade: Teatro Martim Gonçalves, Teatro Xisto Bahia, Teatro Gregório de Matos, Espaço Cultural da Barroquinha, Teatro Sesi Rio Vermelho e o Teatro do Movimento da Escola de Dança da UFBA. A apresentação de O Auto da Barca do Camiri ocorrerá na Praça do Campo Grande e será gratuita.

O II FESTAC tem o apoio financeiro do Calendário das Artes 2017, edital da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), Governo do Estado da Bahia; e do Programa de Extensão Universitária, da Universidade Federal da Bahia (PROEXT/UFBA).

  • II FESTAC - Programação de espetáculos artísticos:

15 de Dezembro

– Bate-papo: Desviante

15h, Teatro Martim Gonçalves (foyer)

– Missa do sétimo dia

18h, Teatro Gregório de Matos

– Nenhuma Carta

20h, Teatro Martim Gonçalves

16 de Dezembro

– Bate-papo: Nenhuma Carta + Missa do Sétimo Dia

15h, Teatro Martim Gonçalves (Foyer)

– Criativos, Hein?!

18h, Teatro Martim Gonçalves

17 de Dezembro

– GrãoCirco

11h, Teatro Martim Gonçalves

– Bate-papo: Grão Circo + Zambi

15h, Teatro Martim Gonçalves (Foyer)

Encerramento

– Só não me acorde antes

20h, Teatro Martim Gonçalves

Espetáculo Ausências representa a vida de pessoas com o vírus da AIDS

No mês de enfrentamento à AIDS, o grupo de teatro Vánacontramão estreia sua nova montagem, o espetáculo teatral Ausências, no Espaço Xisto Bahia, espaço administrado pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) no bairro dos Barris em Salvador. O espetáculo acontece entre os dias 15 e 17 de dezembro em quatro sessões, na sexta (15) às 20h, no sábado (16) às 18h e 20h e no domingo (17) às 19h. Os ingressos custam R$40,00 (inteira) e R$20,00 (meia) com classificação de 12 anos.

A peça ambienta o público em um drama que transcorre na década de 90, mostrando o impacto emocional, social e sexual do vírus da AIDS na vida das pessoas infectadas e nos seus entes queridos. Ausências traz a humanidade que existe por trás das estatísticas frias das organizações de saúde e nos faz refletir sobre a forma que se percebe a doença nos tempos atuais, em que a incidência do vírus na população jovem e idosa tem se alastrado silenciosamente. Entre um ato e outro, é possível acompanhar as relações dos envolvidos na trama, seus dramas, conflitos e esperanças.

Cortejo do Aniversariante percorre as ruas do Pelourinho na próxima terça (19)

Pelo quarto ano consecutivo, o nascimento de Jesus Cristo será comemorado pelas ruas do Pelourinho com o ‘Cortejo do Aniversariante’. Na terça-feira (19), a partir das 16h, o cortejo percorrerá as ruas do Centro Histórico aos sons da Orquestra Museofônica, juntamente ao Grupo Eterna Juventude e ao Quarteto de Sopro. O cortejo terá saída do Centro Cultural Solar Ferrão (Rua Gregório de Mattos, 45, Pelourinho) e seguirá as principais ruas do bairro sob a condução da etnomusicóloga Emília Biancardi.

A ação integra as atividades realizadas pelos museus da Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (DIMUS/IPAC) localizados no Pelourinho: Museu Tempostal, Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica, Centro Cultural Solar Ferrão e Museu Abelardo Rodrigues.

“É uma atividade importante que marca a celebração do nascimento de Jesus e que promove a integração dos funcionários da DIMUS/IPAC com os grupos culturais, pessoas que trabalham e moram na localidade, além da participação dos transeuntes”, declara Fátima Santos, responsável pela DIMUS.

A museóloga Jorma Souza, integrante da Orquestra Museofônica, explica o cortejo. “Essa atividade vem retomar a celebração do nascimento de Cristo que, às vezes, fica esquecido no Natal, pois nessa época muitas pessoas se voltam mais para a questão do consumismo, de comprar presentes, e esquecem o sentido do espírito natalino”, ressalta.

Considerada como um verdadeiro museu cênico, a Orquestra Museofônica foi criada em 2012 e surgiu a partir da ideia da museóloga Ana Liberato em criar uma orquestra com os colaboradores dos museus sob a direção da DIMUS/IPAC, objetivando um aprendizado sobre o manuseio e conhecimento de instrumentos musicais, suas possibilidades, musicalidades, histórico, restauração e a possível recriação.

Emília Biancardi é etnomusicóloga, professora, compositora, pesquisadora da música folclórica brasileira e especialista nas manifestações tradicionais da Bahia. Em viagens pelo mundo, adquiriu instrumentos em países da Europa, África, Américas e do Oriente e o seu interesse pelos instrumentos fez surgir a ‘Coleção de Instrumentos Musicais Tradicionais Emília Biancardi’ - atualmente exposta no Centro Cultural Solar Ferrão.

  • Serviço:

Cortejo do Aniversariante

Data: 19/12

Horário: 16h

Confira o roteiro do Cortejo:

•        Concentração em frente ao Centro Cultural Solar Ferrão (Rua Gregório de Mattos, 45, Pelourinho);

•        Segue para o Restaurante XV de Novembro, no Terreiro de Jesus;

•        Parada – Catedral do Terreiro de Jesus;

•        Segue para o Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI) no Largo do Pelourinho;

•        Segue para a Associação de Capoeira Angola na Rua Gregório de Mattos;

•        Encerramento – Centro Cultural Solar Ferrão.

 

Fonte: SecultBa/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!