06/01/2018

Feira: Parque do Saber recebe exposição sobre cultura indígena

 

As cores, formas e costumes dos índios do Brasil, retratados em 22 fotografias, estão em exposição no Museu Parque do Saber Dival da Silva Pitombo, até o dia 10 de janeiro. As obras são do artista Renato Soares, especialista em documentar a arte e a cultura brasileira e que já fotografou mais de 40 etnias em mais de 25 anos de submersão no universo indígena. Atualmente, o fotógrafo colabora com as revistas National Geographic e Scientific American.

A imagens que  estão sendo expostas, com acesso gratuito, também fez parte do Festival de Fotografias do Sertão, realizado em novembro de 2017. “A exposição é um apêndice do que foi visto no Festival de Fotografia do Sertão, quando o Parque do Saber recebeu as obras de Renato Soares. Não poderíamos perder a oportunidade de deixá-las aqui por mais tempo”, disse o diretor do Museu Parque do Saber, Basílio Fernandez.

O Museu Parque do Saber fica na rua dos Tupinambás, nº 275, no bairro São João, em Feira de Santana (Click aqui e trace sua rota: https://goo.gl/DZQxq6)  e funciona das 8h ao meio dia e das 15h às 18h, de segunda à sexta-feira. Aos domingos o Museu abre as portas a partir das 16h. A obras de Renato Soares ficam em exposição até o dia 10 de janeiro e depois seguem para o estado de Minas Gerais.

O ARTISTA

Foi em 1986 que Renato Soares iniciou sua carreira. Um dos mais renomados fotógrafos brasileiros, o artista  retrata através de suas fotografias as diferentes formas de expressão cultural dos vários grupos étnicos brasileiros, especialmente os da região amazônica.

Suas imagens figuram em publicações das principais editoras de apostilas e livros didáticos do país, agências de publicidade, sites especializados em assuntos ambientais e étnicos, livros de artes, palestras e exposições fotográficas.

Tudo pronto para o tradicional Reisado de São Vicente

Palco e barracas já estão montados. Ruas sendo preparadas para ver o Reisado passar. Casas antigas ganharam cores vivas. Tiquaruçu está pronto para mais uma edição da tradicional Reisado de São Vicente, manifestação cultural e religiosa que leva multidão ao distrito. A festa abre o Calendário de Festejos Populares de Feira de Santana.

Preservar o rico patrimônio cultural do distrito, que atravessa séculos e envolve gerações de moradores locais na sua realização, é o objetivo da Prefeitura de Feira de Santana, por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer.

São dois dias oficiais de festa – mais a ressaca da segunda-feira. Pelo palco passarão nomes conhecidos da música regional e local, que animarão o público no sábado e no domingo. Como vem acontecendo há alguns anos, a barracas foram montadas na praça e o palco do lado da igreja.

PROGRAMAÇÃO

No sábado, a animação ficará a cargo da banda Malícia sem Vergonha, Pegada Love / Beto Cardoso, Musical Desejo, 100 Parêa e  Felipe Aladin. A festa no palco será iniciada às 19h30 e encerrada por volta de 4h da manhã de domingo.

No do domingo, uma Alvorada com charanga vai abrir a programação do dia. às 15h o Reisado sai às ruas com grande animação. Em seguida se apresentam Geruza Guedes, Kixote é Esse, Terra Samba e Sem Retoque encerra a programação musical, por volta da meia-noite.

Irmãs herdam da mãe o amor pela Festa de Reis e lutam para preservar a tradição em Tiquaruçu

“A gente que mora no distrito não deve deixar morrer esta tradição, que tem mais de dois séculos”. A declaração não é de algum veterano da Festa de Reis de Tiquaruçu, evento que acontece neste sábado (6) e domingo (7), completando nada menos que 202 anos. Quem faz esse apelo é a jovem sambadora Fernanda, residente do bucólico lugar e incentivadora da comemoração.

Orgulhosamente, ela mostra algumas fantasias antigas usadas por mulheres e a nova, que vai usar neste ano. Não está sozinha neste esforço. Sua irmã Edivânia também herdou a disposição da mãe delas, Maria Cerqueira, sempre presente ao animado encontro anual.

“É uma festa de muita tradição e o reisado deve estar presente, sempre. Não faz sentido o grupo não sair às ruas”, convoca. De fato, o evento que comemora o Dia de Reis, com seus dois séculos de tradição, atrai ao distrito centenas de visitantes, não só de Feira de Santana, mas de várias outras cidades, para ver de perto esta singular demonstração de cultura da Bahia.

As irmãs herdam a disposição da mãe delas, Maria Cerqueira, para participar da festa: “Durante muitos anos participei do reisado e fui em muitos locais apresentar esta nossa cultura”.

Levar material para troca pode reduzir valor de compra na Feira do Livro

A Feira do Livro, que já abriu a sua temporada anual, no estacionamento em frente ao prédio da Prefeitura de Feira de Santana, não é apenas um local de venda de publicações didáticas. Ali acontece também a troca de exemplares.

As bancas montadas no local aceitam dos clientes seus livros usados, para descontar do preço do material adquirido, reduzindo o desembolso. A feira, que acontece há 11 anos, termina dia 3 de março.

Joel Conceição, antigo cliente do espaço, levou alguns exemplares numa sacola de plástico. Ele queria vende-los ou fazer “moeda de troca”, para reduzir a despesa na compra de outros livros para a filha. “Afinal, a aqui não é apenas local de venda. É ponto de compra e troca, também. Sempre venho aqui e faço bons negócios. Qualquer economia que se faça é importante”, diz ele.

Após pesquisa no comércio, chegou a conclusão que se fosse comprar os livros que constam na lista da escola para este ano em uma livraria investiria R$ 1,8 mil. Entretanto, na Feira do Livro Usado, espera gastar menos da metade.

Importante observar o ano da edição, antes de comprar

Os pais devem ficar de olho no ano da edição pedida pela escola, caso contrário a boa compra termina em prejuízo e dor de cabeça. “Ficar atento às informações da lista é fundamental para que a compra seja bem feita”, indica Cristiane da Silva Costa (foto), mais uma mãe de estudante que também observa os livros expostos nas bancas e espera mais uma vez economizar na compra para os dois filhos. O estado físico do livro também conta, diz ela.

Editoras reajustaram preços de 8 a 13%, diz coordenador

O coordenador da Feira, Glauber Lira (na foto, atendendo a uma cliente), diz que neste ano as editoras reajustaram os preços dos livros didáticos entre 8% e 13% - índices bem acima da inflação do ano passado. “Vimos listas que vão a até R$ 3 mil, nas livrarias”. Segundo ele, não há intenção de concorrer com o comércio formal.

“Mas aqui é opção para pais e responsáveis economizar nestas compras anuais”, afirma o coordenador. Ele disse que nos últimos anos nota o aumento de pessoas com listas de escolas tradicionais da cidade, que não se via anteriormente. Ao todo são 23 membros da Associação dos Vendedores de Livros Usados de Feira de Santana.

PERSONAGEM

Mercês Monteiro, que monta sua banca desde a primeira edição, disse que começou como compradora e se tornou vendedora. “Aqui é um local onde as pessoas podem economizar porque encontram livros para todas as séries. Os pais abraçaram esta ideia”.

Prazo para rematrícula de aluno da casa, na Rede Municipal, termina dia 19

Alunos da casa (os que já são matriculados na Rede Municipal de Ensino) tem até o dia 19 de janeiro para confirmar sua permanência nas escolas. De acordo com a Secretaria Municipal de Educação (Seduc), cerca de 80% dos estudantes já atenderam à convocação que é feita nas unidades de ensino.

Os pais e responsáveis devem se dirigir a Seduc para fazer a rematrícula do filho. A Secretaria é situada à avenida Senhor dos Passos, nº 197, no centro da cidade.

A Rede Municipal oferece para o ano de 2018 aproximadamente 50 mil vagas nas 217 escolas de Educação Infantil e Ensino Fundamental I e II – do 1º ao 9º, distribuídas entre os bairros e distritos de Feira de Santana.

Após o prazo para confirmação dos alunos, as vagas que não tenham sido ocupadas serão disponibilizadas para os novos alunos no período entre 15 e 21 de fevereiro.

Para efetuar a matrícula em uma unidade de ensino da Rede Municipal, os pais ou responsáveis deverão apresentar os seguintes documentos: histórico escolar (original); cópia da certidão de nascimento ou carteira de identidade; uma foto 3x4; cópia do comprovante de residência atualizado; para as crianças de Educação Infantil também é necessário apresentar cópia do cartão de vacinação atualizado.

Para matricular crianças beneficiárias do Bolsa Família, deverá ser apresentada ainda cópia do cartão em nome do pai, mãe ou responsável. No ato da matrícula, devem ser apresentados os documentos originais para fins de conferência.

 

Fonte: Secom PMFS/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!