06/01/2018

Bahia: Veja balneabilidade para o final de semana

 

A Embasa informa que está trabalhando em manutenção emergencial de um trecho da rede coletora de esgoto na bacia do Baixo Jaguararibe. A estimativa de conclusão do serviço é na quarta-feira, dia 10 de janeiro. Até esta data, os banhistas devem evitar a praia da terceira ponte, onde se encontra a Foz do Rio Jaguaribe. O Inema enviou uma equipe técnica para monitorar as ações realizadas no local.

A Rede Amostral de Monitoramento da balneabilidade no estado atualmente é composta por 121 pontos, distribuídos em toda a costa baiana. As amostras de água para analises da balneabilidade são coletadas sistematicamente semanalmente, no período da manhã em locais com maior concentração de banhista.

De acordo com a resolução Conama a praia é considerada imprópria quando mais de 20% das amostras coletadas em cinco semanas consecutivas, apresentar resultado superior a 1.000 coliformes fecais ou 800 Escherichia coli, ou quando, na última coleta, o resultado for superior a 2500 coliformes termotolerantes ou 2000 Escherichia coli ou 400 enterococos por 100 mL de água.

No período em que o tempo estiver chuvoso, as praias podem ser contaminadas por arraste de detritos diversos, carregados das ruas através das galerias pluviais, podendo causar doenças. Além disso, é desaconselhável, ainda em dias de sol, o banho próximo à saída de esgotos, desembocadura dos rios urbanos, córregos e canais de drenagem.

  • Confira os resultados emitidos em 05/01/2018

Salvador

Praias impróprias: Periperi, Penha, Bonfim, Roma, Marina Contorno, Santa Maria, Ondina (Próximo a escada de acesso à praia, em frente ao posto BR e Hotel Bahia Sol), Ondina (próximo ao Morro da Sereia em frente ao Ed. Maria José), Pituba (Em frente a escada de acesso à praia, em frente a Portinox, na Rua Paraíba), Armação, Boca do Rio (Em frente ao posto Salva Vidas), Patamares e Itapuã (Em frente à Sereia de Itapuã).

Baía de Todos os Santos

Praias impróprias: Madre de Deus (Sob á ponte em Madre de Deus), Cabuçu, Cacha Prego, Mar Grande e Gameleira.

Costa dos Coqueiros

Praias impróprias: Buraquinho e Jauá.

Costa do Dendê

Praias impróprias: Não há irregularidades nas praias.

Costa do Cacau

Praias impróprias: Marciano, Malhado, Sul e Opaba.

Costa do Descobrimento

Praias impróprias: Não há irregularidades nas praias.

Costa da Baleia

Praias impróprias: Prado.

Final de semana com previsão de chuva no interior e de céu claro no litoral

As condições do tempo previstas para os próximos dias na Bahia, que também inclui o final de semana, deverão ser influenciadas por sistemas meteorológicos de diferentes características e em áreas distintas. Na faixa centro-oeste e sul quem predomina é a Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), o que manterá o céu encoberto e chuvoso na maior parte do período. Além disso, as temperaturas elevadas (com máximas podendo chegar aos 36°C) contribuem para intensificar essas chuvas em algumas regiões, a exemplo do Oeste e São Francisco, onde poderão vir acompanhadas de trovoadas.

É sempre bom lembrar que, a ZCAS é o sistema meteorológico responsável por trazer umidade da região amazônica, formando uma extensa faixa de nebulosidade, com chuvas mais intensas, que se estende desde a Amazônia, passando pelas Regiões Centro-Oeste, Sudeste e parte do Nordeste brasileiro, até o Oceano Atlântico. Na Bahia, esta Zona, normalmente, atua no final da primavera e parte do verão, contribuindo para a ocorrência e intensificação das chuvas, sobretudo na faixa centro-sul e oeste do Estado.

Na região Sul do Estado, onde também há previsão de chuvas, quem deve influenciar com mais intensidade é a umidade vinda do Oceano Atlântico. No entanto, o predomínio será de céu parcialmente nublado com chuvas fracas.

Nas demais regiões do Estado, quem continua atuando é a massa de ar quente e seco, o que deverá manter o céu com poucas nuvens e sem chuvas na maior parte do período. Mesmo assim, eventos isolados de chuvas fracas poderão ocorrer em algumas localidades da região Norte. Além de deixar o tempo seco, a permanência dessa massa de ar também influencia nas temperaturas, mantendo-as elevadas, com máximas variando entre 32°C (no Recôncavo) e 36°C (no Norte e Nordeste).

Para a cidade de Salvador e região metropolitana, onde não são esperadas mudanças significativas, a previsão continua sendo de tempo quente e com poucas chances de chuvas. As temperaturas na capital baiana deverão variar entre mínimas de 23°C e máximas de 34°C.

Maré

Entre os dias 05/01 (sexta-feira) e 07/01/18 (domingo), a maré deverá atingir sua altura máxima no período entre às 06h00min e às 08h00min e entre às 18h00min e às 20h00min, com valores variando de 1,7 a 2,8 metros. Já as alturas mínimas deverão ser registradas no período entre à 00h00min e às 02h00min e entre às 12h00min e às 14h00min, com valores variando de 0,1 a 0,9 metro. As ondas previstas deverão ter agitação fraca, com altura máxima podendo chegar a 1,5 metro.

Índice de Radiação Ultravioleta (IUV)

Uma das características do verão é o aumento na incidência de radiação solar e, consequentemente, na elevação dos Índices de Radiação Ultravioleta (IUV) no estado da Bahia. Esta condição pode ser observada no período entre os dias 05/01 (sexta-feira) e 07/01/18 (domingo), quando os IUVs deverão variar de 12 a 13. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), estes Índices estão classificados na categoria “Extrema”, o que requer cuidados quanto à exposição prolongada à radiação solar, a exemplo do uso de protetor/filtro solar, chapéus, bonés, óculos escuros e roupas leves, principalmente nos horários entre as 10 e as 16 horas. Esses cuidados são essenciais, pois poderão minimizar danos à saúde, já que nesse intervalo de tempo os efeitos nocivos dos raios solares são maiores.

Governo publica Decreto que regulamenta a Reposição Florestal no estado da Bahia

O Governo do Estado publicou hoje (05), no Diário Oficial, o Decreto nº 18.140, que regulamenta a Reposição Florestal no Estado da Bahia. A publicação apresenta as formas de cumprimento da Reposição Florestal para os detentores de Autorização de Supressão de Vegetação (ASV), consumidores de matéria-prima florestal e infratores que não possuem autorização para suprimir vegetação. O documento altera os dispositivos trazidos pelo Decreto estadual nº 15.180/2014, que regulariza a gestão das florestas e das demais formas de vegetação na Bahia.

Segundo o Secretário do Meio Ambiente, Geraldo Reis, "a regulamentação fornece a segurança jurídica necessária para o cumprimento da Reposição Florestal, além de incentivar, através da aplicação específica dos recursos recolhidos ao Fundo Estadual de Recurso para o Meio Ambiente (FERFA), a recuperação, manutenção e implantação das florestas de produção no nosso Estado".

De acordo com o documento é possível que o detentor de autorização de supressão de vegetação nativa transfira sua responsabilidade do cumprimento da reposição florestal, para que seja efetuada por aquele que consuma a sua matéria-prima florestal.

Para fins do benefício de desoneração do cumprimento da reposição florestal pelo detentor da autorização de supressão de vegetação nativa, a destinação para consumo da matéria-prima florestal extraída deverá ser comprovada dentro do período vigente da autorização de supressão. Não havendo comprovação, a reposição florestal deverá ser cumprida pelo detentor da autorização.

Ainda de acordo com o Decreto, as cooperativas e as associações de fomento florestal estarão aptas a realizar atividades relacionadas ao fomento florestal no Estado quando cadastradas no órgão ambiental competente, no caso, o Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. O responsável por explorar vegetação nativa, sem autorização ou em desconformidade, fica também obrigado a efetuar a reposição florestal.

O Decreto também regulamenta o pagamento pecuniário ao Fundo Estadual de Recurso para o Meio Ambiente (FERFA) como forma de cumprimento da reposição. Os recursos devem ser aplicados em projetos de plantio e condução de espécies florestais, espécies nativas em florestas de domínio público, recuperação das áreas de Reserva Legal de pequenas propriedades, em Reservas e Florestas Extrativistas de domínio público e em incentivos à manutenção e implantação de florestas de produção de matéria-prima florestal mediante as Cooperativas e Associações de Reposição Florestal.

De acordo com a Assessora da Sema, Mariana Vidal, "a publicação irá sanar as lacunas que envolviam a gestão de recursos florestais na Bahia e atende às demandas da área técnica do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), órgão executor das políticas ambientais, e do setor produtivo".

 

Fonte: Inema/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!